Go to the content
or

Logo noosfero

ODF Alliance Award

Furusho

TDF Planet

redirection forbidden: http://planet.documentfoundation.org/atom.xml -> https://planet.documentfoundation.org/atom.xml

BR.Linux.org

redirection forbidden: http://br-linux.org/feed -> https://br-linux.org/feed

Seja Livre!

redirection forbidden: http://sejalivre.org/feed/ -> https://sejalivre.org/feed/

Linux Feed

getaddrinfo: Name or service not known

Computerworld

getaddrinfo: Name or service not known

PC World

getaddrinfo: Name or service not known

IDG Now!

getaddrinfo: Name or service not known

Info

Invalid feed format.

La mia Rete

Users SL Argentina

redirection forbidden: http://drupal.usla.org.ar/rss.xml -> https://cobalto.gnucleo.net/rss.xml

Tecno Libres - Cubas

getaddrinfo: Name or service not known

Linux Venezuela

Invalid feed format.

GNU/Linux Paranguay

getaddrinfo: Name or service not known

Soft Libre Honduras

Invalid feed format.

 Go back to FREE SOFTWAR...
Full screen

BrOffice Farm – A Revolução dos Bichos

Febbraio 22, 2011 0:00 , by Software Livre Brasil - 0no comments yet | No one following this article yet.
Viewed 737 times

http://softwarelivre.org/image_uploads/0000/0982/bardo_big.jpg?1243636013Antes de mais nada, preciso dizer que não sou membro efetivo nem da comunidade BrOffice, nem da ONG BrOffice.org. Conheço o trabalho do Claudio Ferreira Filho (por alto, de longe, mas conheço) desde a época em que a comunidade se chamava OpenOffice.org e nem se pensava em ONG. Hoje contribuo apenas com o projeto da Revista BrOffice, através da série Redblade, que vem sendo publicada lá. Penso eu que é mais uma contribuição deles me cedendo espaço do que uma contribuição minha fornecendo material, mas enfim…

Tive o prazer de conhecer pessoalmente essa personalidade do Software Livre nacional, inclusive o entrevistei há vários anos na Semana Azul (um evento online que fiz na época que tentava difundir a tecnologia Mozilla de desenvolvimento de aplicações). Tenho uma grande admiração pelo Claudio. Ultimamente conversamos pouco, mas a gente sempre trocava ideias via Jabber. Não foi à toa que o meu segundo cordel na área de militância foi justamente o Cordel do BrOffice.

Para resumir a história…

  1. Claudio conheceu alguns softwares livres e começou a utilizar, constatando sua qualidade.
  2. Ao pesquisar mais sobre o porque de esses aplicativos estarem ali disponíveis a qualquer um, ele descobriu o movimento pelo Software Livre e ficou maravilhado.
  3. Seu espírito escoteiro desejou de alguma forma contribuir com os projetos. Logo encontrou um modo: iria manter a tradução de alguns programas para Português Brasileiro.
  4. Nasceu o Complexo Claudio Ferreira. Um site no Geocities onde o Claudio mantinha tradução do GIMP, Mozilla Suite (Firefox nem sonhava ainda em nascer) e, claro, o OpenOffice.org.
  5. Daí nasceram as comunidades nacionais para os três programas. Com o crescimento dessas comunidades, o Claudio foi deixando as “filhotas” caminharem sozinhas e concentrou seus esforços mais no grupo que traduzia o OpenOffice.org. O grupo se chamava OpenOffice.org.br.
  6. Na luta para que o OpenOffice.org fosse adotado por empresas e na esfera pública, Claudio notava uma dificuldade cada vez mais evidente: empresas públicas têm processos (e grandes empresas particulares também) e é muito difícil que se contrate serviços de pessoas físicas. Era necessário alguma entidade burocrática que desse segurança no relacionamento com esse pessoal.
  7. Paralelamente, uma empresa brasileira questionava o nome da comunidade. “OpenOffice.org.br” não poderia ser utilizado porque essa empresa havia registrado (alguns anos antes) a marca “Open Office”.
  8. Unindo os dois problemas, Claudio decidiu criar o BrOffice.org. Seria uma marca nova, encapsulando a marca “OpenOffice.org” no Brasil (evitando confronto jurídico com a tal empresa da marca “Open Office”) e, aproveitando a situação, nascia também uma ONG. Uma pessoa jurídica cujo principal propósito seria o de apoiar a comunidade brasileira que havia em torno do então BrOffice.org.
Broffice

Talvez haja uma ou outra imprecisão. Talvez pareça uma história muito romântica, mas com base no que me lembro dos fatos, o que aconteceu não foi distante disso. Desde sempre Claudio é uma pessoa preocupada com os aspectos sociais e com a comunidade. Este é o presidente da ONG BrOffice.org.

Acontece que este ano o Claudio publicou uma carta aberta, esclarecendo qual o papel da ONG e trazendo à tona um problema: um novo conselho administrativo estava desvirtuando tudo, tentando controlar a comunidade para satisfazer interesses pessoais. A carta de Claudio é uma denúncia.

E agora temos um abaixo assinado pela comunidade exigindo algumas ações, na esperança de se reverter tudo isso e que a ONG BrOffice.org volte a ser uma ferramenta de apoio à comunidade e não ao umbigo de alguns. No manifesto deste abaixo-assinado, falam até em perseguições ao Claudio por membros do novo conselho.

Visitem lá e ajudem a mostrar a força da comunidade, que merece respeito; do presidente Claudio, que merece respeito; contra esse grupo de aproveitadores!

Agora, só para concluir. Assisti recentemente ao filme A Revolução dos Bichos, baseado na obra de George Orwell. Recomendo que assistam. É absurdamente fácil traçar um paralelo entre o teatro criado pelo autor e a realidade do BrOffice. Os porcos tomaram o poder e fico feliz ao ver que os outros animais perceberam que Snowball é que está certo e ver que estão se juntando do lado dele contra Napoleão. Ainda há esperança! Vamos reverter essa presepada!

por Cárlisson Galdino

* fonte: Blog de Cárlisson Galdino


This article's tags: furusho broffice cláudio filho cárlisson galdino

0no comments yet

Post a comment

The fields are mandatory.

If you are a registered user, you can login and be automatically recognized.