Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

pm@paulomarcos.com | msg: 74.9110 4596
Jornalismo no Rádio, TV e Internet

http://www.dotpod.com.ar/wp-content/uploads/2008/06/sonico-logo.jpg

 

 

http://static.wix.com/media/1ff96be45122890f6b04ceeaa7dbd2d3.wix_mp

PM no Twitter

Invalid feed format.

Este perfil não tem posição geográfica registrada.

Paulo Marcos

Paulo Marcos
Pintadas - Bahia - Brasil
 Voltar a Paulo Marcos...
Tela cheia

Estado brasileiro pede perdão à Paulo Freire

27 de Novembro de 2009, 0:00 , por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 1147 vezes

Em julgamento realizado ontem, (26/11), durante o Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica, o educador Paulo Freire foi anistiado pela Comissão de Anistia do Ministério da Justiça.

O relator do processo, Edson Pistori, afirmou que a perseguição a Paulo Freire é coletiva e atinge diretamente todo o povo brasileiro. O requerimento feito pela viúva Ana Maria Freire, em 2007.

O relator pediu desculpas aos familiares e amigos de Freire, mas também a cada brasileiro que ainda hoje vivem sem a possibilidade de ler e compreender a realidade em que vivem.

Paulo Freire morreu há dez anos e é um dos mais reconhecidos educadores brasileiros no mundo. Com a ditadura o professor foi aposentado contra vontade e teve que interromper o trabalho de alfabetização de jovens e adultos que desenvolvia junto ao Ministério da Educação.

O professor foi preso por 70 dias e depois não teve outra escolha a não ser o exílio que durou 16 anos. A viúva Ana Maria considera que o exílio foi o maior castigo que a ditadura impôs à Freire. E acredita que o sofrimento pelo qual passou no exílio foi um dos motivos que causaram sua morte, em 1997.

Moacir Gadotti, presidente do Instituto Paulo Freire, afirmou que a anistia é um ato simbólico e pedagógico, importante para preservar a memória do educador. A anistia é também uma reparação pela injustiça. Entretanto, acredita que Paulo Freire "será plenamente anistiado quando o Brasil não tiver mais analfabetos".

O analfabetismo no Brasil permanece praticamente o mesmo desde a época em que Freire foi para o exílio, em 1964. Dados do IBGE indicam que o Brasil ainda tem mais de 16 milhões de analfabetos.

Fonte: Agência Pulsar/Ciranda


Tags deste artigo: justiça anistia brasil pulsar paulo freire julgamento

0sem comentários ainda

Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.