Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

Tela cheia
 Feed RSS

Blog do Bertoni

27 de Maio de 2009, 0:00 , por Desconhecido - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.

Hoje no senado tem saBOStina

21 de Fevereiro de 2017, 15:47, por Feed RSS do(a) Bertoni - 0sem comentários ainda

Laerte Coutinho, sempre genial, grafou sabatina.

Eu diria saBOStina, mixando sabatina, com bosta e sabotagem.

Hoje teremos o maior estupro coletivo da História da Humanidade!

Sabatina



Carnaval do paneleiro midiota, a Fantasia

21 de Fevereiro de 2017, 13:36, por Feed RSS do(a) Bertoni - 0sem comentários ainda

Confesso que andava meio desanimado com o carnaval nos últimos tempos.

Muitos blocos carnavalescos acabaram entrando na onda da midiotização e só falavam da tal corrupção.

Agora, depois do golpe de estado de 2016, muitos acordam para realidade e usam suas fantasias para comunicar-se com a população e mostrar sua indignação de uma forma que os brasileiros sabem fazer bem.

Eis a Fantasia do Carnaval dos Paneleiros Midiotas.

Representação perfeita, de baixo custo, como se recomenda nestes tempos bicudos de crise capitalista quando os de cima sobem (ainda mais) e os de baixo descem (muito mais ainda).

Carnaval do paneleiro



Samba enredo da CUT-PR 2017

20 de Fevereiro de 2017, 23:25, por Feed RSS do(a) Bertoni - 0sem comentários ainda

Sambadacut pr 2017



Prostituição Digital: Governo golpista corruptor de jovens

17 de Fevereiro de 2017, 18:13, por Feed RSS do(a) Bertoni - 0sem comentários ainda

Diga lá, quem é que se prostitui de fato? Profissionais do sexo que aberta e declaradamente cobram pelos serviços prestados ou aqueles que recebem dinheiro de golpistas para defender o indefensável?

Prostituição digital

A reportagem denúncia Governo paga youtubers para fazer elogios às mudanças do ensino médio não é de nenhum blog sujo, nem dos "petralhas", mas sim da "limpinha", "cheirosa", golpista e chapa-branca Folha de São Paulo que estimulou e apoia o golpe de estado de 2016, da mesma forma que o fez em 1964.

 



Desmonte da Lava-Jato: Prefeitura de Curitiba remove acampamento de apoiadores da operação

16 de Fevereiro de 2017, 19:10, por Feed RSS do(a) Bertoni - 0sem comentários ainda

Uma equipe da Secretaria Municipal de Urbanismo (SMU) da Prefeitura de Curitiba, removeu na manhã desta quarta-feira (15) o acampamento montado na Praça Pedro Alexandre Brotto, que fica em frente à sede Justiça Federal, no bairro Ahú, na capital paranaense

Acampamento 300x225 Um caminhão pequeno foi utilizado para carregar faixas, placas, laços e entulhos que se acumulavam na praça.

De acordo com a prefeitura, a ocupação do espaço urbano “deve ser feita dentro do que estabelece as normas de urbanismo e meio ambiente da cidade”. 

Em março de 2016, o grupo se estabeleceu, inclusive, com uma casa de madeira no meio da praça, inicialmente para apoiar a Operação Lava Jato e o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

A praça desocupada nesta data fica em frente ao prédio onde trabalha o juiz federal Sérgio Moro, titular da 13ª Vara Federal, responsável pelos processos da Lava Jato.

O desmonte da Lava Jato começou!

Literalmente!

 



Bloco Soviético no Carnaval 2017

15 de Fevereiro de 2017, 18:38, por Feed RSS do(a) Bertoni - 0sem comentários ainda

Sabadão, 18/02/2017, o Bloco Soviético tá na rua comemorando os 100 anos da Revolução Russa!

Vai ensaiando as marchinhas aí!

Internacional Katiusha Missandrinha Reaça escravocrata Ritmo de festa Vodcanãoéáguanão



Como a decisão a favor de Moreira Franco se choca com a decisão contrária a Lula no Supremo

15 de Fevereiro de 2017, 17:30, por Feed RSS do(a) Bertoni - 0sem comentários ainda

Análise comparativa mostra divergência entre os argumentos dos ministros do tribunal sobre o uso de foro privilegiado para obstruir a Justiça e como provar o desvio de finalidade

Stf noite

Por Bruno Lupion

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, decidiu na terça-feira (14) que Moreira Franco pode assumir o cargo de ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, pois não há indícios de que a nomeação tenha servido para protegê-lo de investigações da Operação Lava Jato.

Moreira Franco era secretário-executivo do governo e foi elevado ao status de ministro em 3 de fevereiro, dias depois da validação das delações premiadas de executivos da Odebrecht. Nessas delações, o peemedebista é citado dezenas de vezes.

Parte da argumentação de Celso de Mello vai na direção contrária à adotada por outro ministro da Corte, Gilmar Mendes, que em março de 2016 proibiu o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de assumir o cargo de ministro da Casa Civil da então presidente Dilma Rousseff, por entender que o ato tinha o objetivo de atrapalhar as investigações da Lava Jato. À época Lula já era um dos principais alvos da operação.

A decisão de Celso de Mello negou pedidos feitos pela Rede e pelo PSOL para que Moreira Franco fosse impedido de virar ministro. Nas ações, as legendas acusaram Temer de agir com “desvio de finalidade” — a nomeação não serviria para melhorar a administração pública, mas para dar foro privilegiado a alguém citado (mas não investigado) em delação premiada de um ex-diretor da Odebrecht.

A semelhança entre os casos de Moreira Franco e Lula foi mencionada pelos próprios partidos nas ações. No caso do petista, a iniciativa de contestar sua nomeação partiu do PPS.

Instância na Lava Jato

Não-ministros

Não têm foro privilegiado, ou seja, são investigados e julgados na primeira instância. No caso da Lava Jato, o juiz responsável pelos processos é Sergio Moro, considerado rápido e rigoroso. Foi responsável até agora por condenar 87 pessoas.

Ministros

Têm foro privilegiado, ou seja, são investigados e julgados sob o crivo do Supremo Tribunal Federal. Na Lava Jato, o relator atual do caso é Edson Fachin e os processos correm na 2ª Turma. Ninguém foi condenado até agora na operação pelo tribunal.

O que o conteúdo das decisões revela

A análise das decisões de Celso de Mello e de Gilmar Mendes reforça uma percepção de alguns pesquisadores sobre o Supremo, de que cada ministro tem um grande raio de ação para decidir individualmente sobre aspectos de outros Poderes, inclusive em direções opostas, o que contribui para erodir a autoridade da Corte.

Celso de Mello deve submeter sua decisão ao plenário do Supremo. A presidente da Corte, Cármen Lúcia, é responsável por pautar o assunto a fim de que seja apreciado pelos 11 ministros. Até o momento, contudo, não se sabe quando isso ocorrerá. 

Em 6 de fevereiro, os advogados de Lula pediram que a decisão liminar de Gilmar Mendes que vetou Lula no ministério também seja submetida ao conjunto dos ministros. Não para colocar o petista na Casa Civil — o que não é mais possível, já que Dilma não é mais presidente —, mas para, nas palavras de seus defensores, corrigir um “erro histórico”.

Apesar de a Rede e o PSOL terem utilizado como base a decisão de Gilmar Mendes sobre Lula, Celso de Mello optou por não fazer uma comparação direta entre os dois casos — há apenas uma breve menção ao caso do petista. Compare a decisão dos ministros nas duas ações.

O meio escolhido para as contestações

Tanto o PPS, no caso de Lula, como a Rede e o PSOL, no caso de Moreira Franco, utilizaram uma ação chamada mandado de segurança para pedir ao Supremo que invalidasse os atos que os nomearam ministros.

O mandado de segurança serve para casos urgentes, quando o direito em jogo é tão evidente que não é necessário realizar uma investigação ou ouvir a parte contrária.

Há uma discussão no mundo jurídico se partidos podem usar o mandado de segurança para defender direitos difusos, que afetam a sociedade como um todo. Nos casos de Lula e Moreira Franco, os direitos difusos alegados são a moralidade da administração pública e a capacidade de o Poder Judiciário investigar e punir quem comete crimes.

Ao julgar o caso de Moreira Franco, o ministro Celso de Mello afirmou que os partidos não podem usar o mandado de segurança para esse tipo de caso, mas apenas  para defender os direitos de seus filiados. Já o ministro Gilmar Mendes, ao decidir sobre Lula, afirmou que os partidos podem recorrer a essa ação.

“O plenário desta Suprema Corte (..) reconheceu que as instituições partidárias não dispõem de qualidade para agir, em juízo, na defesa de direitos difusos, pois, além de não existir autorização legal para tanto, o reconhecimento de tal prerrogativa em favor das agremiações partidárias, sem quaisquer restrições, culminaria por conferir a essas entidades a possibilidade de impugnarem qualquer ato emanado do Poder Público”

Celso de Mello

Ao decidir sobre a nomeação de Moreira Franco

“A presente ação testa os limites do mandado de segurança coletivo impetrado por partido político. (…) A oposição tem claro interesse em levar ao Judiciário atos administrativos de efeitos concretos lesivos a direitos difusos. E nosso sistema consagra a tutela de violações a direitos difusos como um valor a ser buscado. (…) Trata-se de uma via de defesa da ordem institucional que pode ser validamente desenvolvida e aceita”

Gilmar Mendes

Ao decidir sobre a nomeação de Lula

A comprovação do desvio de finalidade

Desvio de finalidade ocorre quando um agente público toma uma decisão que, à primeira vista, parece estar de acordo com as leis. Mas, na realidade, ela pretende alcançar um outro objetivo, ilícito.

Tanto nas ações contra Lula como contra Moreira Franco, os partidos argumentaram que houve desvio de finalidade nos atos que os nomearam ministros, pois o objetivo seria protegê-los da Lava Jato.

O ministro Celso de Mello afirmou, ao manter Moreira Franco no cargo de ministro, que quem acusa o presidente da República de desvio de finalidade precisa apresentar provas claras de que houve o intuito de obter um objetivo ilícito, que não atende ao interesse público.

Gilmar Mendes, ao suspender a nomeação de Lula, disse que não caberia a ele examinar se Dilma tinha ou não o objetivo de fraudar a lei, mas que era “autoevidente” que o ato servia para obstruir medidas judiciais contra o petista.

Ele também citou, em sua decisão, o diálogo telefônico entre Dilma e Lula no qual a presidente afirmava que enviaria a ele o termo de posse para ser usado “em caso de necessidade”. Lula respondia a inquérito e a frase foi interpretada, por alguns, como um sinal de que a nomeação serviria apenas para protegê-lo da força-tarefa no Paraná. O grampo foi posteriormente declarado ilegal pelo Supremo.

“Incumbe a quem imputa ao administrador público a prática desviante de conduta ilegítima a prova inequívoca de que o agente público, não obstante editando ato revestido de aparente legalidade, ter-se-ia valido desse comportamento administrativo para perseguir fins completamente desvinculados do interesse público. (…) Em decorrência do atributo da presunção de legitimidade e de veracidade que qualifica os atos da administração pública, impõe-se a quem os questiona em juízo o ônus processual de infirmar a veracidade dos fatos que motivaram sua edição, não lhes sendo oponíveis, por insuficientes, meras alegações ou juízos conjecturais deduzidos em sentido contrário”

Celso de Mello

Ao decidir sobre a nomeação de Moreira Franco

 

“A rigor, não cabe investigar aqui o dolo, a intenção de fraudar a lei. Não está em questão saber se a Presidente praticou crime, comum ou de responsabilidade. Não é disso que se cuida. (…) No caso concreto, a alegação é de que o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva teria sido empossado justamente para deslocar o foro para o STF (…) Havia investigações em andamento, que ficariam paralisadas pela mudança de foro (…) É muito claro o tumulto causado ao progresso das investigações, pela mudança de foro. E “autoevidente” que o deslocamento da competência é forma de obstrução ao progresso das medidas judiciais.”

Gilmar Mendes

Ao decidir sobre a nomeação de Lula

O foro privilegiado para obstruir a Justiça

Tanto as ações contra Lula como contra Moreira Franco argumentaram que a nomeação para ocupar um cargo com status de ministro deslocaria o foro onde tramitam investigações e ações penais, da primeira instância para o Supremo Tribunal Federal.

Segundo as legendas, isso teria como resultado o adiamento de eventuais investigações, no caso de Moreira Franco, ou denúncias, no caso de Lula, já que os casos teriam que ser assumidos pela Procuradoria-Geral da República e pelo Supremo, onde o trâmite é mais devagar do que o da primeira instância no Paraná.

Ao decidir sobre Moreira Franco, Celso de Mello afirmou que nomear alguém para ministério não atrapalha as investigações e ações penais. Para Gilmar Mendes, ao vetar Lula na Casa Civil, a atribuição de foro privilegiado poderia adiar a análise de casos e atrapalhar a colheita de provas.

“A nomeação de alguém para o cargo de ministro de Estado (..) não configura, por si só, hipótese de desvio de finalidade (…), eis que a prerrogativa de foro (…) não importa em obstrução e, muito menos, em paralisação dos atos de investigação criminal ou de persecução penal. (…) Perante o Supremo Tribunal Federal, não receberá qualquer espécie de tratamento preferencial ou seletivo, uma vez que a prerrogativa de foro não confere qualquer privilégio de ordem pessoal a quem dela seja titular”

Celso de Mello

Ao decidir sobre a nomeação de Moreira Franco

 

“Não se nega que as investigações e as medidas judiciais poderiam ser retomadas perante o STF. Mas a retomada, no entanto, não seria sem atraso e desassossego. O tempo de trâmite para o STF, análise pela PGR, seguida da análise pelo relator e, eventualmente, pela respectiva Turma, poderia ser fatal para a colheita de provas, além de adiar medidas cautelares. Logo, só por esses dados objetivos, seria possível concluir que a posse em cargo público, nas narradas circunstâncias, poderia configurar fraude à Constituição”

Gilmar Mendes

Ao decidir sobre a nomeação de Lula



Metamorphose, uma distribuição Linux brasileira que há 11 anos facilita a vida do usuário

13 de Fevereiro de 2017, 12:57, por Feed RSS do(a) Bertoni - 0sem comentários ainda

O Metamorphose é uma distribuição Linux brasileira desenvolvida há 11 anos com o objetivo de facilitar a vida dos usuários iniciantes.

Metamorphosefaixa

Desenvolvido por o Ailton N. de Matos, atualmente o Metamorphose é um sistema operacional baseado no Debian 9 (Stretch).

Seu desenvolvimento começou no ano de 2006, então baseado no saudoso Kurumin Linux, desenvolvido por Carlos Morimoto.

A primeira versão oficial do Metamorphose Linux foi lançada em 2008, logo após a descontinuidade do desenvolvimento do Kurumin, em 2007.

No início o Metamorphose lembrava bastante o sistema do Morimoto, herdando inclusive o Centro de Controle do Kurumin, conhecido popularmente por Ícones Mágicos, um conjunto de scrpits e ferramentas que automatizam os passos necessários para realizar a instalação e a configuração inicial dos programas, facilitando a vida de usuários iniciantes do sistema operacional Linux.

Com o objetivo de ser simples, completo e com um visual agradável para usuários iniciantes ou avançados, o Metamorphose Linux conta com uma das maiores compatibilidades de hardware e software da atualidade, focando sempre em compatibilidade de arquivos, produção e entretenimento.          

Características do Metamorphose Linux

Uma distribuição flexível tanto para os iniciantes quanto para os veteranos

Gratuito

O Software Livre e de Código Aberto garante aos usuários o direito de  Executar Estudar  Copiar e  Modificar  os programas.

Seguro

Metamorphose Linux é seguro, estável e imune às ameaças virtuais, com atualizações e correções periódicas do sistema, tornando o Metamorphose Linux compatível com novidades tecnológicas e baseado no Debian 9 (Stretch), tendo assim repositórios confiáveis.

Desktop simples

Bonito e direto, altamente personalizável,  com efeitos suáveis, que são capazes rodar em placas de vídeo com  aceleração gráficas modestas. O Metamorphose sempre se preocupa com a facilidade do sistema para seus usuários, tanto na do instalação do sistema, programas, multimídia ou configurações.

Aproveite e veja esta rara entrevista concedida por Carlos Eduardo Morimoto à InfoMedia.



Revolução de direita

9 de Fevereiro de 2017, 18:46, por Feed RSS do(a) Bertoni - 0sem comentários ainda

O que vemos nas ruas do centro do Rio de Janeiro, pela enésima vez, nada mais que é uma verdadeira revolução da direita contra o povo e seu país.

Mais uma vez a Polícia Militar ataca violentamente seus colegas de funcionalismo que lutam para tentar manter o estado do Rio de Janeiro servindo ao povo. Já a PM abertamente atende aos interesses do capital que quer se apossar da água do estado e controlar ainda mais a vida da pessoas.

Novamente, bombas e mais bombas, avaliadas em cerca de R$ 800,00 cada, são lançadas a esmo contra Trabalhadores e Trabalhadoraas desarmados que tudo o que querem é receber seus salários atrasados e manter o serviço de água e saneamento sob o controle do estado, porque a direita de Temer, Pezão e da cleptocracia quer privatizar a Cedae - Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro, uma empresa estatal lucrativa.

O cenário é de guerra. A PM ataca violentamente e os manifestantes se defendem como podem.

O capital resolveu tirar as máscaras de vez e atacar os Trabalhadores que, atônitos, acreditam nos meios de comunicação patronais, acabam se colocando contra os manifestantes, que os defendem, e assumindo o lado da Repressão Policial, instrumento do capital.

É a Revoluçao de Direita em curso!

Repressão Policial
Garotos Podres

Repressão policial
Instrumento do capital!
Repressão policial
Terrorismo oficial!

Cão, cavalo, cassetete,
Bomba de efeito imoral,
Gás, escudo, capacete,
Instrumentos do capital

Repressão policial
Instrumento do capital!
Repressão policial
Terrorismo oficial!

Instrumento de opressão,
Que mantém o sistema,
Que castiga o mais generoso
Com a perseguição
O trabalhador com a fome
E a miséria de seus filhos

Repressão policial
Instrumento do capital!
Repressão policial
Terrorismo oficial!



Moraes Moreira: Lá vem o Brasil descendo a ladeira 2017

9 de Fevereiro de 2017, 10:29, por Feed RSS do(a) Bertoni - 0sem comentários ainda

Do Twitter de rodrigo vianna ‏@rvianna

Dois ministros... Uma sentença.

Moraes moreira

Lá Vem o Brasil Descendo a Ladeira

Quem desce do morro
Não morre no asfalto
Lá vem o Brasil descendo a ladeira
Na bola, no samba, na sola, no salto
Lá vem o Brasil descendo a ladeira
Na sua escola é a passista primeira
Lá vem o Brasil descendo a ladeira
No equilíbrio da lata não é brincadeira
Lá vem o Brasil descendo a ladeira

E toda cidade que andava quieta
Naquela madruga acordou mais cedo
Arriscando um verso, gritou o poeta
Respondeu o povo num samba sem medo
Enquanto a mulata em pleno movimento
Com tanta cadência descia a ladeira
A todos mostrava naquele momento
A força que tem a mulher brasileira



Marchinha de carnaval: Não dá pra catar tucano

8 de Fevereiro de 2017, 23:58, por Feed RSS do(a) Bertoni - 0sem comentários ainda



Espírito Santo, de referência a emergência - Entrevista com Renan Theodoro

8 de Fevereiro de 2017, 17:29, por Feed RSS do(a) Bertoni - 0sem comentários ainda



PM do Paraná a serviço dos patrões da Casagrande reprime manifestantes

7 de Fevereiro de 2017, 0:47, por Feed RSS do(a) Bertoni - 0sem comentários ainda

Nos chegam notícias de que a Polícia Militar do Paraná não teve dúvidas em abrir fogo contra manifestantes que protestavam contra o abusivo aumento de 14,87% nas tarifas de ônibus promovido pela administração de Rafael Richa aliado de Beto Grega, ooops, Rafael Grega aliado de Beto Richa.

O tratamento dado pela PM aos manifestantes que protestavam contra os R$ 0,55 centavos de aumento na tarifa, que passou de R$ 3,70 para R$ 4,25 hoje, fala alto sobre os verdadeiros objetivos das manifestações de julho de 2013 na capital paranaense. A PM então quase não aparecia naqueles protestos e quando presente acabava fazendo as vezes de segurança do evento.

Este blogueiro acompanhou várias manifestações de 2013 e viu que ali tinha algo mais que um simples protesto de estudantes e usuários revoltados com o aumento das tarifas do transporte público.

Foram naquelas manifestações de junho-julho que surgiram as primeiras palavras de ordem fascistas, que viriam a tomar conta das manifestações verdeamarelas que pediram a derrubada de Dilma e apoiaram o Golpe de Estado de 2016 desferido pelos cleptomaníacos.

Dado o Golpe, retirado o Partido do Trabalhadores do governo federal e desmoralizado o povo e os movimentos que o defendem, a tigrada da tortura e do retrocesso político, econômico e social se acha a vontade para reprimir quem protestar contra seus amiguinhos e protegidos.

A PM faz o papel de capitão do mato, escravos libertos que perseguem seus irmãos escravizados para poroteger o patrão da Casagrande que os escravizou a vida toda.

E enquanto as PMs, a serviço do golpe da Casagrande em todos os estados do país, gastam suas energias, bombas e balas reprimindo manifestações pacíficas, a bandidagem do PCC faz a festa em todas as esferas de governo e aterrorizam as cidades onde tudo já está dominado.

Na foto vemos soldados da RONE disparando contra manifestantes que se encontravam na Av. Visconde de Guarapuava no centro da capital dos paranaenses

pm pr 06022017

Leia também:

Consequências do Golpe

São Paulo de Dória é o reino da loucura!



São Paulo de Dória é o reino da loucura!

27 de Janeiro de 2017, 12:58, por Feed RSS do(a) Bertoni - 0sem comentários ainda

Sinceramente?

Era fácil ser maluco em tempos normais.

Mas tá difícil ser normal em tempos malucos.

Doria pichacao 23 de maio mural kobra rep

O prefake de São Paulo, Doria Grey, manda destruir os murais na Av. 23 de Maio, pintando-os de cinza, o que certamente deixou a capital dos paulistas ainda mais feia.

Aí, três manos vão lá e picham "Resistir!" e são presos pela PM?

Se é pobre é vândalo?

E o vândalo mor que mandou apagar o mural, pintando-o de cinza, está de boas?

Até quando paulistanos, paulistas e brasileiros seguirão suportando tais idiotices?

Até quando esperar

A plebe ajoelhar

Esperando a ajuda do divino Deus? *

O que mais precisa acontecer nesta porra de país para o povo se levantar e reagir a toda bárbarie imposta pelos malditos capitalistas?

O que mais?

Leia Também:

A Barbárie de uma elite sem cultura e ignorante que os cinzas de Dória tão bem representam

João Doria e a voz do grafite

Grafiteiros retomam seu Trabalho. Agora contra o prefake de São Paulo

* Versos da canção Até quando Esperar da Plebe Rude



Marginais de SP tem um acidente a cada 4 horas depois do aumento do limite de velocidade

27 de Janeiro de 2017, 11:59, por Feed RSS do(a) Bertoni - 0sem comentários ainda

Marginal tiete

Recorro a uma notícia do PiG, Partido da imprensa Golpista, já que, no funfo no fundo, é nele que coxinhas e mortadelas acreditam.

Pois bem, segundo a turma da Globo, a grande promessa Doriana de aumentar a velocidade nas marginais de Sampa dá seus resultados imediatos, conforme previsto por todas as pessoas de bom senso, o que não é o caso do próprio PiG que apoiou Dória e os eleitores paulistanos que adoram se ferrar nas mãos dos tucanos.

Confira o texto do G1.com:

"As marginais Pinheiros e Tietê, na capital paulista, registraram nove acidentes 36 horas após o início aumento das velocidades máximas nas vias, segundo o SPTV. Até 19h de quarta-feira (25) foram registrados 5 acidentes, com duas pessoas machucadas. Na manhã desta quinta-feira (26), foram três acidentes. No início da tarde, havia um acidente.

Em 2016, após a redução das velocidades nas marginais, o número de mortes na Tietê e na Pinheiros caiu 57,14%."

Quem elegeu Ademar de Barros, Celso Pita, Gilberto Kassab, Jânio Quadros, José Serra, Paulo Maluf, Prestes Maia, etc, parece gostar de se ferrar na mão dos direitistas e reacionários. Por isso elegeu Dória para a prefeitura e mantém os tucanos no governo estadual há quase 3 décadas. Né não?