Ir para o conteúdo
ou

 Voltar a _todas as no...
Tela cheia Sugerir um artigo

Rádio Obirici funde o digital ao analógico com conteúdo voltado aos movimentos sociais

16 de Julho de 2016, 19:57 , por Ana Carolina de Lima Pereira - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 107 vezes
R dio obirici

Texto: Marília Bíssigo

Com a proposta de cunhar um novo conceito de comunicação, a Rádio Comunitária Obirici FM ZYU 354 87,9 Mhz faz parceria com a Associação Software Livre para ampliar o conceito de liberdade de expressão. Além da rádio FM, a Obirici  também estende seu conteúdo para as plataformas rádio web, TV, jornais de bairro, blogueiros e ativistas de rede. “Queremos ser um laboratório prático da fusão entre o analógico e o digital”, explica Luiz Carlos Vergara. A rádio é voltada aos movimentos sociais.

“Comunicação é poder, mas desde que se exista autoria por trás do que se está sendo veiculado”, diz a presidente da Obirici, Denise Soares Flores. Em uma atual conjuntura nacional de golpe, Denise diz que vivemos uma insurgência pela liberdade de informação. “Queremos ampliar a capacidade de falar com o povo”, diz ela. “A grande mídia representa interesses que não são os do povo, ela legitima e oficializa interesses particulares.”

“Existe o que é próprio de cada movimento social, mas existe também um ponto de convergência entre todos eles. Não somos mais uma aldeia, precisamos transpor as fronteiras que antes existiam, mas sem perder a personalidade”, acrescenta a presidente da rádio.

Para colocar na prática o novo conceito, será realizada uma audiência pública na Assembleia Legislativa do Estado, através da Comissão de Assuntos Municipais, no dia 30 de agosto. No mesmo dia, a rádio Obirici oferecerá oficinas multimeios comunitárias.

Sobre a Rádio Obirici

A rádio nasceu em 1998 e passou por altos e baixos até conseguir a autorga (autorização governamental para operar uma rádio), que só veio em 2008. “O brasileiro nunca teve voz, o movimento de criação de milhares de rádios comunitárias veio como uma necessidade de liberdade de expressão”, diz Vergara. Ele explica que, no Brasil, existem menos de 4 mil autorgas e cerca de 16 mil processos de requerimento. Destas, 12 mil rádios comunitárias estão criminalizadas, de acordo com leis que remontam à Ditadura Militar. “Em todos os países do mundo, excetuando o Brasil e talvez algum país afriacano, não é preciso ter autorização governamental para operar rádios de até 250 watts, que abrangem cerca de 4 quilômetros”, explica ele.


0sem comentários ainda

Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.


<script src="https://s7.addthis.com/js/152/addthis_widget.js"></script> <!-- Piwik --> <script type="text/javascript"> var _paq = _paq || []; _paq.push(['trackPageView']); _paq.push(['enableLinkTracking']); (function() { var u = "piwik.colivre.coop.br/"; if(!u.match(/^https?/)){ var protocol = ("https:" == document.location.protocol ? "https" : "http"); u = protocol + '://' + u; } _paq.push(['setTrackerUrl', u+'piwik.php']); _paq.push(['setSiteId', 3]); var d=document, g=d.createElement('script'), s=d.getElementsByTagName('script')[0]; g.type='text/javascript'; g.defer=true; g.async=true; g.src=u+'piwik.js'; s.parentNode.insertBefore(g,s); })(); </script> <noscript><p><img src="http://piwik.colivre.coop.br/piwik.php?idsite=3" style="border:0;" alt="" /></p></noscript> <!-- End Piwik Code -->