Ir para o conteúdo
 

Blog RSS feed

ou

 Voltar a Blog
Tela cheia Sugerir um artigo

Colivre participa de debate sobre redes sociais e mobilidade na TV Serpro

21 de Agosto de 2013, 11:56 , por COLIVRE - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 393 vezes

O último dia de programação do VI Congresso Internacional Software Livre e Governo Eletrônico - Consegi 2013, realizado em Brasília (DF) entre os dias 13 e 15 de agosto, incluiu um debate transmitido pela TV Serpro com o tema "Redes sociais e mobilidade à serviço do governo eletrônico".

A discussão reuniu o diretor-presidente do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), Marcos Mazoni, o ativista de Software Livre, Marcelo Branco, e o sócio-fundador da Colivre – Cooperativa de Tecnologias Livres, Vicente Aguiar.

Entre os temas colocados em pauta está a configuração das recentes ondas de manifestações pelo país, marcadas por organização em redes e apoiadas em pautas múltiplas. Para o diretor-presidente do Serpro, os governos não podem fechar os olhos para essa nova realidade. "O governo tem que se posicionar como mais um ator social, escutar e se preparar para interagir, não apenas receber as informações, mas mudar uma postura muito tradicional de nossos ambientes de comunicação na internet […] é preciso mexer com nossas estruturas internas para poder captar isso e evidentemente criar programas que vão atacar esses problemas, atender essas demandas", defende Mazoni.

O ativista Marcelo Branco acredita que estamos diante de uma quebra de paradigma, que passa por uma crise de mediação e uma nova forma de mobilização das pessoas em torno de pautas e reivindicações comuns. "Com a chegada da internet e com as sociedades em rede, cada indivíduo agora tem uma capacidade de comunicação global, uma capacidade de que sua mensagem - seja uma foto, um vídeo ou um texto - individualmente possa chegar no mundo inteiro. Então a crise da intermediação também entra aí.  Não é só da indústria fonográfica ou dos meios de comunicação, é também a crise de intermediação dos movimentos sociais", explica. Para Branco, "essas novas mobilizações sociais em rede vieram para ficar e  têm características comuns no mundo inteiro, mesmo com realidades sociais, econômicas e políticas diferentes".

O debate ganha ainda mais fôlego quando alguns dados do contexto nacional são levados em conta: O Brasil é o quarto país no mundo em número de smartphones (70 milhões de aparelhos), atrás apenas de Estados Unidos, Japão e China. É também o oitavo país em crescimento de internautas - entre 2008 e 2010 foram 27 milhões de novos usários de internet.

Para Vicente Aguiar, o maior desafio imposto por essa nova realidade é mesmo o diálogo. "Estamos nessa era de transição, saindo de uma era industrial para uma era informacional. A base tecnológica foi alterada e naturalmente o desafio que se coloca não é apenas do governo - é das empresas, dos movimentos sociais, das instituições religiosas. As pessoas terão que saber dialogar e interagir nesse novo contexto, onde a internet permite a emancipação do indivíduo em seu poder de comunicação, de manifestação, de interação", pontua.

O vídeo com a íntegra do debate está disponível no canal da TV Serpro, que fez a cobertura completa do Consegi 2013. Em sua sexta edição, o congresso se configura como o maior evento de tecnologia do governo federal e um espaço estratégico para debate de temas relativos à política e gestão de tecnologias em Software Livre.


Tags deste artigo: consegi serpro redes sociais colivre internet governo eletrônico

0sem comentários ainda

Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.