Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

PSL Brasil

 Voltar a Notícias
Tela cheia Sugerir um artigo

TSE seleciona 32 hackers para testar urnas eletrônicas

27 de Outubro de 2009, 0:00 , por Software Livre Brasil - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 2676 vezes

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aceitou a realização de dez tipos diferentes de testes que colocarão à prova a segurança do sistema eletrônico de votação. Ao todo, a lista publicada no Diário da Justiça mostra que 32 pessoas foram aceitas – segundo o TSE, porque alguns dos testes exigem trabalho em grupo.

“Isso nos traz uma expectativa de resultado muito produtivo para o aperfeiçoamento do processo automatizado eleitoral”, comemorou o secretário de Tecnologia da Informação do TSE, Giuseppe Janino.

Os testes pretendem quebrar o sigilo do voto ou alterar os votos digitados – por meio de interações com o software, com o hardware da urna eletrônica ou ainda por meio dos procedimentos eleitorais. Os inscritos são profissionais de diversas áreas – ciência da computação, engenharia eletrônica, análise de sistemas e até profissionais em auditoria.

A diversidade de abordagens e estratégias pode ser medida pelo prazo solicitado pelos investigadores, que varia de apenas uma hora até quatro dias de trabalho. Os planos se propõem a atacar tanto os softwares quanto o hardware e os demais procedimentos.

Os planos de testes apresentados pelos candidatos propuseram formas diferentes de tentar desviar os votos ou quebrar o sigilo do voto. “Um dos planos propôs que a investigação por ondas eletromagnéticas pode identificar as teclas apertadas pelo eleitor e quebrar o sigilo do voto”, afirmou o secretário de Tecnologia da Informação do TSE, Giuseppe Janino.

Ainda segundo Giuseppe, “os planos de testes apresentaram tentativas de inserção de softwares maliciosos, quebra de segurança das mídias utilizadas e tentativas de quebra do sigilo do voto. Tais tentativas colocarão à prova os diversos mecanismos de segurança da votação eletrônica”.

Outro plano propõe a inserção de um software malicioso no cartão de memória flash da urna. O objetivo é tentar alterar o funcionamento do sotfware de inicialização do equipamento, com o objetivo de promover desvios nos votos digitados. Depois de operar, o próprio software se “autodestruiria”, para não deixar vestígios.

O TSE vai permitir testes, inclusive nas urnas eletrônicas, com o objetivo de mostrar que o sistema é seguro. Para participar, os interessados tiveram que se inscrever previamente mediante a entrega de um formulário ao tribunal. Também tiveram que apresentar um plano com a descrição do teste que será feito, quais os softwares que serão utilizados e qual o objetivo do exame específico.

Os testes em si ocorrerão de 10 a 13 de novembro, das 9h às 18h, na sede do TSE, em Brasília. As três contribuições que o Tribunal considerar mais relevantes receberão prêmios de R$ 5 mil, R$ 3 mil e R$ 2 mil. O edital do teste de segurança pode ser conferido na página do TSE na internet (www.tse.gov.br).

Confira a lista dos “investigadores” aprovados pelo TSE:

Antonio Gil Borges de Barros
Arlei de Almeida Oliveira Junior
Carlos Eduardo Negrão de Oliveira
Charles Henrique Gonçalves Santos
Clarisa Manuchaguian de Moraes
Clint Eastwood Costa Freitas
Daniel Araújo Miranda
Daniel França de Oliveira Melo
Divailton Teixeira Machado
Edison Emilio Alonso
Eduardo Soares de Paiva
Fabio Leonel Orsi
Fábio Silva Vasconcelos
Fernando Andrade Martins de Araújo
Gislaine Lirian Bueno de Oliveira
Gustavo Fleury Soares
Ivan Tadeu dos Santos Souza
Lucas Brasilino da Silva
Matteo Nava
Mauro Cesar Sobrinho
Murilo Tito Pereira
Nelson Murilo de Oliveira Rufino
Patricia Sumie Hayakawa
Ricardo Nagamine Motta
Ricardo Selling de Oliveira
Ricardo Silva Melo Fernandes
Rodrigo Pinto Cardoso
Sérgio Freitas da Silva
Thiago Barreto
Thiago de Sá Cavalcanti
Valter Monteiro Junior
Wagner Fonseca Lima

Fonte: Convergência Digital


1Um comentário

Eventos de Software Livre no Brasil