Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

Tela cheia Sugerir um artigo
 Feed RSS

News

7 de Dezembro de 2009, 0:00 , por Vicente Aguiar - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Licenciado sob CC (by)

Franklin Martins volta ao Planalto

22 de Julho de 2013, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Franklin Martins, ex-ministro da Secretaria de Comunicação Social (Secom) do governo Lula, volta ao Palácio do Planalto. Embora não faça parte oficialmente do Executivo, defende um discurso mais político e menos ações de marketing. As críticas feitas à atuação do governo federal nas redes sociais são consideradas o motivo da volta do jornalista aos bastidores governo.

Segundo o Estado de Minas, um dos interlocutores palacianos informa que, primeiramente, Franklin Martins fez críticas à condução da imagem do governo em relação à insatisfação das ruas e avaliou que o lado positivo é que as manifestações tiraram o governo da zona de conforto. Ele reforçou que o povo precisava ser ouvido neste momento.

Fontes ouvidas pela reportagem afirmam que não existe nenhuma informação de que o jornalista integrará o governo. Martins é avaliado como um conselheiro que defende o posicionamento da gestão mais à esquerda.

Um governista avaliou, reservadamente, que João Santana, marqueteiro da presidente, tenta reforçar uma linha de ação em que a presidente sustente um discurso direcionado à “nova classe média”, que paga impostos, mas, não recebe serviços de qualidade. Santana também foi criticado por esquecer a comunicação na internet e utilizar somente a televisão.



Software livre é a alternativa contra espionagem eletrônica

21 de Julho de 2013, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

O software livre pode ser usado por todosO software livre pode ser usado por todos

A utilização de softwares livres, ou seja, programas de internet com códigos abertos, que podem ser copiados e modificados por qualquer pessoa, pode ser uma opção para evitar problemas de espionagem como os que foram denunciados recentemente. A avaliação é do diretor-presidente do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), Marcos Mazoni.

– O mundo do software livre é uma belíssima resposta a tudo isso que está acontecendo no mundo hoje. Se nós trabalhamos com códigos fechados, que não nos permitem saber o que estão fazendo, é muito mais propício a uma decisão desse fornecedor se vai nos espionar ou não. No mundo do software livre, a decisão passa para nós, muda de lado, passa para o mundo do usuário – explica. Mazoni lembra que a implementação do software livre em plataformas de governos sempre teve como foco aumentar a segurança dos dados dos países.

Para debater essas e outras questões, o Serpro promove, de 13 a 15 de agosto, a sexta edição do Congresso Internacional Software Livre e Governo Eletrônico (Consegi), em Brasília. O tema deste ano é Portabilidade, Colaboração e Integração. “São temas muito atuais: estamos trabalhando com a lógica de que o mundo da tecnologia vai ter que suportar mobilidade, rede social, grandes quantidades de informações”, disse Mazoni.

O evento terá 50 oficinas e 150 palestras, com a participação de representantes de diversos países, entre agentes públicos, movimentos sociais, hackativistas, pesquisadores e estudantes para debater tecnologias que podem ampliar o acesso à informação e agilizar a prestação de serviços públicos. O Consegi também irá prestar uma homenagem ao ex-presidente da África do Sul Nelson Mandela.

– Especialmente pela questão do respeito à individualidade e às diferenças. Associando a tecnologia à razão mais importante do ser humano que é o respeito. E colaboração só acontece com respeito – diz Mazoni.

No ano passado, o evento reuniu cerca de 5 mil participantes, e a expectativa é que esse número se amplie para até 6 mil participantes neste ano. O evento é gratuito e as inscrições podem ser feitas pelo site da organização . Entre as oficinas oferecidas estão edição de músicas e vídeos ou criação de aplicativos móveis e robôs com softwares livres.

Fonte: Correio do Brasil



FacePopular da Argentina é do Facebook?

21 de Julho de 2013, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Por midiacrucis

No dia 13 de julho de 2013 vimos mutas pessoas comentando uma notícia da inglesa BBC republicada pelo G1, o portal de internet da Rede Globo: América Latina ganha rede social que critica e imita Facebook

Pesquisa coletiva

Muita gente de esquerda conclamou a companheirada a deixar a rede privada e proprietária de Mark Elliot Zuckerberg e acionistas, para aderir a nova rede popular feita pelos hermanos argentinos. O entusiasmo era tanto que o Correio do Brasil chegou a noticiar no mesmo dia 13/07 que Rede social popular na América Latina bate metas de audiência

Diante de suposto sucesso imediato, da euforia, sabendo que criar e manter uma rede social não é algo simples, que acontece de uma hora para outra, e estranhando demais o fato de uma rede “popular” receber destaque tanto nas velhas mídias como a BBC e a Globo, quanto nas novas mídias alternativas, fomos investigar as origens da tal rede social “popular” argentina.

Primeira surpresa. Embora tenha uma geografia diversificada, com visitas orginadas em distintos países hispanofalantes (América Latina e Espanha), cada visitante fica em média 5 minutos na rede e visita apenas 4 páginas da mesma, sendo que a maioria deles visitam o facebook antes.

Segunda surpresa. A página de login no sistema permite o usuário conectar-se com uma conta própria do facepopular ou através de uma conta já existente no facebook.

Ôpa! Teoricamente critica o facebook, mas permite login de usuário dele???

Permite, ainda que indiretamente, que o Mark e sua turma tenham acesso aos dados veículados no facepopular???

Terceira surpresa. Ao logar na rede vimos que a interface do facepopular é um clone total do facebook que substitui o azul do cabeçalho por uma combinação bordô/rosa.

O sistema é lento.

O compartilhamento é ineficiente. Não dá para comparar com o facebook e muito menos com outras redes realmente desenvolvidas em Software Livre.

Quarta surpresa. A rede diz ser desenvolvida em software de código aberto com futura migração para Huayra Linux, mas é copyright.

Ora, é de conhecimento público que a GPL – Licença Pública Geral - sob a qual o Linux é distribuído – é incompatível com copyright, patentes e outras draconianas leis e regras que regem o chamado direito à propriedade intelectual.

Quinta surpresa. Os termos de uso não são muito amigáveis e chegam até mesmo a afirmar, no ponto 5 das Condições de Uso:

"Controle de Tráfego: Nós queremos que obtenha o melhor uso possível dos serviços oferecidos por facepopular.net. Se seu tráfego chegar a ser problemático ou excessivo, lhe pediremos que retire seu serviço."

Uau! O que será tráfego problemático ou excessivo?

Será um aviso de que facepopular.net é uma rede digital que não quer que você a use? Pelo menos, livremente?

Pesquisamos, então, o software base usado pelo facepopualr.net e chegamos ao software proprietário e norteamericano produzido pela Sharetronix http://sharetronix.com/.

Podemos entender onde mora o problema.

A Shretronix diz que seu software é opensource (código aberto), mas seus termos de uso e, principalmente,  seus termos de serviço deixam bem claro o contrário ao declarar que:

“3.1 Você concorda que não irá, e não permitirá a qualquer terceiro: (i) copiar, vender, licenciar, distribuir, transferir, modificar, adaptar, traduzir, preparar obras derivadas, descompilar, fazer engenharia reversa, desmontar ou tentar derivar o c?digo-fonte dos produtos, a menos que o previsto, (ii) tomar qualquer ação para contornar ou quebrar a segurançaa ou o conteúdo das regras de utilização fornecidas, implementadas ou impostas por qualquer funcionalidade (incluindo, sem a funcionalidade de gerenciamento de direitos digitais) nos produtos, (iii ) utilizar os produtos em violação de qualquer lei ou direitos de terceiros, ou (iv) remover, ocultar ou alterar quaisquer avisos de direitos autorais, marcas comerciais ou outros direitos de propriedade afixados ou contidos nos produtos.” 

Por consequência, os mantenedores do facepopular.net não poderiam adotar a licença GPLCreativeCommons ou qualquer outra que respeite e garanta as liberdades e o compartilhamento de conhecimento e de informações livremente.

Esta contradição é inadmissível para alguém que se declara de esquerda e usuário de Software Livre ou de Código Aberto…

Dando continuidade à nossa pesquisa consultamos o who.is,o serviço internacional sobre os registros de domínios e endereços na internet. Pois bem, o facepopular.net está hospedado em servidores na Argentina, mas foi registrado por uma organização australiana chamada PrivacyProtect. Porém, o site desta organização diz que ela, PrivacyProtect.org, não é o proprietária de qualquer nome de domínio.

Se a informação contida no who.is de que PRIVACYPROTECT.ORG está fornecendo serviços de proteção de privacidade para este nome de domínio para proteger o proprietário contra spam e ataques de phishing. PrivacyProtect.org não é responsável por qualquer das atividades relacionadas com este nome de domínio…”, é correta, então porque ela, PrivacyProtect, aparece como dona do domínio, responsável técnica, administradora e contato para faturamento???

O que o facepopular.net tem a esconder ou não quer que seus usuários saibam???

Horas atrás, nos disseram que o tal facepopular.net seria financiado pelos opositores da atual presidenta argentina Cristina Fernández de Kirchner. Infelizmente, ainda não conseguimos confirmar esta denúncia e seguimos investigando a tal rede social “popular” de los hermanos.

Nossas dúvidas em relação à origem popular da facepopular.net só fazem aumentar.

A impressão que fica, contudo, é que a tal rede nada tem de popular e livre e pode ser mantida exatamente pelos mesmos poderes e seus lacaios que dominam outras redes digitais proprietárias.

Então, antes de sair aderindo à toda e qualquer modernidade digital que aparecer, desconfie. Investigue. Principalmente se estas novidades contarem com ampla divulgação nas velhas mídias oligárquicas controladas pelas mesmas famílias que apoiam golpes de estado e querem democracia sem povo.

Antes de fazer o Login, ligue o desconfiômetro!

Fonte: FacePopular da Argentina é do Facebook?



Internet: a Globo quer desvirtuar o Marco Civil

16 de Julho de 2013, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Artigo sugerido por Meg Thai

Emissora teria conseguido inserir, no projeto em votação no Congresso, dispositivo que permite deletar conteúdos sem ordem judicial, por suposta violação do direito autoral

Por Sergio Amadeu da Silveira 

Na calada da noite, lobistas da emissora inseriram um parágrafo no projeto de lei que permite a retirada de blogs, textos, imagens e vídeos sem ordem judicial, por suposta violação do direito autoral.

Isso gerará uma indústria da censura privada.

Também incentivará muitas denúncias vazias que promoverão o bloqueio do debate político por meio da alegada violação de direitos autorais.
Alguns exemplos e perigos:

1) Em 2004, nos Estados Unidos, a Diebold tentou impedir que as pessoas soubessem das falhas da sua urna eletrônica alegando que os documentos vazados não poderiam circular uma vez que violavam o direito autoral, pois a Diebold detinha a propriedade intelectual dos mesmos;

2) O Greenpeace muitas vezes utilizou trechos de vídeos e documentos de corporações que degradavam o meio ambiente para criticá-los e mostrar suas mentiras. Se a Globo conseguir colocar o seu parágrafo no Marco Civil, bastará que a empresa envie um comunicado para o provedor que hospeda uma denúncia para apagar um conteúdo que a desagrada, alegando violação dos direitos autorais;

3) Imagine, nas terras dos coronéis da política brasileira, um blogueiro que conseguiu um texto bombástico que prova uma falcatrua de um político tento que manter o mesmo na rede diante do pedido de remoção daquele conteúdo que estaria violando o direito autoral do político denunciado.

Podemos correr esses riscos?

Não. Envie um e-mail para o relator do Marco Civil:

( dep.alessandromolon@camara.leg.br )

Solicitando que retire o parágrafo 2 do artigo 15

Para evitar a censura instantânea e privada no Brasil.

Nossa liberdade de expressão e criação não pode ser violada por interesses de corporações como a Rede Globo.

A Globo não está acima da lei.


Sérgio Amadeu da Silveira é doutor em ciência política, é professor da Universidade Federal do ABC e membro do Comitê Gestor da Internet no Brasil.

Fonte: Internet: a Globo quer desvirtuar o Marco Civil

 



América Latina já tem alternativa LIVRE às redes digitais privadas e proprietárias

15 de Julho de 2013, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

A Rede Social Livre Blogoosfero.cc, baseada no software livre nacional noosfero, é resultado da luta dos blogueiros progressistas por garantias de privacidade no armazenamento dos dados, autonomia na gestão da política de conteúdos e liberdade de expressão.

Em maio de 2012, no III Encontro Nacional de Blogueiros em Salvador-BA, com a presença de Marcio Pochmann, Franklin Martins, Paulo Henrique Amorim, entre tantos outros, lançou-se esta rede social que é hoje referência quando o debate é: soberania tecnológica, liberdade de expressão e segurança dos dados.

Hoje, com mais de 3 milhões de acessos, a rede reúne blogueiros, movimentos sociais, organizações educativas, telecentros, TVs Comunitárias, ONGs e atividades parlamentares como, por exemplo:

Comunidade da Escola Vivendo e Aprendendo em Brasília
www.vivendoeaprendendo.org.br

Rede da Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados
www.blogoosfero.cc/comculturanacamara

Blog do Ipea – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
www.blogoosfero.cc/ipea

Blog do Marcio Pochmann
www.marciopochmann.com.br

Rede de educadores das estações digitais da Fundação Banco do Brasil
www.blogoosfero.cc/conexoesdigitais

TV Comunitária Cidade Livre – DF
www.blogoosfero.cc/tv-cidade-livre-df

O escrevinhador
www.blogoosfero.cc/rodrigovianna

Ao escolher a plataforma Blogoosfero.cc, você não está apenas criando um novo canal de comunicação. Está acessando uma rede crítica e capaz de mobilizar outros sujeitos que permitirão promover o diálogo construtivo e propositivo, além de possibilitar uma nova dinâmica de construção e disseminação dos conteúdo produzidos em rede.

No Blogoosfero.cc a disseminação de conteúdo é facilitada por várias das funcionalidades disponíveis na plataforma, entre as quais destacamos o Mural de Recados e a Divulgação.

Toda vez que um conteúdo novo é publicado no Blogoosfero.cc automaticamente todas as pessoas que participam da sua Rede e de seus círculos de amizade digitais recebem um aviso no Mural de Recados de seu perfil. Quanto mais diverso for o círculo de amizades, mais diversos serão os públicos quer terão acesso à informação publicada. Como no Blogoosfero.cc a Rede Social e o Blog/Site estão integrados, os comentários publicados no Mural da Rede Social automaticamente são inseridos na lista de comentários dos artigos relacionados e vice-versa, aumentando a disseminação da informação, a interatividade e o debate entre autores e usuários.

Já a funcionalidade Divulgação permite ao autor de um artigo solicitar a publicação do mesmo em outras comunidades da qual faz parte atingindo públicos e seguimentos diferentes daquele do Blog/Site da publicação original, além de ofercer a outros autores e mantenedores de blogs/sites, conteúdo diferenciado e atualizado diretamente de uma fonte segura e confiável.

Rede Social Livre Blogoosfero: funcionalidades

No Blogoosfero, o foco é interação entre usuários de redes sociais digitais e produção e publicação de conteúdo multimídia na Internet.

Tudo o que é inserido na plataforma web pode ser compartilhado de forma colaborativa. Ao se cadastrar, a/o usuária/o internauta cria um perfil, que pode também ter a função de site ou blog, com sistema de notificação de comentários. Todas essas possibilidades se somam às opções básicas de se criar Comunidades e Adicionar Amig@s.

Caso o usuário já tenha um blog ou site com sistema de notícias, ele pode aproveitar todo o conteúdo já produzido (na plataforma antiga) e usá-lo em qualquer novo perfil (usuário, comunidade ou empreendimento) do Blogoosfero. Para isso, o usuário do Blogoosfero conta com uma ferramenta que permite que esse histórico de conteúdo seja “clonando” e, até mesmo, sincronizado em dois ambientes diferentes – caso isso seja do interesse do usuário. Dessa forma, é possível que, por exemplo, duas notícias, sejam publicadas ao mesmo tempo em ambas plataformas: no Blogoosfero e na antiga.

E mais ainda: cada perfil de usuário funciona como uma página pessoal com o privilégio de se poder personalizar tanto o layout, como também endereço (URL); o usuário pode ainda utilizar o espaço para expor suas ideias, montar galeriasde fotos e vídeos, criar eventos (agenda), compartilhar interesses e preferências, além de promover debates. Isso significa que conteúdos diversos, como imagens, textos, documentos e agenda de eventos podem ser inseridos de maneira descentralizada por pessoas que não entendem nada de programação nem de linguagem de computador.

Na Rede Social Livre Blogoosfero existem, por padrão (e que pode ser alterado), três tipo básicos de "perfis de uso", ou seja, três possibilidades de interação do usuário com o sistema:

Perfil Pessoa

Qualquer usuário que possua um login e uma senha para acessar o sistema possui um perfil de pessoa atrelado a ele. Com este perfil o usuário poderá criar conteúdo utilizando-se de blogs, fóruns e páginas, além de poder participar e/ou criar comunidades e organizações.

 

 

 

Perfil Comunidade

Criada por uma pessoa e mantida por uma ou mais, esse perfil é uma espécie de coletivo de usuários que tem como objetivo agregar pessoas em torno de interesses comuns.

 

 

 

 

Perfil Empreendimento

Esse perfil possui características semelhantes ao perfil das comunidades, entretanto possui algumas peculiaridades ligadas ao conjunto de ferramentas para comércio eletrônico, ou seja, exposição e venda de produtos e serviços.

Cada perfil de uso cadastrado na plataforma Blogoosfero também pode ser transformado num Site 2.0, isso significa que dizer que todas as funcionalidades do Blogoosfero, demonstradas abaixo, podem ser usadas em cada um desses perfis ou sites criados por meio dessa plataforma:

 

Blogs

 

Esta ferramenta permite que o usuário crie quantos blogs ele tenha interesse em cada site.

 

 

 

 

Clones de Blogs

 

Caso o usuário já tenha um ou mais blog fora do seu perfil, o Blogoosfero permite que esse blog externo seja “clonado” via RSS de forma sincronizada, ou seja, toda vez que a pessoa atualiza o seu blog externo, o Blogoosfero atualizará o seu clone na plataforma.

 

 

Galeria de Imagens

 

Com esta funcionalidade o usuário desfruta de um ambiente para disponibilizar as suas imagens e exibi-las de em formato de slideshow.

 

 

 

Sistema de Gestão de Conteúdo

 

O Blogoosfero permite que qualquer um dos perfis de uso organize todo o conteúdo criado no sistema, utilizando pastas que lembram bastante as utilizadas nos computadores pessoais. Assim, os textos, arquivos de imagens, blogs, feeds, vídeos, etc podem ser facilmente gerenciados pelos usuários.

 

 

Internacionalização

 

Atualmente, o Blogoosfero possui tradução para 8 idiomas: português, inglês, espanhol, francês, alemão, japonês e russo e armeno. Além disso, o sistema também permite que todo conteúdo gerado possa ser traduzido para cada um dos idiomas habilitados no ambiente.

 

 

Divulgação de Conteúdos

 

Todo conteúdo criado no sistema pode ser divulgado para comunidades, pessoas, organizações ou mesmo o ambiente para que a informação possa fluir pela rede. No entanto, a aprovação do conteúdo em cada um dos perfis ou no ambiente dependerá das permissões de cada usuário.

 

 

Fóruns

 

O Blogoosfero também permite a realização de debates e discussões no formato de fóruns que são amplamente conhecidos na internet.

 

 

 

 

Conteúdo Multimídia

 A criação de conteúdo no Blogoosfero dá ao usuário total controle sobre a disposição, tamanho e tipo de fonte e mídia na construção da página. Com o editor, conhecido como "WYSIWYG" do Blogoosfero, o usuário pode colocar imagens, vídeos (Youtube, Vimeo, Dailymotion, dentre outros), links e utilizar uma grande variedade de outros recursos para a elaboração do conteúdo das página.

 

Busca

O sistema permite que os usuários façam busca tanto por todo o conteúdo do sistema, ou seja, busca pelas pessoas, comunidades e organizações e todo o conteúdo gerados por estes perfis, como também uma busca específica no conteúdo de somente um perfil. Assim, caso um usuário deseje buscar um post num blog de um usuário específico do sistema ele poderá fazer isso utilizando o Blogoosfero.

 

 

Envio de Mensagens

 

O administrador do ambiente pode enviar mensagens via email ("mala direta") para todos os usuários do sistema. Além disso, os gestores de cada um dos sites ou das comunidades e das organizações possuem permissão para enviar e-mails para todos os usuários que fazem parte da respectiva comunidade.

 

 

Sugestão de Conteúdo

 

Os usuários que não possuem nenhum login no Blogoosfero podem sugerir conteúdo para todo site de uma comunidade, uma organização ou mesmo para uma página de um usuário. Essa sugestão depois de analisada pode ser aprovada e então passa a fazer parte do conteúdo do respectivo perfil.

 

 

Notificação de Atualização

 

Algumas ações no sistema podem disparar o envio de e-mails para um ou mais usuários para alertá-los da determinada ação. Dentre outros exemplos de ações que se encaixam nesta situação são: comentários feitos em algum post ou artigo, nova relação de amizade criada, nova mensagem enviada no mural, etc.

 

 

Feed RSS

 

 

Todo blog criado no Blogoosfero possui um Feed RSS que pode ser utilizado por pessoas que não utilizam o sistema para acompanhar os posts dos usuários do Blogoosfero utilizando qualquer leitor RSS.

 

 

 

Atividades da Rede

Através das atividades da rede os usuários podem ver todas as ações realizadas por outros usuários, por outras comunidades e pelas organizações. Com isso um usuário pode conhecer melhor um perfil de uma comunidade antes de entrar nela, saber quais atualizações foram feitas nos perfis de seus amigos e suas comunidades sem precisar acessar cada perfil individualmente, encontrar novos amigos a partir das relações de amizade feitas por seus amigos, dentre outros. E tudo isso é feito observando as devidas permissões de acesso de cada usuário.

 

Site Personalizado

No Blogoosfero cada usuário tem uma web-página pessoal, podendo modificar o conteúdo, as cores ou mesmo a disposição dos elementos da página com muita facilidade, além de poder criar e adminsitrar vários blogs e comunidades com um mesmo perfil.

O Blogoosfero permite que o ambiente do site/blog seja personalizado, adotando a identidade visual escolhida pelo usuário. Além disso cada usuário, comunidade ou empreendimento pode possuir páginas completamente diferentes umas das outras, assim como, da página padrão do ambiente, transformado-a num site.

Cada site/blog pode ter o seu próprio endereço web. Assim, o usuário tem site/blog(s) independente(s) e, ao mesmo tempo, integrados à Rede Social Blogoosfero.

 

Agenda

 

Com a agenda é possível visualizar todos os eventos criados por uma determinada pessoa, comunidade ou empreendimento, possibilitando assim uma maior possibilidade de interação na rede.

 

 

Mural de Recados

 

O mural de recados é o mecanismo mais utilizados para a interação entre os usuários e as comunidades, organizações e outros usuários. Essa também é uma funcionalidade muito conhecida em outras redes sociais.