Como instalar e ativar o OpenBox no Mate

9 de Março de 2015, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Se você usa o Mate e quer usar um gerenciador de janelas minimalista e leve, veja como instalar e ativar o OpenBox no Mate.
openbox no mate
O gerenciador de janelas OpenBox é muito apreciado e utilizado por usuários de Linux, principalmente por causa de sua leveza. Ele é o ambiente padrão no LXDE, mas também é possível usá-lo sozinho, por exemplo, com um painel como o Tint2, ou como o gerenciador de janelas padrão em outros ambientes como KDE ou o Mate.

OpenBox possui suporte para os mais recentes padrões freedesktop.org, bem como a aderência cuidadosa aos padrões anteriores. Além disso, levando em conta que a maioria dos aplicativos modernos foram escritos com o GNOME e o KDE em mente, o OpenBox permite utilizar essas aplicações fora de seu ambiente desktop original, o que diminui bastante o peso do ambiente no uso da memória.

Ao usar o OpenBox como gerenciador de janelas no Mate, ao invés do gerenciador padrão desse ambiente, isto tornará o ambiente desktop ainda mais rápido e ágil, bem como proporcionará várias personalizações adicionais, graças à ferramenta OpenBox Configuration Manager (obconf).

Conheça melhor o OpenBox

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar e ativar o OpenBox no Mate

Para instalar e ativar o OpenBox no Mate, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Para instalar o OpenBox no Debian, Ubuntu e sistemas derivados, use este comando;

sudo apt-get install openbox obconf

Passo 3. Para instalar o OpenBox no Arch Linux, Manjaro e sistemas derivados, use este comando;

sudo pacman -S openbox obconf

Passo 4. Para instalar o OpenBox no Red Hat, Fedora, CentOS e sistemas derivados, use este comando;

sudo yum install openbox obconf

Passo 5. Para instalar o OpenBox no OpenSUSE Linux e sistemas derivados, use este comando;

sudo zypper install openbox obconf

Passo 6. Abra o “Editor do dconf” através do menu do Mate ou digitando “dconf-editor” em um terminal;
openbox-mate-1
Passo 7. Dentro do editor, clique duas vezes em “org”, depois em “mate”. Mais abaixo em “desktop” , Depois em “session” e mais abaixo “required-components”. Nesse último item, clique  no campo “Valor” da opção “windowmanager” e digite “openbox” no lugar de “marco”;
openbox-mate-2
openbox-mate-3

Pronto! Saia da sessão ou reinicie o sistema e depois faça login para ver como ficou.

Como desativar o OpenBox no Mate

Para desativar o OpenBox no Mate, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra o “Editor do dconf” através do menu do Mate ou digitando “dconf-editor” em um terminal;
openbox-mate-1
Passo 2. Dentro do editor, clique duas vezes em “org”, depois em “mate”. Mais abaixo em “desktop” , Depois em “session” e mais abaixo “required-components”. Nesse último item, clique  no campo “windowmanager” e depois no botão “Definir padrão”;
openbox-mate-4

Via Make Tech Easier

Mais sobre o Mate

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Edivaldo

Edivaldo Brito é um grande fã de tecnologia, desde sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes e programação, sendo que ultimamente também se tornou adepto dos produtos da maçã. Analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande de fã de sistemas operacionais, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia. Nas horas livres, é mantenedor do blog www.edivaldobrito.com.br.

Website: http://www.edivaldobrito.com.br

Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.



Resumo semanal – 02/03/2015 a 08/03/2015

8 de Março de 2015, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Você sabia que o programa IRPF e Receitanet já estão disponíveis para download e já é possível instalar eles no Linux? Ou que você pode esconder o menu de inicialização do Grub? Pois é, se você ainda não sabia disso é porque perdeu essas postagens, mas não se preocupe, leia o resumo semanal do blog e se atualize.
resumo semanal
Mas voltando ao resumo, você já deve saber como instalar a última versão do Eclipse no Linux manualmente ou já viu como fazer o terminal exibir asteriscos ao digitar uma senha? Se ainda não sabe nada disso, confira a seguir tudo que foi postado no Blog durante essa semana e se informe sobre isso e muito mais.

Resumo semanal do Blog de 02/03/2015 a 08/03/2015

02/03/2015

03/03/2015

04/03/2015

05/03/2015

06/03/2015

07/03/2015

Faça sua declaração do imposto de renda pessoa física no Linux

Chegou a hora de acertar as contas com o leão, por isso, se você quer fazer sua declaração do imposto de renda pessoa física no Linux, veja alguns tutoriais mostrando como instalar o IRPF e o Receitanet no Linux.

Artigo sobre o IRPF 2015 no Linux

Ubuntu 14.10

O Ubuntu 14.10 já está disponível para download e se você quiser baixar a nova versão do Ubuntu, acesse os links nessa postagem.

Como gravar a imagem ISO do Ubuntu 14.10

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:
Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal

Como atualizar do 14.04 para o 14.10

Quem precisar atualizar do 14.04 para o 14.10, basta seguir esses tutoriais:
Desktop
Como atualizar o Ubuntu Desktop da versão 14.04 para a 14.10
Como atualizar o Ubuntu Server para uma nova versão

Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 14.10

Para quem acabou de mudar para o Ubuntu 14.04, uma boa ideia é dar uma olhadas na últimas dicas de coisas para fazer depois de instalar o sistema:
Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 14.10

Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 14.04

Para quem ainda está no Ubuntu 14.04, uma boa ideia é dar uma olhadas nas últimas dicas de coisas para fazer depois de instalar o sistema:
Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 14.04


Alguém aí percebeu o novo visual do site? Gostaram?

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


Edivaldo

Edivaldo Brito é um grande fã de tecnologia, desde sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes e programação, sendo que ultimamente também se tornou adepto dos produtos da maçã. Analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande de fã de sistemas operacionais, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia. Nas horas livres, é mantenedor do blog www.edivaldobrito.com.br.

Website: http://www.edivaldobrito.com.br

Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.



Como fazer o terminal exibir asteriscos ao digitar uma senha

7 de Março de 2015, por Desconhecido - 0sem comentários ainda
Compartilhe isso ...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on TumblrPin on PinterestEmail this to someoneDigg this

Se na hora de digitar uma senha no terminal não parece nada na tela e você não gosta desse comportamento, veja abaixo como configurar o sistema para o terminal exibir asteriscos ao digitar uma senha.
exibir asteriscos ao digitar uma senha
Normalmente, quando você executa um comando iniciado com sudo no Terminal do Ubuntu, ele pede que você insira a senha para o usuário sem dar nenhum feedback visual enquanto você digita. Para alguns isso pode não incomodar, mas usuários iniciantes podem se sentir desconfortáveis ​​com esta característica do Terminal e até se atrapalhar, por acharem que a senha não foi digitada. Felizmente existe um modo de contornar isso.

O tutorial abaixo irá ensiná-lo a ajustar o seu Ubuntu para fazer o terminal exibir asteriscos ao digitar uma senha. Assim, você saberá quantos caracteres foram digitados e ter uma ideia se realmente está digitando a senha certa.

Vale lembrar que todos os procedimentos descritos aqui devem ser feitos com extrema cautela, já que você estará usando o modo administrador.

Como fazer o terminal exibir asteriscos ao digitar uma senha

Para configurar o sistema para fazer o terminal exibir asteriscos ao digitar uma senha, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Abra o arquivo /etc/sudoers com o comando a seguir;

sudo gedit /etc/sudoers

Passo 3. Procure a linha que contém o valor Defaults env_reset e adicione outra linha abaixo dela, com o conteúdo Defaults pwfeedback;
asterisco-1
Passo 4. Salve e feche o arquivo, depois feche o Terminal;

Pronto! Com essa mudança, na próxima vez em que você usar o sudo no terminal, a cada tecla digitada, será exibido um asterisco.

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.



Como tirar um screenshot da tela de login no Linux

6 de Março de 2015, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Embora seja raro, as vezes é preciso tirar um screenshot da tela de login. Se esse é o seu caso, veja como fazer isso.
screenshot da tela de login
Para conseguir capturar a tela de login no Ubuntu será preciso primeiro criar um script que poderá ser executado a partir da interface de linha de comando, sempre que for necessário fazer a captura. Mas não se preocupe, o “script” é realmente muito simples de utilizar.

Observe que embora o procedimento a seguir seja focado no Ubuntu e seus derivados, tirando a instalação do Imagemagick, todo o resto pode ser feito em qualquer outra distribuição Linux.

Como tirar um screenshot da tela de login no Ubuntu

Para tirar um screenshot da tela de login no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Caso ainda não esteja instalado, use o seguinte comando para instalar o ImageMagic:

sudo apt-get install imagemagick -y

Passo 3. Crie um novo arquivo, usando o comando a seguir;

sudo gedit screenshot.sh

Passo 4. Com o arquivo aberto, cole o conteúdo abaixo dentro dele. Em seguida, salve e feche o arquivo;

chvt 7; sleep 5s; DISPLAY=:0 XAUTHORITY=/var/run/lightdm/root/:0 xwd -root -out ~/screenshot.xwd; convert ~/screenshot.xwd ~/screenshot.png; rm ~/screenshot.xwd; chmod 777 ~/screenshot.png

screenshot da tela de login
Passo 5. Dê permissão de execução para o arquivo, usando o comando abaixo;

sudo chmod +x screenshot.sh

Passo 6. Feche a sessão atual e vá para a tela de login;
screenshot da tela de login
Passo 7. Quando estiver na tela de login, pressione simultaneamente as teclas CTRL + ALT + F1, para entrar no modo de console. Nessa tela, entre com seu usuário e senha e depois digite o comando abaixo:

sudo ./screenshot.sh

screenshot da tela de login
Passo 8. Uma vez que o script é executado, ele irá levá-lo de volta para a tela de login gráfico (chvt 7) e depois de cinco segundos, salvará uma imagem em seu diretório home com o nome do arquivo screenshot.png.
screenshot da tela de login

Pronto! Agora você pode capturar a tela de login do seu sistema sempre que precisar.

Via It’s F.O.S.S.

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.



Oracle Java no Ubuntu: Como instalar as versões 6, 7 ou 8 no Ubuntu

6 de Março de 2015, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Se você está precisando usar o Oracle Java no Ubuntu (em vez do OpenJDK) e quer usar uma versão especifica (6,7 ou 8), por conta de algum tipo de compatibilidade (como internet banking), aqui está uma maneira fácil de fazê-lo.
Oracle Java no Ubuntu
Este simples tutorial irá mostrar como instalar o Oracle Java no Ubuntu (versões 6, 7 ou 8). Para isso, será usado um repositório do site WebUpd8, que foi criado para tornar o processo de instalação do Oracle Java bem mais fácil para usuários do Ubuntu e seus derivados.

Conheça melhor o Oracle Java

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

Instalando o Oracle Java no Ubuntu e derivados

Para instalar o Oracle Java no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se você já tiver instalado o OpenJDK, remova ele executando o seguinte comando:

sudo apt-get purge openjdk*

Passo 3. Se ainda não tiver o repositório do Oracle Java, adicione ele o comando:

sudo add-apt-repository ppa:webupd8team/java

Passo 4. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Se quiser instalar o Oracle Java 6, use o comando:

sudo apt-get install oracle-java6-installer

Passo 6. Se quiser instalar o Oracle Java 7, use o comando:

sudo apt-get install oracle-java7-installer

Passo 7. Se quiser instalar o Oracle Java 8, use o comando:

sudo apt-get install oracle-java8-installer

Passo 8. Depois de executar o instalador, concordar com os termos  de uso e finalmente baixar e instalar o Java, se for necessário configurar automaticamente as variáveis ​​de ambiente Java, você pode instalar o seguinte pacote (ajuste o nome para a versão que deseja usar) :

sudo apt-get install oracle-java7-set-default

Removendo o Oracle Java

Se você não quiser usar o Oracle Java e quiser voltar para o OpenJDK, tudo que você tem a fazer é remover o JDK Installer Oracle e depois instalar o Java que deseja usar, ou deixar sem nenhum, conforme for a sua necessidade:

sudo apt-get remove oracle-java*

Mais sobre Java

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.



Como instalar a última versão estável do Google Chrome no Linux

6 de Março de 2015, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Foi lançado recentemente o Google Chrome 39, com uma série de mudanças para todas as plataformas. Se você quiser experimentar essa versão, veja aqui como instalar ela no Ubuntu, Linux Mint, Pinguy OS, Elementary OS, LXLE, Linux Lite, Peppermint, Deepin, Debian, Crunchbang, SparkyLinux, Fedora, CentOS, OpenSUSE, Mageia e OpenMandriva.
google chrome 39
Entre as novidades dessa versão, destaque para o suporte para novos aplicativos e extensões de APIs, um monte de alterações de estabilidade e mais importante ainda, 42 correções de segurança.

Conheça melhor o Google Chrome

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Google Chrome 39 no Ubuntu, Debian sistemas derivados deles

Para instalar o programa no Ubuntu, Debian e sistemas derivados e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo sh -c 'echo "deb http://dl.google.com/linux/chrome/deb/ stable main" >> /etc/apt/sources.list.d/google.list'

Passo 3. Baixe e importe a chave do repositório com o comando:

wget -q -O - https://dl-ssl.google.com/linux/linux_signing_key.pub | sudo apt-key add -

Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install google-chrome-stable

Passo 6. Se por algum motivo você precisar remover o programa, use o comando abaixo:

sudo apt-get remove google-chrome-stable

Como instalar o Chrome 39 nos sistemas Fedora e CentOS

Para instalar nos sistemas Fedora e CentOS, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se ainda não tiver e seu sistema for de 32 bits, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo sh -c 'echo -e "[google-chrome]\nname=google-chrome - 32-bit\nbaseurl=http://dl.google.com/linux/chrome/rpm/stable/i386\nenabled=1\ngpgcheck=1\ngpgkey=https://dl-ssl.google.com/linux/linux_signing_key.pub" >> /etc/yum.repos.d/google-chrome.repo'

Passo 4. Se ainda não tiver e seu sistema for de 64 bits, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo sh -c 'echo -e "[google-chrome]\nname=google-chrome - 64-bit\nbaseurl=http://dl.google.com/linux/chrome/rpm/stable/x86_64\nenabled=1\ngpgcheck=1\ngpgkey=https://dl-ssl.google.com/linux/linux_signing_key.pub" >> /etc/yum.repos.d/google-chrome.repo'

Passo 5. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo yum update

Passo 6. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

yum install google-chrome-stable

Passo 7. Se por qualquer motivo você precisar remover o programa, use o comando abaixo:

sudo yum remove google-chrome-stable

Como instalar o Chrome 39 em sistemas OpenSUSE

Para instalar nos sistemas OpenSUSE, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se ainda não tiver e seu sistema for de 32 bits, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo zypper ar http://dl.google.com/linux/chrome/rpm/stable/i386 Google-Chrome

Passo 4. Se ainda não tiver e seu sistema for de 64 bits, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo zypper ar http://dl.google.com/linux/chrome/rpm/stable/x86_64 Google-Chrome

Passo 5. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo zypper refresh

Passo 6. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo zypper install google-chrome-stable

Passo 7. Depois, se for necessário remover o programa, use o comando abaixo:

sudo zypper remove google-chrome-stable

Como instalar o Chrome 39 em sistemas Mageia e OpenMandriva

Para instalar em sistemas Mageia e OpenMandriva, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Baixe e importe a chave do repositório com o comando:

sudo rpm --import https://dl-ssl.google.com/linux/linux_signing_key.pub

Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se ainda não tiver e seu sistema for de 32 bits, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo urpmi.addmedia --update chrome_i386 http://dl.google.com/linux/chrome/rpm/stable/i386

Passo 4. Se ainda não tiver e seu sistema for de 64 bits, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo urpmi.addmedia --update chrome_x86_64 http://dl.google.com/linux/chrome/rpm/stable/x86_64

Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo urpmi google-chrome-stable

Passo 6. Depois, caso seja necessário remover o programa, use o comando abaixo:

sudo urmpe google-chrome-stable

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite chrome em um terminal, seguido da tecla TAB.

Via linuxGeek

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.



Como instalar a última versão do Google Chrome no Linux

6 de Março de 2015, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Foi lançado recentemente o Google Chrome 39, com uma série de mudanças para todas as plataformas. Se você quiser experimentar essa versão, veja aqui como instalar ela no Ubuntu, Linux Mint, Pinguy OS, Elementary OS, LXLE, Linux Lite, Peppermint, Deepin, Debian, Crunchbang, SparkyLinux, Fedora, CentOS, OpenSUSE, Mageia e OpenMandriva.
google chrome 39
Entre as novidades dessa versão, destaque para o suporte para novos aplicativos e extensões de APIs, um monte de alterações de estabilidade e mais importante ainda, 42 correções de segurança.

Conheça melhor o Google Chrome

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Google Chrome 39 no Ubuntu, Debian sistemas derivados deles

Para instalar o programa no Ubuntu, Debian e sistemas derivados e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo sh -c 'echo "deb http://dl.google.com/linux/chrome/deb/ stable main" >> /etc/apt/sources.list.d/google.list'

Passo 3. Baixe e importe a chave do repositório com o comando:

wget -q -O - https://dl-ssl.google.com/linux/linux_signing_key.pub | sudo apt-key add -

Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install google-chrome-stable

Passo 6. Se por algum motivo você precisar remover o programa, use o comando abaixo:

sudo apt-get remove google-chrome-stable

Como instalar o Chrome 39 nos sistemas Fedora e CentOS

Para instalar nos sistemas Fedora e CentOS, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se ainda não tiver e seu sistema for de 32 bits, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo sh -c 'echo -e "[google-chrome]\nname=google-chrome - 32-bit\nbaseurl=http://dl.google.com/linux/chrome/rpm/stable/i386\nenabled=1\ngpgcheck=1\ngpgkey=https://dl-ssl.google.com/linux/linux_signing_key.pub" >> /etc/yum.repos.d/google-chrome.repo'

Passo 4. Se ainda não tiver e seu sistema for de 64 bits, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo sh -c 'echo -e "[google-chrome]\nname=google-chrome - 64-bit\nbaseurl=http://dl.google.com/linux/chrome/rpm/stable/x86_64\nenabled=1\ngpgcheck=1\ngpgkey=https://dl-ssl.google.com/linux/linux_signing_key.pub" >> /etc/yum.repos.d/google-chrome.repo'

Passo 5. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo yum update

Passo 6. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

yum install google-chrome-stable

Passo 7. Se por qualquer motivo você precisar remover o programa, use o comando abaixo:

sudo yum remove google-chrome-stable

Como instalar o Chrome 39 em sistemas OpenSUSE

Para instalar nos sistemas OpenSUSE, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se ainda não tiver e seu sistema for de 32 bits, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo zypper ar http://dl.google.com/linux/chrome/rpm/stable/i386 Google-Chrome

Passo 4. Se ainda não tiver e seu sistema for de 64 bits, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo zypper ar http://dl.google.com/linux/chrome/rpm/stable/x86_64 Google-Chrome

Passo 5. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo zypper refresh

Passo 6. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo zypper install google-chrome-stable

Passo 7. Depois, se for necessário remover o programa, use o comando abaixo:

sudo zypper remove google-chrome-stable

Como instalar o Chrome 39 em sistemas Mageia e OpenMandriva

Para instalar em sistemas Mageia e OpenMandriva, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Baixe e importe a chave do repositório com o comando:

sudo rpm --import https://dl-ssl.google.com/linux/linux_signing_key.pub

Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se ainda não tiver e seu sistema for de 32 bits, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo urpmi.addmedia --update chrome_i386 http://dl.google.com/linux/chrome/rpm/stable/i386

Passo 4. Se ainda não tiver e seu sistema for de 64 bits, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo urpmi.addmedia --update chrome_x86_64 http://dl.google.com/linux/chrome/rpm/stable/x86_64

Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo urpmi google-chrome-stable

Passo 6. Depois, caso seja necessário remover o programa, use o comando abaixo:

sudo urmpe google-chrome-stable

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite chrome em um terminal, seguido da tecla TAB.

Via linuxGeek

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.



Java no Ubuntu: veja como instalar o OpenJDK 8

6 de Março de 2015, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Se você está precisando colocar o Java no Ubuntu, mais precisamente a versão open source, veja como instalar o OpenJDK 8 nesse sistema.
Java no Ubuntu openjdk 8
OpenJDK é uma uma implementação open source do Java que provê um Java Development Kit totalmente baseado em software livre e de código aberto.

Assim como a versão oficial da Oracle, o software está na versão 8. Lançado em março de 2014, o OpenJDK 8 já está disponível na Central de programas do Ubuntu 14.10 e no futuro 15.04. Entretanto, até então ele ainda não podia ser instalado nas versões LTS do Ubuntu (12.04 e 14.04). Felizmente, agora você já pode instalar o OpenJDK 8 a partir de um repositório PPA, conforme será mostrado a seguir.

Conheça melhor o OpenJDK

Para saber mais sobre o OpenJDK, clique nesse link.

Como instalar o OpenJDK 8 para ter Java no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o OpenJDK 8 e ter o Java no Ubuntu, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com o comando abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:openjdk-r/ppa

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install openjdk-8-jdk

Passo 5. Se você tiver mais de uma versão do Java instalado em seu sistema, execute o comando abaixo para definir o interpretador Java padrão:

sudo update-alternatives --config java

Passo 7. Na tela que aparece, escolha e digite um número para selecionar uma versão do Java e depois tecle enter;
set-default-java
Passo 8. Para definir o compilador Java padrão, executando o comando a seguir:

sudo update-alternatives --config javac

Passo 9. Finalmente confira qual é a versão Java atual, executando:

java -version

Pronto! Agora você já com a última versão do Java no Ubuntu.

Mais sobre Java

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.



Como instalar o Receitanet no Debian, Fedora e derivados

5 de Março de 2015, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Se você usar um sistema Linux baseado no Debian, Fedora ou que suporte pacotes deb e rpm, veja como instalar o Receitanet usando esses tipos de pacotes.
Receitanet no Debian, Fedora e derivados
Além da versão binária (bin) e multiplataforma (jar), a receita também disponibiliza versões do instalador do Receitanet em formato deb e rpm, para que os usuários Linux instalem o programa em sistemas que suportem esses formatos.

A seguir, você verá como fazer a instalação do Receitanet usando esses tipos de pacotes no no Debian, Fedora e sistemas derivados. Mas antes, dê uma boa olhada nos pré requisitos do programa.

Conheça melhor o Receitanet

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Mais sobre o IRPF 2015

Preparando o sistema para instalar o Receitanet no Debian, Fedora e sistemas derivados

Um dos pré requisitos para o programa é a instalação do Java mais recente (em 2015, o requisito mínimo é a 1.8, também chamada de Java 8), para isso, veja os tutoriais abaixou ou acesse esse link e siga as instruções dele:
Java no Ubuntu: veja como instalar o OpenJDK 8 nas versões LTS 12.04 e 14.04
Como instalar as versões 6, 7 ou 8 do Oracle Java no Ubuntu
Como instalar o Oracle Java 8 no Debian via repositório
Como instalar Java no Linux manualmente

Instalando o Receitanet no Debian e derivados

Para instalar o Receitanet no Debian e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Para baixar o instalador do no Debian e derivados, use o comando abaixo:

wget -O receitanet.deb http://www.receita.fazenda.gov.br/publico/programas/receitanet/receitanet-1.04.deb

Passo 3. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i receitanet.deb

Passo 4. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Passo 5. Se depois você precisar desinstalar o programa, use o comando abaixo;

sudo apt-get remove receitanet*

Instalando o Receitanet no Fedora e sistemas derivados

Para instalar o Receitanet no Fedora e sistemas derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Para baixar o instalador do Receitanet no Fedora e sistemas derivados, use o comando abaixo:

wget -O receitanet.rpm http://www.receita.fazenda.gov.br/publico/programas/receitanet/receitanet-1.04-1.noarch.rpm

Passo 3. Para instalar em um Fedora, RedHat e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo yum localinstall receitanet.rpm

Passo 4. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

sudo zypper install receitanet.rpm

Passo 5. Para instalar em um OpenMandriva, Mageia e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo urpmi receitanet.rpm

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite receitanet em um terminal, seguido da tecla TAB.

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.



Criação de DVD no Linux? Conheça DVDStyler

5 de Março de 2015, por Desconhecido - 0sem comentários ainda
Compartilhe isso ...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on TumblrPin on PinterestEmail this to someoneDigg this

Se você precisa criar DVD no Linux, veja aqui como instalar o DVDStyler no Ubuntu e sistema derivados para fazer esse tipo de tarefa.
Criação de DVD no Linux
Apesar de terem caído em desuso para aluguel de filmes, os DVD´s ainda podem ser úteis para fazer nossos filmes pessoais, afinal, eles são bons para organizar e guardar arquivos físicos. E para criar DVD no Linux, uma ótima ferramenta é o DVDStyler.

O DVDStyler é um software de código aberto e totalmente gratuito. Ele é uma ferramenta multiplataforma voltada para quem quer criar DVDs com aparência profissional, que permite não só a queima de arquivos de vídeo em DVD que podem ser reproduzidos em praticamente qualquer aparelho de DVD independente, mas também a criação de menus de DVD concebidos individualmente.

Com o programa você:

  • Cria e grava DVDs de vídeo com menus interativos;
  • Desenvolve os teus próprios menus ou seleciona um da lista de modelos prontos a usar;
  • Cria apresentações de imagens;
  • Insere múltiplas legendas e áudios;
  • Suporte para AVI, MOV, MP4, MPEG, OGG, WMV e outros;
  • Suporte para MPEG-2, MPEG-4, DivX, Xvid, MP2, MP3, AC-3 e outros formatos de áudio e vídeo;
  • Suporte para processador multi-core;
  • Usa ficheiros MPEG e VOB sem recodificar;
  • Insere ficheiros de áudio/vídeo com diferentes formatos em apenas um DVD (suporte para titleset);
  • Interface de fácil utilização com suporte para arrastar e largar;
  • Cria menus flexíveis com base em gráficos vetoriais ajustáveis;
  • Importa arquivos de imagem para os fundos;
  • Insere botões, texto, imagens e outros objetos gráficos em qualquer parte do menu;
  • Altera o tipo de letra/cor e outros parâmetros nos botões e objetos gráficos;
  • Redimensiona qualquer botão ou objeto gráfico;
  • Copia qualquer objeto de um menu ou o menu inteiro;
  • Personaliza a navegação com a ajuda de linguagens de script de DVD.

Conheça melhor o DVDStyler

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

Como instalar o DVDStyler no Ubuntu e derivados para criar DVD´s

Felizmente o programa já vem nos repositórios padrão do Ubuntu. Por isso, para instalar o DVDStyler no Ubuntu e derivados, você só precisa abrir a Central de programas, procurar por ele e instalar. Se preferia instalar via terminal, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale o programa usando a Central de programas ou com o comando:

sudo apt-get install dvdstyler

Depois de instalado, você pode executar o programa digitando no Dash: dvdstyler
Na primeira execução, selecione a língua que será usada e confirme, para começar a usar o programa.
dvd-styler-1

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.