Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

Tela cheia Sugerir um artigo
 Feed RSS

Comunidade da Revista Espírito Livre

20 de Junho de 2009, 0:00 , por Desconhecido - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.

A Revista Espírito Livre é uma iniciativa que reune colaboradores, técnicos, profissionais liberais, entusiastas, estudantes, empresário e funcionários públicos, e tem como objetivos estreitar os laços do software livre e outras iniciativas e vertentes sócio-culturais de cunho similar para com a sociedade de um modo geral, está com um novo projeto neste ano de 2009.

A Revista Espírito Livre visa ser uma publicação em formato digital, a ser distribuída em PDF, gratuita e com foco em tecnologia, mas sempre tendo como plano de fundo o software livre. A publicação já se encontra na terceira edição. A periodicidade da Revista Espírito Livre é mensal.


Que tal um smartphone com 1 TB de armazenamento?

25 de Julho de 2014, 9:53, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

63622.91624-RAM-Resistiva

Pesquisadores da Universidade de Rice, no Texas (EUA) demonstraram uma nova forma de fabricação de chips para smartphone que permitiria armazenamento de “terabytes” de dados, afirma uma matéria do Technology Review, site do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT).

O novo tipo de memória, apelidada de RAM Resistiva (RRAM), já está em desenvolvimento por várias empresas, mas ainda tem um processo muito complexo e caro para a fabricação, que exige temperaturas e voltagens muito altas.

De acordo com os pesquisadores, a técnica consiste em “rechear” os espaços deixados por metais como ouro e platina dentro do chip com um óxido de silício poroso. Além de ser um material familiar para os fabricantes, o óxido exige bem menos energia para ser integrado ao chip do que processos anteriores.

Com a nova forma de fabricação, seria possível produzir memória RRAM com voltagens bem reduzidas e em temperatura ambiente.

Assim como a memória flash, a RRAM consegue armazenar memória mesmo sem um suprimento constante de energia, mas ao invés de utilizar transistores (como a flash), utiliza resistência – o que aumenta a capacidade de amazenamento por espaço. A expectativa dos pesquisadores é que uma memória de 1 terabyte possa ser encaixada em um espaço do tamanho de um selo postal.

A nova memória também pode ser “empilhada”, o que aumentaria ainda mais a capacidade de armazenamento em um único chip. A técnica de “empilhamento” é relativamente nova, mas alguns fabricantes já estão testando em memórias flash. A Samsung trabalha atualmente em uma versão que pode suportar até 24 camadas de memória.

Fonte: Canaltech



Good Old Games: GOG.com agora suporta GNU/Linux, catálogo disponível já conta com 50 títulos

25 de Julho de 2014, 9:45, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

gog_game

Em setembro de 2013, a GOG havia informado à imprensa que não suportaria o Linux devido ao excesso de variação entre as distribuições. Mas em março deste ano, a empresa voltou atrás e disse que iria suportar o Ubuntu e o Linux Mint. E antes da data informada eles, conforme prometido, disponibilizaram seus primeiros 50 jogos para GNU/Linux.

Os jogos estão disponíveis em pacotes DEB, voltados às duas distribuições mencionadas e também em  pacotes binários destinados a outras distribuições. Vale a pena conferir.

A GOG conta oficialmente em seu catálogo mais de 500 jogos de décadas passadas, sem DRM e geralmente acompanhados de algum emulador da plataforma para a qual cada título foi originalmente criado.

A lista de 50 jogos dessa primeira remessa, você encontra neste link.

Importante ressaltar que os games são pagos e não são opensource ou software livre.

Com informações do GOG e Br-Linux.



Falha do Chromecast permite que hacker ‘sequestre’ aparelho e reproduza vídeo

24 de Julho de 2014, 14:03, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Chromecast_dongle

Quem conhece o Chromecast, o dongle do Google para streaming de conteúdo, sabe o quanto é fácil configurá-lo. E toda essa facilidade de ajustes do dispositivo representou também uma porta de entrada para os serviços dos hackers: já conseguiram desenvolver um outro dispositivo capaz de “sequestrar” Chromecasts a fim de reproduzir o clipe “Never Gonna Give You Up”, de Rick Astley. As informações são do Engadget.

O analista e hacker Dan Petro criou o Rickmote Controller, aparelho responsável pela façanha. A caixinha, com base no microcomputador Raspberry Pi, simplesmente enche o Chromecast de requisições de desconexão Wi-Fi, até levar o adaptador para seu modo de configurações. Depois disso, fica fácil para o Rickmote criar sua própria conexão e disparar o videoclipe.

Apesar de ser uma modificação hacker no Chromecast, não há motivo para pânico: mesmo se hackers resolverem fazer uma brincadeira dessas com o seu dongle, eles teriam primeiramente que conseguir quebrar a senha de sua rede sem fio ao mesmo tempo em que você estivesse utilizando o Chromecast.

O Rickmote já é uma prova cabal de que o Chromecast possui suas vulnerabilidades, mas isso não fará com que o Google corrija a falha imediatamente. Afinal de contas, o que mais chama a atenção no dispositivo de streaming é justamente sua facilidade de configuração, e parece que a empresa não quer colocar mais barreiras de segurança no dispositivo, uma vez que isso daria muito mais trabalho do que recompensas.

Com informações do Canaltech.



Lançado o KDE Plasma 5

24 de Julho de 2014, 13:54, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

desktop_plasma

O KDE Brasil traduziu a notícia de lançamento que pode ser lida a seguir.

primeira versão do Plasma 5 foi lançada. Temos trabalhado muito e duro ao longo dos últimos três anos para arrumar a parte interna e passar para novas tecnologias para trazer uma base sólida para a área de trabalho do KDE Plasma para os próximos anos. A interface do usuário foi limpa, há um tema novo, o Breeze, começando a sair e foi adicionado suporte de alta DPI. O principal design da área de trabalho e fluxos de trabalho não foram alterados, sabemos que você gosta de sua área de trabalho e não tem vontade de mudá-la. Não há polimento suficiente nesta versão para torná-la final ainda, esta é apenas para entusiastas e pessoas que querem ajudar a depurar agora.

Muitas distribuições têm pacotes para instalar ou imagens de teste para experimentar emboraesta versão 5.0 não deva ser a opção padrãoainda. O Plasma 5 é construído usando Qt 5 e Frameworks 5 e deve ter novos lançamentos em um ciclo de três meses.

Você pode discutir sobre suas experiências no fórum Plasma 5 no KDE Community Forums. Por favor, poste na mídia social com a hashtag #PlasmaByKDE.

As principais mudanças nesta nova versão incluem:

  • Uma experiência de usuário atualizada e modernizada, com visual mais limpo e interativo
    O novo tema Breeze tem um alto contraste, é um tema plano para o espaço de trabalho. Ele está disponível emvariações claras e escurasElementos gráficos mais simples e monocromáticos  e layouts centrados na tipografia oferecem ao usuário uma experiência visualmente limpo e clara.
  • Perfomance gráfica mais suave graças a um stack gráfico atualizado
    As interfaces de usuário do Plasma são renderizadas usando OpenGL ou OpenGL ES, descarregando muitas das tarefas computacionais intensivas de renderização. Isso permite altas taxas de frame e possibilita a exibição de gráficos mais suaves enquanto liberam recursos do processador principal do sistema.

Assista ao vídeo do Plasma 5.0

Outras mudanças visíveis ao usuário são:

  • Convergência
    A “convergência do Plasma” que carrega a área de trabalho no Plasma 5.0 pode ser estendido a outras experiências de usuárioIsso estabelece a base para uma experiência de usuário convergente trazendo uma interface adequada para um determinado dispositivo de destinoExperiências de usuário podem ser alternadas dinamicamente em tempo de execução, permitindo, com base em eventos de hardware, como conectar um teclado e um mouse.
  • Lançadores modernizados
    As interfaces de usuário dos lançadores de aplicativos foram reformuladasEntre as mudanças estão um lançador de aplicativos Kickoff visualmente redesenhadoum recém-incluído lançador, mais parecido como um menu, chamado Kicker e uma interface novabaseada em QtQuick para o KRunner.
  • Melhorias de fluxo de trabalho na área de notificação
    A área de notificação foi limpae ostenta um visual mais integrado agora. Menos janelas pop-up e transições mais rápidas entre, por exemplo, gerenciamento de energia e configurações de redes levam a um maior padrão de interação livre de distrações e uma maior coerência visual.
  • Melhor suporte para telas de alta densidade (alta-DPI)
    O suporte para telas de alta densidade foi melhorado. Muitas partes da interface do usuário agora tem o tamanho físicoda tela em conta. Isto leva a uma melhor usabilidade e visualização em telas com pixels muito pequenos, como telas de Retina.

Plasma 5.0 Visual Feature Guide fornece um vídeo de passeio no ambiente de trabalho atualizado.

O trabalho de arte Breeze melhora a claridade visual

O novo tema Breeze, que ainda está em sua infância, saúda o usuário com uma interface de usuário modernizada mais limpa, o que melhora o contraste e reduz a poluição visual em todo o espaço de trabalho.Maior confiança na tipografia facilita o reconhecimento de elementos de interface do usuárioEstas mudançasvem junto com um tema padrão mais plano e contrastemelhorado para melhorar ainda mais a clareza visual. OBreeze é um conceito novo de trabalho de arte, e está apenas começando a mostrar sua cara. Um tema para os componentes da área de trabalho  está disponívela tematização de widgets tradicionais está em curso, e o trabalho em um novo tema de ícones começou. A migração para um espaço de trabalho totalmente Breeze será gradual, com seus primeiros sinais aparecendo no Plasma 5.0.
O Plasma 5 traz um maior nível de flexibilidade e consistência aos componentes principais do ambiente de trabalho. Oexplorador de widget, e o alternador de janela e atividade agora compartilham um esquema de interação comum. Mais confiança na vertical em vez de listas horizontais oferece melhor usabilidade. Movendo o alternador de janela para o lado da tela muda o foco do usuário para os aplicativos e documentos, limpando o terreno para a tarefa em mãos.

Experiência de usuário convergente

O mecanismo “look and feel” do novo Plasma 5permite trocar partes como os alternadores de tarefas e atividades, as telas de login e bloqueio e o diálogo“Adicionar Widgets“. Isto permite uma maiorconsistência entre fluxos de trabalho centrais, melhora aclareza dentro de padrões de interação semelhantes e muda padrões de interação relacionados em toda a área de trabalho ao mesmo tempo.
Em cima disso, o Plasma 5 shell é capaz de carregar e alternar entre experiências de usuário para um determinado dispositivo de destino, introduzindo um espaço de trabalho verdadeiramente convergente. O espaço de trabalho demonstrado neste lançamento é o Plasma Desktop. Ele representa uma evolução dos conhecidos paradigmas de laptop e desktop. Uma experiência do usuáriocentrada em tablet e mediacenter estão em desenvolvimento como alternativas. Quando o Plasma 5.0 se tornar familiar, os usuários notarão uma experiência de espaço de trabalho mais limpa, moderna e consistente.

Stack gráfico totalmente acelerado por hardware

O Plasma 5 completa a migração do espaço de trabalhoPlasma para QtQuick. O QtQuick 2 do Qt 5 usaOpenGL (ES) acelerada por hardware para compor erenderizar gráficos na tela. Isso permite o descarregamento de tarefas de renderização gráficacomputacionalmente caros para a GPU que libera recursos na principal unidade de processamento do sistema, é mais rápido e mais eficiente em termos de energia.

Mudanças internas no compositor gráfico Frameworks subjacentes preparam suporte para rodar sobre o Wayland, que está previsto para uma próxima versão.

Adequação e atualizações

O Plasma 5.0 fornece um desktop principal com um conjunto de recursos que será suficiente para muitos usuários. A equipe de desenvolvimento tem se concentrado em ferramentas que compõem os fluxos de trabalho centrais. Como tal, nem todos os recursos da série 4.x do Plasma estão ainda disponíveis, muitos deles planejam voltar com um lançamento posterior.Como acontece com qualquer lançamento deste tamanho, haverá bugs que tornam a migração para o Plasma 5 difícil, se não impossível para alguns usuários. A equipe de desenvolvimento gostaria de ouvir sobre essas questões, para que possam sertratadas e corrigidas. Nós compilamos uma lista de problemas conhecidosOs usuários podem esperar atualizações mensais de correção de bugs, e um lançamento trazendo novos recursos e mais antigos de volta, no Outono de 2014.

Com um novo conjunto substancial de ferramentas vêm interessantes novos erros e problemas que precisam de tempo para serem contornadosIsso é de se esperar em uma primeira versão estávelEspecialmente o desempenho gráfico é fortemente dependente deconfigurações de hardware e software específicos e padrões de usoEmbora ele tenha um grande potencial, é preciso tempo para sanar esses problemas. A pilhasubjacente pode não estar totalmente pronta para issotambém. Em muitos cenários, o Plasma 5.0 mostrará um desempenho suave – enquanto em outros momentos, ele será prejudicado por várias falhas. Estas podem e serão abordadas, no entanto, muito depende de componentes como Qt, Mesa e drivers de hardware.

O texto original em inglês está em dot.kde.org.

Tradução: Aracele Torres.

Com informações do KDE-Brasil.



NVIDIA anuncia a segunda geração do SHIELD, tablet para o público gamer

24 de Julho de 2014, 10:17, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

63528.91388-NVIDIA-SHIELD

Agora é oficial: a fabricante NVIDIA anunciou nesta terça-feira (22) o SHIELD, um novo – e poderoso – tablet equipado com funções de um gadget comum, porém voltado para usuários da comunidade gamer que procuram por um dispositivo mais robusto e que rode títulos mais pesados. As informações são do blog oficial da empresa.

Para suportar o peso de atividades mais complexas, o SHIELD foi otimizado com componentes que garantem melhor dissipação do calor, fundamental para não sobrecarregar o sistema, principalmente durante jogatinas, que exigem um esforço maior. O aparelho possui um processador NVIDIA Tegra K1 com clock de 2,2 GHz – 192 cores dedicados apenas aos gráficos -, memória RAM de 2 GB e tela Full HD de 8 polegadas com 1.920 x 1.200 pixels de resolução. Mesmo com especificações nada modestas, o tablet é extremamente leve para um dispositivo da categoria, pesando apenas 390 g.

Assim como os consoles de mesa, o SHIELD também tem um controle sem fio tradicional com botões e direcionais analógicos, além da NVIDIA DirectStylus 2, a segunda geração da stylus NVIDIA, uma caneta especial com o dobro de resposta na hora de fazer anotações e interações com jogos, aplicativos e outras ferramentas. Inclusive, a companhia criou o NVIDIA Dabbler, um app feito especialmente para ajudar na criação de imagens realísticas em programas de edição. Vale lembrar que tanto o joystick quanto a stylus são vendidos à parte e custam US$ 59,99 e US$ 19,99, respectivamente.

Fonte: Canaltech



Tags deste artigo: publicação código aberto software livre revista espírito livre revista opensource