Gehe zum Inhalt
oder

Logo noosfero

ODF Alliance Award

Furusho

TDF Planet

redirection forbidden: http://planet.documentfoundation.org/atom.xml -> https://planet.documentfoundation.org/atom.xml

BR.Linux.org

redirection forbidden: http://br-linux.org/feed -> https://br-linux.org/feed

Seja Livre!

404 Not Found

Linux Feed

getaddrinfo: Name or service not known

Computerworld

getaddrinfo: Name or service not known

PC World

getaddrinfo: Name or service not known

IDG Now!

getaddrinfo: Name or service not known

Info

Invalid feed format.

Mein Netzwerk

Users SL Argentina

redirection forbidden: http://drupal.usla.org.ar/rss.xml -> https://cobalto.gnucleo.net/rss.xml

Tecno Libres - Cubas

redirection forbidden: http://gutl.jovenclub.cu/feed -> https://gutl.jovenclub.cu/feed

Software Libre Peru

Invalid feed format.

Linux Venezuela

Invalid feed format.

GNU/Linux Paranguay

getaddrinfo: Name or service not known

Soft Libre Honduras

Invalid feed format.

Linux Rep.Dominicana

404 Feed not found error: FeedBurner cannot locate this feed URI.

 Zurück zu FREE SOFTWAR...
Vollbild

Framework Demoiselle apresenta novidades no Consegi

August 11, 2010 0:00 , von Software Livre Brasil - 0no comments yet | Es folgt noch niemand diesem Artikel.
1553 Mal angesehen:

http://softwarelivre.org/articles/0013/0943/Demoiselle_Framework.gif?1255712781O Demoiselle Framework é uma integração de várias tecnologias de software e uma arquitetura de referência. Agora, em 2010, será realizado o I Encontro Demoiselle, com palestras e discussões a respeito da sua usabilidade e sua importância para o governo eletrônico. O tema será abordado por: Antônio Carlos Tiboni, da Coordenação de Tecnologia do Serpro; Bruno Souza, presidente do SouJava e coordenador do Núcleo de Computação em Nuvem do LSI/USP; e Fabiane Bizinella Nardon, líder do grupo de pesquisa de computação na nuvem do LSI/USP.

Confira a entrevista com Antônio Carlos Tiboni sobre o que mudou no governo eletrônico desde a criação do Demoiselle, em março de 2009, e sobre as principais atrações do congresso.

Como você divide o pré e o pós-Demoiselle?
Antes da criação do projeto Demoiselle, não tínhamos um padrão no desenvolvimento de aplicações no Serpro e nem em outras entidades do governo. Agora, todos os sistemas comprados ou desenvolvidos para órgãos federais deverão utilizar a plataforma Demoiselle. As linguagens e outros aspectos que balizaram a elaboração da plataforma constituem padrões, o que facilitará sua adoção, não só por parte dos responsáveis pelas áreas de TI nos órgãos federais, como também pelas próprias empresas fornecedoras de soluções para o governo. Deste modo, o Governo Federal não precisará comprar produtos, mas, sim, contratar serviços, para os quais não necessitará de treinamentos específicos.

A adoção do Demoiselle pretende acelerar a integração de sistemas, aumentar a produtividade e eliminar o retrabalho. As premissas que nortearam a elaboração da Demoiselle estabeleciam que a plataforma deveria ser extensível, fácil de usar, estável, configurável, confiável e ter sua documentação publicada, objetivando atingir padronização, redução da curva de aprendizagem, maior produtividade, simplificação dos processos, reutilização de códigos e uma manutenção mais simplificada.

Você falou muito nas empresas do governo, mas e o mercado privado? O que ele ganha com o Demoiselle?
Com o Demoiselle, o governo não precisa se preocupar em fazer todo o desenvolvimento de seus sistemas, podendo contratar a iniciativa privada, controlando a tecnologia e ajustando a sua operação depois. Desta forma, ganham tanto o governo quanto as empresas privadas. Com o não pagamento de licenças de software, a expectativa é de que haja redução de 50% nos custos de operação e manutenção dos sistemas. Além disso, a ferramenta não se limita a aplicações para o governo, podendo ser utilizada livremente.

Qualquer pessoa pode baixar e utilizar o framework?
Sim, qualquer pessoa pode baixar o código do Demoiselle, criar aplicações e vendê-las, sem ter que investir em infraestrutura de software para desenvolvimento. A arquitetura de acoplamento fraco, orientada a componentes, permite que qualquer desenvolvedor customize o Demoiselle para seus propósitos particulares. Ou seja, o Serpro está fomentando a indústria nacional de software ao oferecer, para os desenvolvedores, uma plataforma completa que integra diversas tecnologias e frameworks especialistas, além da experiência dos projetos em Java construídos no Serpro, presentes nos padrões adotados na codificação.

Essa oportunidade de negócio é assegurada pelo fato de o Demoiselle ser disponibilizado sob a licença LGPL 3. Qualquer componente utilizado ou desenvolvido para ele deve ser compatível com essa licença. Mas a LGPL, ao contrário da GPL, não obriga os softwares gerados com o Demoiselle a serem livres e abertos. Essa flexibilidade dá ao desenvolvedor a liberdade de escolher se quer ou não abrir suas aplicações, permitindo a criação de softwares proprietários, conforme a conveniência ou necessidade.

Ressaltando o aspecto da licença, apesar de ter sido feito para atender ao Governo Federal, o Demoiselle é um software livre e o seu desenvolvimento é feito de forma colaborativa. Assim, você também pode ajudar na sua evolução, quando reporta erros, sugere melhorias, submete código, ajuda na documentação, traduz, ou, simplesmente, diz que está usando-o.

O Consegi deste ano tem como tema principal, a Computação em Nuvem. Como o Demoiselle se insere neste contexto?
Existem duas possibilidades. A primeira possível é a hospedagem de aplicações Demoiselle em uma nuvem. A segunda, que pode ser incluída no roadMap do projeto, é a disponibilização de um ambiente de desenvolvimento Demoiselle por meio de uma nuvem.

O Bruno Souza [presidente do SouJava] demonstrou que é muito simples colocar uma aplicação Demoiselle, na nuvem. No último dia do XI FISL (Fórum Internacional de Software Livre, realizado na cidade de Porto Alegre), ele criou uma aplicação com o Demoiselle Crud, rodando sobre a OpenJDK, e a carregou para a nuvem da Amazon.

Neste Consegi, ocorrerá o I Encontro Demoiselle. Qual o principal objetivo deste evento?
A ideia é que ele seja anual, para a comunidade se reunir para apresentação de trabalhos, discussão das tecnologias envolvidas e analisar os rumos do projeto.

Você vai realizar três das cinco palestras do encontro. Uma delas é sobre as novidades do Demoiselle. Que novidades são estas?
As principais novidades que vou abordar são: Monitoração de Aplicações Java com Demoiselle Monitoring; Produtividade em Java com Demoiselle CRUD; e Processo Ágil de Desenvolvimento. E falarei também do livro técnico do projeto a ser lançado em PDF, com possibilidade de publicação impressa no futuro.

***

Saiba mais sobre o Encontro Demoiselle. Acesse o sítio do Consegi.

* fonte: Comunicação Consegi


Tags zu diesem Artikel: pinhão demoiselle serpro paraná framework furusho celepar

0no comments yet

Einen Kommentar schreiben

Die Felder sind zwingend erforderlich.

Wenn Sie ein registrierter Nutzer sind, dann können Sie sich anmelden und automatisch unter Ihrem Namen arbeiten.