Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

Tela cheia Sugerir um artigo
 Feed RSS

Comunidade da Revista Espírito Livre

20 de Junho de 2009, 0:00 , por Desconhecido - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.

A Revista Espírito Livre é uma iniciativa que reune colaboradores, técnicos, profissionais liberais, entusiastas, estudantes, empresário e funcionários públicos, e tem como objetivos estreitar os laços do software livre e outras iniciativas e vertentes sócio-culturais de cunho similar para com a sociedade de um modo geral, está com um novo projeto neste ano de 2009.

A Revista Espírito Livre visa ser uma publicação em formato digital, a ser distribuída em PDF, gratuita e com foco em tecnologia, mas sempre tendo como plano de fundo o software livre. A publicação já se encontra na terceira edição. A periodicidade da Revista Espírito Livre é mensal.


Programação do 7º Fórum Espírito Livre já está disponível

31 de Outubro de 2014, 23:59, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

programacao_1

Você que estava aguardando a programação do 7º Fórum Espírito Livre, já não precisa esperar mais.

Ela já está disponível aqui.

Serão inúmeras palestras que ocorrerão durante a II Semana da Ciência, Tecnologia e Inovação de São Mateus e Região Norte do Espírito Santo, no Centro de Vivência Amélia Boroto, na Rua João Pinto Bandeira, em São Mateus/ES.

Não perca tempo e se inscreva aqui.



China ordena substituição do Windows em computadores do governo

31 de Outubro de 2014, 13:27, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

20211.33946-Bandeira-China

A China ordenou a substituição de todos os sistemas operacionais da Microsoft em computadores do governo. A decisão foi feita depois que as autoridades tiveram acesso a um relatório interno de um estudante da Academia Chinesa de Engenharia, no qual explica a importância da troca.

O motivo, além de financeiro, é principalmente devido à segurança. No relatório, uma fonte anônima recomendou também que as empresas estatais da China cancelem o uso de chips, servidores e qualquer outro software da Microsoft. A meta é que, em 2020, um bom número de computadores tenha o sistema operacional substituído por versões domésticas.

Em maio deste ano, o uso do Windows 8 já foi proibido para conter os gastos, pois o país vem enfrentando problemas com vendas, por causa da pirataria. A receita da Microsoft na China atinge cerca de um vigésimo comparada com a dos Estados Unidos, que teve um lucro de US$ 23,2 bilhões entre julho e setembro.

Além disso, a companhia americana está sendo investigada por suspeitas de violação das regras antimonopólio chinesas,  por problemas com a compatibilidade e autenticação de documentos abertos no sistema operacional e no Microsoft Office.

Fonte: Canaltech


10 anos depois, padrão HTML5 finalmente passa a ser recomendado pela W3C

31 de Outubro de 2014, 13:24, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

28154.43320-HTML5

A W3C, a autoridade máxima em padronização web, bateu o martelo e definiu: o HTML5 está pronto e maduro o suficiente para receber a devida atenção de empresas e desenvolvedores web. Com o anúncio feito nesta quarta-feira (29), a entidade passa a recomendar o novo padrão que provavelmente substituirá o HTML 4, cujo lançamento ocorreu no longínquo ano de 1997.

Na prática, os usuários comuns não sentirão muitas mudanças, mas a decisão da W3C pode afetar diretamente a forma como páginas web são construídas e, sobretudo, como assistimos a vídeos. Atualmente, praticamente todo serviço como o YouTube funciona baseado no Adobe Flash Player, que é muitíssimo conhecido por inúmeros problemas de segurança. O problema é que, mesmo com todas essas falhas, a falta de uma opção no mínimo interessante faz com que a tecnologia da Adobe continue sendo utilizada.

Com a W3C validando a maturidade do HTML5, agora, este cenário muda completamente e cada vez mais desenvolvedores devem voltar suas atenções à capacidade da tecnologia de reproduzir vídeos nativamente direto do navegador, sem a necessidade de um plugin externo para isso.

Para Tim Berners-Lee, diretor da W3C, o HTML5 pode fazer muito mais pelas pessoas do que apenas possibilitar a execução de vídeos dentro do navegador. “[No futuro] nós esperamos ser capazes de compartilhar fotos, fazer compras, ler as notícias e procurar por qualquer tipo de informação em qualquer dispositivo. Embora permaneçam invisíveis aos olhos dos usuários, o HTML5 e a Open Web Platform estão nos conduzindo para isso”, declarou o criador da World Wide Web.

O presidente adjunto do grupo responsável pela aprovação do HTML5 na W3C, Paul Cotton, disse concordar com Berners-Lee e destacou o conjunto de ferramentas interoperáveis que a tecnologia traz consigo. “Uma das melhores coisas do HTML5 é o seu conjunto de recursos interoperáveis no qual os desenvolvedores podem contar para construir suas aplicações web”, disse ao portal TechCrunch.

Ainda segundo Cotton, a recomendação do padrão pela entidade não poderia vir num momento mais oportuno, já que a cada dia que passa fica mais claro que a web está mesmo trilhando um caminho onde o conteúdo é divulgado essencialmente em vídeo. “A nova tag de vídeo do HTML5 é, provavelmente, seu mais importante recurso já que a web está cada vez mais se valendo de vídeos”, disse.

Embora o padrão já esteja circulando por aí desde 2004, somente em 2007 ele começou a ganhar força. A época coincide com o lançamento do primeiro modelo do iPhone. Durante a apresentação do smartphone, Steve Jobs disse que os aparelhos não utilizariam o Flash para exibir sites com animações e vídeos. Desde então, o HTML5 vem ganhando corpo e sendo adotado por sites que antes exigiam a instalação do plugin da Adobe para funcionar corretamente.

Segundo Cotton, a demora em consolidar o padrão se deu devido a necessidade de adequação do ecossistema web como um todo. Não daria, por exemplo, para dizer que tudo estava OK quando, na verdade, não havia ferramentas e/ou instruções suficientes para auxiliar e instruir desenvolvedores sobre como utilizá-lo.

“Por exemplo, as ferramentas que os desenvolvedores utilizam hoje em dia, como o GitHub, mídias sociais etc, ou eram muito diferentes ou sequer existiam há cinco anos”, disse Cotton. Ainda de acordo com ele, houve todo um processo de adequação da tecnologia e várias baterias de testes para definir como ela deveria se comportar e acompanhar a evolução do ecossistema.

Agora que tudo está de acordo com as exigências da W3C, a expectativa é que em breve sites que utilizam HTML5 explodam em todos os cantos da internet e o usuário final seja o principal beneficiado com tudo isso.

Com informações do Canaltech.


Facebook agora pode ser acessado pela rede anônima TOR

31 de Outubro de 2014, 13:22, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

5057.9423-Facebook

Em uma medida voltada principalmente para os países ditatoriais onde a censura à web é pesada, o Facebook anunciou que, agora, pode ser acessado completamente por meio da rede TOR. A rede segura é utilizada por aqueles que desejam navegar pela internet anonimamente e não desejam ter seu cotidiano online rastreado, algo de suma importância para quem deseja combater regimes tiranos ou simplesmente manter sua identidade oculta.

Irã, China e Coreia do Norte, por exemplo, são alguns países que vivem sob um regime de censura intensa e onde o próprio Facebook está bloqueado. Assim, a medida vem como uma boa notícia tanto para a empresa, que agora pode ter acesso a todo um novo mercado, quanto para os usuários, que agora possuem mais uma forma segura de comunicação.

A ideia da rede social é permitir que amigos e familiares de pessoas que vivem sob esses regimes recebam notícias dos entes queridos. Muitas vezes, o contato entre elas é completamente bloqueado pelos firewalls governamentais, impostos justamente para evitar que os cidadãos recebam informações do exterior e permaneçam sob o controle extremo, tendo acesso apenas a informações “autorizadas”.

O acesso ao Facebook pelo TOR é feito a partir de um endereço específico e a rede social garante criptografia completa nas comunicações entre o site e seus usuários. Eles estarão conectados diretamente ao banco de dados do serviço, sem intermediários, de forma que não seja possível rastrear a comunicação ou obter informações sobre quem a está acessando.

Esta é mais uma etapa que demonstra a preocupação crescente do Facebook com a segurança e o sigilo das informações trocadas entre o serviço e seus usuários. No ano passado, a empresa passou a usar o HTTPS como o protocolo de proteção padrão para todos os seus serviços e, agora, volta seu olhar para soluções mais dedicadas, como a rede TOR.

O projeto de acesso anônimo foi conduzido por Runa Sandvik, pesquisador de segurança que trabalha para a companhia, e contou com a parceria da University of College London, uma das instituições mais prestigiosas nesse campo. A instituição atuou sob a batuta de Steven Murdoch, um dos especialistas mais renomados do setor.

Fonte: Canaltech


Mozilla quer facilitar criação de apps via smartphone

29 de Outubro de 2014, 12:21, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

mozilla-webmaker

A Mozilla está desenvolvendo uma ferramenta que permite aos usuários criar e compartilhar aplicativos web. Batizado de WebMaker, o produto é voltado para Android, iOS e Firefox OS.

A página inicial do aplicativo oferece uma série de opções de templates com foco em “personalidades” ou profissões específicas, como professores, médicos, jornalistas e proprietários de pequenos negócios. Os usuários podem customizar os aplicativos com “blocos”, que incluem textos, formulários, geolocalização, entre outros.

A maioria das ferramentas existentes do WebMaker foi desenvolvida para navegadores desktop. O X-Ray Goggles, por exemplo, permite aos internautas “remixar” seus sites e páginas preferidos, alterando textos, imagens e outros elementos definidos.

A Mozilla pretende lançar o aplicativo para dispositivos com sistemas Android e Firefox OS simultaneamente no início de 2015.

Com informações de IMasters.



Tags deste artigo: publicação código aberto software livre revista espírito livre revista opensource