Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

Tela cheia
 Feed RSS

Blog do Bertoni

26 de Maio de 2009, 21:00 , por Desconhecido - | No one following this article yet.

A academia e a fábrica de carburadores

16 de Janeiro de 2017, 10:20, por Feed RSS do(a) Bertoni - 0sem comentários ainda
Esta é uma peça de ficção e qualquer semelhança com fatos relacionados à produção de artigos científicos é mera coincidência
 
 
Wikimedia Commoms
Fabrica

Chegou de um reino distante a ideia de construir uma fábrica de carburadores, prova cabal de avanço e sofisticação

Era uma vez um reino distante. Seus habitantes viviam da exploração das coisas da terra e da dilapidação dos recursos do Estado. Vez por outra, lançavam-se em aventuras modernizantes, emulando, entusiasmados, os esforços civilizatórios de reinos de além-mar.

Caracterizava as altas castas locais o deslumbramento com o estrangeiro. Conceitos débeis e práticas esdrúxulas aportavam com frequência no reino distante: das modas de vestir às modas de ouvir, dos modos de pregar aos modos de orar, das coisas do comércio às coisas do prazer.

Assim chegou ao reino distante a ideia de construir uma fábrica de carburadores, tida como prova cabal de avanço e sofisticação. Tratadas como de interesse nacional pela corte e seus séquitos, as obras avançaram celeremente. Recursos foram alocados, gestores contratados e operários treinados. 

Inaugurada com pompa e circunstância, a incrível fábrica iniciou a produção, gerou empregos e muito mais. A corte local logo percebeu que não bastava fabricar carburadores. Um reino moderno, verdadeira sociedade do conhecimento, deveria ir além dos modos e costumes do mundo da manufatura. Foram criados centros de pesquisa, colóquios e revistas científicas. A missão era inovar e ser referência mundial em carburadores.

Todos os anos, os grandes estudiosos dos carburadores reuniam-se por uma semana nos melhores hotéis de praia ou montanha. Ali discutiam seus mais recentes avanços, cumprimentavam-se por descobertas e agraciavam-se com prêmios e honrarias.

As revistas científicas cresceram e se multiplicaram, especializando-se em materiais, tecnologia e processos produtivos. Números especiais de grande repercussão foram dedicados à influência da cultura organizacional sobre a eficiência do filtro de ar e ao impacto da intersubjetividade de gênero sobre o circuito de água no coletor. Um texto tratando da apreciação crítica da política de horas extras à luz de Habermas e Foucault foi alvo de polêmicas e originou dois simpósios específicos.

Os primeiros anos foram de regozijo e autocongratulações. Afinal, o reino agora se igualava às grandes potências mundiais. A tranquilidade e a felicidade aos poucos deram lugar, entretanto, a turbulências e preocupações. Um grupo de oposição logo se articulou, o MSC, Movimento dos Sem Carburadores. Seus aguerridos membros pintaram faixas, criaram slogans, fizeram piquetes e ameaçaram invadir a incrível fábrica. Seu líder, carismático e combativo, argumentava que a maior parte da população do reino não podia sequer sonhar em comprar um carburador.

Mais vozes críticas surgiram, ocuparam mídias sociais e blogs a denunciar a má qualidade dos carburadores e a baixa produtividade da incrível fábrica. Acuada, a alta gestão da fábrica mobilizou-se, consultou renomados gurus internacionais e implantou um choque de gestão: estabeleceu metas, criou indicadores e implantou modernos métodos de avaliação de desempenho. Para incentivar os funcionários, foram estabelecidos prêmios de produtividade.

A reação inicial foi adversa. Gestores advertiram que boicotariam o novo sistema. Operários ameaçaram entrar em greve e parar a produção. Em pouco tempo, porém, venceu o secular conformismo, tão característico daquele reino distante. E todos se adaptaram às novas práticas. A produtividade aumentou e a incrível fábrica passou a bater recordes de produção. Nunca naquele país foram produzidos tantos carburadores.

No entanto, um detalhe passou despercebido, não havia por ali veículos que usassem carburadores. Por isso, toda a produção da incrível fábrica passou a ser transportada para imensos armazéns erguidos com urgência para guardar os estoques.

Como não havia receita de vendas e funcionários e fornecedores precisavam ser pagos, a alta gestão da incrível fábrica começou a tomar empréstimos com os agiotas do reino distante, tipo que lá havia em profusão. Nesse momento, um vice-rei, movido pelos mais altos interesses, decidiu intervir.

Plenamente amparado pelos poderes constituídos, criou um imposto especial para garantir a perenidade da incrível fábrica, que continuou a operar e produzir carburadores.

E assim, cientistas e operários, agiotas e gerentes viveram todos felizes para sempre.

 
Leia também


Parabéns aos paneleiros, governo dos golpistas vai limitar acesso à internet

13 de Janeiro de 2017, 11:59, por Feed RSS do(a) Bertoni - 0sem comentários ainda

Ministro confirma que limite de dados na internet fixa será aplicada no Brasil no segundo semestre de 2017


Em dezembro do ano passado Juarez Quadros, novo presidente da Anatel, que assumiu o posto depois que o polêmico João Resende renunciou, disse que a proibição da aplicação da franquia de dados na internet fixa permaneceria por muito tempo. Infelizmente esse muito tempo é bem menos do que todos imaginavam. 

Gilberto Kassab, que assumiu em maio de 2016 o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, disse em entrevista ao Poder360, que a aplicação da franquia de dados na internet fixa começará a valer a partir do segundo trimestre de 2017. Isso retoma toda aquela conversa em relação aos problemas que os usuários terão que lidar para desfrutar de serviços como os de streaming de vídeo com um plano de franquia. 

Kassab diz que o objetivo é beneficiar o usuário, e que a ideia é que o serviço seja o mais elástico possível, mas que tenha um ponto de equilíbrio, porque as empresas têm os seus limites. "A empresa tem 1 limite e o consumidor tem 1 sonho: que seja ilimitado ao infinito. E cabe ao governo, cabe a Anatel, definir esse ponto de equilíbrio".

O Ministro também disse que haverá um período de adaptação em que os usuários terão o limite no pacote de consumo. Isso funcionará como uma espécie de termômetro para que o governo e as operadoras possam identificar a reação dos usuários.  Quando questionado se há um temor que o governo seja taxado como o limitador de acesso, Kassab diz que não, e que o governo estará sempre ao lado do usuário, e que o problema não é a redução, é ponto de equilíbrio.

Vale relembrar que a própria Anatel no ano passado, através de um relatório, admitiu que comparando com outros países (Portugal, Chile, Austrália, Inglaterra, Canadá e Estados Unidos), não é possível afirmar que "era da internet ilimitada" está chegando ao fim, e que a aplicação da franquia de dados prejudicaria principalmente as camadas mais populares, que tem menos poder de compra, já que a banda larga compromete 15% do salário mínimo do Brasileiro, e com a necessidade de adquirir novos pacotes para continuar trafegando normalmente esse percentual obviamente será maior. 

O discurso é alterado de acordo com o momento, provavelmente agora a Anatel irá apresentar mil razões para mostrar que a aplicação da franquia de dados não será tão ruim assim.



Como é lindo pagar IPTU numa cidade de alienados

10 de Janeiro de 2017, 23:52, por Feed RSS do(a) Bertoni - 0sem comentários ainda

Iptu 2017 cwb

Hoje recebi o carnê do IPTU de Curitiba. Na terceira folha do carne leio:

MENSAGEM

Prezado contribuinte,
Comunicamos que o Imposto Predial e Territorial Urbano − IPTU para o exercício 2017 foi corrigido da seguinte forma:
•  Imóveis com edificação (casas, apartamentos, salas comerciais e outros):
6,99% (seis virgula noventa e nove por cento), correspondente à correção monetária pelo IPCA acumulado no período de dezembro de 2015 a novembro de 2016 + 4,0% (quatro por cento) = 10,99%.
•  Imóveis sem edificação (terrenos):
6,99% (seis virgula noventa e nove por cento), correspondente à correção monetária pelo IPCA acumulado no período de dezembro de 2015 a novembro de 2016 + 7,0% (sete por cento) = 13,99%.
Observações:
− Os percentuais acima foram aplicados sobre o valor lançado do IPTU 2016, com base no disposto na LeiComplementar nº 91/201.
− Os limites de acréscimo discriminados não se aplicam aos imóveis que sofreram algum tipo de alteração em seus dados cadastrais.
− Os valores venais dos imóveis foram atualizados tendo por base a Planta Genérica de Valores aprovada pela Lei Complementar.

Que maravilha. Aumentaram 4% (imóveis com edificações) e 7% (imóveis sem edificações) acima da inflação sem nenhuma justificativa. Aumentaram e pronto. Para que explicar?

Os vereadores, eleitos para representar o povo e que na real só representam os interesses do prefeito e da corja que manipula as verbas públicas municipais, aumentaram lá na lei nº 91/201. Dane-se o eleitor e contribuinte. Dane-se o cidadão de bem.

Os cidadãos da ilusória República de Curitiba que batem no peito e dizem "aqui se cumpre a lei" calam-se diante deste inexplicável aumento de impostos municipais. Calam-se porque o aumento beneficia a bandalheira da turma do Richa e seu novo fiel escudeiro Greca. Calam-se porque, paneleiros, colocaram no governo federal um bando de ilegítimos governantes cleptomaniacos em nome de um suposto combate a corrupção.

Só os anormais não veem que toda a indignação dos paneleiros nada tinha a ver com corrupção, mas tão somente com o ódio de classe dessa gente desclassificada que se acha informada porque lê veja e assiste o jn da globo.

O mais legal nisso tudo é que o governo federal golpista que os paneleiros ajudaram a colocar em brasília, estabelece um limite dos gastos públicos que beneficiam a população, mas não limita os aumentos de impostos, pois estes beneficiam os corruptos. E os paneleiros que diziam ser contra o aumento de impostos, se calam novamente.

Se calam porque fizeram uma besteira sem tamanho em nome de uma racionalidade que só se justifica em sua ignorância e burrice preconceituosa e excludente.



Putin ordena que chefes da espionagem da Rússia encontrem os mandantes do assassinato do embaixador na Turquia

20 de Dezembro de 2016, 19:03, por Feed RSS do(a) Bertoni - 0sem comentários ainda

Logo após o assassinato de Andrey Karlov, embaixador russo na Turquia, o presidente russo Vladimir Putin convocou uma reunião urgente de seus principais assessores de política externa e de inteligência.

O encontro aconteceu ontem, 19 de dezembro de 2016, no Kremlin, e contou com a presença de Putin, presidente russo, Seguei Lavrov, ministro das Relações Exteriores, Sergey Naryshkin, chefe da SVR (Serviço de Espionagem Exterior) e Alexander Bortnikov, chefe da FSB (Serviço Federal de Segurança Nacional).

A nota publicada pelo Kremlin após a reunião dá uma idéia de qual será a resposta imediata da Rússia ao assassinato do embaixador:

Este crime é inegavelmente uma provocação destinada a desestabilizar a normalização das relações russo-turcas e o processo de paz na Síria, que é ativamente promovido pela Rússia, Turquia, Irã e outros países interessados ​​na resolução do conflito interno na Síria.

Só pode haver uma resposta - intensificar a luta contra o terrorismo.

O Comitê de Investigação da Rússia já iniciou a investigação do assassinato e foi encarregado de formar um grupo de trabalho que irá prontamente para Ancara participar das investigações deste crime, juntamente com parceiros turcos. Devemos descobrir quem dirigiu a mão do assassino.

A segurança deve ser reforçada nas missões diplomáticas russas na Turquia, na embaixada e em outras missões. O lado turco deve fornecer garantias de segurança nos escritórios diplomáticos russos, em conformidade com a Convenção de Viena sobre Relações Diplomáticas.

O conteúdo da nota marca a diferença entre a maneira como os russos lidam com esses tipos de atentados terroristas e como certos países ocidentais - principalmente os EUA e Israel - o fazem.

A resposta clássica ocidental a um assassinato desse tipo é a ação militar.

Em 1982, Israel usou uma tentativa de assassinato de Shlomo Argov, o embaixador de Israel na Grã-Bretanha, como pretexto para iniciar a invasão do Líbano, onde pretendia destruir a OLP (Organização de Libertação da Palestina).

Em 1986, os EUA bombardeando a Líbia como resposta ao assassinato de dois militares norteamericanos, mortos durante um ataque à discoteca La Belle, em Berlim Ocidental.

Em 2001, os EUA responderam aos ataques terroristas de 11 de Setembro invadindo o Afeganistão e depois destruindo o Iraque.

Em novembro de 2015, a França respondeu aos ataques em Paris bombardeando Raqqa.

Em 2016, os russos tratam os ataques deste tipo como uma "provocação" destinados a desestabilizar a perseguição de seus objetivos ("a normalização das relações russo-turcas e o processo de paz na Síria").

A partir do momento em que classificam o ataque como uma "provocação", passam a ter cuidado para não serem provocados a fazer o que eles acreditam que os terroristas querem que eles façam.

Diferentemente de Angela Merkel, a chefona alemã, que se apressou em qualificar o atropelamento de uma feira natalina por um caminhão (ocorrido em Berlim na mesma data) como um atentado terrorista sem ainda ter provas para tanto, os russos abrem uma investigação do crime cometido contra seu embaixador.

Descarta-se, portanto, uma resposta militar neste primeiro momento.

Para surpresa dos analistas internacionais, a resposta do presidente Putin ao assassinato de A. Karlov não foi convocar Serguei Shoigu, ministro da Defesa da Rússia, nem os demais chefes militares do país. Ao contrário, se reuniu com o ministro russo da Relações Exteriores, e os chefes dos serviços de espionagem e segurança da Rússia.

Em vez de identificar o ataque como um ato de guerra (que por sinal é o que legalmente é um assassinato de um embaixador), o presidente Putin classifica como "crime" e como tal deve ser investigado.

Ao invés de culpar os turcos por permitir que isso aconteça em seu território e ameaçá-los com toda sorte de conseqüências terríveis, o presidente russo pede a criação de um "grupo de trabalho" que em conjunto com as autoridades turcas buscarão identificar e localizar os responsáveis pelo assassinato.

Desta forma, a soberania e o orgulho da Turquia são respeitados.

Além dessas medidas, Putin chamou seus chefes de segurança para reforçar a segurança dos diplomatas russos (e sem dúvida de suas famílias) na Turquia.

Embora os comentários de Putin impliquem que a investigação está sendo realizada pelo Comitê de Investigação da Rússia - uma agência policial e de aplicação da lei mais ou menos análoga ao FBI dos EUA, o fato dele se reunir com os chefes dos serviços de espionagem exterior e segurança nacional - Naryshkin e Bortnikov - mostra que, na realidade, são as agências russas de espionagem exterior e segurança nacional  - a SVR e a FSB - a quem se dá a tarefa de localizar quem ordenou o assassinato.

Não descarta-se, contudo, a possibilidade do assassino ter agido sozinho.

Caso se comprove que o assassinato foi resultado de uma conspiração e que outras pessoas participaram de sua preparação e execução, não se deve excluir a possibilidade de uma brutal reação russa.

No entanto, o contraste entre a resposta imediata russa ao assassinato do embaixador e a típica resposta ocidental é impressionante.

Em situações deste tipo, as potências ocidentais (EUA e Israel em especial) usam fuzis e bombas, os russos usam as lupas dos serviços secretos...



Europa pode embarcar na 3ª Guerra Mundial: Embaixador russo assassinado na Turquia

19 de Dezembro de 2016, 18:02, por Feed RSS do(a) Bertoni - 0sem comentários ainda

Andrei Karlov, embaixador da Rússia na Turquia, foi morto por um atirador enquanto visitava uma galeria de arte em Ancara, capital turca, segundo o Ministério das Relações Exteriores russo. Karlov

O responsável pelo ataque gritou "Allahu Akbar" ("Alá é grande"), de acordo com um fotógrafo da agência de notícias AP que estava presente no local. 

O atirador foi morto no local por forças de segurança, de acordo com a imprensa turca. Segundo o site britânico Independent, ele foi identificado pelo Ministério das Relações Exteriores da Turquia como Mevlut Mert Altintas. O atirador tinha 22 anos e trabalhava para uma tropa de choque da polícia de Ancara nos últimos dois anos e meio.

Assassino do embaixador russo O assassinato de Andrei Karlov, nos leva a fazer um paralelo com o fato ocorrido em 28 de junho de 1914, quando o assassinato do arquiduque Francisco Fernando da Áustria, o herdeiro do trono da Áustria-Hungria, pelo nacionalista iugoslavo Gavrilo Princip, em Sarajevo, na Bósnia, foi o gatilho imediato daquela que viríamos a conhecer como Primeira Guerra Mundial.

Na época as políticas imperialistas das grandes potências da Europa, como o Império Alemão, o Império Austro-Húngaro, o Império Otomano, o Império Russo, o Império Britânico, a Terceira República Francesa e a Itália, visavam uma redivisão da riqueza e do poder no mundo, tal qual acontece nestes tristes dias de 2016. A agravante agora é que EUA e Rússia, entre outras potências bélicas, possuem armas nucleares com poder de destruição do planeta em pouquíssimo tempo.

Resta saber se Putin conseguirá reagir corretamente a esta clara provocação das demais potênciais ocidentais e deter os belicistas russos que certamente reivindicarão a vingança ao embaixador morto.

E se conseguir detê-los, por quanto tempo o logrará fazer?

Acaba 2016, acaba, mas não em guerra!



A reconstrução da Chapecoense nunca vai apagar a enorme dor

19 de Dezembro de 2016, 11:18, por Feed RSS do(a) Bertoni - 0sem comentários ainda

Nilo Traesel, antigo presidente do clube brasileiro, é dentista e vive em Portugal há 18 anos. Acredita que a Chape se vai reerguer da tragédia, mas descarta estrelas como RonaldinhoChape 

Nilo Traesel, antigo presidente da Chapecoense, viveu na madrugada de 29 de novembro um autêntico pesadelo quando recebeu a notícia de que o avião que transportava a equipa tinha caído na Colômbia, onde iria defrontar o Atlético Nacional no jogo de ida da final da Copa Sul-Americana. Não podia ser verdade, afinal o clube estava vivendo o momento mais alto da sua história.

Foi em Caldas da Rainha, Portugal, onde vive e trabalha como dentista, que despertou para a dura realidade. "O mais curioso é que sempre tive muito receio de que isto um dia pudesse acontecer. Não tenho explicação para este meu sentimento. Quando era presidente nunca viajava com os jogadores, ia sempre no meu carro, e a primeira coisa que fazia às segundas-feiras de manhã era perguntar se a viagem da equipa tinha corrido bem", contou ao jornal português Diário de Notícias.

A tragédia acabou por ser bem mais dramática, pois 71 dos 77 passageiros a bordo do avião da LaMia morreram. "Perdi 35 amigos que praticamente considerava como irmãos, e não estou falando de jogadores. Ainda não consegui assimilar bem o que aconteceu. Nas últimas semanas estive muito mal, não tinha condições sequer para dirigir", desabafou Nilo Traesel, que está em Portugal há 18 anos.

À distância, Nilo tem-se mantido a par da reconstrução da sua Chapecoense, que na última sexta-feira elegeu Plínio David de Nês como novo presidente do clube. "Ele era o presidente do Conselho Deliberativo e era para ter viajado naquele avião, mas decidiu acompanhar o prefeito de Chapecó, Luciano Buligon, numa viagem a São Paulo, e de lá seguiriam para Medellín", lembra Nilo Traesel, recordando que o amigo Plínio foi um parceiro importante quando liderava o clube: "Fui presidente da Chapecoense em 1995 e 1996 e, na altura, só o patrocínio da empresa dele pagava todos os salários."

Neste processo de reconstrução do clube, muito se tem falado em nomes sonantes para reforçar o plantel, algo que Nilo Traesel nem quer ouvir falar. "O clube precisa de jogadores que querem aparecer e crescer no clube. Falou-se no Ronaldinho Gaúcho, mas sei que não há qualquer interesse... nem de borla. Nem Riquelme nem Kaká... Precisamos de jogadores que sintam a camisa e que queiram crescer na carreira", assumiu, mostrando-se muito otimista em relação ao futuro do clube. "O pessoal da direção não se dobra perante a tragédia. O processo de reconstrução não está a ser difícil. A Chapecoense tem o suporte das empresas da região e tem uma estrutura invejável, apesar de se tratar de um clube pequeno no Brasil", sublinhou.

As promessas de apoio que surgiram nos dias que se seguiram ao acidente "estão a deixar o presidente chateado", pois "foram promessas muito vagas". "Alguns clubes brasileiros ofereceram jogadores, mas só para se livrarem deles e dos seus salários. É muito frustrante. A Chapecoense precisa de carinho e de apoio palpável, não de sentimentalismos", explicou, admitindo que "a reconstrução da Chapecoense nunca vai apagar a enorme dor e a imagem dos caixões no gramado".

Recordar as vítimas como heróis

Nilo Traesel acredita que o clube "vai continuar a crescer", até porque, "além da simpatia mundial após a tragédia, tem também uma base de apoio que vai muito além da cidade de Chapecó ou do estado de Santa Catarina, pois é bastante apoiado nos estados vizinhos do Paraná e do Rio Grande do Sul". Ainda assim, admite que "alguns adeptos não vão tão cedo ao estádio porque aquele gramado está manchado de sangue", por isso considera que é preciso "fazer o luto completo para que tudo regresse à normalidade o mais rapidamente possível".

E a normalidade tem que ver com o regresso dos jogos ao estádio, com a nova época no início do novo ano. "Não devemos fazer da tragédia um drama. É preciso lembrar as vítimas com carinho e recordá-las como heróis", sublinhou.



Rússia: 33 pessoas morreram por ingerirem loção corporal

19 de Dezembro de 2016, 11:02, por Feed RSS do(a) Bertoni - 0sem comentários ainda

Mais de 50 pessoas foram levadas para o hospital em Irkutsk Não beba

As autoridades sanitárias russas anunciaram hoje que pelo menos 33 pessoas morreram em Irkutsk, cidade siberiana, por envenenamento com metanol - uma substância usada como anticongelante - depois de beberem uma loção para o corpo.

As autoridades russas imvestigam o caso e duas pessoas foram detidas. Foram também confiscados mais de 500 litros do líquido tóxico em vários mercados da mesma cidade.

Cinquenta e quatro pessoas foram levadas aos hospitais de Irkutsk - a sexta maior cidade russa, com 1,1 milhões de habitantes -, depois de consumirem a substância tóxica e 33 morreram, de acordo com uma fonte da comissão de investigação.

De acordo com as autoridades, o produto com metanol indicava claramente no rótulo que não devia ser ingerido.

Perfumes baratos e tonificantes faciais com álcool são vendidos na Rússia sem as restrições aplicadas à venda de bebidas alcoólicas. São, em regra, as pessoas mais desfavorecidas que recorrerem àquele tipo de substâncias.



Portas entre Brasil e Portugal já existem, mas precisam ser abertas

19 de Dezembro de 2016, 10:48, por Feed RSS do(a) Bertoni - 0sem comentários ainda

Foto: André Kosters/Lusa

O primeiro-ministro, Antônio Costa, que visitou Minas Gerais e se encontrou com o Governador Fernando Pimentel, afirmou que a boa relação entre o Brasil e Portugal precisa de passar das palavras aos atos.

"Há muitos anos que dizemos que o Brasil é nossa porta de entrada para o Mercosul. No Brasil, também dizem que Portugal é uma porta de entrada para a União Europeia, mas as portas só são úteis quando são utilizadas. Acho que é hora de abrirmos estas portas", disse.

Antônio Costa, que almoçou com o governador mineiro em Belo Horizonte, comentou que o sistema de mobilidade urbana baseado no uso de carros elétricos desenvolvido em parceira por instituições de Portugal e Brasil é um exemplo da relação futura que deve ser perseguida entre os dois países.

"Neste regresso de Brasília a Lisboa fiz questão de fazer uma presença [em Belo Horizonte]. Minas Gerais é o estado [do Brasil] onde a federação industrial deu passos mais significativos para passarmos das palavras aos atos dentro desta ideia de que Portugal é a porta de entrada [do Brasil] na União Europeia. Tais portas já existem, mas precisam ser abertas", salientou.

Num encontro com empresários também na capital de Minas Gerais, o primeiro-ministro lembrou que "As relações econômicas entre Brasil e Portugal intensificaram-se nos últimos anos, mas ainda estão muito aquém do que gostaríamos". Hoje Portugal é o 40.º mercado do Brasil, ocupando o 38.º lugar na lista de seus principais fornecedores. Já o Brasil é o 10.º mercado e o 11.º fornecedor de Portugal.

Fazendo um balanço da sua visita ao Brasil, Antônio Costa enumerou três momentos importantes.

"O primeiro momento foi a cúpula da CPLP, que marcou o regresso do Brasil à linha de frente da CPLP, com a passagem da presidência do bloco [para o Brasil]. Também foi importante porque aprovâmos a estratégia [do bloco] para os próximos 10 anos", referiu, explicando que os outros dois momentos destacados foram uma série de reuniões bilaterais com representantes do governo federal brasileiro e a parceria com o Estado de Minas Gerais nos projetos do carro elétrico.



Olha só! Ele não é do PT: Malafaia é alvo de condução coercitiva por suspeita de lavagem de dinheiro

16 de Dezembro de 2016, 10:18, por Feed RSS do(a) Bertoni - 0sem comentários ainda

Pastor da Associação Vitória em Cristo teria recebido valores de escritório ligado a esquema de desvio de royalties da exploração mineral Por Redação de CartaCapital

Lula Marques / Agência PT
Silas MalafaiaMalafaia: sob suspeita

O pastor evangélico Silas Malafaia, da Associação Vitória em Cristo, foi alvo de um mandado de condução coercitiva cumprido nesta sexta-feira 16 pela Polícia Federal no âmbito da Operação Timóteo, que investiga um esquema de corrupção em cobranças judiciais de royalties da exploração mineral.

De acordo com a Polícia Federal, está sob investigação um suposto esquema liderado por um Diretor do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM). Ele teria informações privilegiadas a respeito da chamada Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM), que tem 65% de sua receita repassada aos municípios. De acordo com o jornal O Estado de S.Paulo, o diretor do DNPM é Marco Antonio Valadares Moreira.

Segundo as investigações, ciente das informações sobre as dívidas de royalties, esse diretor oferecia aos municípios os serviços de dois escritórios de advocacia e uma empresa de consultoria para agilizar o recebimento dos créditos de CFEM.

Para a PF, trata-se de uma organização criminosa dividida em quatro núcleos: O primeiro era o núcleo captador, formado por um diretor do DNPM e sua esposa, que realizava a captação de prefeitos interessados em ingressar no esquema. O segundo era o núcleo operacional, composto por escritórios de advocacia e uma empresa de consultoria em nome da esposa do diretor do DNPM, que repassava valores indevidos a agentes públicos.

O núcleo político era formado por agentes políticos e servidores públicos responsáveis pela contratação dos escritórios de advocacia integrantes do esquema. O núcleo colaborador, por sua vez, seria responsável por auxiliar na ocultação e dissimulação do dinheiro.

Malafaia é suspeito de compor este quarto núcleo. Segundo a PF, ele recebeu valores do principal escritório de advocacia responsável pelo esquema e pode ter emprestado contas correntes de uma instituição religiosa sob sua influência com a intenção de ocultar a origem ilícita dos valores.

O nome da operação da PF é uma referência bíblica, ao livro de Timóteo. Na explicação do nome da ação, a PF cita o versículo nove do capítulo seis do livro: "Os que querem ficar ricos caem em tentação, em armadilhas e em muitos desejos descontrolados e nocivos, que levam os homens a mergulharem na ruína e na destruição."

Ainda segundo a PF, a operação colocou nas ruas 300 policiais federais para cumprir 29 conduções coercitivas, quatro mandados de prisão preventiva, 12 mandados de prisão temporária, o sequestro de três imóveis e bloqueio judicial de valores depositados que podem alcançar 70 milhões de reais. As ações ocorreram de forma simultânea no Distrito Federal e em 11 estados: Bahia, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Sergipe e Tocantins

A Justiça determinou ainda que os municípios se abstenham de realizar quaisquer atos de contratação ou pagamento aos escritórios de advocacia e à consultoria sob investigação.

Leia também



Synaptic, software brasileiro que há 15 anos facilita a instalação de programas no Linux

1 de Dezembro de 2016, 11:34, por Feed RSS do(a) Bertoni - 0sem comentários ainda

O Synaptic é um aplicativo que atua como uma interface gráfica amigável para o sistema de gerenciamento de pacotes (programas) APT, utilizado no Debian e outras distribuições derivadas dele, como Ubuntu, Mint, Bodhi, etc.

Lançado em 13 de novembro de 2001, há 15 anos, o Synaptic foi criado pelo brasileiro Alfredo Kojima, quando trabalhava na empresa Conectiva Linux, de Curitiba.

O Synaptic combina a simplicidade do "aponte-e-clique" da interface gráfica com o poder do apt-get (uma ferramenta em linha de comando do terminal). Você pode:

  • Instalar, remover, configurar ou atualizar pacotes de software;
  • Navegar, classificar e procurar a lista de pacotes de software disponíveis;
  • Controlar os repositórios ou atualizar o sistema inteiro;
  • Enfileirar uma certa quantidade destas ações para serem executadas de uma só vez.

O Synaptic informará sobre as dependências (pacotes adicionais necessários para o pacote do software que você escolheu), bem como sobre os conflitos com outros pacotes que já estão instalados em no sistema.

O Synaptic também é capaz de corrigir pacotes quebrados, ou seja, programas que foram baixados e instalados no computador, mas que apresentam algum problema e não podem funcionar corretamente.

Para instalar o Synaptic na maioria das distribuições Linux que usam os pacotes .deb basta abrir o Terminal (Konsole) e digitar o seguinte comando:

sudo apt-get install synaptic

informar a senha e seguir as orientações que aparecerão no Terminal (Konsole)

Na versão 0.83 disponível no Ubuntu 16.04 LTS não aparece o Filtro Rápido (de pesquisa), que facilita ainda mais a vida de quem procura por algum pacote a ser instalado.

Inslatar o filtro é coisa rápida. De novo no Terminal (Konsole)

sudo apt-get install apt-xapian-index -y


e na sequência

sudo update-apt-xapian-index -vf

Pronto, a abrir o Synaptic o Filtro Rápido (de pesquisa) apareceu na Barra de Ferramentas do Synaptic 0.83, como vemos na figura abaixo:

Synaptic 0.83

Feito isso, você fica com a opção de instalar os pacotes via terminal ou através da interface gráfica do Synaptic.



Senado golpeia o Brasil e aprova austerícidio que congela gastos com os mais pobres

30 de Novembro de 2016, 9:50, por Feed RSS do(a) Bertoni - 0sem comentários ainda

Aproveitando-se da Comoção Nacional em torno do acidente com o avião que transportava jornalistas, jogadores e a comissão técnica da Chapecoense, senado golpeia o povo pelas costas e aprova a PEC da Morte, que congela gastos sociais

Da CartaCapital

Proposta segue agora para análise em segundo turno, marcada para o início de dezembro. Foram 61 votos a favor e 14 contrários

Wilson Dias/Agência BrasilProtesto contra a PEC 55 Bombas de gás e spray de pimenta foram lançados nos manifestantes contrários à PEC 55 em Brasília

Em meio a manifestações contrárias do lado de fora do Congresso e discussões entre os parlamentares, o plenário do Senado aprovou, por 61 votos a favor e 14 contrários, na noite desta terça-feira 29 a Proposta de Emenda à Constituição 55 (PEC 55), que congela os investimentos em áreas como saúde e educação pelos próximos 20 anos.

Agora, a proposta segue para análise em segundo turno, marcada para acontecer no dia 13 de dezembro. A PEC 55, que tramitou na Câmara dos Deputados com o nome de PEC 241, foi enviada ao Congresso pelo presidente Michel Temer no primeiro semestre.

A proposta já foi aprovada em dois turnos pelos deputados, mas, como se trata de uma mudança no texto constitucional, a aprovação no Senado precisa ter o apoio de três quintos dos senadores (49 de 81), nos dois turnos, para virar lei.

Plenário do Senado Senador Eunício de Oliveira (PMDB-CE) lê relatório sobre a PEC 55 no plenário do Senado

O resultado mais importante da aprovação definitiva da proposta será uma redução significativa nos gastos com educação e saúde, os únicos da proposta que exigem uma mudança da Constituição. Haverá grande impacto sobre a parcela mais pobre da população e estímulo aos negócios privados nas duas áreas.

Após a leitura do relatório sobre a PEC, realizada pelo senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), houve discussões entre Renan Calheiros e a bancada de senadores do PT a respeito do adiamento da votação e da ausência de manifestantes nas galerias do Senado. Calheiros manteve a votação, justificando que ela havia sido acordada anteriormente entre os parlamentares.

O senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) defendeu a aprovação da medida, afirmando que "saúde e educação não têm teto, têm piso" e que "priorizará as áreas que precisam ser priorizadas" no Orçamento. 

Ainda no início da tarde, os parlamentares fizeram ponderações favoráveis e contrárias sobre a proposta. 

Para a senadora Fatima Bezerra (PT-RN), a PEC é mais um passo para tornar nulos os direitos sociais previstos na Constituição de 1988. Na avaliação da senadora, que manifestou-se antes do início da votação, com menos investimentos em saúde e educação, a população pobre será a mais afetada. 

"Serão atingidos quem? Saúde, educação, ciência, tecnologia, agricultura familiar, Previdência. A reforma da previdência é tão, tão, tão urgente assim? Não, não é. É porque é de lá que querem tirar o dinheiro para viabilizar o desastre que é a PEC 55", declarou o senador Paulo Paim (PT-RS).

Aliado do governo Temer, Ronaldo Caiado (DEM-GO) disse que a PEC 55 não era uma medida dura, mas, sim, "adequada" para o momento do País.

"Por que esse alarde todo? Nós vamos conter os gastos. Eu sei que o PT sempre foi a política perdulária. Achar que pode gastar dentro de uma visão de poder, de projeto de poder, não do bem-estar dos cidadãos. Essa é a grande verdade. A medida é dura? Não. Ela é exatamente adequada para o momento", afirmou. 

 Manifestações em frente ao Congresso 

Protesto contra a PEC 55 no Senado Federal

Protesto puxado por estudantes e movimentos sociais contra a PEC 55 sofreu repressão da polícia

Contrários à proposta, movimentos sociais e estudantes marcharam em Brasília, em frente ao Congresso, em protesto à aprovação. Por volta das 17h30, quando iniciou-se as discussões sobre a PEC, o gramado do Congresso virou um campo de batalha entre os manifestantes e a Polícia Legislativa. 

Houve tumulto e correria generalizada quando a polícia começou a jogar centenas de bombas de gás e spray de pimenta nos manifestantes. Relatos contam que muitos passaram mal por causa dos efeitos do gás. 

Alguns participantes do protesto teriam arremessado pedras e colocado fogo no gramado em frente às casas legislativas e dois carros também foram virados.

Protesto contra  PEC 55 Manifestantes viraram um carro em frente ao Congresso. A polícia respondeu com centenas de bombas de gás

Após a ação das polícias, os manifestantes dispersaram-se e dirigiram-se para a Catedral de Brasília, na Esplanada dos Ministérios, próxima ao Congresso. 

A Polícia Legislativa estimou o número de manifestantes entre 20 e 30 mil. Já a PM do Distrito Federal calculou que 10 mil participaram do protesto. 

A sessão, que iniciou as discussões sobre a PEC 55 por volta das 17h, chegou a ser paralisada brevemente por gritos de uma manifestantes contrária à PEC 55. A transmissão da TV Senado também foi suspensa. Por conta desta manifestação, Renan Calheiros não permitiu a presença de manifestantes nas galerias, o que foi criticado por alguns senadores da oposição.  

Manifestantes contra a PEC dos Gastos em BrasíliaManifestante usa camiseta com críticas à Michel Temer e à PEC 55

Homenagens à Chapecoense 

Mesmo diante da onda de escândalos da última semana, envolvendo Michel Temer e figuras do alto escalão do governo, e do acidente aéreo que vitimou 75 pessoas na madrugada desta terça 29, entre jogadores da Chapecoense, comissão técnica e jornalistas, a votação no Senado foi mantida. 

Por conta da urgência da pauta, senadores de Santa Catarina optaram por viajar para homenagear o time de Chapecó (SC) apenas após a votação. Ao lado de outros senadores, eles manifestaram pesar pela tragédia.

Ao abrir a sessão, o senador Jorge Viana (PT-AC) pediu um minuto de silêncio.

"O Brasil inteiro sente essa tragédia. E nós aqui, no Senado Federal, não poderíamos iniciar os trabalho sem fazer essa homenagem às vítimas", disse o senador. 

Leia também

Fonte: CartaCapital



Semana de Cinema Russo no Rio de Janeiro

29 de Novembro de 2016, 15:18, por Feed RSS do(a) Bertoni - 0sem comentários ainda

Cartaz

MOSTRA RUSSA 2016

Sala 4 – Censura 12 anos

Dia 01/11 (quinta-feira)

Horários: Abertura: 20h

Filme: 21h

LIRISMOS (Filme de abertura)

Ano: 2016

Gênero: Melodrama

Direção: Nikolay Burlak

Elenco principal:

- Sergey Varchuk

- Galina Bokashevskaya

- Liza Arzamasova

- Yuri Tchernov

- Maksim Kolosov

Duração: 65 min

Sinopse: É muito comum as pessoas acharem que o mundo do teatro e do cinema é dominado por intrigas e vaidades. Mas vamos olhar por outro ângulo... Os heróis das miniproduções que fazem parte do almanaque “Lirismos” são simples e humanos. Eles não correm atrás do lucro, não calculam os movimentos... Eles apenas seguem o seu coração.

 

Dia 02/11 (sexta-feira)

(SENHOR DO TEMPO

Horário: 19h30

Ano: 2015

Gênero: Detetive-histórico

Direção: Alexander Barshak

Elenco principal:

- Andrey Smolyakov

- Kirill Kozakov

- Kirill Yermitchev

- Stanislav Tikunov

- Victória Zabolotnaya

Duração: 92min

Sinopse: O que aconteceria se nos infiltrássemos em outro espaço histórico? O que ocorreria se o passado não fosse mais “como era antes”? Seria possível mudar o presente se voltássemos a um momento histórico crucial, modificando o rumo habitual das coisas?!

Muito provavelmente quem iria se transformar seria o próprio intruso. Para mudar a vida e “salvar a humanidade” é preciso estar aqui... e agora.

 

Dia 03/11 (sábado)

Filme: SOBRE O QUE OS FRANCESES NÃO FALAM

Horário: 19h30

Ano: 2016

Gênero: Comédia

Direção: Vladimir Shevelkov

Elenco principal:

- Kirill Varaksa

- Maria Valeshnaya

- Masha Fomina

- Sergey Miguitsko

- Guennady Smirnov

Duração: 110 min

Sinopse: A trama se desenrola em São Petersburgo durante as famosas Noites Brancas. E exatamente nesta época começam a acontecer milagres... Um jovem como outro qualquer, Tillima Papaleksiev é surpreendido por coisas místicas. Donada, ele ganha poderes mágicos que lhe permitem conseguir tudo que ele deseja! Em apenas uma semana a vida do rapaz vira de cabeça para baixo.

A propósito, muitos anos atrás essa mesma história aconteceu com o próprio Napoleão! Mas os franceses preferem não tocar no assunto...

 

Dia 04/11 (domingo)

Filme: O PEIXE DOS SONHOS

Horário: 19h30

Ano: 2016

Gênero: Comédia, humor negro

Direção: Anton Bilzho

Elenco principal:

- Vladimir Mishukov

- Sevéria Yanushauskayte

- Maxim Vitorgan

Duração: 70 min

Roman, um legítimo “intelectual de São Petersburgo” e revisor por herança, chega ao pequeno resort Narva-Jöesuu, na Estônia, em busca de inspiração e tranquilidade. A tarefa da vez é revisar a enciclopédia “Peixes do Mar Báltico”, feita neste mesmo lugar por um ganhador do Prêmio Nobel, Professor Polyansky. Esse trabalho é muito importante para Roman. Tudo teria corrido conforme planejado, se um dia ele não tivesse nadado para bem longe e não encontrasse a Helena que mudou completamente a sua visão do mundo...

 

Dia 05/11 (segunda-feira)

Filme: TELI E TOLI

Horário: 19h30

Ano: 2015

Gênero: Melodrama

Direção: Alexander Amirov

Elenco principal:

- Kakhi Kavsadze

- Dagun Omayev

- Anatoly Dzivayev

- Nanuli Saradzhishvili

- Soslan Fidarov

Duração: 74 min

Sinopse: A história ocorre nas montanhas do Norte do Cáucaso, na fronteira de dois povoados–Toli, da Ossétia, e Teli, da Geórgia–, e conta da vida cotidiana do povo local – pessoas simples e de boa índole que estão prestes a ser separados por uma fronteira oficial. Mas o que eles mais desejam é viver em paz e harmonia, seguindo a tradição centenária de seus avós e bisavós. Segundo os costumes do Cáucaso, os conflitos se resolvem de forma pacífica – em uma mesa farta, regada pelo bom vinho e música...

 

Dia 06/11 (terça-feira)

Filme: DAS 5 ÀS 7

Horário: 19h30

Ano: 2015

Gênero: Drama

Direção:Vladimir Shchegolkov

Elenco principal:

- Alexander Ilyin

- Darya Melnikova

- Dmitry Mulyar

- Amadu Mamadakov

- Ilze Blauberga

Duração:107 min

Sinopse: Uma história sobre amor e traição. Tudo se submete ao amor: consciência, justiça, bom senso, morte e até o próprio tempo. Onde está a vida, está o amor. Ainda que este lugar seja um simples café em alguma parte do mundo. O amor é aqui e agora...

 

Dia 07/11 (quarta-feira)

Filme: CAMPINHO

Horário: 19h30

Ano: 2016

Direção: Eduard Bordukov

Gênero: Drama juvenil

Elenco principal:

- Sergey Romanovich

- Kirill Degtyar

- Sergey Podolny

- Anastassya Miloslavskaya

- Alexander Melnikov

Duração: 100 min

Sinopse: Kostya, Serj, Mel e Dançarino são melhores amigos, jovens e apaixonados por futebol de rua. Kostya é o melhor de todos. Sua namorada, Nastya, acha que ele deve levar seu talento a sério, mas Kostya não quer saber. O futebol de rua é a sua vida, e o campinho a segunda casa...

Um belo dia o time de Kostya se depara com um grupo de desconhecidos, liderado por Damir, um jogador profissional. Não querendo dividir o campinho, eles organizam um torneio improvisado, que aos poucos começa a atrair os moradores do bairro. A disputa aumenta, e agora não apenas o campinho está em jogo. O amor e a amizade entram em cena. Não há mais volta. O jogo se transforma em guerra...



Brasil em Regressão Geométrica

29 de Novembro de 2016, 11:05, por Feed RSS do(a) Bertoni - 0sem comentários ainda

Desde 2013 o Brasil, ano a ano, piora em sua condição humana. O tal do brasileiro cordial vai se mostrando cada vez mais um mito diante de tanta brutalidade, burrice e intolerância expostas no Festival de Besteiras que Assolam o País - o FEBEAPA, termo cunhado por Stalinslaw Ponte Preta, pseudônimo de Sérgio Marcus Rangel Porto, cronista, escritor, radialista e compositor brasileiro.

E, infelizmente, tudo indica que em 2017 desceremos vários degraus, aprofundando ainda mais a mediocridade nacional.

Laerte Coutinho, resume isso muito bem!

 

Laerte sobre 2017

É como diz o provérbio inglês "Nothing só bad but it might be worse" ou "Não há nada tão ruim que não possa piorar"...



Solidariedade aos Chapecoenses!

29 de Novembro de 2016, 9:55, por Feed RSS do(a) Bertoni - 0sem comentários ainda

O avião que transportava a delegação da Chapecoense para Medellín, na Colômbia, sofreu um acidente na madrugada desta terça-feira (29).

Chapecoense de luto

Segundo autoridades colombianas, há 75 mortos e seis sobreviventes. O avião da LaMia, matrícula CP2933, decolou de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, com 81 pessoas a bordo: 72 passageiros e 9 tripulantes.

Aviãochape

O voo que transportava a equipe da Chapecoense partiu na noite de segunda-feira de Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, em direção a Medellín.

A aeronave  perdeu contato com a torre de controle às 22h15 (local, 1h15 de Brasília), entre as cidades de La Ceja e Abejorral, e caiu ao se aproximar do Aeroporto José Maria Córdova, em Rionegro, perto de Medellín.

 

Aviao com equipe da chapecoense

ANAC

Em nota oficial a ANAC - Agência Nacional de Aviação Civil afirma ter negado autorização para o voo da LaMia a partir do Brasil e se solidarizou com os parentes das vítimas.

"A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) informa que a empresa boliviana Lamia Corporation solicitou autorização de voo à ANAC para o transporte do time de futebol Chapecoense que faria um torneio na Colômbia. O voo partiria do Brasil para a Colômbia, na segunda-feira, 29/11, segundo a solicitação. O pedido foi negado com base no Código Brasileiro de Aeronáutica (CBAer) e na Convenção de Chicago, que trata dos acordos de serviços aéreos entre os países. O acordo com a Bolívia, país originário da companhia aérea Lamia, não prevê operações como a solicitada.

Complementando a negativa do pedido, a ANAC informou ao solicitante do voo que o transporte poderia ser realizado por empresa aérea brasileira e/ou colombiana, conforme a escolha do contratante do serviço, nos termos dos acordos internacionais em vigor.

A ANAC se solidariza com os familiares das vítimas do acidente ocorrido nesta madrugada, 29/11, com o time da Chapecoense, nas proximidades de Medellín, na Colômbia."

Forçachape

Nossa solidariedade a todos os chapecoenses e familiares de todos os profissionais vítimas desta tragédia.

#ForçaChape



Palmeiras Eneacampeão!

27 de Novembro de 2016, 18:59, por Feed RSS do(a) Bertoni - 0sem comentários ainda

Eneacampeão