Ir para o conteúdo
ou

Logo noosfero

ODF Alliance Award

Furusho

TDF Planet

redirection forbidden: http://planet.documentfoundation.org/atom.xml -> https://planet.documentfoundation.org/atom.xml

BR.Linux.org

redirection forbidden: http://br-linux.org/feed -> https://br-linux.org/feed

Seja Livre!

redirection forbidden: http://sejalivre.org/feed/ -> https://sejalivre.org/feed/

Linux Feed

getaddrinfo: Name or service not known

Computerworld

getaddrinfo: Name or service not known

PC World

getaddrinfo: Name or service not known

IDG Now!

getaddrinfo: Name or service not known

Info

Invalid feed format.

Users SL Argentina

redirection forbidden: http://drupal.usla.org.ar/rss.xml -> https://cobalto.gnucleo.net/rss.xml

Tecno Libres - Cubas

redirection forbidden: http://gutl.jovenclub.cu/feed -> https://gutl.jovenclub.cu/feed

Software Libre Peru

Linux Venezuela

Invalid feed format.

GNU/Linux Paranguay

getaddrinfo: Name or service not known

Soft Libre Honduras

Invalid feed format.

 Voltar a FREE SOFTWAR...
Tela cheia

Servidores de aplicação e máquinas virtuais

29 de Dezembro de 2011, 0:00 , por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 814 vezes

Enviado por André Felipe Dias (andref·diasΘpronus·eng·br):

“A preparação de um servidor de aplicação é complicada e demorada. Nem sempre o responsável pela tarefa é especialista nas aplicações requisitadas. Até entender o básico da aplicação, todas as dependências e opções de instalação e configuração etc. e preparar o servidor, podem passar dias e até mesmo semanas. Mesmo assim, é possível que o resultado fique longe do ideal.

Este primeiro artigo apresenta um caso baseado em fatos reais com relato de vários problemas enfrentados durante a instalação do Redmine e Mercurial em um servidor.” [referência: pronus.eng.br]


Fonte: http://br-linux.org/2011/servidores-de-aplicacao-e-maquinas-virtuais/

0sem comentários ainda

Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.