Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

 Voltar a Rádio Softwa...
Tela cheia Sugerir um artigo

Você conhece as crianças de mente quântica?

9 de Novembro de 2014, 15:56 , por Gabriel Galli - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 676 vezes

A psicóloga e escritora Ingrid Canete autografa neste domingo na 60ª Feira do Livro de Porto Alegre uma publicação sobre as gerações de crianças índigo e cristal. Conheça esta abordagem sobre a evolução do ser humano

 


As crianças índigo fazem parte de um grupo evolutivo cujas características físicas e psicológicas começaram a chamar a atenção de estudiosos a partir dos anos 70. "São seres com energia de alta qualidade e uma força interna capaz de romper padrões e muros. Desde muito pequenos, eles jamais aceitam o não pelo não. Eles querem argumentos baseados na verdade", destacou Ingrid.

Fisicamente, os índigos costumam ter olhos grandes e magnéticos. "Eles atraem as pessoas. Possuem um alto nível de espiritualidade. Dizemos que são almas antigas, que trazem muitas experiências outras vidas", pontuou a psicóloga, acrescentando que outro grupo evolutivo de seres humanos começou a nascer a partir dos anos 2000: são as chamadas crianças cristal.

"Os cristais são os pacificadores. Eles têm uma energia ainda mais sutil e transformam o ambiente de uma maneira diferente. Eles não precisam romper muros porque os índigos já fizeram isso por eles. Os cristal simplesmente entram no ambiente e mudam tudo", explicou a psicóloga.

De acordo com Ingrid, este jeito diferente de se colocar no mundo acaba deixando perdidos os responsáveis pela educação destas crianças. "Isso é problema sério, pois a falta de conhecimento gera diagnósticos equivocados. Por conta disso, estas crianças estão sendo medicadas, principalmente com a ritalina".

Geração ritalina
Um pesquisa divulgada ano passado pela Agência Nacional da Saúde (Anvisa) mostra o aumento de 75% no consumo de Ritalina entre crianças e adolescentes na faixa dos 6 aos 16 anos de 2009 a 2011. Conhecida como a "droga da obediência", o medicamento é usado para combater o polêmico Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade.

Na avaliação de Ingrid, estamos drogando uma geração de crianças com base na incompreensão e desinformação. "Há hoje uma melhor condição de trabalhar esta conscientização e ajudar os pais a compreenderam e educarem estas crianças com menos estresse. O que estas crianças têm são hipercapacidades. Quem gerou todo este avanço tecnólogico, foi a geração índigo, quem criou a rede social foi a geração índigo".


Serviço

Sessão de autógrafos "Crianças Índigo - A Evolução do Ser Humano" Edição Revisada e Ampliada 

Local: Pavilhão de autógrafos

Hora: 16h

 

ESCUTE a entrevista COMPLETA




0sem comentários ainda

Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.