Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

Tela cheia

Democratização da comunicação e distribuição de conteúdos culturais alternativos

29 de Junho de 2009, 0:00 , por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 1974 vezes

Na última sexta-feira (26), o Pontão de Cultura esteve presenta na mesa Democratização da comunicação e distribuição de conteúdos culturais alternativos para a apresentação da rede social dos Pontos de Cultura, feita pela coordenadora do projeto Viviane Rosa Querubim. Fizeram parte da discussão o coordenador do Ponto de Cultura Quilombo do Sopapo, Leandro Anton, o jornalista e editor do portal Senhor F, Fernando Rosa, e Gerson Ramos, criador e coordenador dos projetos Pylemusic.

O encontro foi organizado pelo movimento Música para Baixar, que aconteceu entre os dias 23 e 27 de junho, em Porto Alegre (RS) e teve como objetivo discutir as possibilidades do acesso aos bens culturais e mecanismos de democratização da comunicação, o uso de novas tecnologias e a distribuição digital de conteúdos culturais.

A produção musical, a sua disponibilização e distribuição, especialmente na Internet, foi um dos temas centrais do debate. Para Fernando Rosa, existem muitas iniciativas que permitem que bandas iniciantes tenham as suas produções disponíveis. Ele cita que redes como o Facebook, Twitter e o MySpace podem ajudar o artista iniciante na divulgação do seu trabalho.

Gerson Ramos concorda ao afirmar que as redes sociais são úteis para artistas com pouco recurso. “Há uma necessidade de o artista buscar recursos cada vez mais escassos, mas é preciso trabalhar e interagir com o público. O maior problema hoje é saber como utilizar as redes e se beneficiar dela”, diz. Para o criador do Pylemusic, o mercado formal não oferece espaço suficiente para tanta produção.

A Rede social dos Pontos de Cultura, desenvolvida a partir da plataforma livre Noosfero, foi apresentada como um espaço para os Pontos de Cultura disponibilizar o conteúdo de forma livre e colaborativa. De acordo com a coordenadora do projeto, além de estabelecer relações entre os Pontos de Culturas e outros interessados no processo de construção de uma comunicação mais democrática e colaborativa, ela também funciona como um espaço para que os seus usuários troquem experiências e deem visibilidade a suas produções.

O Ponto de Cultura Quilombo do Sopapo tem uma rica produção cultural a partir do seu projeto de inclusão digital, implementado no bairro do Cristal, periferia de Porto Alegre. Eles trabalham com crianças da comunidade que se encontram em situação de vulnerabilidade, oferecendo oficinas de audiovisual, texto e fotografia. Para o coordenador do Ponto, a “revolução tecnológica é uma experiência recente e que representa espaços abertos para a manifestação da cultura”.

Dsc05730editada No debate, Leandro Anton (Ponto de Cultura Quilombo do Sopapo) e Viviane Querubim (Pontão de Cultura IPF) durante a apresentação da rede.


Tags deste artigo: quilombo do sopapo fisl pylemusic

0sem comentários ainda

Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.