WebM: Google lança formato de vídeo aberto para web: WebM é o formato de vídeo, aberto e livremente implementável, que o Google anunciou ontem e que chega para complicar (em um ótimo sentido, aparentemente) ainda mais a novela dos formatos de vídeo do HTML5 – e possivelmente dar aos defensores do H.264 algo em que pensar, ao mesmo tempo em que oferece uma alternativa adicional (baseada em Matroska, Vorbis e VP8, com código aberto (licença de software livre, estilo BSD) e expressamente isento de royalties sobre patentes) a quem previamente defendia o Theora.

Microsoft diz que IE9 suportará o WebM: Quando li as notícias sobre o lançamento do formato aberto WebM (nossa manchete da manhã de hoje), minha dúvida inicial foi sobre a reação da Microsoft e Apple, pois a Adobe já havia embarcado – e agora só falta a Apple.

Ubuntu: O preferido do Sheldon Cooper: O trecho do seriado The Big Bang Theory em que Sheldon declara sua preferência pode ser assistido no Youtube.

Oracle lança VirtualBox 3.2, agora com suporte a guests Mac OS X: Os desenvolvedores do VirtualBox lançaram, agora sob o nome de Oracle VM VirtualBox (TM), a nova versão do seu software de código aberto para virtualização.

Líder do Debian comparece ao Ubuntu Developer Summit: O recém-eleito líder do Debian, Stefano Zacchiroli, participou do recente evento Ubuntu Developer Summit buscando tentar melhorar as relações entre os dois projetos.

8 telas antecipando o visual do Chrome OS: Qual será a cara do Chrome OS, que chega até o fim do ano?

Excesso de distribuições: o paradoxo da escolha: Enviado por Guilherme Mac (gui84macΘgmail·com): “Parece contraditório no mundo do software livre falar em restrição na liberdade de escolhas, pregando a diminuição de possibilidades?

Tablet com Android da Nvidia: eu também quero um: O autor do texto do Gizmodo analisou o vaporoso produto (não há previsão de data de disponibilização) e gostou muito.

Kupfer: alternativa ao GNOME Do: O GNOME Do e um lançador de aplicações feito em Mono que tem grande quantidade de fãs pelas funcionalidades adicionais que traz aos desktops de seus usuários, mas isso não impede o surgimento de novas alternativas ao mesmo espaço, como o Kupfer.

Saiu o kernel Linux 2.6.34: A versão 2.6.34 do kernel Linux foi lançada, trazendo consigo algumas novidades interessantes, como o gerenciamento de energia assíncrono (que pode acelerar o suspend e resume do seu netbook nas próximas versões da sua distribuição preferida), LogFS, o sistema de arquivos distribuído Ceph, e uma série de melhorias no perf.

Video: WebOS (aquele da Palm/HP) dando boot em um PC: Notícia interessante para quem está na expectativa de saber como serão os tablets, netbooks e outros produtos que a HP vem sinalizando que lançará com o WebOS, desenvolvido pela recém-adquirida Palm: não é muito difícil rodá-lo desde já em um PC.

Navegadores default: Kubuntu adota Rekonq, Ubuntu Netbook Edition trocando Firefox por Chromium: Conforme vão se consolidando as definições para a próxima versão do Ubuntu e seus companheiros, vamos sabendo da inclusão e substituição de aplicativos, e segundo o OMGUbuntu o Kubuntu poderá ter uma novidade interessante: o Rekonq passaria a ser o navegador default.

Debian 6.0 Squeeze: ‘congelamento’ dos repositórios ainda sem estimativa: Enviado por Julio Cesar Bessa Monqueiro (julioΘgdhpress·com·br): “Muita gente está se perguntando sobre quando será lançado o novo Debian Squeeze, sucessor do atual Lenny.

Linux Mint 9: Enviado por Ricardo Martiniano da Silva (ricardomartinianoΘgmail·com): “A versão 9 do Linux Mint, denominada de Isadora, já está pronta para download.

RC1 do Slackware 13.1: Falta pouco: no final da semana passada, Patrick Volkerding publicou no changelog que o status de release candidate foi alcançado, as versões do kernel, compilador e glibc já são as definitivas, e a última chamada para relatos de bugs já está valendo.

Wildfox: suporte a H.264 no Firefox: Trechos da nota no iG Tecnologia: Um projeto paralelo chamado WildFox quer adicionar o formato de vídeo H.264, coberto por patentes, ao Firefox, já que a própria Fundação Mozilla decidiu não fazê-lo.

E mais: