Igor Novikov, líder do projeto sK1 (sk1project.org), confirmou presença na Latinoware 2010. Ele falará sobre o estado da arte na edição de imagens vetoriais com o software livre, especialmente na pré-produção de material gráfico, um mercado hoje dominado por softwares proprietários, como o Adobe Illustrator e o Corel Draw.

O sK1 é um editor de imagens vetoriais capaz de abrir arquivos gerados pelo Corel Draw ou pelo Adobe Illustrator e trabalhar nativamente com eles. Além disso, o sK1 trabalha com o padrão de composição de cores CMYK, essencial para a comunicação com gráficas que possuem equipamentos e softwares que trabalham exclusivamente com este padrão. No desenvolvimento do sK1, Igor e sua equipe preocuparam-se em fazer com que tudo o que desenvolviam pudesse também ser usado por outros membros da comunidade.

"Desenvolvemos, como base para o sK1, uma interface de linha de comando e interface programática, chamada UniConvertor, que hoje permite a softwares livres, como o Inkscape e o Scribus, importarem arquivos gerados pelo Corel e pelo Adobe Illustrator", diz Igor.

Enquanto prepara a sua vinda da Ucrânia para o Brasil e trabalha na árvore de desenvolvimento que dará origem à versão 1.0 do sK1, a ser anunciada na Latinoware, Igor deu uma breve entrevista à equipe da organização da Latinoware:

LW: Quando o sK1 foi oficialmente anunciado?
IN:
O sK1 foi apresentado ao público pela primeira vez em 2007, por ocasião da Libre Graphics Meeting, que aconteceu em Montreal, no Canadá. O sK1 deriva do projeto sketch, que começou em 2003, depois virou o projeto skencil e, por volta de 2006, foi abandonado. Nós precisávamos de um software que nos permitisse trabalhar com gráficos gerados pelo Corel e, assim, assumimos o desenvolvimento.

LW: O sK1 está perto de competir diretamente com o Adobe Illustrator e o Corel Draw?
IN:
Esta é uma questão complexa e interessante. É claro que o projeto vem sendo desenvolvido como um competidor em código aberto para o Adobe Illustrator e o Corel Draw. Mas o preprocessamento de imagens é heterogêneo e consiste de uma variedade grande de métodos de impressão. Para alguns destes métodos, o sK1 está pronto para o uso. Para outros, não, ainda que o desenvolvimento esteja caminhando rapidamente. Nós entendemos que as forças em uma equipe pequena não podem fazer o trabalho que foi criado por um time enorme da Adobe ou da Corel. Por isto estamos desenvolvendo um projeto que seja compatível com as aplicações da Corel e da Adobe. Nós tentamos fazer com que o sK1 seja familiar, em termos de ferramentas, para os desenhistas, mas não
copiamos interfaces proprietárias. Em outras palavras, lutamos para fazer uma aplicação que permita que os que leram livros como "Corel para Iniciantes" a usem de maneira fácil.

LW: Agora que o Inkscape também abre arquivos do Corel e do Adobe, quais são as principais diferenças entre o sK1 e o Inkscape?
IN:
É importante salientar que o Inkscape e outros programas livres apenas abrem arquivos do Corel e outros porque usam o UniConvertor que é, em resumo, o sK1 sem a sua interface gráfica. Assim, o Inkscape pode abrir estes arquivos porque o sK1 também os abre. As diferenças principais entre o sK1 e o Inkscape estão em sua aplicação principal. O Inkscape é um editor SVG, destinado a gráficos para a web, não para a impressão, como o sK1. Por estar preso à especificação SVG o Inkscape acaba sofrendo algumas limitações não do produto, mas da própria especificação. A aplicação primária do sK1 é permitir a impressão de desenhos vetoriais no formato PDF, usando funções avançadas de impressão. Desta forma, o sK1 e o Inkscape não competem entre si. Além disto, o formato ao suporte SVG é uma prioridade alta em nossa aplicação justamente para prover uma boa comunicação entre o sK1 e o Inkscape.

* fonte: Latinoware 2010