Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

PSL Brasil

 Voltar a Notícias
Tela cheia Sugerir um artigo

O começo do GNU Social

22 de Agosto de 2017, 16:21 , por Anders Bateva - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 77 vezes

Este post é baseado no artigo What is GNU social and is Mastodon Social a “Twitter Clone”?, por Robek World.

Em 2007, Evan Prodromou desenvolveu o "esqueleto" do que eventualmente se tornaria o GNU Social. Na época de sua concepção, ele era conhecido como Laconica, e era utilizado em um serviço de microblogging chamado Identi.ca. Após ser financiado, Prodromou renomeou Laconica para StatusNet e começou o desenvolvimento do serviço. A ideia por detrás da StatusNet era que qualquer um pudesse baixar o software e rodar seu próprio serviço de microblogging. O nobre objetivo estava embrulhado em estratégia de marca, e buscas corporativas, na esperança de um dia levar o microblog para as massas (tanto marcas quanto indivíduos) tal qual WordPress fez para os blogs. Várias pessoas contribuíram código para a StatusNet e o projeto cresceu.

Em 2010, Prodromou documentou o protocolo OStatus que ele criou e fez a StatusNet usar, e conseguiu levar este protocolo para o W3C, para que fosse mais desenvolvido (o que não ocorreria até 6 anos depois). OStatus tornou-se o padrão sucessor do protocolo OpenMicroBlogging. Esta foi uma grande conquista, pois o OStatus é a tecnologia que o W3C mantém e desenvolve, e é basicamente o procedimento operativo padrão para comunidades coesas de microblog. A maioria destas comunidades OStatus podem comunicar-se umas com as outras (Federação).

Em algum momento por aqui, Matt Lee começou a explorar opções para ferramentas sociais para o GNU FM, e a StatusNet capturou sua atenção. Algum interesse continua a crescer, mas nade demais acontece. Prodromou eventualmente perde seu financiamento em 2012, e o desenvolvimento real da StatusNet parece estar condenada à morte, apesar de continuar um pouco. Devido ao projeto usar uma licença livre, as pessoas tinham a capacidade de fazer "forks" (ramificações do desenvolvimento), e Mikael Nordfeldth havia feito um fork da StatusNet para um projeto chamado Free Social.

O projeto de Mikael era "por diversão", mas após Prodromou ter decidido seguir adiante com o pump.io, Matt e Mikael oferecem a ideia de fundir o projeto StatusNet em um novo, nomeado GNU Social (já que os desenvolvedores em questão eram desenvolvedores e apoiadores do Projeto GNU / Fundação do Software Livre). Mikael continua a manter e dar suporte ao GNU Social em 2017, mas houveram vários forks que constroem por sobre seu próprio trabalho, enquanto tentam seus próprios objetivos.

Existe um rumor de que a Identi.ca era um serviço de microblogging independente, e não federava com os nos StatusNet. Este rumor está errado: a companhia StatusNet fazia ser fácil criar seu nó "nome.status.net", de graça para nós de usuário único, e também provia vários nós com nomes como "240.status.net", "unlimited.status.net", para que se experimentasem diferentes tamanhos de mensagem.

Prodromou realmente tentou fazer com que pessoas mesclassem-se com a Federação e saíssem do nó com o nome da empresa. Mas Identi.ca era a face da StatusNet, e continuou crescendo. Não foi até o "pumpocalypse" que sites alternativos como Quitter.se realmente deslanchassem, no grande êxodo da Identi.ca por pessoas que estavam confusas ou não gostavam no novo software (pump.io).


O blog Anders Bateva tem uma conta no GNU Social, no seguinte endereço: https://quitter.es/andersbateva.

Licença Creative Commons Este post de Anders Bateva está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em Robek.World.

Fonte: blog Anders Bateva

0sem comentários ainda

Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.

Eventos de Software Livre no Brasil