Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

Tela cheia Sugerir um artigo
 Feed RSS

Notícias da Comunidade Firefox Brasil

17 de Julho de 2009, 0:00 , por Software Livre Brasil - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.

The Document Foundation dá as boas vindas à contribuição da Canonical (Ubuntu)

23 de Fevereiro de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

A The Document Foundation, mantenedora do LibreOffice (BrOffice), divulgou suas boas vindas à contribuição da Canonical ao desenvolvimento do aplicativo. A Fundação informa que a Canonical (Ubuntu) colocou um desenvolvedor para atuar em período integral no projeto.

Este desenvolvedor é Bjoern Michaelsen, que recentemente deixou a Oracle e é descrito como tendo conhecimento profundo de seu código. (via h-online.com)



A BrOffice Projeto Brasil: Convocatória para Assembleia Geral Ordinária de 2011

23 de Fevereiro de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

A BrOffice.org – Projeto Brasil convoca os seus membros e demais interessados das comunidades de software livre a participar da Assembleia Geral Ordinária de 2011, a ser realizada no dia 17 de março de 2011, as 09:00 (horário de Brasília), com mais de 50% (cinquenta por cento) dos membros votantes ou, em não havendo quórum, as 09:30 com qualquer número de presentes, nas instalações da 4Linux, cito a Rua Teixeira da Silva, 660 - térreo, Paraíso, São Paulo - SP,

Broffice

para deliberar sobre os seguintes temas:

  • Prestação de contas das Atividades e Financeiro de 2010;

  • Prestação de contas do Conselho Fiscal de 2010;

  • Alinhamento dos objetivos institucionais da Associação;

  • Votação sobre manter a linha de prestação de serviços e convênios pela Associação;

  • Votação sobre a manutenção do status de OSCIP;

  • Eleição dos novos conselhos administrativo e fiscal;

  • Reforma estatutária;

  • Votação sobre a mudança da sede para adequar a gestão da Associação;

  • Votação, em caso de não alinhamento institucional, sobre a extinção da Associação e destinação de seus bens.

 

Internet, 22 de fevereiro de 2011
Claudio Ferreira Filho
Presidente da Associação BrOffice.org - Projeto Brasil

* fonte: Broffice



A BrOffice Projeto Brasil: Convocatória para Assembleia Geral Ordinária de 2011

23 de Fevereiro de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

A BrOffice.org – Projeto Brasil convoca os seus membros e demais interessados das comunidades de software livre a participar da Assembleia Geral Ordinária de 2011, a ser realizada no dia 17 de março de 2011, as 09:00 (horário de Brasília), com mais de 50% (cinquenta por cento) dos membros votantes ou, em não havendo quórum, as 09:30 com qualquer número de presentes, nas instalações da 4Linux, cito a Rua Teixeira da Silva, 660 - térreo, Paraíso, São Paulo - SP,

Broffice

para deliberar sobre os seguintes temas:

  • Prestação de contas das Atividades e Financeiro de 2010;

  • Prestação de contas do Conselho Fiscal de 2010;

  • Alinhamento dos objetivos institucionais da Associação;

  • Votação sobre manter a linha de prestação de serviços e convênios pela Associação;

  • Votação sobre a manutenção do status de OSCIP;

  • Eleição dos novos conselhos administrativo e fiscal;

  • Reforma estatutária;

  • Votação sobre a mudança da sede para adequar a gestão da Associação;

  • Votação, em caso de não alinhamento institucional, sobre a extinção da Associação e destinação de seus bens.

 

Internet, 22 de fevereiro de 2011
Claudio Ferreira Filho
Presidente da Associação BrOffice.org - Projeto Brasil

* fonte: Broffice



BrOffice Farm – A Revolução dos Bichos

22 de Fevereiro de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

http://softwarelivre.org/image_uploads/0000/0982/bardo_big.jpg?1243636013Antes de mais nada, preciso dizer que não sou membro efetivo nem da comunidade BrOffice, nem da ONG BrOffice.org. Conheço o trabalho do Claudio Ferreira Filho (por alto, de longe, mas conheço) desde a época em que a comunidade se chamava OpenOffice.org e nem se pensava em ONG. Hoje contribuo apenas com o projeto da Revista BrOffice, através da série Redblade, que vem sendo publicada lá. Penso eu que é mais uma contribuição deles me cedendo espaço do que uma contribuição minha fornecendo material, mas enfim…

Tive o prazer de conhecer pessoalmente essa personalidade do Software Livre nacional, inclusive o entrevistei há vários anos na Semana Azul (um evento online que fiz na época que tentava difundir a tecnologia Mozilla de desenvolvimento de aplicações). Tenho uma grande admiração pelo Claudio. Ultimamente conversamos pouco, mas a gente sempre trocava ideias via Jabber. Não foi à toa que o meu segundo cordel na área de militância foi justamente o Cordel do BrOffice.

Para resumir a história…

  1. Claudio conheceu alguns softwares livres e começou a utilizar, constatando sua qualidade.
  2. Ao pesquisar mais sobre o porque de esses aplicativos estarem ali disponíveis a qualquer um, ele descobriu o movimento pelo Software Livre e ficou maravilhado.
  3. Seu espírito escoteiro desejou de alguma forma contribuir com os projetos. Logo encontrou um modo: iria manter a tradução de alguns programas para Português Brasileiro.
  4. Nasceu o Complexo Claudio Ferreira. Um site no Geocities onde o Claudio mantinha tradução do GIMP, Mozilla Suite (Firefox nem sonhava ainda em nascer) e, claro, o OpenOffice.org.
  5. Daí nasceram as comunidades nacionais para os três programas. Com o crescimento dessas comunidades, o Claudio foi deixando as “filhotas” caminharem sozinhas e concentrou seus esforços mais no grupo que traduzia o OpenOffice.org. O grupo se chamava OpenOffice.org.br.
  6. Na luta para que o OpenOffice.org fosse adotado por empresas e na esfera pública, Claudio notava uma dificuldade cada vez mais evidente: empresas públicas têm processos (e grandes empresas particulares também) e é muito difícil que se contrate serviços de pessoas físicas. Era necessário alguma entidade burocrática que desse segurança no relacionamento com esse pessoal.
  7. Paralelamente, uma empresa brasileira questionava o nome da comunidade. “OpenOffice.org.br” não poderia ser utilizado porque essa empresa havia registrado (alguns anos antes) a marca “Open Office”.
  8. Unindo os dois problemas, Claudio decidiu criar o BrOffice.org. Seria uma marca nova, encapsulando a marca “OpenOffice.org” no Brasil (evitando confronto jurídico com a tal empresa da marca “Open Office”) e, aproveitando a situação, nascia também uma ONG. Uma pessoa jurídica cujo principal propósito seria o de apoiar a comunidade brasileira que havia em torno do então BrOffice.org.
Broffice

Talvez haja uma ou outra imprecisão. Talvez pareça uma história muito romântica, mas com base no que me lembro dos fatos, o que aconteceu não foi distante disso. Desde sempre Claudio é uma pessoa preocupada com os aspectos sociais e com a comunidade. Este é o presidente da ONG BrOffice.org.

Acontece que este ano o Claudio publicou uma carta aberta, esclarecendo qual o papel da ONG e trazendo à tona um problema: um novo conselho administrativo estava desvirtuando tudo, tentando controlar a comunidade para satisfazer interesses pessoais. A carta de Claudio é uma denúncia.

E agora temos um abaixo assinado pela comunidade exigindo algumas ações, na esperança de se reverter tudo isso e que a ONG BrOffice.org volte a ser uma ferramenta de apoio à comunidade e não ao umbigo de alguns. No manifesto deste abaixo-assinado, falam até em perseguições ao Claudio por membros do novo conselho.

Visitem lá e ajudem a mostrar a força da comunidade, que merece respeito; do presidente Claudio, que merece respeito; contra esse grupo de aproveitadores!

Agora, só para concluir. Assisti recentemente ao filme A Revolução dos Bichos, baseado na obra de George Orwell. Recomendo que assistam. É absurdamente fácil traçar um paralelo entre o teatro criado pelo autor e a realidade do BrOffice. Os porcos tomaram o poder e fico feliz ao ver que os outros animais perceberam que Snowball é que está certo e ver que estão se juntando do lado dele contra Napoleão. Ainda há esperança! Vamos reverter essa presepada!

por Cárlisson Galdino

* fonte: Blog de Cárlisson Galdino



Crise de governança abala software livre no Brasil

22 de Fevereiro de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

O movimento do software livre foi surpreendido nesta segunda-feira, 21/2, com o abaixo-assinado da Comunidade BrOffice na qual acusa a Associação BrOffice.org de estar “desvirtuada das suas finalidades orgânicas de dar sustentabilidade institucional ao Coletivo nacional do projeto”.

A carta, postada nesta segunda-feira e que até o fim da manhã já contava com 500 assinaturas, pede a convocação de uma Assembleia Geral e a divulgação de atas e decisões do Conselho de Administração da entidade.

Segundo o documento, as decisões da associação não encontram respaldo na Comunidade BrOffice, especialmente a de não apoiar o Encontro Nacional do BrOffice, que teria sido tomada “de forma unilateral pelo grupo dominante”.

A briga entre Comunidade e Associação colocou em choque o presidente da entidade, Cláudio Filho, e os integrantes do Conselho de Administração da BrOffice.br. “A associação surgiu para apoiar a comunidade. Se ela perde a representatividade, não tem mais razão de existir”, diz Cláudio Filho.

A crise de governança que envolve a comunidade de software livre deve extrapolar as listas de discussões da internet e ganhar terreno na proposta Assembleia Geral, cuja data deve ser definida ainda nesta semana.

“A situação ficou insustentável e temos que apelar para a instância superior, que é a Assembleia Geral. Nela, vamos ver se a associação realinha a sua posição ou, do contrário, a comunidade pode optar por se desligar, inclusive retomando os domínios que foram cedidos”, explica Cláudio Filho.

por Luis Osvaldo Grossmann e Luiz Queiroz
*fonte: Convergência Digital



Crise de governança abala software livre no Brasil

22 de Fevereiro de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

O movimento do software livre foi surpreendido nesta segunda-feira, 21/2, com o abaixo-assinado da Comunidade BrOffice na qual acusa a Associação BrOffice.org de estar “desvirtuada das suas finalidades orgânicas de dar sustentabilidade institucional ao Coletivo nacional do projeto”.

A carta, postada nesta segunda-feira e que até o fim da manhã já contava com 500 assinaturas, pede a convocação de uma Assembleia Geral e a divulgação de atas e decisões do Conselho de Administração da entidade.

Segundo o documento, as decisões da associação não encontram respaldo na Comunidade BrOffice, especialmente a de não apoiar o Encontro Nacional do BrOffice, que teria sido tomada “de forma unilateral pelo grupo dominante”.

A briga entre Comunidade e Associação colocou em choque o presidente da entidade, Cláudio Filho, e os integrantes do Conselho de Administração da BrOffice.br. “A associação surgiu para apoiar a comunidade. Se ela perde a representatividade, não tem mais razão de existir”, diz Cláudio Filho.

A crise de governança que envolve a comunidade de software livre deve extrapolar as listas de discussões da internet e ganhar terreno na proposta Assembleia Geral, cuja data deve ser definida ainda nesta semana.

“A situação ficou insustentável e temos que apelar para a instância superior, que é a Assembleia Geral. Nela, vamos ver se a associação realinha a sua posição ou, do contrário, a comunidade pode optar por se desligar, inclusive retomando os domínios que foram cedidos”, explica Cláudio Filho.

por Luis Osvaldo Grossmann e Luiz Queiroz
*fonte: Convergência Digital



Venezuela: Software Libre en el debate político

22 de Fevereiro de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Las últimas semanas se han venido realizando debates interesantes sobre lo que representa el uso del software como elemento indispensable para el acceso de las Tecnologías de Información y Comunicación (TIC), como parte de la polémica que el camarada Mario Silva en su programa de la Hojilla del pasado 03 de febrero desató en la comunidad de Software Libre.

Lo importante de que ocurriera esta situación es que elevó la discusión exclusivamente técnica hasta el momento a un plano político ideológico sobre un tema que es absolutamente fundamental para el desarrollo científico-tecnológico del país en relación a la soberanía e independencia nacional.

Por una parte cabe destacar que no puede parecernos indiferente si una persona usa o no software libre, porque partiendo del hecho que la tecnología no es neutra no sólo en su uso sino en su creación, debe entenderse que el software privativo está representado por uno de los máximos representantes de imperio: Microsoft; que no sólo pretende por una parte generar un monopolio casi universal, sino que además cercena la capacidad de creación y el acceso al conocimiento.

Partiendo de la premisa de Rafael Palacios Bustamante quien afirma que: “El análisis de la brecha tecnológica ha generado una diferenciación del modelo de desarrollo basado en el conocimiento: la sociedad del conocimiento y la sociedad democrática del conocimiento”, donde “La articulación ciencia – ciudadanía exige por lo tanto, de la comprensión misma de la C-T, lo que equivale -tomando las palabras de Mario Albornoz- a un tipo de conciencia social acerca del sentido o la dirección de producción de conocimiento”, cabe destacar que el software libre constituye un elemento de carácter social que no sólo contrapone los ideales egoístas y dominantes de la producción de conocimiento capitalista sino que además da plenas libertades para apropiarse socialmente del conocimiento.

Sobre esta base también es cierto que aunque ha sido difícil conseguir hasta la fecha la migración a software libre en la administración pública no es menos cierto que se han dado pasos gigantescos que hoy permiten dar cuenta de una gestión en la materia que resulta altamente positiva y que ha permitido invertir los recursos que anteriormente se destinaban a compra de licencias software en adquisición de nuevos equipos para infocentros, centros bolivarianos de informática y telemática, centros de gestión parroquial o al mismo proyecto canaima educativo.

El software libre otorga libertad absoluta en el acceso al conocimiento al permitir usarlo, estudiarlo o distribuirlo pero por otra parte genera una nueva producción de conocimiento al permitir modificarlo, elementos nada despreciables en comparación con el software privativo que impone no sólo restricciones de acceso y uso sino condiciones para la generación de nuevos conocimientos.

Por allí vale la pena destacar que en el acalorado debate se ejemplificó el caso del “Ché” Guevara utilizando armamento norteamericano contra el imperio, cuya respuesta por parte de la comunidad de software libre fue que jamás se vio al mismo “Ché” promocionando el uso de armas de fabricación estadounidense en televisión, sin embargo yo voy un poco más allá pues creo que la promoción de armas cuyo contexto ideológico tienen como único fin la muerte, bajo ningún caso deberían ser promocionadas por quienes comparten un nuevo proyecto político.

Así que el debate es ideológico, por tanto no sólo podemos hablar de su uso como si fuera un mero problema funcional, es necesario discutirlo de forma estructural para poder entender que el software propietario fue hecho bajo una concepción completamente distinta a la que fue realizada el software libre, entendiéndose este último como un trabajo colectivo sobre el cual cada uno de los integrantes del proceso revolucionario debe formar parte en la lucha contra los poderes hegemónicos que sueñan con una guerra informática que garanticen el control de la sociedad.

"La libertad no es poder elegir entre unas pocas opciones impuestas, sino tener el control de tu propia vida. La libertad no es elegir quien será tu amo, es no tener amo". Richard Stallman

nortega16232@gmail.com

www.masrevolucion.blogspot.com

* fonte: SomosLibres.org



Racha no BrOffice.org

22 de Fevereiro de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

A  BrOffice, OSCIP que detém os domínios ligados ao software de escritório open source BrOffice, hoje com 15 milhões de usuários no Brasil, atravessa um racha.

Uma petição online com críticas ao Conselho Administrativo da entidade, pedindo a realização de uma assembleia geral já conta com 500 assinaturas online.

O abaixo assinado é mais um capítulo de um confronto entre os integrantes do conselho e o presidente da entidade, Cláudio Filho.

Filho cricou a comunidade no Brasil OpenOffice.br em 2001 – depois, por problemas de registro do nome OpenOffice no país, os desenvolvedores se agruparam sob a marca BrOffice, registrada por Filho.

A BrOffice.org foi criada em 2005, com intenção de fornecer uma identidade jurídica que ajudasse na captação de recursos para a promoção dos encontros nacionais da comunidade BrOffice.

Com o tempo, o conselho e Filho entraram em discrepâncias, e a nota de divulgação do abaixo assinado acusa o primeiro de ser “oligárquico” e adotar práticas “obscurantistas, unilaterais e antidemocráticas” visando excluir o presidente do processo de decisão.

Na prática, o conselho retirou o apoio da entidade para a realização do encontro nacional para 2011.  No ano passado, participaram da atividade quatro mil pessoas em atividades espalhadas por 20 estados brasileiros.

Além disso, Filho foi retirado como representante do BrOffice.org do Centro de Excelência em Desenvolvimento de Software Livre, uma iniciativa financiada pela usina de Itaipú.

O conselho também pediu a subsituição de Filho como representante brasileiro no The Document Foundation, organização mundial que coordena a migração do OpenOffice para o LibreOffice após o racha da comunidade com a Oracle, nova proprietária da Sun, empresa que desenvolvia o OpenOffice.

O TDF foi avisado da situação que atravessava a comunidade brasileira e não concedeu a mudança.

“Chegamos a um ponto de inflexão. Ou mudamos essa situação, ou a comunidade vai se afastar da organização”, afirma Filho.

A reportagem do Baguete Diário falou por telefone com Olivier Hallot, diretor financeiro da BrOffice.org e membro do conselho, apontado por fontes próximas como um dos principais articuladores pela saída de Fiho. Hallot não quis fazer comentários.

Carlos Braguini, outro dos membros do conselho de administração, aceitou falar na condição de associado ao BrOffice.org.

Braguini destacou que a decisão de não realizar o evento se deve a dificuldades de caixa da organização, situação que pode mudar e permitir a organização do encontro ainda em 2011.

“Ambos os lados perdem com esse racha entre a organização jurídica e a comunidade”, acredita Braguini.

O Brasil é hoje a maior base instalada no mundo de software de escritório open source, garante Filho.

Se isso pode mudar por causa briga entre facções do BrOffice.org - em meio a ascensão de soluções gratuitas na nuvem e do assédio da Microsoft – é algo que o tempo dirá.

por Mauricio Renner

* fonte: Baguete



Notícia Linux.com.br: Abaixo-assinado da Comunidade BrOffice

22 de Fevereiro de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Devido a fatos ocorridos, a Comunidade BrOffice divulgou no domingo, 20/2/2011 em http://www.peticaopublica.com.br/?pi=BrOffice um abaixo-assinado e espera contar com sua assinatura.

Postada por: Eduardo, eduardogula*em*gmail.com

* fonte: Noticia Linux



Crise de governança na BrOffice

22 de Fevereiro de 2011, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Está correndo pela Internet um abaixo assinado, no qual parte da comunidade do Software Livre  critica a pouca transparência dos atos praticados dentro da OSCIP BrOffice.org.

“Como membros da comunidade BrOffice, ligada pelos nós da rede em todos os Estados do Brasil,  vimos a público, perante as Comunidades e Instituições existentes no seio do Movimento Software  Livre e das iniciativas Open Source, manifestar o nosso posicionamento em relação ao cisma em  curso existente entre esta Comunidade e a OSCIP BrOffiice.org a qual, infelizmente, está  perceptivelmente desvirtuada das suas finalidades orgânicas de dar sustentabilidade institucional  ao Coletivo nacional do projeto…. ” ( a íntegra da carta você encontra Aqui )

http://www.capitaldigital.blog.br/wp-content/uploads/2011/02/ping.bmp

Se entendi direito, após conversar com o Editor da revista BrOffice, Luiz Heli, a comunidade se sente incomodada com decisões que estariam sendo tomadas pelo Conselho de Administração dessa organização, sem que elas sejam amplamente discutidas com todos os simpatizantes do movimento do Software Livre.

*No link que disponibilizei acima também há uma área destinada aos que desejarem assinar o documento e dar o apoio público à esta ação política em curso.

* fonte: Capital Digital



Tags deste artigo: firefox