Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

Logotipo

Twitter_logo_s

Facebook-32x32Flickr-32x32Youtube-32x32

pm@paulomarcos.com | msg: 74.9110 4596
Jornalismo no Rádio, TV e Internet

http://www.dotpod.com.ar/wp-content/uploads/2008/06/sonico-logo.jpg

 

 

http://static.wix.com/media/1ff96be45122890f6b04ceeaa7dbd2d3.wix_mp

PM no Twitter

getaddrinfo: Name or service not known

Este perfil não tem posição geográfica registrada.

Paulo Marcos

Paulo Marcos
Pintadas - Bahia - Brasil
Tela cheia
 Feed RSS

Paulo Marcos no Rádio, TV e Internet

27 de Maio de 2009, 0:00 , por Desconhecido - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Paulo Marcos, radiojornalista formado em Rádio e TV pela UNEB. Especialista em rádio, TV e comunicação digital junto a jovens e lideranças do movimento social. Coordenador da Rádio Barreiros/ADASB. É empreendedor individual e através da produtora NaCangaia presta serviços nas áreas de vídeo, fotografias e radiojornalismo.

Assassinaram um sambador em Gavião-BA

28 de Fevereiro de 2011, 0:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda


O crime ocorreu neste domingo (27), e a vítima que possuía armas em casa ficou indefesa

Gavião-BA: Dia de sol e trovoada. Verão na pequena cidade de Gavião-BA. Domingo 27 de fevereiro, também dia de futebol no Estádio Municipal. A poucos metros do local do jogo fica o bairro do Pigí, onde por volta das 17h numa rua estreita, conhecida como Lote 3, um homem descobre que havia uma pessoa morta dentro da própria casa.

No local, uma moradia pequena, sem pintura nas paredes e bem decorada com quadros, imagens de santos, chapéis e pandeiros de couro. No chão um corpo e sangue espalhado pela pequena sala da casa. A porta do funda aberta e a da frente fechada. Também havia marcas de pegadas de tênis próximo à porta do fundo. Não há sinais de arrombamento.

O corpo trata-se de Severiano Ferreira Lopes, 84 anos, pai de cinco filhos todos maiores. O aposentado pode ter sido vítima de latrocínio, ou seja, assalto seguido de morte. O delegado não descarta nenhuma hipótese, porém não há sinais de briga.

"Severo" como era conhecido, estava apenas de bermuda, usava anéis e estava descalço. O ancião levou pelo menos um golpe próximo ao pescoço que pode ter sido de faca. Na cabeça cheia de sangue também era possível visualizar marcas de hematomas. Por baixo da cabeça tinha um rolo de arama e ao lado um saco de grampos.

Quatro horas depois, o delegado chega ao local do crime. Ainda havia muitos curiosos e mistérios também. Em cima da cama uma mala aberta, panos e sacolas plásticas. Noutra cama, tipo "cama de vento", uma coberta e um facão dentro da bainha. Aquela não era a única arma.

Na casa foram encontrados vários facões. "Ele vendia essas coisas", comentou Antônio Ferreira, filho da vítima. "O povo trazia e dava à ele pra vender", complementou.

- Ele guardava dinheiro aqui? - perguntou o delegado.

- Não sei - respondeu Antônio -, o que eu sei é que meu tio disse que ele comentava que tinha 30 notas de 100 reis. Ele gostava de colecionar porque achava bonito.

Antônio conta que estava no campo de futebol na hora do crime. Um vizinho também disse que viu o velho momentos antes, quando ele havia oferecido um facão pra vender.

Na casa entre dois colchões de uma das camas havia duas armas de fogo. Uma delas estava carregada. Além disso, também foram encontradas facas, machados e outros utensílios domésticos e de trabalho no campo.

Depois da investigação o corpo foi liberado para ser necropsiado e deverá ser sepultado no final da tarde desta segunda-feira (28).

Não há suspeitos do crime. Este foi o segundo no mês envolvendo idosos no município. O outro caso aconteceu na zona rural na semana passada.

Confira as fotos no flickr.com/nacangaia

Por Paulo Marcos



Cocaína toma conta do Sertão: eu posso usar também?

7 de Fevereiro de 2011, 0:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Uma definição encontrada numa rápida busca na Internet aponta que a cocaína é uma droga cara e seu uso constitui um "vício elegante", de pessoas de maior poder aquisitivo.

por Paulo Marcos*

Cocaina
Foto: Blog Viva Clínica Terapêuta

A droga é usada por aspiração nasal: o pó branco é inalado através de um tubinho colocado na narina.

Este tubinho pode ser feito com uma nota de 20 reais?

Pode sim. Eu vi um amigo meu chamado Flávio usando esta merda há dois dias.

- Rapaz! O negócio aí tá muito.

- Colé é pra nós dois - disse ele bem sorridente.

- Eu não quero - afirmei.

- Oxe! Colé mano? Já dividir - explicou Flávio -, isso aqui é muita grana não pode esperdiçar.

Então, ele inalou e saiu curtindo os primeiro efeitos do negócio. Aliás, ele já estava sob efeito, pois deveria ter passado a noite e o dia todo usando aquela porcaria.

E o que eu fiz?

Peguei o canudo, ou melhor, os 20 reais que ele usou para fazer o canudo e assoprei com força como se estivesse cheirando a cocaína. O pó se espalhou e eu é claro comecei a mexer no nariz como se estivesse tendo uma reação alérgica ao bagulho. Deu pra desfaçar bem e ele acreditou que eu tinha usado a coca.

Alguns minutos depois ele perguntou:

- E aí cara, como foi? Tá sentindo?

- Nada.

- Como nada? O negócio é do bom – falou Flávio.

- É, mas está tudo tranquilo.

- Vou lá de novo. Bora?

- Não pode ir que pra mim já deu.

Ele foi lá outra vez e outra, e outra... O caramarada tá doidão. Dependente mesmo.

Eu já sabia que ele é usuário e até já vi saindo pra usar, mas com certeza foi a pior de todas. Primeiro porque ele dividiu a droga comigo, segundo porque ele está usando muito. Na primeira vez eu vi um cara entregando a droga a ele na mesa de um bar onde eu estava. O traficante chegou e com uma mão só entregou um saquinho de cocaína e pegou a nota de real. Depois saiu de moto.

Eu perguntei ao meu amigo viciado:

- Que é isso rapaz? Quem é esse cara?

- A fiquei tranquilo aí é peixe das polícias - respondeu o drogado -, ele é quem passa o bagulho pro caras.

E agora o que faço?

Eu aviso a polícia, que também cheira e ajuda no tráfico?

Eu abandono o cara que eu considero meu amigo e deixo ele se acabar?

Ou eu passo literalmente pro lado dele, ou seja, passo a consumir a droga por falta de saída?

Saiba mais sobre a cocaína:

A quantidade necessária para provocar uma overdose varia de uma pessoa para outra, e a dose fatal vai de 0,2 a 1,5 grama de cocaína pura.

Sintetizada em 1859, a cocaína tem como origem a planta Erythroxylon coca, um arbusto nativo da Bolívia e do Peru (mas também cultivado em Java e Sri-Lanka), em cuja composição química se encontram os alcalóides Cocaína, Anamil e Truxillina (ou Cocamina).

EFEITOS

A cocaína é a droga que mais rapidamente devasta o usuário. Bastam alguns meses ou mesmo semanas para que ela cause um emagrecimento profundo, insônia, sangramento do nariz e corisa persistente, lesão da mucosa nasal e tecidos nasais, podendo inclusive causar perfuração do septo. Doses elevadas consumidas regularmente também causam palidez, suor frio, desmaios, convulsões e parada respiratória. No cérebro, a cocaína afeta especialmente as áreas motoras, produzindo agitação intensa. A ação da cocaína no corpo é poderosa porém breve, durando cerca de meia hora, já que a droga é rapidamente metabolizada pelo organismo.

TRÁFICO

A cocaína é ilegal em todos os países do Mundo. A planta da coca é cultivada legalmente em volumes controlados em vários países da América do Sul, mais especificamente na cordilheira dos Andes (Bolívia, Colômbia e Peru). As folhas da coca são legais nesses países, mas a sua refinação é proibida. Normalmente a refinação é feita nos Estados Unidos, maior consumidor não só de cocaína, mas de drogas do mundo.

A cocaína é a droga com maiores vendas em dinheiro na maior parte do mundo. Nos EUA em 2003 terão sido vendidos 35 milhões de dólares do produto.


* Paulo Marcos é Comunicólogo, Radialista e Educador Social. Formado em Rádio e TV pela UNEB é especialista em rádio, TV e comunicação digital junto a jovens e lideranças do movimento social. Atua na assessoria de comunicação parlamentar e é empreendedor individual. Através da produtora NaCangaia presta serviços nas áreas de vídeo, fotografias e radiojornalismo.


Tags deste artigo: bahia artes bacia do jacuípe cultura radialista rádio tv esportes