Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

 Voltar a Blog
Tela cheia

FISL11: O Fim

28 de Julho de 2010, 0:00 , por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 418 vezes

 

O Fórum Internacional de Software Livre chegou na décima primeira edição. Com a mudança para o mês de julho e o ano 2010, digamos que literalmente (passamos) frio. Esse é um resumo de ideias que ruminaram.

Essa edição ficou nítida algumas mudanças:


Rede sem fio (wirelles/wifi) funcionou
:

Incrível, não? Mas aparentemente funcionou para quem precisou usar. Os hotspots da Procempa atenderam bem quem usou, também acrescenta que muita gente já tem um modem 3g para usar com laptop ou celular com acesso a internet.

Estandes:

Esse ano não teve estande do Google e nem da Globo.com, esse ano foi a vez do Portal IG. Tinham algumas modelos com roupas inspiradas em Matrix, lógico que viraram a atração de todo evento.

Palestras:

Foi a edição com o maior número de palestras, muita gente que nunca foi palestrante tiveram a oportunidade para falar. Isso é um dos pontos positivos da nova forma de avaliar palestras.
O problema desse novo método é que um palestrante pode ter mais de uma palestra aprovada. Teve muita palestra fraca (não no sentido de palestra básica mas mal preparada), poderia adotar um dos critérios de avaliação dos anos anteriores que era: "um palestrante, uma palestra". Assim teria maior diversidade que já teve esse ano.
Se tiver o vídeo no TV Software Livre, os cinco primeiro minutos de algumas palestras já mostram o quanto ruim eram. Em compensação, palestra muito boa do Igor Sysoev (NGINX).

Grupo de usuários:

O espaço deles no evento foi menor esse ano que dos anos anteriores. A maioria dos grupos tem organizado eventos específicos que podem deixados os Grupos de Usuários com pouco fôlego para estarem no FISL. Os eventos comunitários aconteceram mas em pouco número.

A PUC:

É um excelente espaço, principalmente para espantar o frio que estava em Porto Alegre.

Os palestrantes ídolos:

Jon Maddog Hall tem muitos fãs, eu sou um deles. Mas ele circulou tranquilamente por todo evento sem que houvesse grande assédio. Não só ele mas muitos outros palestrantes.

Participantes:

O perfil dos participantes está mudando. Tem diversas razões

- O Software Livre/Código Aberto de modo geral está bem mais aceito do que 10 ou 5 anos atrás. Hoje tem muitos que trabalham somente com tecnologias baseadas em SL/CA. Muitos dos profissionais do passado deixaram de ser técnicos e tornaram gerentes ou mudaram de profissão.

- Os novos participantes do FISL (generalizando) são fanboys de uma tecnologia que é SL/CA. Tanto que o carater ideológico dos anos anteriores não é tão nítido como anos anteriores. Isso também é refletido em outras formas, quantidade de computadores da Apple era bem destacado, sendo que as pessoas não se importam de usarem o Sistema Operacional proprietário da Apple.

Ao questioná-los, em muitos casos o argumento é que o Hardware é melhor (além de te olharem atravessado durante todo evento), Porém se o critério é melhor por que não usam a Máquina Virtual do .NET que é melhor que as outras máquinas virtuais? Ou por que não usam uma linguagem proprietária que é melhor que alguma SL/CA.

Creio que isso seja relfexo do debate sobre Código-Aberto (Eric Raymond) e Software Livre (Richard Stallman). A

Conclusão:

O FISL mudou, difícil dizer para melhor ou pior, reflexo da mudança das diversas áreas das sociedades que tiveram penetrado as ideias de SL/CA. O FISL está mais diversificado, essa diversificação irá refletir no futuro na própria extinção do FISL. A pulverização de eventos relacionados a SL/CA só irá aumentar.

O FISL como eu conheci ou como você conhece, daqui 5 anos será completamente diferente. Nem tão corporativo, nem tão técnico, nem tão ideológico, só diferente.

PS. Não comentei mas é sempre bom encontrar as pessoas envolvidas no PostgreSQL e no Debian.


Tags deste artigo: fisl postgresql debian

0sem comentários ainda

Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.