Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

PSL Brasil

 Voltar a Notícias
Tela cheia Sugerir um artigo

Anatel, Inmetro e CGI testam qualidade da Banda Larga fixa

12 de Maio de 2010, 0:00 , por Software Livre Brasil - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 1628 vezes

O Comitê Gestor da Internet, a Anatel e o Inmetro começaram, em março, a realizar testes com o objetivo de analisar a qualidade do acesso à internet em banda larga no país. Segundo a Anatel, o objetivo do estudo é obter informações sobre parâmetros técnicos importantes das redes das prestadoras para melhorar a qualidade do serviço aos usuários.

Os testes de medição da qualidade, iniciados em março, estão sendo realizados na residência de 160 consumidores voluntários previamente selecionados e compreendem as seguintes cidades: Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Fortaleza, Salvador e Brasília.

Participam dos testes as prestadoras Telefônica, Oi, GVT e NET, selecionadas com base na participação de mercado na oferta da banda larga fixa. Após a análise e discussão dos resultados, será elaborado e divulgado relatório técnico consolidado no final de 2010.

As medições são realizadas por meio de equipamentos instalados na residência dos assinantes participantes da amostragem e conectados de forma exclusiva à prestadora a ser avaliada, a fim de que os dados obtidos tenham máxima confiabilidade.

A participação das três instituições tem como motivação a sinergia de competências e a complementaridade das atribuições legais das partes frente ao tema referido. A Anatel regula os serviços de telecomunicações, que proporcionam o acesso à Internet em banda larga; o Inmetro possui conhecimento sobre estatística e metrologia.

Já o Comitê Gestor da Internet detém expertise em relação à internet e inclusive disponibiliza em seu endereço eletrônico uma ferramenta, chamada Sistema de Medição de Tráfego de Última Milha (Simet) para medições de qualidade do acesso da última milha.

A coordenação do projeto é rotativa, com período anual, a ser iniciada pelo Inmetro, seguida pelo CGI.Br e, posteriormente, pela Anatel. No âmbito da Agência, o projeto é conduzido pela Gerência-Geral de Serviços Privados de Telecomunicações (PVST) da Superintendência de Serviços Privados.

* Com informações da Anatel


Da redação*
Convergência Digital


Tags deste artigo: anatel banda larga cgi.br

33 comentários

  • 6ce3b28e31c52bdfa3719d1e14a904d5?only path=false&size=50&d=404Bruno Borges(usuário não autenticado)
    12 de Maio de 2010, 13:42

    Entenda porque os testes da Anatel e do Inmetro serão inúteis

    160 residências comparado com mais de 15 milhões de assinantes. Estatísticas insignificantes para comprovar os resultados (menos de 0,0011%).

    A Anatel deveria atuar da mesma forma que a Anvisa, com fiscalização presencial e checagem das configurações de roteadores. O limite de velocidade abaixo do plano contratado é que deve ser condenado.

    bit.​ly/9​unhb​5


  • 50d486d438d6db89294700723a6fcd77?only path=false&size=50&d=404jefferson(usuário não autenticado)
    12 de Maio de 2010, 14:56

    Internet Bnada Larga

    O problema não é a velomcidade e sim a quantidade de internet pirata que circula pelo pais, estas antenas ominis que dão interferência no sinal e são elegais e ninguem faz nada para acabar com isso, muitas pessoas aqui em Maceió Alagoas estão fazendo isso, faz uma assinatura de uma internet com Jet e Net Combo e OI Velox e estão destribuindo com estas torres com atenas ominis e combrando com se fosse uma empresa, o prejuizo e de que paga um internet legal e da prestadora de serviço isso sim é o que deveria ser feito acabar com estas irregularidades.


  • 5b70f52e3596ea25759d045c35e10cca?only path=false&size=50&d=404Fabiano Silva Duarte(usuário não autenticado)
    22 de Junho de 2010, 9:29

    Fabiano

    Bom, é constatação popular a baixa eficiência e os altos preços cobrados dos serviços prestados de internet banda larga oferecidos pelas operadoras assim como o baixo padrão de atendimento ao cliente, porém não há algo documentável ainda, como dados estatísticos gerados por medições técnicas do serviço e este é o interesse do INMETRO, que aliás, é uma ótima iniciativa. Acho que o teste deveria ser estendido para as conexões 3G sem fio que apresenta ainda piores desempenhos e têm tarifas mais caras; e acho ainda que se o teste mostrar uma qualidade muito satisfatória na prestação do serviço, trará mais incertezas e discordâncias ao cidadão que utiliza esse tipo de serviço.


Eventos de Software Livre no Brasil