Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

PSL Brasil

 Voltar a Notícias
Tela cheia Sugerir um artigo

MS temeu apoio do Brasil ao Open Source e ODF

12 de Setembro de 2011, 0:00 , por Software Livre Brasil - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 1663 vezes

Documentos divulgados pelo site Wikileaks indicam que a Microsoft tremeu na base com o apoio do governo brasileiro a softwares no modelo open source.

Segundo o vazamento, numa reunião ocorrida no dia 20 de dezembro de 2007, o cônsul-geral dos EUA em São Paulo, Thomas White, encontrou-se com o embaixador dos EUA no Brasil, Clifford Sobel, e o presidente da Microsoft no País, Michel Levy.

http://softwarelivre.org/furusho/fisl-10-dilma-olivio-m-branco-e-pres-lula.jpg

A pauta eram as preocupações da Microsoft sobre a adoção de padrões abertos e a “ideologia antiamericana no Ministério das Relações Exteriores”. Para Levy, o Itamaraty estava forçando a ABNT a adotar uma postura mais agressiva contra o formato XML – usada nos softwares da empresa –, relata o site Link, do jornal Estado de S. Paulo.

O presidente da Microsoft também disse ter cartas do Ministério das Relações Exteriores para outros governos, pedindo a colaboração para a adoção do formato aberto ODF como padrão internacional.

Uma preocupação especial era com a então ministra da Casa Civil, Dilma Roussef, vista como uma das líderes das estratégias do governo contra as leis de propriedade intelectual e royalties.

Ela teria ajudado a convencer o presidente Lula que não haveria diferença entre o ODF e o XML.

Além disso, o presidente da MS no Brasil estaria preocupado com uma “manifestação de antiamericanismo” em torno dos formatos.

* fonte: Baguete

Wikileaks: Microsoft temia posição do Brasil

 


Fonte: Vitorio Furusho

1Um comentário

  • 8bc9139bb56c56e4e4fb2ff9dcffcc18?only path=false&size=50&d=404Rafael(usuário não autenticado)
    16 de Setembro de 2011, 0:52

    antiamericansmo

    Se estivéssemos no EUA. até concordaria com esse argumento. Como estamos no Brasil, devemos pensar mais na nossa nação, nas nossas mentes desenvolvedoras do que privilegiar mercado estrangeiro.
    Essa suposta "preocupação" é o mesmo sentimento de toda empresa ao sentir perder seu potencial cliente. Como estão nesse nível, o que resta é apelar através da relação que se mantêm com a nação americana forçando através da política essa negociação Nada menos esperado vindo da Microsoft, em vista do seu histórico de negociações.


Eventos de Software Livre no Brasil