Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

TDF blog

redirection forbidden: http://blog.documentfoundation.org/feed/ -> https://blog.documentfoundation.org/feed/

Minha rede

TDF Wiki Brasil

redirection forbidden: http://wiki.documentfoundation.org/index.php?title=Special:RecentChanges&feed=atom -> https://wiki.documentfoundation.org/index.php?title=Special:RecentChanges&feed=atom

Tela cheia Sugerir um artigo
 Feed RSS

Comunidade LibreOffice Brasil

7 de Dezembro de 2009, 0:00 , por Desconhecido - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Comunidade LibreOffice Brasil

Convergência Digital: Governo do Rio de Janeiro oficializa adesão ao ODF

31 de Maio de 2011, 0:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

O governador Sérgio Cabral sancionou lei que favorece ao uso do software livre. A legislação concede  a adoção preferencial do uso de documentos de formato aberto - ODF (Open Document Format) na Administração direta, indireta, autárquica e fundacional. O Rio de Janeiro é o segundo estado a transformar a adesão em Lei. O primeiro foi o Paraná.

A lei nº 5978 foi sancionada pelo Governador Sérgio Cabral no dia 27 de maio. Ela foi proposta pelo deputado Robson Leite, do PT/RJ. Segundo o deputado, a adoção do ODF representará uma economia de R$ 20 milhões por ano em licenciamento de software. Leia abaixo, a Lei sancionada pelo Governador Sérgio Cabral. LEI Nº 5978 DE 24 DE MAIO DE 2011
 
DISPÕE QUE OS ÓRGÃOS E ENTIDADES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DIRETA, INDIRETA, AUTÁRQUICA E FUNDACIONAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, BEM COMO OS ÓRGÃOS AUTÔNOMOS E EMPRESAS SOB O CONTROLE ESTATAL ADOTARÃO, PREFERENCIALMENTE, FORMATOS ABERTOS DE ARQUIVOS PARA CRIAÇÃO, ARMAZENAMENTO E DISPONIBILIZAÇÃO DIGITAL DE DOCUMENTOS.
 
O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
 
Faço saber que a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei:
 
Art. 1º - Os Órgãos e entidades da Administração Pública Direta, Indireta, Autárquica e Fundacional do Estado do Rio de Janeiro, bem como os Órgãos autônomos e empresas sob o controle estatal adotarão, preferencialmente, formatos abertos de arquivos para criação, armazenamento e disponibilização digital de documentos.
 
Art. 2º - Entende-se por formatos abertos de arquivos aqueles que:
 
I - possibilitam a interoperabilidade entre diversos aplicativos e plataformas, internas e externas;
 
II - permitem aplicação sem quaisquer restrições ou pagamento de royalties;
 
III - podem ser implementados plena e independentemente por múltiplos fornecedores de programas de computador, em múltiplas plataformas, sem quaisquer ônus relativos à propriedade intelectual para a necessária tecnologia;
 
Art. 3º - Os entes, mencionados no art. 1º desta lei, deverão estar aptos ao recebimento, publicação, visualização e preservação de documentos digitais em formato aberto, de acordo com a norma ISO/IEC 26.300 (OpenDocument Format - ODF).
 
Art. 4º- Esta Lei entrará¡ em vigor na data de sua publicação.
 
Rio de Janeiro, 24 de maio de 2011
 
SÉRGIO CABRAL
 
Projeto de Lei nº 152/2011
 
Autoria do Deputado Robson Leite

*Com informações de agências de notícias

por: :: Ana Paula Lobo*   Convergência Digital



Monitor Mercantil Digital: Administração pública do Rio adotará formato de Software Livre

26 de Maio de 2011, 0:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

A partir desta quarta-feira, por força de lei, a administração pública direta, indireta, autárquica e undacional poderá adotar, preferencialmente, o uso de documentos de formato aberto, ou ODF (Open Document Format). É o que garante a Lei 5.978/11, publicada no Diário Oficial do Executivo de hoje e assinada pelo deputado Robson Leite (PT), para quem a regra fará do estado do Rio o segundo, atrás apenas do Paraná, a investir em software aberto.

O que representará uma economia de R$ 20 milhões por ano em licenciamento de software - estimou ele, para quem a medida também contribui para a geração de empregos - "enquanto que, com a compra dos softwares fechados, geramos emprego e renda no exterior" - afirma.

A sanção da proposta deixa o Executivo mais próximo de passar pela adaptação pela qual a Alerj já passa. Os funcionários do Parlamento já têm a opção de escolha entre sistemas operacionais: o Windows ou o gratuito Ubuntu (baseado em Linux). Além disso, a Casa já vem usando o pacote Br Office, totalmente grátis, o que tem gerado economia aos cofres públicos.

A inclusão do sistema alternativo faz parte da adaptação à resolução assinada pelo deputado Gilberto Palmares (PT) e pelo ex-presidente da Casa, Jorge Picciani, que torna preferencial o uso de software livre de código aberto na Casa. O uso de padrões abertos e o licenciamento livre são características fundamentais deste modelo.

Alerj anuncia que administração pública adotará software livre

Administração pública poderá adotar formato de software livre

http://www.monitormercantil.com.br/fotoartigo/95329foto1.jpg

Proposta é assinada pelo petista Robson Leite (Foto: Fellippo Brando/Alerj - arquivo)

* fonte: Monitor Mercantil Digital



Diário de Petrópolis: Agora é lei – Administração pública adotará formato de software livre

26 de Maio de 2011, 0:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Agora é lei: a administração pública direta, indireta, autárquica e fundacional poderá adotar, preferencialmente, o uso de documentos de formato aberto, ou ODF (Open Document Format). É o que garante a lei 5.978/11, publicada no Diário Oficial do Executivo desta quarta-feira (25/05) e assinada pelo deputado Robson Leite (PT).

http://diariodepetropolis.com.br/wp-content/woo_uploads/1038-_robson_2.jpg

De acordo com o autor da nova lei, a regra fará do estado do Rio o segundo, atrás apenas do Paraná, a investir em software aberto. “O que representará uma economia de R$ 20 milhões por ano em licenciamento de software”, estimou ele, para quem a medida também contribui para a geração de empregos. “Enquanto que, com a compra dos softwares fechados, geramos emprego e renda no exterior”, afirma.

A sanção da proposta deixa o Executivo mais próximo de passar pela adaptação pela qual a Alerj já passa. Os funcionários do Parlamento já têm a opção de escolha entre sistemas operacionais: o Windows ou o gratuito Ubuntu (baseado em Linux). Além disso, a Casa já vem usando o pacote Br Office, totalmente grátis, o que tem gerado economia aos cofres públicos.

A inclusão do sistema alternativo faz parte da adaptação à resolução assinada pelo deputado Gilberto Palmares (PT) e pelo ex-presidente da Casa, Jorge Picciani, que torna preferencial o uso de software livre de código aberto na Casa. O uso de padrões abertos e o licenciamento livre são características fundamentais deste modelo.

* fonte: Diário de Petrópolis



Governador Sérgio Cabral, do Rio, sancionou ontem a Lei 5978/2011 sobre ODF

25 de Maio de 2011, 0:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

LEI Nº 5978 DE 24 DE MAIO DE 2011

DISPÕE QUE OS ÓRGÃOS E ENTIDADES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DIRETA, INDIRETA, AUTÁRQUICA E FUNDACIONAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, BEM COMO OS ÓRGÃOS AUTÔNOMOS E EMPRESAS SOB O CONTROLE ESTATAL ADOTARÃO, PREFERENCIALMENTE, FORMATOS ABERTOS DE ARQUIVOS PARA CRIAÇÃO, ARMAZENAMENTO E DISPONIBILIZAÇÃO DIGITAL DE DOCUMENTOS.

O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Faço saber que a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1º - Os Órgãos e entidades da Administração Pública Direta, Indireta, Autárquica e Fundacional do Estado do Rio de Janeiro, bem como os Órgãos autônomos e empresas sob o controle estatal adotarão, preferencialmente, formatos abertos de arquivos para criação, armazenamento e disponibilização digital de documentos.

Art. 2º - Entende-se por formatos abertos de arquivos aqueles que:

I - possibilitam a interoperabilidade entre diversos aplicativos e plataformas, internas e externas;

II - permitem aplicação sem quaisquer restrições ou pagamento de royalties;

III - podem ser implementados plena e independentemente por múltiplos fornecedores de programas de computador, em múltiplas plataformas, sem quaisquer ônus relativos à propriedade intelectual para a necessária tecnologia;

Art. 3º - Os entes, mencionados no art. 1º desta lei, deverão estar aptos ao recebimento, publicação, visualização e preservação de documentos digitais em formato aberto, de acordo com a norma ISO/IEC 26.300 (OpenDocument Format - ODF).

Art. 4º- Esta Lei entrará¡ em vigor na data de sua publicação.

 

Rio de Janeiro, 24 de maio de 2011

 

SÉRGIO CABRAL

Projeto de Lei nº 152/2011

Autoria do Deputado Robson Leite

Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro
ANO XXXVII - Nº 096
Rio de Janeiro, Quarta-feira, 25 de maio de 2011



Dê adeus ao M$ Office, Use LibreOffice

25 de Maio de 2011, 0:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

O Microsoft Office é o pacote de aplicativos de escritório dominante e bastante maduro no mercado, mas não é a única opção. Há múltiplas alternativas gratuitas ou de baixo custo que podem atender às suas necessidades, especialmente se você é um usuário doméstico ou uma pequena empresa. Conheça algumas delas, economize com licenciamento de software e dê adeus ao Microsoft Office.

Google Docs
Gratuito, o Google Docs permite que os usuários importem ou criem documentos, planilhas e apresentações e depois os editem diretamente no navegador. Também é possível editar documentos e planilhas em smartphones e tablets com Android 2.2 ou superior, ou iPhones, iPods e iPads com o iOS 3.0 ou superior. O uso pessoal é gratuito, mas para uso corporativo o Docs é parte de um pacote com as Google Apps, que custa US$ 50 dólares por funcionário por ano.

Abrir arquivos criados em outros programas pode ser um incômodo, pois é necessário importá-los e convertê-los antes, processo que pode causar problemas de formatação (especialmente em documentos criados com versões recentes do Microsoft Office). A manipulação de arquivos é mais difícil do que deveria, e a interface peca por ser minimalista demais. Como tudo funciona online, você precisa de uma conexão constante à internet para usar o serviço: a capacidade de edição “offline” de documentos só estará disponível em alguns meses.

LibreOffice
Gratuito e de código-aberto, o LibreOffice contém processador de textos, planilha de cálculo, editor de apresentações, editor de imagens vetoriais e diagramas, uma interface para bancos de dados e um editor de equações simples. Uma versão “portátil”, que roda direto de um pendrive sem necessidade de instalação no PC, também está disponível.

A interface do LibreOffice 3.3 será familiar a qualquer um acostumado com o Microsoft Office, mas pode ser facilmente personalizada se necessário. Documentos, planilhas e apresentações criadas com o Microsoft Office e OpenOffice.org (do qual o LibreOffice se originou) não causaram problemas para o LibreOffice, e um documento criado no LibreOffice foi aberto sem problemas no Word.

A versão em português brasileiro do LibreOffice era conhecida até recentemente como BrOffice.org. Ela está disponível para download no site oficial, em www.libreoffice.org.br

SoftMaker Office
O SoftMaker Office 2010 (US$ 80, em versões para Windows, Linux, Windows Mobile e Windows CE) tem módulos para processamento de textos, planilha de cálculos e apresentações, e tem uma linguagem de script que permite a automação de tarefas recorrentes.

A interface do SoftMaker é bastante similar à do Microsoft Office, e cada módulo é recheado de recursos. O processador de textos TextMaker, por exemplo, incorpora uma boa quantidade de funções úteis para editoração eletrônica. Recursos gráficos são particularmente excepcionais.

Arquivos do Word, Excel e PowerPoint são importados sem problemas. Entretanto, os módulos são separados entre si, o que exige que o usuário alterne manualmente entre eles caso esteja trabalhando com mais de um tipo de arquivo simultâneamente.

Zoho
Assim como o Google Docs, o Zoho é um pacote de aplicativos baseado na web que é acessado usando o navegador. O sistema online de gerenciamento de documentos Zoho Docs é composto por um processador de textos, planilha e ferramenta para apresentações, entre outras, permitindo que os usuários armazenem os arquivos em um local central e os acessem e compartilhem de qualquer lugar.

O uso pessoal é gratuito, e o uso corporativo vai de gratuito (com 1GB de espaço para arquivos e um projeto ou “workspace”, nome dado a uma pasta temática com vários documentos que pode ser compatilhada com seus colegas) até 5 dólares mensais por usuário (com 20 projetos).

Um plugin permite criar, editar e salvar documentos no Zoho Docs a partir do Word e Excel. O processador de textos também tem um modo offline. O acesso móvel aos documentos pode ser feito a partir de aparelhos com iOS, Android, Blackberry, Symbian (S60) e Windows Mobile.

Comparada ao Google Docs, a interface do Zoho Docs é uma beleza, elegante e intuitiva. Não tivemos problemas ao importar documentos do Word, Excel ou PowerPoint. Documentos criados com o Zoho foram abertos com o Microsoft Office sem problemas. Ferramentas de compartilhamento e colaboração são fáceis de usar, e o Zoho permite aos usuários ver e editar os últimos 25 documentos offline, com sincronia automática com a versão online assim que a conexão à internet for restaurada.

Várias são as opções ao Microsoft Office, cabe a você estabelecer o hábito com qualquer uma dessas opções e dar adeus à suíte da Microsoft.

* fonte: blog José Alberto



Fedora 15 Lovelock é Lançado, já vem com o LibreOffice

25 de Maio de 2011, 0:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

O Fedora 15 Lovelock já está liberado para seus users fazerem download. Ele traz o ambiente desktop GNOME 3, suporte melhorado no momento da instalação do sistema de arquivos Btrfs, maior refinamento no troubleshooter SELinux, e melhor gerenciamento de energia.

Outras atualizações incluem a última edição do LibreOffice, navegador web Firefox 4, Plasma KDE (4.6) e Xfce 4.8 e plataforma de aprendizagem Sugar 0.92. Os desenvolvedores também abordam o compilador GCC 4.6, o GDB 7.3, o
Python 3.2 (padrão do sistema e Python 2.7), Ocaml 3.12, Rails 3.0.5 e Maven 3.

Para acesso à uma lista completa dos recursos implementados, consulte o Wiki Fedora. Fedora 15 está disponível para
download a partir do site get.fedoraproject.org como imagens LiveCD, ISO de DVD e outros formatos para plataformas 32 e 64-bit x86.

* fonte: Under-Linuc.org



A The Document Foundation anuncia os membros do Conselho Diretor de Engenharia

23 de Maio de 2011, 0:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

O Conselho coordenará as atividades de desenvolvimento e definirá a evolução tecnológica do LibreOffice

A Internet, 23 de maio de 2011 – A The Document Foundation apresenta os membros do Conselho Diretor de Engenharia (ESC), o segundo conselho anunciado – depois do Conselho de Admissão – entre os dois conselhos previstos pelo Estatuto. O ESC foi empossado para coordenar todas as atividades de desenvolvimento e definir o direcionamento tecnológico futuro.

http://www.muylinux.com/wp-content/uploads/2011/03/TheDocumentFoundation.jpg


Os 10 membros do ESC são Andras Timar (localização), Michael Meeks and Petr Mladek da Novell, Caolan McNamara e David Tardon da RedHat, Bjoern Michaelsen da Canonical, Michael Natterer da Lanedo, Rene Engelhard do Debian, e os desenvolvedores independentes Norbert Thiebaud e Rainer Bielefeld (Controle de qualidade-). O ESC se reunirá uma vez por semana por telefone para discutir o progresso da agenda temporal dos releases e coordenar as atividades de desenvolvimento. As reuniões incluirão rotineiramente outros desenvolvedores  interessados e especialistas em tópicos específicos.


Os membros foram escolhidos pelo Conselho Diretor, e foram selecionados a partir de um leque de eminentes desenvolvedores da comunidade, que cresceu consistentemente desde Setembro de 2010 e hoje chega a 200 hackers de código com outros 200 pessoas envolvidas na localização e no controle de qualidade. “ Este foi um sucesso fenomenal” afirmou Caolan McNamara da Red Hat, “especialmente se olharmos o projeto OpenOffice.org, onde os desenvolvedores externos eram bem poucos, e tinham de lidar com obstáculos de difícil transposição.”


Há hoje 120 desenvolvedores hackeando o código do LibreOffice regularmente, e que podem ser divididos em três grupos com base nas suas experiências: 20 desenvolvedores principais trabalhando em novos recursos, resolução de bugs, e empacotamento do software; 40 outros desenvolvedores regulares trabalhando em novos recursos, consertos e hacks mais fáceis; e 60 desenvolvedores ocasionais trabalhando em hacks fáceis e limpeza do código. Além destes, 80 desenvolvedores contribuem ocasionalmente, ou começaram há pouco a estudar o código. A TDF também agradece a chegada de estudantes que participam em tempo integral pelo programa Google Summer of Code.


“O ESC trouxe disciplina no processo de desenvolvimento, organizado de forma diferente do passado no OpenOffice.org, onde uma única empresa se encarregava das decisões, que de um lado dava força – pela facilidade de coordenação – e também um ponto único de falha” disse André Schnabel, membro do Conselho Diretor da TDF. “Construímos um processo independente onde os patrocinadores empresariais continuam sendo muito valorizados, mas a comunidade será capaz de avançar com o software mesmo sem o apoio dessas empresas”.


Olivier Hallot
Founder
Steering Commitee Member
The Document Foundation
Voicing the enterprise needs
LibreOffice translation leader for Brazilian Portuguese
+55-21-8822-8812

* Fonte: The Document Foundation Blog



Circuito Goiano de Software Livre - Etapa Pires do Rio

23 de Maio de 2011, 0:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

A Universidade Estadual de Goiás (UEG) promove no dia 11/06/11, em Pires do Rio – GO, a primeira etapa do Circuito Goiano de Software Livre, com realização de palestras, minicursos, oficinas, apresentação de casos e discussões sobre o mercado profissional na área de Tecnologia da Informação.

Para todas as etapas, os eixos temários abordarão o Software Livre por meio
da filosofia, da segurança da Informação, da geração de Negócios, da aplicação e uso em Instituições de Ensino e do uso e desenvolvimento no governo, além de estimular a criação de comunidades locais.

http://www.softwarelivre.goias.gov.br/images/banner_site_inscricao.png

O objetivo geral é compartilhar experiências e conhecimento, de maneira que estimule o uso de softwares livres. Segundo Danielle Gomes, analista de sistemas na UEG, o intuito é levar a filosofia do Software Livre para o interior, difundindo-o nas comunidades e no meio acadêmico. “É a oportunidade de chegar onde os outros eventos não vão”, acrescenta a analista.

A expectativa de público para esta primeira etapa é de aproximadamente 200
participantes, dentre estudantes, professores e profissionais da área. As próximas edições do Circuito serão realizadas nas demais regiões do Estado, com previsão de atender a todas as dez macroregiões do Estado.

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo portal do Software Livre
de Goiás:
www.softwarelivre.goias.gov.br

* Fonte:

http://www.softwarelivre.goias.gov.br/templates/slgmodel/images/slg_trans2.png



Congresso @ICT traz atrações variadas e bom público

23 de Maio de 2011, 0:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Iniciativa da SOFTSUL dentro da programação da primeira edição da BITS – Business IT South America, teve a participação de quase 800 pessoas em três dias

Entre os dias 10 e 12 de maio, Porto Alegre foi sede da primeira edição da BITS – Business IT South America, primeiro evento CeBIT na América Latina. Integrando a programação oficial, a SOFTSUL realizou o congresso internacional @ICT Latin American Congress on ICT Trends. O evento foi composto por três trilhas temáticas com mais de cem profissionais entre palestrantes e moderadores.

http://www.itweb.com.br/imagens_upload/48867_20052011105507.jpg


A trilha 01 (Soluções de TIC para Alavancar Negócios) discutiu abordagens
inovadoras para agregar valor e alavancar os negócios por meio de soluções de TIC, em especial para as micro, pequenas e médias empresas.

A trilha 02 (Alinhamento da TIC aos Negócios e Desafios Empresariais) apresentou as implicações estratégicas do alinhamento da TI aos negócios, fundamental para competir em um mercado cada vez mais agressivo e os desafios enfrentados pelas empresas nesse tema, um dos assuntos mais discutidos pelos CIOS.

A terceira trilha (Impacto das Telecomunicações e da Mobilidade nos Negócios) tratou do impacto das telecomunicações e da mobilidade nos negócios das empresas enfatizando as tendências dessa indústria e as tecnologias, em rápido desenvolvimento, que proporcionarão ganhos fantásticos de produtividade.

Mais de 10 mil pessoas passaram pelos corredores da FIERGS nos três dias do evento, das quais quase 800 assistiram a pelo menos uma das 36 atrações do @ICT. Entre as atrações, estiveram em Porto Alegre: Daniel Dias (IBM), que foi o keynote de abertura do evento, e falou sobre a visão sobre a
tecnologia global e o seu impacto nos negócios; Eberli Riella e Lafaiete Everardi (Procempa) apresentaram soluções de M-GOV da Procempa, além de um debate sobre Virtualização; Martha Gabriel (NMD) falando sobre Redes Sociais; Claudio Bartolini veio falar sobre Predictive IT Analytics nos Laboratórios HP; Cezar Taurion (IBM), Otavio Pecego (Microsoft) e Karin Breitman (Puc-Rio) discutiram Cloud Computing; João Itaqui (Google) debateu ferramentas colaborativas; André Torretta (Ponte Estratégia) discutiu a nova classe consumidora; Gill Giardelli e Alfredo Fedrizzi trouxeram discussões sobre habilidades profissionais para o século XXI; Marcelo Branco discute comunicação de massas e comunicação em rede e Gustavo Pacheco (LibreOffice), Edgard Costa (Alfresco) e Mauricio Pretto (Canonical) debatem em painel sobre software livre.

Além destes renomados palestrantes, o @ICT trouxe também Ana Paola Teixeira (Andinatech), André Mazeron (Processor), Antonio Rodrigues (BRQ), Elber Armbrust Ribeiro (COM Braxis), Fernando Nery (Módulo), Giani Maldaner (Sisnema), Gil Giardelli (Gaia Creative), J. Roberto Evaristo (3M), José Davi Furlan (ABPMP), Marcelo Duarte (Banco Carrefour), Marcelo Ribeiro (Catho), Marco Stefanini (Stefanini), Renato Rosa (Red), Ricardo Nizoli (Vonpar), Robert Jansen (Outsource Brasil), Rômulo Dornelles (Ilegra), Victor Knewitz (Human Mobile), Vladimir Bidniuk (Damovo), Martha Gleich (Grupo RBS), entre outros.


Segundo o Diretor Presidente da SOFTSUL, José Antonio Antonioni, o objetivo do Congresso @ICT Latin American Congress on ICT Trends foi inspirar inovação nos negócios e intercâmbio de conhecimento. "Acreditamos que construímos um congresso de "TI" diferenciado. Deixamos de lado sistemas e tecnologia só para técnicos e falamos de tendências, comportamento, realidade,
futuro e é claro, tecnologia.".

“É importante ressaltar que os congressos superaram as expectativas com público diverso nas salas do @ICT, que se mantiveram lotadas”, complementa Antonioni. Auditório Softsul/Fiergs - Além das três salas onde foram realizadas as trilhas do @ICT, a Softsul promoveu, também dentro da BITS GLOBAL CONFERENCES, uma programação especial, diversificada e gratuita no Auditório Softsul-Fiergs, no térreo.

Entre as atrações deste espaço foram promovidas no local: a solenidade de abertura do BITS GLOBAL CONFERENCES; a palestra de Daniel Dias, keynote do evento; O Seminário Open Innovation (OI), realizado pela Fiergs e pelo Al Invest; O Seminário RELAIS (Rede Latino-Americana da Indústria de Software); o Inova Show Case, em uma iniciativa da Inovapoa/Prefeitura Municipal de Porto Alegre; Apresentações SOFTEX e Apresentações de Parques Tecnológicos, entre outros.

O caminho até a BITS - A realização de um evento com a chancela da CeBIT em Porto Alegre é fruto de uma iniciativa da SOFTSUL iniciada em 2007, com a criação do Comitê Pró-CeBIT, que contou com a participação de diversas entidades e órgãos governamentais, entre as quais a AHK – Câmara Brasil-Alemanha, Abinee-RS, Assespro-RS, ASL.org, Cei/Ufrgs, Comcet, Ceti, InternetSul, Porto Alegre Convention & Visitors Bureau, Secretaria Municipal de Turismo de Porto Alegre, Rede Marista, Secretaria Estadual de Ciência, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico (SCIT), e Sucesu-RS.


O @ICT - O @ICT Latin American Congress on ICT Trends foi uma realização da Associação Sul-Riograndense de Apoio ao Desenvolvimento de Software - SOFTSUL - em cooperação com a Inovapoa e com a Câmara de Vereadores de Porto Alegre o patrocínio Premium da Procempa e Prata da Perto e do Badesul - e estrutura a programação do BITS Global Conferences. Um congresso internacional composto por três trilhas técnicas temáticas orientadas a negócios e sessões de keynotes que abordaram temas estratégicos para empresários de TIC.

Contaram com o apoio da Abril Mídia, da Agenda 2020, da Altos Eventos, do Baguete, da BRQ, da Canonical, do Carrefour Soluções Financeiras, da Catho Online, da Google, da Ilegra, da Intel, da IBM, da Microsoft, da Módulo Solutions for GRC, da Pink Elephant. da RED, da Sisnema, da Softex, da Stefanini e da Wcomm. Abradi, Abradi-RS, Advance, Apeti, ASL.org, Assespro Nacional, Assespro-RS, Assespro-SC, Brasscom, CEI/UFRGS, CETI, CITS, Comcet, ConsulTI, Dynamo, Dinamize, Faculdades Dom Bosco, Fenainfo, HP, Human Mobile, IBGEN, InternetSul, Polis Tecnologia, Polosul.org, Porto Alegre Convention & Visitor Bureau, Procergs, Prodesk, Propus, PUC-RS, Raiar, Revista da TI, Riosoft, Sadig, Sebrae RS, Senac RS, Seprorj, Socaltur, Softex Campinas, Softex Recife, Sucesu RS, Sucesu Nacional, Tecnopuc, Tecnosinos, Tecsoft, TIWorks, Trinopolo, Valetec e WBI/Brasil foram parceiros oficiais do evento.

A BITS - Em uma iniciativa da Deutsche Messe por meio de sua subsidiária no Brasil, entre os dias 10 e 12 de maio de 2011 foi realizada em Porto Alegre a BITS - Business IT South America. A feira foi organizada e promovida pela Hannover Fairs Sulamerica e Centro das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul - CIERGS / Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul - FIERGS, em cooperação com a Converge Comunicações e com a Associação Sul-Riograndense de Apoio ao Desenvolvimento de Software - SOFTSUL.

* fonte: it Web



Questionário sobre preferencia pelo Software Livre nas empresas

20 de Maio de 2011, 0:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda



Minha monografia visa dilvulgar uma visão mais pratica do software livre nas empresas, para esclarecer antigos preconceitos a  respeito da qualidade do software livre.

Questionário sobre a opinião dos usuários a respeito do software livre Lembrando que Firefox, Chrome, google docs, gmail, são software de código aberto que você provavelmente usa. Para obter maiores informações sobre a pesquisa ou solicitar acesso aos seus resultados, favor contactar com a autor pelo endereço: nathansoares@gmail.com
é rapido não duara mais de 2 minutos



A The Document Foundation tem a satisfação de anunciar o primeiro Release Candidato RC 1 do LibreOffice 3.4.

20 de Maio de 2011, 0:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

A The Document Foundation tem a satisfação de anunciar o primeiro Release Candidato RC 1 do LibreOffice 3.4.

A versão LibreOffice
3.4 será o segundo lançamento do projeto LibreOffice e vem com várias novas funcionalidades.

Libreoffice


Importante lembrar que a versão LibreOffice 3.4 RC1 ainda não está finalizada, você deve continuar usando a versão LibreOffice 3.3.2 em produção

O Release Candidato LibreOffice 3.4 RC 1est disponível para Windows, Linux e Mac OS X na página de download de Pré-Releases:
http://www.libreoffice.org/download/pre-releases/

A relação de novidades do LibreOffice 3.4 encontra-se aqui:
http://wiki.documentfoundation.org/ReleaseNotes/3.4

Se você encontrar algum erro, por favor comunique-o Bugzilla FreeDesktop:
https://bugs.freedesktop.org

Outras formas para você se envolver com o projeto LibreOffice - você pode por ex. contribuir com o código:
https://www.libreoffice.org/get-involved/developers/

Atividades de tradução do LibreOffice para o idioma do seu país:
http://wiki.documentfoundation.org/Translation_for_3.4

ou contribuir com R$ para a The Document Foundation:
http://challenge.documentfoundation.org

A relação de problemas encontrados n LibreOffice 3.4 RC1 estão disponíveis no wiki:
http://wiki.documentfoundation.org/Releases/3.4/RC1

Por favor, procure a lista de mudanças no LibreOffice 3.4 Beta 5 aqui:
http://download.documentfoundation.org/libreoffice/src/bugfixes-libreoffice-3-4-release-3.4.0.1.log


Concluindo, muito
obrigado a todos os voluntários que contribuíram para o projeto LibreOffice - essa versão não seria possível sem a sua contribuição.

Comitê Diretivo
The Document Foundation

Tradução: Vitorio Furusho



LibreOffice 3.4 terá Suporte Nativo e integrado no Menu Global do Ubuntu 11.04

18 de Maio de 2011, 0:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Os desenvolvedores da The Document Foundation e do LibreOffice têm estado um tanto ocupados.
A TDF está preparando-se para a Conferência do LibreOffice 2011, no Outono, em Paris, organizando palestrantes, recebendo artigos, entre outras tarefas enquanto os desenvolvedores continuam trabalhando com seus códigos a todo vapor.
http://www.tuxmachines.org/images/400px-Libreoffice-unity.png
A Versão 3.4 virá com várias funcionalidades novas, além da habitual correção de bugs e melhorias de desempenho. Por exemplo, o Writer logo suportará cores e estilos de linha nas colunas e rodapés. O modo em caracteres gregos estará disponível para listas com marcadores.
O Calc em breve será capaz de suportar múltiplos subtotais para um subconjunto de intervalos de número sem uma única planilha. Uma reformulação completa da camada de desenho vai melhorar a “precisão no reposicionamento e redimensionamento dos objetos de desenho.” O Impress com suporte melhorado na exportação para HTML com imagens.
O núcleo também receberá boas mudanças. Uma será a classificação natural das listas do menu, como tipos de parágrafo. Por exemplo, o Título 10 seguirá o Título 9 como seria de se esperar. Melhorias na autocorreção como a digitação do termo http não mais terá a capitulação automática do H. O ponteiro do mouse deverá ter mais precisão. O LibreOffice deve demonstrar inicializações mais suaves, através da abertura do “splash” mais cedo no processo, e mais rápidas devido à limpeza do código.
E os usuários do Ubuntu devem ficar particularmente interessados no novo
suporte ao menu global do Unity que virá no LibreOffice 3.4. A versão Beta 4 foi liberada em 6 de Maio, a RC2 está agendada para 23 de Maio, e a versão final é esperada para o dia 31 de Maio.

* por: Susan Linton – 10 de Maio de 2011
tr* dução: Paulo de Souza Lima

fonte: Ostatic


Curitiba: Uberaba Digital foi apresentado hoje, dia 16, a empresários e imprensa

16 de Maio de 2011, 0:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Inspirado na proposta, presidente da Fiep propõe projeto para Curitiba Digital em um prazo de um ano; Projeto piloto no Uberaba, articulado por voluntários do núcleo local da Rede de Participação Política (RPP) e parceiros, vai levar internet gratuita para 10 mil moradores

clique para ampliar
clique para ampliar

Investimento inicial do projeto piloto, custeado pela Dipelnet, com instalação da antena e disponibilização do sinal, foi de R$ 15 mil. A manutenção da rede digital mensal vai girar em torno de R$ 2.500. A expectativa é que o valor seja mantido pelos comerciantes da região através de anúncios (Foto: Guilherme Santos)

http://www.bairrodigitaluberaba.com.br/img/foto-chamada-home.jpg

O projeto Uberaba Digital, que vai fornecer o sinal gratuito de internet aos moradores do bairro Uberaba, em Curitiba, a partir do dia 18 deste mês, foi apresentado a empresários e jornalistas durante um café da manhã realizado nesta segunda-feira (16), no Cietep.

Inspirado na proposta viabilizada por voluntários do núcleo de articulação local da Rede de Participação Política (RPP) - iniciativa apartidária da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep) -, juntamente com a Associação Comercial e Industrial do Uberaba e Região (ACIUR) e outros parceiros, o presidente da Fiep, Rodrigo da Rocha Loures, lançou o desafio de transformar, em um prazo de um ano, Curitiba em uma cidade totalmente conectada. "A inclusão digital é fundamental para resolver a questão da inclusão social. O que estamos estimulando é a necessidade de proporcionar um acesso especialmente pelos jovens e estimular o desenvolvimento econômico da região. Podemos unir forças, mobilizar os empresários, e construir um plano para transformar Curitiba em uma cidade digital em um ano. Temos o desafio que é o de proporcionar uma plataforma aos estudantes e aos pequenos empresários", destaca Rocha Loures.

O deputado Fernando Francischini (PSDB) reforçou que a ideia é estudar a inclusão de emendas, que beneficie a proposta em Curitiba e Região Metropolitana, no Orçamento Geral da União do ano que vem. "É um dever do poder público (promover a inclusão digital). Hoje é muito caro a internet para as famílias de baixa renda, principalmente que ganham um salário mínimo. E hoje internet é o dia a dia, não é só acesso à rede social, mas também educação, acesso a livros, a conhecimento, tantas formas de desenvolvimento educacional. Tenho certeza que esse projeto vai se tornar piloto para toda a cidade, fazendo com que o Uberaba possa servir de referência para incluir digitalmente toda Curitiba", disse o parlamentar.

O Uberaba é o primeiro bairro de Curitiba a se enquadrar no conceito das chamadas Cidades Digitais e será lançado oficialmente para a comunidade nesta quarta-feira (18), durante a Conferência Internacional de Cidades Inovadoras - a CICI 2011. Os moradores que desejarem ter o sinal gratuito de internet em suas casas terão que efetuar um cadastro no site www.bairrodigitaluberaba.com.br. O sinal, via wi-fi, a princípio irá beneficiar os moradores nas proximidades da Faculdade Spei - Unidade Torres -, onde foi instalada uma antena de 22 metros de altura.

Na opinião da Administradora da regional do Cajuru, Maria Izabel de Paula, a Mabel, a inclusão digital pode auxiliar, inclusive, outros projetos já existentes na região. "O fornecimento de internet gratuita tem um efeito positivo nos bairros. Essa região [do Uberaba] tem um número elevado de famílias menos abastadas e iniciativas como esta estão além da possibilidade de ação isolada do poder público, mas através de parcerias isso se torna possível. A inclusão digital é irreversível e a prefeitura de Curitiba está aberta a estas parcerias, pois o nosso objetivo é atender a nossa comunidade da melhor maneira possível," ressalta.

José Juvanci, que é profissional da área de tecnologia e estrutura de redes digitais e integrante do Núcleo de Articulação da Rede, explica que o sinal banda larga poderá atingir um raio de até 5 km de distância da antena e beneficiar cerca de 10 mil pessoas.

Segundo ele, para atender toda a população do Uberaba, que hoje é cerca de 78 mil habitantes, são necessárias outras cinco torres. "Toda invenção tem inicio, meio e fim. Já a Internet ninguém sabe onde vai terminar. Daí o compromisso maior de incluir todos, mesmo que sejam incapazes economicamente. A universalização desse direito é fundamental. Esperar somente pela iniciativa do poder público é ver as desigualdades crescerem. O que se faz em dois dias, no governo leva-se 180, mesmo tendo o compromisso de cumprir com a transparência. Parabenizo a todos que participaram deste projeto. Demonstraram que é possível fazer mais, que é possível articular e realizar, que é possível uma sociedade mais justa e perfeita", frisou o voluntário da RPP.

O coordenador da Rede de Participação Política destaca a importância social da proposta, que também pode servir de exemplo e estímulo aos demais bairros de Curitiba para articularem seus próprios projetos digitais por meio de parcerias. "Todos os setores ganham com a iniciativa e os benefícios são imensuráveis. Além disso, a implantação do sinal gratuito de internet pode impulsionar melhorias na gestão pública, através dos serviços prestados, fomento ao empreendedorismo e desenvolvimento econômico e, principalmente, na área de Educação, pois as escolas atualmente demandam muito investimento para ter o acesso à web", destaca Marinho.

O investimento inicial do projeto piloto, custeado pela Dipelnet - com instalação  da antena e disponibilização do sinal -, foi de R$ 15 mil. A manutenção da rede digital mensal vai girar em torno de R$ 2.500. A expectativa é que o valor seja mantido pelos comerciantes da região do Uberaba através de anúncios publicitários no site do Uberaba Digital. "É gratificante estar participando desse grupo, com pessoas tão interessadas aqui na nossa sociedade de Curitiba. Se a sociedade observar nós estamos fazendo o caminho inverso. Ao invés de ficarmos aguardando o Estado prover esse sinal, nós estamos mostrando que com a união, interação da sociedade, dos empresários e das diversas entidades, é possível gerarmos um piloto mostrando que é possível transformar Curitiba em uma cidade digital dando acesso para milhares de pessoas. Isso vai gerar melhorias de arrecadação para o município, melhorias de acesso à informação aos estudantes e até em relação desenvolvimento do comércio local. Isso gera um avanço muito grande", comenta Valdir Ales, comerciante e voluntário do Núcleo de Articulação da Rede de Participação Política, que está na expectativa de levar a proposta para o bairro São Braz onde mora.

O Uberaba Digital faz parte das iniciativas encampadas pela Rede neste ano dentro do Movimento Cidades Digitais, proposta que será apresentada na tarde do dia 18 na CICI2011 no painel "Experiência de Sucesso de Cidades Digitais no Paraná: A Inclusão Digital na Prática". Participam do quadro Cristovon Ripol (prefeito de Pitangueiras), Alisson Ramos da Luz (secretário de Administração de Cascavel) e José Juvanci (integrante do Núcleo de Articulação de Curitiba, da Rede de Participação Política) e José Marinho, coordenador da RPP.

Em janeiro deste ano, a RPP iniciou a produção da série de reportagens Cidade Digital, com o objetivo de mostrar e valorizar as iniciativas de municípios paranaenses que estão investindo para levar à população o acesso gratuito à internet. A intenção é disseminar os exemplos para que sirvam de inspiração e estimulem outras localidades a buscarem seu próprio modelo para levar o sinal da rede mundial de computadores ao maior número de pessoas.

* site Uberaba Digital: www.bairrodigitaluberaba.com.br

* site Rede de Participação Política: www.participacaopolitica.org.br

* fonte: Rede de Participação Política



Governo de Goiás oferece cursos de LibreOffice

11 de Maio de 2011, 0:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

A Segplan, por meio da Escola de Governo, disponibiliza aos servidores vagas no curso de BrOffice. O curso é destinado a quem já utiliza o processador de textos Word e a planilha Excel e passará a conhecer as vantagens do processador de textos – Writer e da planilha eletrônica – Calc - pertencentes ao BrOffice – um pacote de aplicativos gratuito.

O curso será oferecido em duas turmas. A primeira, das 8 horas ao meio-dia, de 16 a 20 de maio e a segunda turma das 14 às 18 horas, de 30 de maio a 3 de junho no laboratório de informática instalado no mezanino do Restaurante do Complexo Fazendário  - Sefaz - no Setor Nova Vila, em Goiânia.

As pré-inscrições são feitas somente pela internet, por meio do Portal do Aluno. Para conhecer o conteúdo programático e fazer a pré-inscrição basta acessar o site da Segplan e clicar em Escola de Governo.

Esta capacitação atende à lei estadual que regulamenta a utilização, preferencialmente, de programas abertos de computador pela administração direta, autárquica e fundacional do Poder Executivo e as empresas sob o controle estatal.

* Mais informações: (62) 3201-5766 e 3201-5769

* fonte: Governo de Goiás



Tags deste artigo: odf calc libreoffice draw iso 26300 math impress base writer tdf