Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

Tela cheia Sugerir um artigo
 Feed RSS

Blog

7 de Dezembro de 2009, 0:00 , por Software Livre Brasil - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.

Aqui serão replicados todos os artigos publicados originalmente no sítio do grupo Software Livre Educacional.


Impressões deixadas pela passagem de Frederico Gonçalves Guimarães no Colégio Estadual Brigadeiro Castrioto (Niterói-RJ)

14 de Setembro de 2010, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Estive recolhendo os comentários sobre o trabalho realizado no CEBRIC com o Frederico no início deste mês. Tivemos duas atividades: uma palestra sobre segurança na internet, aberta a alunos e uma oficina de 8 horas: "As Possibilidades de Uso dos Softwares Livres Educacionais nos Laboratórios de Informática Educativa (LIEds) da Rede Estadual do RJ". Gostaria de compartilhar com o grupo algumas ponderações.

Tivemos uma participação bem variada: o grupo era composto por Orientadores Tecnológicos (OTs - professores desviados de função para atender pedagogicamente o LIEd), de professores regentes de turma e do técnico responsável pela manutenção física e lógica dos equipamentos. Um grupo distinto que interagiu fortemente.

Uma fala comum entre os participantes da oficina foi que a necessidade de aprofundamento é fundamental e que o trabalho realizado destuiu mitos importantes com relação ao Software Livre Educacional e às dificuldades no uso do LIEd. Eles querem mais! Então: hora de arregaçar as mangas e organizar outros eventos como esse no RJ (capital e região metropolitana, principalmente) porque há demanda! Eles estão ansiosos para o momento que ficou marcado para a "Oficina de Utilização do SL em Dual-Boot" no notebook fornecido pelo estado para os professores. Eles iniciarão a experimetação com um Live CD mas já estão a postos para o dual boot! isso é MUITO bom!!!

Já a palestra, onde tivemos uma intensa participação de alunos, gerou um questionamento político bastante interessante: mexer com sua privacidade os levou a questionar a propriedade dos dados inseridos na internet e os alunos não param de comentar as informações recebidas! Entre eles, o debate sobre o uso do Software Livre ainda não ganhou espaço mas a mudança de paradigmas está agitando! São, na sua maioria, adultos, pais e que vão lidar a partir de agora com a relação entre seus filhos e a internet de outra maneira.

Assim, diante dessas observações, entendo que o grupo frequentador deste espaço que é do RJ precisa trocar mais e se organizar para a disseminação dessas atividades em diversas cidades do Estado. Estou à disposição para o trabalho, é só entrar em contato!

Abraços fraternos,



Frederico Gonçalves Guimarães fala no CEBRIC em 02/09/2010

22 de Agosto de 2010, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Car@s amigos,

Frederico Gonçalves Guimarães, em passagem pelo Rio de Janeiro, terá uma conversa com professores e alunos no Colégio Estadual Brigadeiro Castrioto (CEBRIC) no dia 02 de setembro às 19:30 horas sobre Segurança na Internet. O evento é realizado pelo Laboratório de Informática Educativa do CEBRIC, com o apoio da Direção da Escola. Como nosso auditório está interditado, nosso espaço é pequeno e os interessados devem se inscrever previamente através do e-mail crisgeyer@crisgeyer. pro.br. O limite será de 60 inscritos.

Contamos com a presença dos professores e OTs de Niterói e região!



Filosofando e Cutucando

2 de Agosto de 2010, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Atendendo a pedidos, coloco aqui um artigo, originalmente publicado no meu blog pessoal :

O software livre na educação não é algo somente recomendável: é fundamental em sua essência! Se partirmos do princípio constitucional de que a educação é um direito de todos, assim como o seu acesso a ela, não vejo outra forma de integrar educação e tecnologias na educação pública e de qualidade sem a utilização plena e irrestrita dos Softwares Livres.

Passamos, há mais de meio século, por uma crise na educação: entram e saem novos pedagogos, novas propostas e pouca coisa sai do campo experimental e passa a práxis. A chegada das novas tecnologias não trouxe muita diferença na maneira de ensinar não mudou muito o padrão: a tese da repetição e da educação bancária encontra-se de tal forma arraigada no professor que ele apenas “enfeita” a mão única de ensinar com slides e computadores. Vocês já assistiram “Tecnologia ou Metodologia?” ?

Fácil adivinhar o que você pensou agora: Os responsáveis são os professores! Acertei, não é? Ora, não é momento de procurar culpados... deixem o professor quieto! É SUA a responsabilidade projetar a luz do conhecimento sobre todos. Aluno (de “sem luz”) não é só o cara que senta diante de você nas carteiras da escola! Na concepção ideológica, todos são mestres e todos “alunos”. Assim, dê alternativas de escolha ao seu colega: professor, amigo, vizinho, doutrinado pelo consumo e pela propriedade, incapaz de criar colaborativamente pois ainda carrega consigo a cadeira da Universidade (bem grudada você sabe onde!) ou o total desconhecimento do mundo livre. Divida com ele o seu prazer pelo aprender uma coisa nova, um software novo, o prazer da colaboração produtiva!

Recentemente um colega comentou no FISL11 sobre uma palestra em que outro, da área técnica, dizia que os professores “são muito velhos, não conseguem aprender” quando falava do “treinamento” para o uso das tecnologias educacionais. Um outro dizia que a criança “já nasce com a tecnologia no código genético”(este eu mesma ouvi). Tais informações são muito perigosas uma vez que rotulam uma espécie que, detentora da capacidade de raciocinar, é muito mais adaptável que outras às modificações do ambiente, por isso chegou a este patamar evolutivo. Responsabilizar a idade ou a genética chega parecer tolo aos olhos de qualquer pessoa que entenda minimamente de evolução. Aceitar a idade como impedimento ao processo de aprendizagem seria negar o sucesso descarado de todos os projetos de formação de Jovens e Adultos (eu mesma estou neste setor). Na falta de desculpas, ou por medo de colocar seu nome na baila quando criticar políticas públicas de educação e ainda por medo de dizer que não sabe sobre o assunto, erros crassos como estes vem sendo cometidos.

A educação transformadora e libertadora ultrapassa o brilhantismo de Paulo Freire, o mais humilde pedagogo que conheci (sim, tive a honra de conhecê-lo!). Ela transita pelos caminhos da ideologia, da política, assim como da moral ética. Apenas a partir da construção do indivíduo como ser político, ideológico e dono de valores éticos reais é que a educação será transformada. Para isso, não basta impor o SL como alternativa de liberdade ou exigir que o cara carregue suas compras em caixas de papelão: é necessário que ele “sinta” essa necessidade. Mas como fazê-lo sentir?

Filosofando, meu caro, filosofando. Filosofia não é para geeks e nerds, é para todos. O que falta é popularizar a filosofia, como fez brilhantemente Alexandre Oliva em sua palestra “Sexo, Drogas, Rock'n roll e Software Livre”, no FISL 11.

O cara que acusou nossos mestres de serem incapazes de aprender porque são velhos matou as aulas de filosofia na faculdade (de certa forma, até concordo, visto que a filosofia que eles ensinam lá é realmente chata!) e se protege do mundo real na Academia, zona de conforto de muita gente: “eu sei, você não sabe, então deixa que eu te ensino mas não sei se você será capaz de aprender!” A propósito, usando a mesma ótica Freireana, posso responder ao meu outro colega sobre a “genética da facilidade com as tecnologias”: a aprendizagem deve ser um processo prazeroso e, portanto, aprendemos aquilo que nos dá prazer antes das “outras coisas, mais chatas”. Daí a facilidade com o computador. Para quem não acredita na lógica Freireana, leia um pouquinho sobre neurociência da aprendizagem! Elas se complementam brilhantemente, apesar de Freire e a neurociência nunca terem se conhecido de fato.

Este artigo não está terminado mas, seguindo a filosofia SL (publica do jeito que está e depois vai melhorando) e que minha opinião é também resultado das minhas trocas, aqui está! Divirtam-se!



Experimentando o Openshot

29 de Julho de 2010, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Car@s amig@s,

Depois da indicação do Openshot como substituto a altura do Movie Maker (muito usado por professores na minha região), instalei e comecei a testar. Gostaria de trocar com vocês algumas observações:

  • A interface do Openshot é muito semelhante a do Movie Maker, não deixando nada a dever;
  • Pela minha experiencia com o uso do MM, percebi que o Openshot tem muitos recursos de edição a mais que ele, bem mais acessíveis;

Durante a pesquisa sobre documentação, encontrei um tutorial mais que didático, com todas as informações necessárias a um iniciante. Estou preparando a edição deste manual em PDF. Assim que terminar, disponibilizo aqui.

Espero comentários para que possamos corrigir juntos possíveis falhas no manual e interagir com os desenvolvedores para os acertos, se necessários.

Em tempo: baixei o Openshot através do recurso "Central de Programas" da minha distro (Ubuntu 10.04), na aba "aplicativos". Simples e fácil. Ainda não tenho informações sobre instalação em outras distro mas na homepage do Openshot todas essas informações estão disponíveis.

Abraços fraternos.



O Software Livre Educacional vai ao FISL

19 de Julho de 2010, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Mais uma vez o grupo Software Livre Educacional marcará presença no FISL. Estaremos com um stand na área de grupos de usuários e também teremos um evento comunitário.

O título do nosso evento comunitário é Educação (com software livre) é bom e eu gosto!. Ele vai acontecer no auditório do prédio 5, às 15:00h do dia 22/07 e contará com a presença, na mesa, de três membros do nosso grupo: Frederico Guimarães, Paulo Slomp e Marinez Siveris. Na programação, faremos uma apresentação inicial sobre o uso educacional de softwares livres e abriremos para o debate com os presentes sobre como implementar e/ou melhorar esse uso. Além disso, falaremos também sobre o Software Livre Educacional e as diversas formas de colaboração com o grupo.

Um evento imperdível pra quem se interessa pelo tema educação e software livre. Esperamos vocês lá!