Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

pm@paulomarcos.com | msg: 74.9110 4596
Jornalismo no Rádio, TV e Internet

http://www.dotpod.com.ar/wp-content/uploads/2008/06/sonico-logo.jpg

 

 

http://static.wix.com/media/1ff96be45122890f6b04ceeaa7dbd2d3.wix_mp

PM no Twitter

404 Not Found

Este perfil não tem posição geográfica registrada.

Paulo Marcos

Paulo Marcos
Pintadas - Bahia - Brasil
Tela cheia
 Feed RSS

Paulo Marcos no Rádio, TV e Internet

27 de Maio de 2009, 0:00 , por Software Livre Brasil - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Paulo Marcos, radiojornalista formado em Rádio e TV pela UNEB. Especialista em rádio, TV e comunicação digital junto a jovens e lideranças do movimento social. Coordenador da Rádio Barreiros/ADASB. É empreendedor individual e através da produtora NaCangaia presta serviços nas áreas de vídeo, fotografias e radiojornalismo.

O que é o jogo de Basquete?

13 de Setembro de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Basquete

Bola de Basquete

O basquete é mais que as enterradas exibidas no show de esportes da televisão. É um esporte de agilidade e resistência, que desenvolve coordenação visual e motora. Em sua essência, o basquete requer somente uma cesta, uma bola e pelo menos dois jogadores. A simplicidade do esporte é creditada ao Dr. James Naismith, quem inventou o basquetebol em 1891. Ele pregou duas cestas de pêssegos nos balcões dos dois lados da quadra de ginástica da ACM (em inglês), em Springfield, Massachusetts.

Desde então, o basquetebol se tornou mais popular do que o beisebol como passatempo americano não oficial. Em 2001, mais de 28 milhões de americanos participaram de uma partida de basquetebol, o que é mais do que qualquer outro esporte coletivo, segundo a Associação Nacional de Acessórios Desportivos (em inglês). Além disso, mais de 300 milhões de pessoas no mundo praticam basquete segundo a FIBA - Federação Internacional de Basquetebol (em inglês).

Quadra e equipamento

O basquetebol pode ser jogado em qualquer lugar, contanto que haja um aro montado em um poste ou parede e uma bola para arremessar. A idéia básica dificilmente poderia ser mais simples. Os dois times querem fazer duas coisas:

lançar a bola através da cesta do time oponente o maior número de vezes possível (ataque);

bloquear o time oponente para que não faça o mesmo (defesa).

Assim que um time tem a posse de bola, parte para o ataque, enquanto o adversário entra em defesa. A ofensiva tenta posicionar os jogadores para fazer um arremesso (lançar a bola através do aro). Os jogadores de defesa se posicionam para bloquear esses arremessos. Os atacantes se movem em torno da cesta e driblam os jogadores da defesa até poderem fazer um arremesso razoável.

O modo de conduzir o jogo depende muito da quadra. As dimensões da quadra e outros equipamentos variam dependendo do nível do jogo. Para nosso propósito, vamos dar uma olhada no equipamento regulamentado pela NBA - Associação Nacional de Basquetebol (em inglês).

Em sua forma original, quando as cestas de pêssegos foram usadas, os competidores subiam em uma escada para pegar a bola depois de fazer uma cesta. As cestas ainda são usadas no basquete, mas elas mudaram, descartando a recuperação manual da bola. A cesta de hoje tem uma borda de metal de 46 cm de diâmetro, com uma rede de náilon aberta de 38 ou 46 cm abaixo dela.

A borda tem, na verdade, aproximadamente duas vezes o diâmetro de uma bola de basquete regulamentada. Na NBA, a bola oficial é feita de couro, com circunferência de 76 cm e diâmetro de 23 cm. Antes do jogo, a bola deve ser preenchida com 0,51 a 0,57 atmosferas.

Uma quadra de basquete oficial é um retângulo dividido em duas partes pela linha no meio da quadra. Em cada ponta da quadra, as cestas são armadas em uma tabela e erguidas a uma altura de 3 m. A tabela é um retângulo que tem 1,8 m de largura e 1 m de altura. Os jogadores sempre arremessam a bola em um ângulo que, ao bater na tabela, entra na cesta.

 

Quadra de Basquete

Quem é quem

O basquete pode ser jogado apenas com dois jogadores. Entretanto, os jogos de basquete organizados incluem dois times compostos de cinco jogadores cada um. Cada time pode ter mais que cinco jogadores, mas só cinco podem estar em quadra de cada vez.

O treinador do time determina quando os jogadores entram ou saem do jogo. Os jogadores reservas entram no jogo por meio de um processo chamado substituição, que somente ocorre quando o jogo pára, como durante um intervalo ou quando o árbitro marca uma violação.

Cada jogador de um time é classificado em uma posição. Há cinco posições em um time tradicional:

Posição dos Jogadores do Basquete

armador - esse jogador é, em geral, o melhor driblador e melhor passe de bola do time. O armador às vezes é chamado de ala esquerda, que indica o papel principal que desempenha;

lançador- também chamado de escolta, é geralmente o melhor arremessador do time. Esse jogador defende o armador e se move em torno da quadra para tentar ganhar espaço e fazer um arremesso que não seja bloqueado pelo oponente;

ala/pivô - o ala/pivô fica geralmente próximo da cesta e se movimenta para se desmarcar e receber a bola em condições de um arremesso intermediário. Eles são também muito habilidosos com rebotes;

ala/lateral - o extremo é em geral o jogador mais versátil do time, possuindo equilíbrio entre as várias habilidades; é melhor lançador que o ala/pivô, mas também menor que ele;

pivô - também chamado de central, costuma ser o jogador mais alto do time. O papel do central é estabelecer uma posição próxima à cesta, permitindo-lhe um arremesso fácil. Na defesa, ele tenta bloquear os arremessos e pegar os rebotes.

As roupas fazem o jogador

Os uniformes e outros itens usados pelos atletas são definidos pelo esporte que praticam. No basquete regulamentado, os jogadores do mesmo time usam camisetas oficiais e shorts combinando, que fazem um uniforme. Em geral, os times da casa usam camisas oficiais coloridas que mostram o nome do mascote, ao passo que os visitantes usam cores escuras mostrando o nome da cidade (NBA) ou faculdade.


Uniforme para jogo em casa dos Los Angeles Lakers
(32 é o número "aposentado" de Earvin "Magic" Johnson)

Roupa de Jogador de Basquete

Cada uniforme deve mostrar um ou dois dígitos na frente e atrás da camiseta oficial. Os números em uma camisa são usados para identificar um jogador. Na maioria dos casos, os dígitos podem ser somente 0, 1, 2, 3, 4 ou 5. Embora a NBA tenha permitido usar números maiores que 5, isso é muito raro. Essa limitação nos números permite ao árbitro usar as mãos para sinalizar o número do jogador que comete uma falta, evitando que um jogador usando o número 9 seja confundido com um outro usando o número 54.

Os uniformes evoluíram muito desde o primeiro jogo, em 1891. Naqueles anos, os jogadores usavam camisetas de lã com mangas compridas e calças longas. Não demorou muito para os jogadores e treinadores notarem que mangas longas atrapalhavam os movimentos dos braços quando a bola era lançada e que o peso dos uniformes causava fadiga entre os atletas.

Os shorts e camisetas sem mangas são agora o uniforme autorizado para os jogadores de basquete. Por décadas, eles usavam camisetas apertadas e shorts. Na década de 90, os jogadores começaram a usar uniformes mais folgados, um estilo que se popularizou pelo ícone da NBA, Michael Jordan. As regras da NBA afirmam que os shorts não podem ser mais longos que 2,5 cm acima do joelho, mas muitos jogadores não observam essa regra.

Outra peça importante é o tênis. No basquete, a maioria dos jogadores calça tênis de última linha. Eles dão melhor apoio aos tornozelos, bastante sujeitos a lesões em razão dos pulos e movimentos laterais rápidos.

Pontuação

O objetivo principal do basquete, como na maioria dos esportes, é superar a pontuação do oponente. No basquete, os jogadores marcam pontos ao lançarem a bola dentro da cesta, uma ação conhecida como arremesso.

Os pontos diferem dependendo de onde os jogadores estão quando arremessam a bola:

3 pontos

Atribuídos aos jogadores que fazem a cesta quando estão atrás da linha de 3 pontos;

2 pontos

Atribuídos aos jogadores que arremessam e fazem a cesta de qualquer lugar dentro da linha de 3 pontos. Isso pode ser feito após um pulo, uma passagem ou cravando a bola no cesto, a chamada enterrada;

1 ponto

Quando os jogadores sofrem falta, eles têm direito a arremessos de lance livre. Cada arremesso convertido vale 1 ponto.

Quando um jogador está fazendo um lance livre, os nove jogadores permanecem na quadra em posições determinadas. Eles podem ficar em blocos nas laterais do garrafão ou atrás do arremessador. Os jogadores do time de defesa podem ficar mais perto do aro durante o arremesso.

Regras do jogo

Pode parecer que o basquetebol não é nada mais que pôr uma bola em uma cesta. Entretanto, há certas regras que os times devem seguir para se ter um jogo justo. Os árbitros policiam a ação do jogo e apitam para indicar faltas. Os árbitros também usam sinais com as mãos para indicar o tipo de falta que ocorreu.

Uma partida oficial é jogada por um tempo determinado e o time que marca mais pontos ao fim desse tempo é declarado o vencedor. Se os dois times estão empatados no fim do jogo, ele vai para prorrogação, que dura cinco minutos, até que haja um vencedor ao final.

Dentro do jogo, há certas regras devem ser seguidas.

Aqui estão algumas das mais comuns:

se um time na ofensiva permite que a bola vá para trás da linha central e a toca antes de seu oponente, isso é chamado de falta de saída e o time adversário ganha a posse de bola;

um jogador deve quicar a bola - que no basquete é chamado drible - para se mover pela quadra. Um jogador pode dar somente dois passos com a bola na mão. Se um jogador bate a bola, pára e então volta a bater novamente, o árbitro apita dupla falta e o time adversário ganha a posse de bola;

pela regra, o basquete não é um esporte de contato físico, mas claro que, se você já viu um jogo, sabe que na verdade há muito contato. As faltas pessoais são aplicadas quando há muito contato físico. A infração é apitada quando um jogador ganha vantagem injusta pelo contato com o adversário. Na NBA, os jogadores são eliminados depois de cometer seis faltas. Na universidade, cinco faltas eliminam um jogador;

se um jogador não está driblando, ele pode se mover com um pé, contanto que mantenha o outro em contato com o chão: isso se chama pé de apoio. O pé de apoio deve permanecer constante. Se um jogador se move com os dois pés sem bater a bola, o árbrito considera uma falta;

se um jogador ou um técnico age de maneira inadequada, usando palavrões, por exemplo, os árbitros podem considerar faltas técnicas a seu critério. Na NBA, os jogadores e os técnicos são expulsos depois de terem recebido duas faltas técnicas.

Tempo!

24 segundos - na NBA, os times devem tentar um arremesso após no máximo 24 segundos de posse de bola ou uma infração será marcada, concedendo a bola ao adversário. O relógio reinicia a cada arremesso, quando a bola atinge o aro ou quando o time oponente toca a bola. Na liga universitária, os times têm 35 segundos.

Falta de 10 segundos - a regra diz que um time deve avançar a bola além da linha central em no máximo 10 segundos de posse da bola. Se não o fizer, ela será do time adversário.

Falta de posse de 5 segundos - se um jogador é coberto e não avança a bola dentro de 5 segundos, o time adversário ganha a posse de bola.

Falta de reposição de 5 segundos - se um jogador não recolocar a bola em jogo dentro de 5 segundos após um lateral ou falta, o time adversário ganha a posse de bola.

Regra dos 3 segundos - se um jogador na ofensiva permanece na trajetória por 3 segundos, o adversário ganha a posse de bola. Os 3 segundos reiniciam após cada arremesso tentado.
Para informações mais abrangentes sobre regras e faltas, veja Regras oficiais da NBA.

Essas regras permitem um jogo justo e uma experiência agradável para os fãs, fazendo com que os times continuem a jogar mesmo quando estão liderando por ampla vantagem. As regras também permitem que os jogadores se concentrem nos princípios fundamentais do jogo: passe, drible e arremesso.

Para mais informações sobre basquetebol e assuntos relacionados, confira os links na próxima página.

Fonte: lazer.hsw.com.br



Basquete no Brasil

13 de Setembro de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

O Brasil foi um dos primeiros países a conhecer a novidade. Augusto Shaw, um norte-americano nascido na cidade de Clayville, região de Nova York, completou seus estudos na Universidade de Yale, onde em 1892 graduou-se como bacharel em artes e onde Shaw tomou contato pela primeira vez com o basquete.

Dois anos depois, recebeu um convite para lecionar no tradicional Mackenzie College, em São Paulo. Na bagagem, trouxe mais do que livros sobre história da arte. Havia também uma bola de basquete. Mas demorou um pouco até que o professor pudesse concretizar o desejo de ver o esporte criado por James Naismith adotado no Brasil. A nova modalidade foi apresentada e aprovada imediatamente pelas mulheres. Isso atrapalhou a difusão do basquete entre os rapazes, movidos pelo forte machismo da época. Para piorar, havia a forte concorrência do futebol, trazido em 1894 por Charles Miller, e que se tornou a grande coqueluche da época entre os homens.

Aos poucos o persistente Augusto Shaw foi convencendo seus alunos de que o basquete não era um jogo de mulheres. Quebrada a resistência, ele conseguiu montar a primeira equipe do Mackenzie College, ainda em 1896. Uma foto enviada ao Instituto Mackenzie nos Estados Unidos, mostra o que seria a primeira equipe organizada no Brasil, justamente por Shaw. Estão identificados Horácio Nogueira e Edgar de Barros (em cima), Pedro Saturnino, Augusto Marques Guerra, Theodoro Joyce, José Almeida e Mário Eppinghauss (em baixo).


Primeira equipe de basquete no Brasil, formada por Augusto Shaw no Colégio Mackenzie (SP), em 1896.

Primeira equipe de basquete no Brasil, formada por Augusto Shaw no Colégio Mackenzie (SP), em 1896.

Shaw viveu no Brasil até 1914 e teve a chance de acompanhar a difusão do basquete no país. Faleceu em 1939, nos Estados Unidos.

A aceitação nacional do novo esporte veio através do Professor Oscar Thompson, na Escola Nacional de São Paulo e Henry J. Sims, então diretor de Educação Física da Associação Cristã de Moços (ACM), do Rio de Janeiro.

Em 1912, no ginásio da rua da Quitanda nº 47, no centro do Rio de Janeiro, aconteceram os primeiros torneios de basquete. Em 1913, quando da visita da seleção chilena de futebol a convite do América Futebol Clube, seus integrantes, membros da ACM de Santiago, passaram a freqüentar o ginásio da rua da Quitanda. Henry Sims, convenceu os dirigentes do América a introduzir o basquete no clube da rua Campos Salles, no bairro da Tijuca. Para animá-los, arranjou um jogo contra os chilenos oferecendo uma equipe da ACM, com o uniforme do América que triunfou pelo curioso score de 5 a 4. O plano vingou e o América foi o primeiro clube carioca a adotar o basquete.

As primeiras regras em português foram traduzidas em 1915. Nesse ano a ACM realizou o primeiro torneio da América do Sul, com a participação de seis equipes. O sucesso foi tão grande que a Liga Metropolitana de Sports Athléticos, responsável pelos esportes terrestres no Rio de Janeiro, resolveu adotar o basquete em 1916. O primeiro campeonato oficializado pela Liga foi em1919, com a vitória do Flamengo.

Em 1922 foi convocada pela primeira vez a seleção brasileira, quando da comemoração do Centenário do Brasil nos Jogos Latino-Americanos, um torneio continental, em dois turnos, entre as seleções do Brasil, Argentina e Uruguai. O Brasil sagrou-se campeão, sob a direção de Fred Brown. Em 1930, com a participação do Brasil, foi realizado em Montevidéu, o primeiro Campeonato Sul-Americano de Basquete.

Em 1933 houve uma cisão no esporte nacional, quando os clubes que adotaram o profissionalismo do futebol criaram entidades especializadas dos vários desportos. Nasceu assim a Federação Brasileira de Basketball, fundada a 25 de dezembro de 1933, no Rio de Janeiro. Em assembléia aprovada dia 26 de dezembro de 1941, passou ao nome atual, Confederação Brasileira de Basketball.

Fonte: www.colegiosaofrancisco.com.br



Regras do Basquetebol

13 de Setembro de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil - 2323 comentários

Noções básicas

O Jogo

O objetivo central do basquetebol é fazer cesta no time adversário, ou seja, fazer com que a bola passe por dentro do cesto adversário. Você pode fazê-lo de várias maneiras como arremessando a bola (jogando a bola com as mãos), enterrando (forçando a passagem da bola, com as mão, pelo cesto) ou tapeando (dar um tapa na bola fazendo-a cair no cesto). Mas sempre lembrando que deve-se respeitar as regras.

O jogo começa no circulo central quando, o árbitro, joga a bola ao alto fazendo a disputa de salto entre as equipes. O jogo, atualmente, corre em 4 períodos de 10 minutos cada. O cronômetro desse tempo deve parar a cada saída de bola ou parada do jogo (quando a bola estiver morta). O árbitro deve sinalizar a mesa a parada do cronômetro.

A equipe só pode começar um jogo se os padrões do mesmo forem cumpridos. São eles:

1.Ter no mínimo 8 jogadores aptos a jogar (5 em quadra e 3 no banco.) e no máximo 12 jogadores aptos a jogar.
2.Deve ter um técnico, e se o time preferir um assistente de técnico.
3.Deve também possuir um capitão do time.
4.Deve ter um uniforme com uma cor predominante e uma segunda cor.

As Faltas (Contato Físico)

No basquetebol, todo e qualquer contato físico que influencie na jogada, sendo de ataque ou defesa, é falta. Geralmente da defesa, mas também há de ataque.

Toda a vez que o defensor toca no atacante é falta mas a falta é dada apenas se o toque for relevante em relação ao jogo ou se for agressiva. Para um marcador não fazer falta ele deve ficar com uma certa distância do atacante para prever sua jogada e deve também manter seus braços ou erguidos ou abaixados. BRAÇOS PARA OS LADOS É FALTA !!! Ou seja se estou atacando e correndo em linha reta e bato no braço (que no caso está para o lado) de um defensor, isso é falta a meu favor.

Um jogador também não pode empurrar, abraçar, cotovelar, segurar ou soquear o atacante, sendo que estes também não podem ser feitos para o defensor.

Para todos estes tipos de faltas existe uma penalidade. Em caso de uma falta convencional, ou seja, um simples contato físico durante o jogo; o arbitro sinaliza a falta, o cronometro é interrompido e é dada uma reposição de bola de fora da quadra. Simplificando: É dado um lateral ao time que sofreu a falta.
Mas isso é apenas durante o jogo normal, durante uma troca de passes, infiltração ou um movimento qualquer. Agora, se a falta ocorrer durante um ato de arremesso, ai então é dada uma bonificação: Lances Livres. Se o jogador tomar a falta durante o ato de arremesso e converter a cesta (a bola precisa ter saído das mão do jogador antes do apito soar), então valem os pontos e é dado um(1) lance livre de bonificação; Se tomar a falta mas não converter a cesta, aí é dado dois(2) lances livres; e se o arremesso for para três pontos e não convertidos, é dado aí três(3) lances livres.

Mas nem todas as faltas são feitas pela defesa. As falta também podem ser de ataque - como dito antes. O jogador em posição ofensiva não pode forçar sua passagem (provavelmente em direção a cesta) sobre o corpo do adversário. Por exemplo, eu estou lhe marcando e você tenta passar reto por cima de mim usa a força do corpo. Isso é uma falta de ataque, e quando ocorre é dada uma reposição de bola pela lateral para o time adversário.

E como sempre, toda a regra tem uma exceção. Existem também as faltas antidesportivas. São aquelas falta mais graves, que vão contra o espírito esportivo do jogo como por exemplo, dar um soco no adversário, jogar a bola de propósito com força sobre um jogador, pegar a bola e chutá-la com força ...
esse tipo de coisas. Nestes casos a penalidade é diferente: É dado dois lances livres mais um lateral de ataque para o time que sofreu a falta.

Após 5 faltas pessoais, o jogador que as cometeu deverá ser substituído e não poderá voltar a jogar naquele jogo. Após 4 faltas coletivas (em cada período) todas as seguintes serão convertidas em dois lances livres.

Regras de Drible

Essa é uma regra um pouco complicada. A caminhada. A regra diz que você pode dar 2 tempos de passos, mas há algumas regras para esta regra. Em primeiro lugar, antes de picar a bola, ou seja, quando você recebe um passe de bola, não se pode dar nenhum passo. Deve-se picar, passar ou arremessar a bola. Digamos que depois de picar você pare a bola com as mãos, agora você não pode mais picar. Você está com os dois pés no chão; pode estabelecer-se um pé de apoio, ou seja, se você fixar um dos dois pés você poderá mover livremente o outro. Digamos agora que você fixa o outro pé e tira do chão o antigo apoio, VOCÊ JA USOU DOIS PÉS PARA APOIO, e se você encostar o outro no chão terá usado três apoios, o que não é permitido !!! Isso é caminhar.
Se o arbitro apitar a caminhada, será dada uma reposição de fora da quadra (lateral) para o oponente.

Mas o esquema dos passos não é a única restrição. Você também não pode: picar a bola, pegá-la com as mão e picá-la novamente; Não pode picar a bola com ambas as mão juntas; Não pode apoiar a bola por baixo, ou seja, conduzir a bola levando a mão sob a bola. Todos estes aspectos são considerados drible ilegal e tem a mesma penalidade da caminhada.

Regras de Tempo em Quadra

Falando sobre tempo, você não pode:

1.No 1º,2º e 3º período pode 1 tempo de 1 min. no 4º período, 2 tempos de 1 min.
2.Os intervalos entre cada período são de 2 minutos, mas entre o 2º e 3º há um intervalo de 15 minutos.
3.Não é permitido ficar dentro do garrafão por mais de 3 segundos com ou sem posse de bola.
4.Não é permitido ficar (com a bola) mais de 8 segundos na zona (lado da quadra) de defesa.
5.Após os 8 segundos mencionados acima, você tem 24 segundos para arremessar a bola (zona de ataque).
6.Quando há um marcador a menos de 1m de distância do atacante, o mesmo, não pode segurar a bola por mais de 5 segundos.

Fonte: www.geocites.com

Regras do Basquete

REGRAS 1

Duas equipes, com cinco pessoas cada, disputam a posse da bola para fazer pontos na cesta do adversário. A equipe tem de impedir que o grupo oponente faça pontos. O time vencedor é o que fizer o maior número de pontos ao final do tempo de jogo. Nos Jogos Olímpicos, cada partida dura no 40 minutos e é dividida em dois tempos de 20 min, com intervalo de cinco minutos entre ambos. Em outros torneios, a partida é dividida em quatro tempos com 10 minutos cada. Os técnicos podem pedir tempo (de 1 minuto) uma vez em cada período, com exceção do último quando pode pedir duas vezes. Cada time tem ainda 24 segundos para arremessar a bola. Se estourar o tempo, a bola passa automaticamente para o time oponente. A cada 4 faltas, o time ganha uma falta coletiva.

Rebotes no Basquete

REGRAS 2

O jogador deve locomover-se batendo a bola no chão. Dar três passos sem batê-la ou segurá-la por mais de 5 segundos é considerado falta, assim como tocar a bola com a perna ou impedir o movimento do adversário. No basquete há limite de faltas por equipe e por jogador. A partir da sétima falta acumulada por uma equipe, o adversário tem direito a um arremesso livre a cada nova infração. Se acertar, a cesta vale 1 ponto e o jogador pode arremessar novamente. Se errar, a bola volta ao jogo. Quando um jogador faz cinco faltas, é desclassificado, mas pode ser substituído.

Táticas de Ataque no Basquete

REGRAS 3

A quadra de basquete tem 26 metros de comprimento por 14 metros de largura. As cestas ficam fixadas em estruturas a 3,05 metros do chão nas extremidades da quadra. Quando a bola cai na cesta do campo adversário, o time ganha 2 pontos. Se o arremesso for feito antes da linha situada a 6,2 metros da cesta, ganha 3.

Base, Pontos e Faltas no Basquete

REGRAS 4

A Bola, A quadra, O Tênis no Basquete

Fonte: www.terra.com.br



Rian comemora a vitória da ADEC-Coité no Campeonato Baiano de Basquete

12 de Setembro de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

 

ADEC-Coité jogou bem e venceu o Independente de Senhor do Bonfim de 91 a 77, em partida válida pelo Campeonato Baiano de Basquete, neste sábado (12), no Ginásio de Esportes de Conceição do Coité.

Com a vitória o time coiteense conquistou a classificação para a próxima fase. Rian da ADEC comemorou enquanto Eugênio do Independente lamentou a derrota.


Ouça aqui os atletas - baixar em mp3

Leia mais aqui

Por Paulo Marcos

Mais informações no blogue do basquete

 



Basquete: Coité vence e se classifica para a próxima fase

12 de Setembro de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil - 1Um comentário

Img3953a

Num jogo de 168 pontos a "menina do placar" não ficou quieta. ADEC-Coité jogou bem e venceu o Independente de Senhor do Bonfim de 91 a 77, em partida válida pelo Campeonato Baiano de Basquete.

Durante os três primeiros tempos Coité manteve a diferença média de 20 pontos, acabou vencendo com 14 pontos de diferença e conquistando a classificação para a próxima fase do baianão.

Img3701a

Arbitragem não teve muito trabalho. Foi tudo tranquilo. Trabalharam neste jogo: Apontadora - Uilma Nascimento; Cronometrista: Gércia Silva; Árbitro - Pedro Ribeiro; Fiscal - João Silva Neto.

O duelo no jogo de ida

A ADEC-COITÉ venceu o primeiro jogo do Campeonato Baiano do Basquete, no sábado (11 de julho), no Ginásio Municipal Paulo Braga, em Senhor do Bonfim. A equipe coiteense encarou o time do Independente que também é estreante na competição.

O jogo foi bastante disputado e o time da casa chegou a vencer os 3 primeiros quartos. No último tempo de 10 minutos aconteceu um empate impressionante em 65 a 65. Na prorrogação de 5 minutos o cestinha do jogo com 22 pontos, Frank Cedraz, fez a festa e decidiu o jogo. ADEC-Coité conquistou a primeira vitória na competição por 82 a 73.

Img3807a

Neste domingo tem mais um jogo

A Liga Bonfinense que derrotou ADEC-COITÉ de 91 a 53 no jogo de ida em julho, em Senhor do Bonfim, já está em Coité para mais uma partida.

Líder do grupo do interior e invicta em 06 jogos, a equipe da Liga Bonfinense/PMSB, tem 12 pontos contra 10 de Coité. O jogo será às 11h da manhã, no Ginásio de Esporte de Coité.

Decisão da 10ª Copa ADEC de Volleyboll Masculino

Também neste domingo (13), acontece a decisão da Copa ADEC de Volei. Jogam às 9h da manhã, Shattu's x Serrinha. Os dois times venceram nas semifinais disputadas na tarde deste sábado: Jacobina 0 x 3 Serrinha e CTA 0 x 3 Shattu's.



Bahia perde jogo e ainda pode perde mais 3 pontos

12 de Setembro de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Praca146

O Bahia que perdeu por 4 a 1, neste sábado à tarde, no estádio Pituaçu, em Salvador, ainda corre o risco de perder três pontos na classificação da Série B e até ser suspenso da Copa do Brasil do ano que vem.

O árbitro sergipano Antônio Hora Filho denunciou na súmula da partida contra o São Caetano, disputada no dia 29 de agosto, no estádio Pituaçu, em Salvador, que o médico Daniel José de Araújo Silva teria dado ordem para que o atacante Nadson caísse no gramado, pois o Bahia vencia por 3 a 1, e o jogo se encaminhava para o fim.

Baea

Por isso, o Bahia foi denunciado com base no artigo 205 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD): dar causa à não realização ou impedir o prosseguimento de partida, prova ou equivalente que estiver disputando, por simulação de contusão ou por insuficiência numérica intencional de seus atletas. Na prática, o artigo fala no popular cai-cai.

A punição é pesada: multa que vai de R$ 10 mil a R$ 200 mil, perda dos pontos da partida - que são dados à outra equipe - e a proibição de participar da próxima competição organizada pela CBF, no caso a Copa do Brasil.

Na súmula, Antônio Hora Filho atribuiu a Daniel José de Araújo Silva a seguinte ordem para Nadson: “Cai no chão que nós estamos ganhando”. Ainda no relatório, o árbitro afirma que foi ofendido pelo médico. Quando foi pedir para que o jogador fosse atendido fora do gramado, teria ouvido: “Vai apitar, sua m..., que isso aqui é caso de vida ou morte”.

Torcida_bahia_comemora

Por conta disso, o médico também foi denunciado. Ele vai responder por manifestação desrespeitosa à arbitragem (artigo 188), que prevê pena de 30 a 180 dias de suspensão.

- Em nenhum momento dei ordem para que o jogador caísse e muito menos ofendi a arbitragem. O Nadson passou mal, vomitou no gramado. Apenas expliquei ao árbitro que isso é perigoso, que a pessoa pode até morrer de um mau súbito - defendeu-se Daniel José de Araújo.

Da redação com informações de Adilson Barros do portal do Globo Esporte.

Reprodução/CBF

Árbitro Antôio Hora Filho diz, na súmula, que médico do Bahia pediu a Nadson para cair no gramado

0__21920114-ex_00

 



Lula será cidadão feirense

12 de Setembro de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

 

Lula

Depois de Aécio Neves (PSDB) governador de Minas Gerais receber o título de cidadão baiano na semana passada, e na oportunidade recebeu duras criticas de parte da imprensa baiana, quando dizia que o tucano não tinha motivos da tamanha homenagem por não possui vinculo direto com a Bahia, agora foi a vez da Câmara Municipal de Feira de Santana, aprovar o projeto de decreto do legislativo de autoria do vereador Ângelo Almeida (PT), que vê grande merecimento a outorga do titulo de cidadão feirense a Luiz Inácio Lula da Silva.

A aprovação aconteceu durante a sessão da última quarta-feira (09), cujo projeto foi votado em bloco e aprovado por unanimidade. “Essa é uma forma de reconhecimento do trabalho realizado pelo governo Lula em Feira de Santana desde que assumiu a presidência em 2003”, destacou o parlamentar.

Por: Raimundo Mascarenhas

 



Prefeito de Água Fria é intimado pela Justiça Eleitoral

12 de Setembro de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil - 1Um comentário

Logo_justica_eleitoral

O prefeito de Água Fria, Adailton nunes (PP), voltará a prestar depoimento à Justiça Eleitoral nos dias 15 e 30 de outubro e dia 6 de novembro de 2009. Ele está sendo ouvido num processo que visa apurar denuncias sobre o uso de recursos públicos na última eleição municipal.

A última audiência ocorreu nesta sexta-feira (11) na Comarca de Irará. Segundo divulgou, a Rádio Comunitária Água Fria FM, estavam presentes nesta audiência: José Bailton (denunciante), o prefeito Adailton Nunes e Manoel Alves Potinha (ex-prefeito).

O caso está sob comanda da Juíza Eleitoral Giselle de Fátima Cunha e da promotora Rita Mácia.

Saiba mais: José Bailton Correia foi candidato a prefeito pelo (PMDB) perdendo a eleição para o atual prefeito por uma diferença de 251 votos. No mandato do ex-prefeito Manoel Potinha, o pmdebista José Bailton também acionou a justiça Eleitoral pelo mesmo motivo e o ex-prefeito (Potinha) foi afastado do cargo por nove meses, em 2007.

Por Paulo Marcos com informações de Jairo Bispo



Notícias 07 de setembro

7 de Setembro de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Grito dos Excluídos: programação e histórico em Salvador

Bandeira_gde1

Vida em Primeiro Lugar: A Força da transformação está na organização popular. Este é o tema do Grito dos Excluídos deste ano, tradicional manifestação popular que acontece anualmente no dia 07 de setembro em diversas cidades do Brasil e da América Latina. Leia mais.

Representantes de órgãos de garantia dos direitos da criança e do adolescente participam de oficina de capacitação

Oficinajua_setembro

Representantes de órgãos governamentais e não governamentais de defesa dos direitos da criança e do adolescente nas cidades de Juazeiro, Sobradinho e Curaçá participaram da 4° oficina de capacitação do projeto Gerando Cidadania. Nesta edição da oficina, os participantes discutiram o plano de ação e aplicação do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) nas dez cidades que fazem parte do projeto. Leia mais.

Com lincença e por favor pode mudar vidas

Wallpaper_03_800x600

Eu vi a história de um garoto que aos seis anos foi internado por sua mãe em uma instituição para menores carentes em Belo Horizonte. Foi no cinema mas é verdadeira. A história se parece com muito de nós brasileiros mesmo aqueles que não "conviveram" nas FEBEMs. O file "O Contadr de Histórias" foi produzido "sob os auspícios da Unesco" não tem nenhum grande famoso no elenco, mas tem lições de vida para o povo do Brasil. Leia mais.

 

Site vai monitorar projetos ligados à infância

Não há independência sem respeito à Constituição*

O que o Congresso tem feito pela infância e a adolescência do Brasil? Será mais fácil responder a essa pergunta com a ferramenta lançada na Câmara dos Deputados: o site do projeto Criança e Adolescente: Prioridade no Parlamento – uma iniciativa do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda) e dos parceiros Inesc, Unicef, Fórum DCA e Frente Parlamentar da Criança e do Adolescente. Leia mais.

Em sete de setembro de 1980, o Padre Vito Miracapillo, pároco de Ribeirão – PE, recusou-se a celebrar um missa pela independência do Brasil. A justificativa do Padre Italiano era de que o Brasil ainda não era um país independente e o povo não tinha liberdade e nem motivos para comemorar. Leia mais.

 

Bahia sedia lançamento da terceira edição do Prêmio ODM Brasil

Representantes de organizações da sociedade civil e dos governos estadual, federal e municipal participaram na Casa do Comércio, em Salvador, no mês de agosto, do lançamento da terceira edição do Prêmio Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM Brasil), que tem inscrições abertas até 02 de outubro. Saiba mais aqui.

Inscrições no prêmio:

 

Baixe o regulamento do Prêmio ODM Brasil aqui

Período de inscrições
Pelo correio: postagem até 21 de setembro 2009.
Via internet: 2 de outubro 2009 até 23h55min.

.: Acesse, abaixo, a ficha de inscrição:

Gerando Cidadania é livre!

O Projeto Software Livre Brasil é uma rede social, mantida pela Associação Software Livre.org, que reúne universidades, empresários, poder público, grupos de usuários, hackers, ONG's e ativistas pela liberdade do conhecimento.

Como objetivo a promoção do uso e do desenvolvimento do software livre como uma alternativa de liberdade econômica e tecnológica.

Que é Software Livre?

Nós mantemos esta definição do Software Livre para mostrar claramente o que deve ser verdadeiro à respeito de um dado programa de software para que ele seja considerado software livre.

"Software Livre" é uma questão de liberdade, não de preço. Para entender o conceito, você deve pensar em "liberdade de expressão", não em "cerveja grátis".

UNICEF EM PAUTA

© unite for climate

Crianças e adolescentes unidos para tratar da mudança climática

Por meio de redes sociais e ferramentas oferecidas pelo site Unidos pelo Clima, cidadãos jovens poderão se conectar, compartilhar conhecimento, aprender e se engajar.

Leia mais no site do UNICEF.

© SEDH

Lançado Portal do Observatório Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente

O Portal foi criado para integrar e compartilhar as inúmeras informações sobre as políticas públicas na garantia dos direitos de crianças e adolescentes.

Leia mais no site do UNICEF.



Tags deste artigo: bahia artes bacia do jacuípe cultura radialista rádio tv esportes