Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

Tela cheia Sugerir um artigo
 Feed RSS

Blog

7 de Dezembro de 2009, 0:00 , por Desconhecido - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.

Memorização e comprometimento

14 de Abril de 2016, 20:51, por Yuri Schilling

Comprometimento é tudo.

Embora a maioria já conheça vou repetir a estória da galinha e do porco. A galinha convidou o porco para abrir um restaurante. Qual seria o nome e especialidade do restaurante? Bacon e ovos. É claro que o porco se recusou. Porque enquanto a galinha está envolvida no processo fornecendo os ovos o porco está comprometido fornecendo o bacon. Diferença sutil em palavras e altamente notável na prática.

Memorização adequada também exige esta sutileza para um resultado notável na prática, além de compostos poderosos como o Genius X. E no caso da memorização o comprometimento realmente pode fazer a diferença. Evidentemente que não estamos falando da morte de ninguém aqui. Vamos a um exemplo prático.

Memorização e conhecimentoExemplo Prático

Você está numa festa e de repente se aproxima aquele chato e começa a falar contigo disparando como uma metralhadora coisas que você não perguntou. Depois de meia hora você consegue se desvencilhar daquela atordoante pessoa e de repente, esbarra com outra pessoa. Essa pessoa por outro lado é sua amiga.

Vocês começam a conversar. Há um diálogo. Falam sobre as mesmas coisas. Enriquecem o conteúdo uma da outra. Sorriem. Se alegram. Se entristecem. Se amparam. E quando percebem a festa está ficando vazia. Já faz três horas que estão conversando! Mas, nem parece. Podiam continuar ali pelo dobro do tempo.

Quando vai para casa aquela conversa em seus detalhes não sai da sua cabeça. Passam-se os dias e, andando na rua, pega-se sorrindo. É mais uma lembrança daquela conversa fantástica! E a conversa com o chato? Não se lembra mais! Aliás, que era ele mesmo?

O que houve nestes dois contextos? Envolvimento e comprometimento. No primeiro caso você se envolveu. No segundo você se comprometeu porque ligou as suas emoções. E as impressões são permanentes. Talvez passem anos e ainda se lembrará de detalhes daquela conversa. Pode até ser que a sua vida seja influenciada por uma ou outra coisa que tenha conversado naquela noite com aquela pessoa amiga.

Porém, com o passar do tempo começamos a nos endeusar e achar que sabemos tudo. E aí paramos de raciocinar e começamos a ditar: o que gostamos, como queremos, quando queremos e nos irritamos quando parece que alguém deixa de nos ouvir.

Para conseguir a memorização perfeita precisamos nos comprometer. Precisamos ligar as nossas emoções no que estamos fazendo, desenvolvendo, criando... precisamos aproveitar asofertas de Genius X mais baratas para conseguir desconto e melhorar de vez nossa cognição e poder de memorização... precisamos sentir.