Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

TDF blog

redirection forbidden: http://blog.documentfoundation.org/feed/ -> https://blog.documentfoundation.org/feed/

Minha rede

TDF Wiki Brasil

redirection forbidden: http://wiki.documentfoundation.org/index.php?title=Special:RecentChanges&feed=atom -> https://wiki.documentfoundation.org/index.php?title=Special:RecentChanges&feed=atom

 Voltar a Comunidade L...
Tela cheia Sugerir um artigo

Removendo código em desuso no LibreOffice

10 de Janeiro de 2012, 0:00 , por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 60 vezes

Uma das coisas infelizes que o LibreOffice herdou, após várias décadas valendo uma dívida técnica em aberto, é o código sem uso que ficou largado por ai indefinidamente. Isso realmente não ajuda quando misturada ao peso e profundidade do código válido que temos.

http://softwarelivre.org/furusho/broffice/libreoffice.png

Caolán McNamara da Red Hat escreveu uma bela ferramenta callcatcher que identifica esses métodos sem uso, e recentemente ficamos com um arquivo unusedcode.easy na raiz de nosso código com uma lista de métodos a remover. É muito fácil achar e remover um método ou dois, basta um git grep, e criar um patch para a lista dos desenvolvedores. Para fugir de uma pilha de tarefas administrativas recentes, arranjei um script Perl para mastigar a saída do git numstat para ver como é que ficamos nessa história.

O resultado foi o seguinte gráfico:

Parece que mais da metade de nosso código sem uso já ficou pra trás. Infelizmente, enquanto varremos o lixo pra fora, mais lixo aparece, bem observados nos pinotes pra cima no gráfico, ainda que a tendência é claramente ladeira abaixo. Se você quer se envolver com o desenvolvimento do LibreOffice, não pode ser mais fácil do que isso, faça o checkout do código e mande ver a sua vassoura.

Se não for no LibreOffice, por que você não roda o callcatcher do Caolán no seu projeto para ver as rebarbas e bolas quadradas que sobraram dos requerimentos?

por Michael Meeks
Tradução: Olivier Hallot
* fontes:
* blog The Document Foundation
* blog de Michael Meeks
Site oficial:
LibreOffice


Fonte: Vitorio Furusho

0sem comentários ainda

Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.