Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

Minha rede

 Voltar a planetas
Tela cheia Sugerir um artigo
 Feed RSS

Planeta do Gnome Brasil

10 de Fevereiro de 2010, 22:00 , por Desconhecido -

Jonh Wendell: Parasite, wake up!

18 de Dezembro de 2013, 13:10, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Hi there!

In the last weeks I’ve been working on GTK+ themes, customizing some apps, and I missed the tools we have on the web world that allow us to to some live editing on CSS.

I remembered we had Parasite, a tool similar to Firebug, but for GTK+ apps. Unfortunately it didn’t support CSS tweaking. But it does now! I’ve made some improvements on it mainly to allow live editing of CSS, but not limited to that.

Some changes so far:

  • Live editing of CSS, for the whole application, or only for the selected widget
  • Ability to add/remove a CSS class for a specific widget. (Editing of pseudo-classes like :hover is planned)
  • In the Property inspector, if a property itself is another Object, we can also inspect it. (For example, you can inspect a Buffer inside a TextView)
  • A bit of UI change

I have made a small video showing the improvements:


Link to the video

The code is on the usual place, github: https://github.com/chipx86/gtkparasite

Please, test it and file bugs/wishes/pull requests. /me is now wearing the maintainer hat :)

Note: it requires GTK+ 3.10 (and optionally python+gobject introspection for the python shell)



Fábio Nogueira: Wireless Realtek RTL8188CE e RTL8192CE no Ubuntu

18 de Dezembro de 2013, 11:35, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Essa dica vai para quem tem notebooks Presario, Toshiba, etc… Vamos instalar a sua placa de rede Wifi?

Esse passo a passo serve para as versões RTL8188CE e RTL8189CE. Funciona com os kernel 3.2.x, 3.8.x e 3.11.x, além das versões 12.04, 13.04 e 13.10 do Ubuntu.

Primeiramente, confirme a versão do seu kernel, executando no seu terminal:

uname -r

Caso a versão do mesmo, seja uma das versões informadas acima, vamos então dar continuidade ao processo.

1. Clonar o diretório do GIT. Caso não tenha o git instalado na sua máquina, execute:

sudo apt-get install git

2. Agora, vamos clonar (É feita uma cópia do código fonte para a sua máquina):

cd ~ && git clone https://github.com/FreedomBen/rtl8188ce-linux-driver.git

Note que foi criada uma pasta chamada rtl8188ce-linux-driver na pasta do seu usuário.

3. Instalar as dependências de compilação (preste atenção aos crases!):

sudo apt-get install gcc build-essential linux-headers-generic linux-headers-`uname -r`

4. Acesse o diretório e vamos começar a compilar:

cd ~/rtl8188ce-linux-driver && make

Obs.: Caso seja informado algum erro, confirme se o branch é realmente o da sua versão. Por exemplo: Se a sua versão do Ubuntu for a 13.10, execute:

git checkout ubuntu-13.10

Após executar o checkout para o branch correto da sua versão, execute o passo 4 novamente.

5. Instale:

sudo make install

6. Ative (modprobe) o novo driver:

sudo modprobe rtl8192ce

(Este é o driver da rtl8188ce também)

7. Você pode precisar modprobe volta nos outros módulos também. Basta repetir o passo 6, alterando para os:

rtl8192ce, rtlwifi, e rtl8192c_common

Torne permanente, adicionando isto ao final do /etc/modules:

rtl8192ce.ko

Para editar e acrescentar a linha acima no /etc/modules, execute:

sudo gedit /etc/modules

Pronto! Placa de rede instalada. Reinicie o sistema e voilá!

Agradecimentos especiais a FreedomBen



Gustavo Noronha (kov): WebKitGTK+ hackfest 5.0 (2013)!

11 de Dezembro de 2013, 5:47, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

For the fifth year in a row the fearless WebKitGTK+ hackers have gathered in A Coruña to bring GNOME and the web closer. Igalia has organized and hosted it as usual, welcoming a record 30 people to its office. The GNOME foundation has sponsored my trip allowing me to fly the cool 18 seats propeller airplane from Lisbon to A Coruña, which is a nice adventure, and have pulpo a feira for dinner, which I simply love! That in addition to enjoying the company of so many great hackers.

Web with wider tabs and the new prefs dialog

Web with wider tabs and the new prefs dialog

The goals for the hackfest have been ambitious, as usual, but we made good headway on them. Web the browser (AKA Epiphany) has seen a ton of little improvements, with Carlos splitting the shell search provider to a separate binary, which allowed us to remove some hacks from the session management code from the browser. It also makes testing changes to Web more convenient again. Jon McCan has been pounding at Web’s UI making it more sleek, with tabs that expand to make better use of available horizontal space in the tab bar, new dialogs for preferences, cookies and password handling. I have made my tiny contribution by making it not keep tabs that were created just for what turned out to be a download around. For this last day of hackfest I plan to also fix an issue with text encoding detection and help track down a hang that happens upon page load.

Martin Robinson and Dan Winship hack

Martin Robinson and Dan Winship hack

Martin Robinson and myself have as usual dived into the more disgusting and wide-reaching maintainership tasks that we have lots of trouble pushing forward on our day-to-day lives. Porting our build system to CMake has been one of these long-term goals, not because we love CMake (we don’t) or because we hate autotools (we do), but because it should make people’s lives easier when adding new files to the build, and should also make our build less hacky and quicker – it is sad to see how slow our build can be when compared to something like Chromium, and we think a big part of the problem lies on how complex and dumb autotools and make can be. We have picked up a few of our old branches, brought them up-to-date and landed, which now lets us build the main WebKit2GTK+ library through cmake in trunk. This is an important first step, but there’s plenty to do.

Hackers take advantage of the icecream network for faster builds

Hackers take advantage of the icecream network for faster builds

Under the hood, Dan Winship has been pushing HTTP2 support for libsoup forward, with a dead-tree version of the spec by his side. He is refactoring libsoup internals to accomodate the new code paths. Still on the HTTP front, I have been updating soup’s MIME type sniffing support to match the newest living specification, which includes specification for several new types and a new security feature introduced by Internet Explorer and later adopted by other browsers. The huge task of preparing the ground for a one process per tab (or other kinds of process separation, this will still be topic for discussion for a while) has been pushed forward by several hackers, with Carlos Garcia and Andy Wingo leading the charge.

Jon and Guillaume battling code

Jon and Guillaume battling code

Other than that I have been putting in some more work on improving the integration of the new Web Inspector with WebKitGTK+. Carlos has reviewed the patch to allow attaching the inspector to the right side of the window, but we have decided to split it in two, one providing the functionality and one the API that will allow browsers to customize how that is done. There’s a lot of work to be done here, I plan to land at least this first patch durign the hackfest. I have also fought one more battle in the never-ending User-Agent sniffing war, in which we cannot win, it looks like.

Hackers chillin' at A Coruña

Hackers chillin’ at A Coruña

I am very happy to be here for the fifth year in a row, and I hope we will be meeting here for many more years to come! Thanks a lot to Igalia for sponsoring and hosting the hackfest, and to the GNOME foundation for making it possible for me to attend! See you in 2014!




Lucas Rocha: Firefox for Android in 2013

10 de Dezembro de 2013, 13:15, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Since our big rewrite last year, we’ve released new features of all sizes and shapes in Firefox for Android—as well as tons of bug fixes, of course. The feedback has been amazingly positive.

This was a year of consolidation for us, and I think we’ve succeeded in getting Firefox for Android in a much better place in the mobile browser space. We’ve gone from an (embarrassing) 3.5 average rating on Google Play to a solid 4.4 in just over a year (!). And we’re wrapping up 2013 as a pre-installed browser in a few devices—hopefully the first of many!

We’ve just released Firefox for Android 26 today, our last release this year. This is my favourite release by a mile. Besides bringing a much better UX, the new Home screen lays the ground for some of the most exciting stuff we’ll be releasing next year.

A lot of what we do in Firefox for Android is so incremental that it’s sometimes hard to see how all the releases add up. If you haven’t tried Firefox for Android yet, here is my personal list of things that I believe sets it apart from the crowd.

All your stuff, one tap

The new Home in Firefox for Android 26 gives you instant access to all your data (history, bookmarks, reading list, top sites) through a fluid set of swipable pages. They are easily accessible at any time—when the app starts, when you create a new tab, or when you tap on the location bar.

You can always search your browsing data by tapping on the location bar. As an extra help, we also show search suggestions from your default search engine as well as auto-completing domains you’ve visited before. You’ll usually find what you’re looking for by just typing a couple of letters.

Top Sites, History, and Search.

Top Sites, History, and Search.

Great for reading

Firefox for Android does a couple of special things for readers. Every time you access a page with long-form content—such as a news article or an essay—we offer you an option to switch to Reader Mode.

Reader Mode removes all the visual clutter from the original page and presents the content in a distraction-free UI—where you can set your own text size and color scheme for comfortable reading. This is especially useful on mobile browsers as there are still many websites that don’t provide a mobile-friendly layout.

Reader Mode in Firefox for Android

Reader Mode in Firefox for Android

Secondly, we bundle nice default fonts for web content. This makes a subtle yet noticeable difference on a lot of websites.

Last but not least, we make it very easy to save content to read later—either by adding pages to Firefox’s reading list or by using our quickshare feature to save it to your favourite app, such as Pocket or Evernote.

Make it yours

Add-ons are big in desktop Firefox. And we want Firefox for Android to be no different. We provide several JavaScript APIs that allow developers to extend the browser with new features. As a user, you can benefit from add-ons like Adblock Plus and Lastpass.

If you’re into blingy UIs, you can install some lightweight themes. Furthermore, you can install and use any web search engine of your choice.

Lightweight theme, Add-ons, and Search Engines

Lightweight theme, Add-ons, and Search Engines

Smooth panning and zooming

An all-new panning and zooming framework was built as part of the big native rewrite last year. The main focus areas were performance and reliability. The (mobile) graphics team has released major improvements since then and some of this framework is going to be shared across most (if not all) platforms soon.

From a user perspective, this means you get consistently smooth panning and zooming in Firefox for Android.

Fast-paced development

We develop Firefox for Android through a series of fast-paced 6-week development cycles. In each cycle, we try to keep a balance between general housekeeping (bug fixes and polishing) and new features. This means you get a better browser every 6 weeks.

Open and transparent

Firefox for Android is the only truly open-source mobile browser. There, I said it. We’re a community of paid staff and volunteers. We’re always mentoring new contributors. Our roadmap is public. Everything we’re working on is being proposed, reviewed, and discussed in Bugzilla and our mailing list. Let us know if you’d like to get involved by the way :-)


That’s it. I hope this post got you curious enough to try Firefox for Android today. Do we still have work to do? Hell yeah. While 2013 was a year of consolidation, I expect 2014 to be the year of excitement and expansion for Firefox on Android. This means we’ll have to set an even higher bar in terms of quality and, at the same time, make sure we’re always working on features our users actually care about.

2014 will be awesome. Can’t wait! In the meantime, install Firefox for Android and let us know what you think!



Fábio Nogueira: Como fazer o downgrade do repositório de pacotes de pré-lançamentos no Ubuntu

27 de Novembro de 2013, 16:04, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Habilitando o repositório de atualizações de pré-lançamentos no Ubuntu, normalmente não é uma boa ideia porque esta é uma área de testes para as atualizações, então algo pode quebrar. Se você habilitou este repositório e algo deu errado, aqui você saberá como reverter as alterações através da desatualização dos pacotes instalados através do repositório de atualizações de pré-lançamentos.

Revertendo as atualizações de pacotes do repositório de atualizações de pré-lançamentos

1. Primeiramente carregue Programas e atualizações (Nas versões mais antigas do Ubuntu, vá em Gerenciador de atualizações e clique em Configurações), clique na aba Atualizações e desabilite a opção Atualizações de pré-lançamento (proposed):

atualizações

2. Em seguida devemos fixar os pacotes do repositório do Ubuntu: Para estável, atualizações importantes de segurança, recomendadas e não suportadas, usaremos uma prioridade maior do que 1000, o que fará com que os pacotes a partir desses repositórios sejam instalados, mesmo se isto constituir um downgrade e para o repositório de pré-lançamento, vamos definir uma prioridade menor que 0, impedindo que os pacotes sejam instalados.

Para fazer isso, crie um arquivo chamado “99-downgrade-proposed” em /etc/apt/preferences.d/ – Vamos usar Gedit:

gksu gedit /etc/apt/preferences.d/99-downgrade-proposed

E no arquivo, copie e cole o seguinte:

Package: *
Pin: release a=saucy
Pin-Priority: 1001

Package: *
Pin: release a=saucy-updates
Pin-Priority: 1001

Package: *
Pin: release a=saucy-security
Pin-Priority: 1001

Package: *
Pin: release a=saucy-backports
Pin-Priority: 1001

Package: *
Pin: release a=saucy-proposed
Pin-Priority: -1

Observação: Substitua o “saucy” pela sua versão do Ubuntu no lista acima. Em seguida, salve o arquivo.

3. Agora podemos iniciar o processo de downgrade, executando os comandos abaixo:

sudo apt-get update
sudo apt-get dist-upgrade

Verifique se o “dist-upgrade” não removerá todos os pacotes importantes. Se tudo estiver ok, prossiga com o downgrade.

4. Após o downgrade, você pode remover o arquivo criado no passo 2:

sudo rm /etc/apt/preferences.d/99-downgrade-proposed

Até a próxima!

Fonte: WEB UPD8



Gustavo Noronha (kov): II Encontro Nacional de Dados Abertos

24 de Novembro de 2013, 16:50, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Semana passada ficou curta, deixei de fazer um bocado de coisa que queria e apertei o passo em outras pra conseguir passar os dois últimos dias da semana em Brasília no II Encontro Nacional de Dados Abertos, organizado pela SLTI do Ministério do Planejamento e pelo escritório brasileiro da W3C. Valeu à pena!

Em 2010 eu comecei pra coçar uma coceira pessoal com um projeto para coletar e dar melhor visibilidade ao gasto dos parlamentares mineiros com as chamadas verbas indenizatórias. O resultado foi o softwae com nome-código “Montanha”, que era composto de duas partes: 1) um web scraper que entrava em cada uma das milhares de páginas que tinham os dados com uma grande granularidade e os colocava num banco de dados 2) uma aplicação web que exibia os dados em tabelas e gráficos para facilitar a leitura.

Mais pra frente resolvi renomear o projeto para ‘Olho Neles!’ pra ficar mais amigável e registrei um domínio* (http://olhoneles.org/). Em razão desse trabalho eu fui convidado para falar no primeiro ENDA, que aconteceu em 2011, mas infelizmente não deu certo a viagem para Brasília e eu acabei sendo representado pelo Marcelo “metal” Vieira, contribuidor do projeto, que por sorte estava por lá. Fui novamente convidado agora e dessa vez deu certo!

Eu apresentando o olhoneles

Eu apresentando o Olho Neles! foto da Raquel Camargo

A abertura foi muito boa e contou com o presidente da ESAF – Escola de Administração Fazendária, onde aconteceu o evento – que fez um primeiro discurso com um alto grau de auto-crítica governamental. Começou por falar que governo bom é governo que apanha de manhã, de tarde e de noite – o que ele acha que é essencial para manter a administração pública constantemente preocupada com a melhoria e para o quê os dados abertos tem muito a contribuir. Depois afirmou que a Receita Federal é uma instituição de excelência, que recolhe impostos muito bem, mas que falta muita qualidade no gasto dos recursos angariados por ela; “não podemos passar a conta das nossas ineficiências para a sociedade sempre”, disse ele, dando um tapa de luva no próprio governo.

Depois fomos para o evento. Eu confesso que inicialmente suspeitava que o evento seria uma série de palestras falando de projetos com lançamento no futuro, mas fui positivamente surpreso: muitas pessoas estava lá para mostrar suas iniciativas já em funcionamento, com dados já disponibilizados, até mesmo seguindo um princípio de não perseguir o ótimo que é inimigo do bom. Mais de uma apresentação teve um slide com uma variação de “publish early, publish often”, claramente inspirado no “release early, release often” d’A Catedral e o Bazaar, que é uma das pedras fundamentais do pensamento hacker. Alguns citaram o primeiro Encontro Nacional de Dados Abertos como marco inicial das suas iniciativas.

Outra coisa que eu senti é que a maioria das iniciativas não foi algo fortemente institucional – algum tipo de planejameto e definição estratégica sempre era citado, é verdade, e a adequação à Lei de Acesso à Informação certamente teve um papel importante, mas as iniciativas que iam além da mera compliance me deram a clara impessão de terem partido das áreas de tecnologia, com vontade fazer acontecer. Nunca é demais ser lembrado que no serviço público há muitas dessas pessoas que amam fazer acontecer, sou feliz de ter conhecido várias até hoje =).

E conhecer gente foi como sempre o ponto alto do evento pra mim. Apesar de eu não ter feito tudo que queria – acabei deixando de contribuir com a ideia de uma cryptoparty durante o evento, acabei ficando sem assistir à BR080 no final das contas e perdi alguns debates que eu achava importantes – não fiquei muito tempo sem estar com pessoas interessantes, com boas ideias e papo que acrescentou muito pra mim. Tive mais contato com o pessoal do ônibus hacker, do grupo transparência hacker, o que foi muito interessante e proveitoso pra mim.

A minha apresentação (slides em PDF, slides em ODP) correu sem maiores problemas, tirando que eu fiz a apresentação sem meus óculos que estão sem uma das asinhas – fiquei com medo de ninguém conseguir prestar atenção no que eu estava falando por ficar incomodado com os óculos tortos. Fiquei um pouco mais nervoso que o normal de não conseguir sentir o que as pessoas estavam pensando =P.

A recepção foi boa, fiquei feliz de saber que o representante da ALMG gostou de ter um projeto utilizando o trabalho deles de expor os dados através de web services (o que simplificou muito o código do coletor da ALMG no olho neles). Também fiquei feliz de saber que a Câmara Municipal de SP já tem web services para as verbas indenizatórias – taí uma tarefa fácil pra contribuir com o Olho Neles! ;)

Durante a apresentação do representante do Senado, que parece ter uma relação bem estabelecida com o grupo Transparência Hacker, inclusive, fiquei sabendo um pouco mais sobre LexML e sobre as ferramentas que tem sido usadas para ajudar a automatizar o processo legislativo, como o LexEdit, e torná-lo mais transparente. O Jean Ferri, que foi o moderador da sessão me deu alguns detalhes de como funciona a coisa toda e eu fiquei bem impressionado, não achei que estivesse tão avançado assim.

Enfim, fiquei muito feliz de ter sido convidado e de ter participado, muito obrigado à SLTI do Ministério do Planejamento e ao escritório brasileiro do W3C pela iniciativa, keep ‘em coming!

* .org sem .br porque nossas políticas de registro de domínio são blergh e exigem que você seja uma organização formalmente registrada para registrar org.br



Fábio Nogueira: Como configurar o modem Huawei E173 no Ubuntu

24 de Novembro de 2013, 13:21, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Quem não teve problemas com o modem Huawei modelo E173 no Ubuntu, que atire a primeira pedra! Salvo nas versão anteriores a 12.04. ;)

A solução é utilizar o Sakis3g, um arquivo shell script que configura diversos modens (Modem, modems ou modens?? – Discussão sobre esse plural vai longe, o importante é que você entenda!). Infelizmente o www.sakis3g.org está fora do ar há tempos, mas ainda tenho a sua última atualização deste pra lá de útil script. Você irá baixá-lo diretamente da minha conta no Dropbox!

Para baixar e configurar o Sakis3g, abra o seu terminal e digite os comandos:

wget https://www.dropbox.com/s/tqsh09v748wtnv4/sakis3g.gz
echo "dda70fd95fb952dbb979af88790d3f6e sakis3g.gz" | md5sum -c
gunzip sakis3g.gz
chmod +x sakis3g
sudo ./sakis3g --interactive

Chegou a hora da configuração!

Sakis3g - 1

Logo em seguida, será exibida a tela de configuração do Sakis3g. Clique em “Connect with 3G”.

Sakis3g - 2
Agora escolha a opção “USB device”.

Sakis3g - 3
Nesse caso, por se tratar do modem HUAWEI, selecione a opção “HUAWEI Mobile”.

Sakis3g - 4
Ele automaticamente identifica a operadora do serviço, selecione então a mesma e clique em OK. Caso queria customizar a conexão com a sua operadora, basta clicar em “Custom APN”.

Sakis3g - 5
No caso da Claro, basta o usuário é claro e

Sakis3g - 6
e a senha também é claro.

Sakis3g - 8
Pronto! Modem conectado a internet com sucesso!

Eu nunca testei com outros modens, sugiro um teste e ao invés de selecionar HUAWEI, escolha o seu modelo na lista de modens do Sakis3g.Um outro detalhe importante: Na bandeja do sistema, não aparece nenhum ícone de conexão! (Vide imagem logo abaixo)

Sakis3g - 9

Espero que tenha ajudado. ;) Até a próxima!



Fábio Nogueira: Numix: Tema GTK e ícones

19 de Novembro de 2013, 13:03, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Mais uma vez chegou a hora de deixar o seu Ubuntu mais “biíto” :) É hora de conhecer o tema Numix, para GTK e ícones!

Clique para ampliar

Instalação

Para instalar, abra o terminal e digite:

sudo add-apt-repository ppa:numix/ppa
sudo apt-get update

Pronto! Adicionado o PPA do Numix ao repositório! Para instalar apenas o tema GTK, execute:

sudo apt-get install numix-gtk-theme

Para instalar apenas o tema de ícones do Numix:

sudo apt-get install numix-icon-theme numix-icon-theme-utouch

Pronto! Agora é só habilitar utilize o gnome-tweak-tool, a ferramenta de ajustes do GNOME.

Ps.: No Unity, utilize o Ubuntu Tweak, Unsettings ou Unity Tweak Tool para ativar!



Fábio Nogueira: Fórum Goiano de Software Livre

14 de Novembro de 2013, 12:18, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Para você que estará em Goiás entre os dias 29 e 30 de novembro, não pode perder este evento! A 10ª edição do Fórum Goiano de Software Livre juntamente com o 1º ERI – GO (Escola Regional de Informática de Goiás), um fórum para pesquisadores, professores, alunos e profissionais de Computação e áreas afins cujo objetivo principal é fomentar a troca de ideias e experiências através de palestras, workshops, minicursos e laboratórios.

O evento acontecerá na Faculdade de Tecnologia SENAC – Goiás – Av. Independência, N° 1002, Vila Nova. Goiânia-GO (Próximo ao Terminal Praça da Bíblia)

Para maiores detalhes, acesse o site do evento!



Fábio Nogueira: Tema de ícones Moka

14 de Novembro de 2013, 11:43, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Tá bom! Você gostou do Pacifica mas gostaria de experimentar coisas novas? Que tal o tema de ícones Moka?

Moka é um tema de ícones que utiliza o estilo minimalista, geometria simples e muita cor. Com o objetivo de ser um dos ícones mais completos dos temas disponíveis, Moka fornece um ícone para muitas aplicações Linux.

Para instalar, é super fácil! Abra o seu terminal e digite:

sudo add-apt-repository ppa:snwh/moka-icon-theme-daily -y
sudo apt-get update && sudo apt-get install moka-icon-theme moka-icon-theme-symbolic moka-icon-theme-extras -y

Pronto! Para ativar, utilize o gnome-tweak-tool, a ferramenta de ajustes do GNOME.

Ps.: No Unity, utilize o Ubuntu Tweak, Unsettings ou Unity Tweak Tool para ativar!



Tags deste artigo: gnome planet planeta