Ir para o conteúdo
 

Blog RSS feed

ou

 Voltar a Blog
Tela cheia Sugerir um artigo

Chocolate, SOPA e Internet: porque o Brasil precisa se emancipar!

9 de Março de 2012, 0:00 , por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 1483 vezes
Traduções


Imagine algo que você gosta muito. Chocolate! Conheço pouquíssimas pessoas que resistam a guloseima. Pense que hoje em dia, toda sua vida está atrelada ao chocolate. Sua rotina, seu trabalho, até sua diversão. Só que tem um problema: o único lugar que produz chocolate é uma pequena cidade no interior da Suíça e de repente, uma lei considera a produção da especiaria ilegal, atingindo toda população mundial e deixando todo mundo na vontade. O que você vai fazer?

Foi utilizando essa analogia de certa forma, inocente e improvável, que eu pretendo mostrar para você que apesar de todos os problemas que podem ser causados se leis como Sopa, Pipa e Acta forem aprovadas, elas levantam um debate muito mais profundo, sobre a produção tecnológica por países em desenvolvimento, como Índia, China e Brasil. Muito do que conhecemos por internet está atrelada aos Estados Unidos e se leis como as citadas acima forem aprovadas, vão ter um impacto mundial, mudando completamente a forma como conhecemos a web.


Você agora pode estar se perguntando: mas como uma lei que está em trâmite nos legislativos americano e europeu pode me impactar, esse inocente usuário de Facebook, com umas duas contas no GMail, que baixa músicas e séries, fez um remix com o vídeo do “sanduíche-íche” e uploadou no YouTube e tem um blog – desatualizado, ainda por cima! – no Blogspot. A maioria dos serviços utilizados por você e pela maioria dos brasileiros estão hospedados nos EUA. Os grandes sites nacionais de notícias que você costuma acompanhar também. Ok, eu ainda não lhe convenci? O xvideos, redtube, youporn, tudo isso pode simplesmente sair do ar de um dia para o outro! (toquei no ponto fraco..hoho!).



Agora que eu te assustei de verdade, qual a solução? Mais do que usuários, precisamos ser produtores de serviços e de infraestrutura de internet, para criar uma maior igualdade em termos de emancipação tecnológica. Você talvez não tenha notado ainda, mas você é um dependente. Dependente de tecnologias produzidas por grandes empresas. A cópia do Windows no seu computador pode até não ser original, mas você está pagando o preço através dessa dependência. A saída: o uso do software livre.

Software livre é um programa em que você tem acesso irrestrito ao código-fonte e tendo competência e conhecimento, pode contribuir para modificar, melhorar e aperfeiçoar esses programas. “Mas isso é muito complicado!”. Se você usa o Firefox, saiba que você já é usuário de SL e justamente por ele ser livre, novas versões e atualizações chegam rapidamente até você, porque milhares de pessoas ao redor do globo estão contribuindo para melhorá-lo.

Tudo é uma questão de costume. Antes você usava o IE, até entender que poderia ter muito mais velocidade e vantagens com outros navegadores. Hoje a quantidade de pessoas que usam outros browsers para acessar a web aumentou significantemente. O que falta? Perder o vício do windows e de outros softwares que não permitem que você tenha autonomia sobre eles. Se você é estudante da área, ainda melhor, além de usuário, pode contribuir para o avanço da internet.

Parece impossível, mas não é. No Brasil, existem muitas iniciativas ligadas ao Software Livre e na semana passada o Distrito Federal adotou o SL como política oficial. Com todas essas informações, o que você pretende fazer? Sentar, compartilhar alguns posts nas suas redes sociais e esperar que volte a ser legal a produção uma deliciosa barra de chocolate ou se empenhar de forma que venha a colaborar com a produção de tecnologia no seu país?

Para saber mais:

Projeto Software Livre Brasil
FISL13


Tags deste artigo: sopa pipa acta internet tecnologia emancipação

0sem comentários ainda

Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.