Software Livre e Mercado de Trabalho - Parte I

18 de Agosto de 2014, por Paulo Santana - 0sem comentários ainda

Enviado por Valéria Barros:

Muita gente me pergunta sobre a minha decisão de participar tão efusivamente do movimento de software livre (isso significa dar o sangue para fazer eventos saírem do papel, investir tempo e dinheiro em projetos e afins). Minha resposta vem em forma analítica. Basta olhar minha vida profissional.

Quando entrei na comunidade, era apenas uma adolescente apaixonada por programação, mas sem saber nada além do que me ensinaram no curso.

Por sorte, conhecia muita gente da comunidade, na época grande, em Goiânia. Fui ao primeiro FLISOL com 15 anos e de lá pra cá, decidi me firmar cada vez mais.

Atualmente, com 20 anos, organizo/participo da organização/palestro em todos os eventos de Software Livre de Goiás, entre outras segmentações.

A maior prova de que foi uma excelente escolha é: Aos 20, já passei por 3 grandes empresas, conheci pessoalmente grandes ícones da área e vez ou outra chegam indicações ou propostas para novas vagas em outros estados.

É claro que você pode conseguir esses resultados sem estar dentro de uma comunidade, mas ter pessoas experientes ao seu redor para endossar seu currículo só prova que você deseja se diferenciar.

Cá entre nós, em um mercado cada vez mais saturado de gente ruim, cada passo seu em busca de algo melhor te coloca em posição de destaque.

Mas o resultado mais importante é: satisfação pessoal. A sensação de dever cumprido filosoficamente e tecnicamente é o melhor parâmetro de sucesso para mim.

Assim como um dia alguém me fez acreditar nessa ideia e ser uma profissional melhor, quero levar outras pessoas à essa mesma direção.

E é por isso que você, dentro da faculdade deveria pensar em Software Livre.

Para conhecer eventos de SL em Goiás, temos listas de discussões sobre os eventos. É só pesquisar FGSL ou Flisol Goiânia no Google Groups.

Sugestões, café ou dinheiro, manda um tweet para @barros_val =)



Empresa nacional quer fabricar máquinas CNC com Arduino

20 de Junho de 2014, por Jeferson Simões - 0sem comentários ainda

A Protoptimus quer fabricar máquinas CNC acessíveis e fáceis de usar. Impressão 3D está em evidência na mídia há tempos. Muitas iniciativas opensource têm facilitado o acesso à elas no país.

 

Mas os empreendedores brasileiros estão se esquecendo das "irmãs" das 3D printers, as máquinas para usinagem.

 

Fora do país, soluções de baixo custo e fáceis de usar já estão se estabelecendo, vide o recém mega-sucesso no Kickstarter, The Nomad CNC Mill.

 

Máquinas de usinagem tendem a ter maior impacto econômico entre empreendedores, e makers que querem começar o próprio negócio.

 

A Startup está focando nesta lacuna. Tem a ambição de ser o primeiro grande fabricante brasileiro de máquinas CNC de pequeno porte e código aberto.

 

Para levantar o capital inicial para P&D e poder produzir as primeiras unidades, a Protopimus está com uma campanha de financiamento coletivo no Catarse: www.catarse.me/pt/protoptimus



Acompanhe o maior e melhor evento de Software Livre - FISL 14

3 de Julho de 2013, por Valessio Brito

COMPARTILHE!

 

Link para programação: http://Clips.tk

 

Links para os pontos de transmissão: 



Entrevista com Ricardo Poppi, assessor da Secretaria-Geral da Presidência da República

15 de Agosto de 2012, por Desconhecido - 0sem comentários ainda



Entrevista com Paulo Meirelles, pesquisador do Centro de Competência em SL da USP

15 de Agosto de 2012, por Desconhecido - 0sem comentários ainda