Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

Tela cheia
 Feed RSS

Blog

27 de Maio de 2009, 0:00 , por Software Livre Brasil - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.

Quando Faltam Jogadores

20 de Janeiro de 2021, 22:18, por O Bardo - 0sem comentários ainda

É uma situação bastante comum. Por mais que o grupo de RPG esteja empolgado com a aventura, sempre acontece algum imprevisto que termina levando à falta de alguém. Para a sessão continuar, pode-se adotar alguma solução:

  1. O personagem entra em modo zumbi, andando com o restante do grupo, mas não fazendo praticamente nada que não seja simples e inevitável.
  2. O personagem vira NPC. O mestre decide por ele e pode brincar à vontade com ele. Consequências que venham disso são culpa do faltoso.
  3. O personagem vira um personagem do grupo. No momento de decidir suas ações, os outros jogadores votam e decidem por ele.
  4. O personagem vira um fantasma. Ele está ali, junto com o grupo, mas ninguém vê nem consegue interagir com ele, nem mesmo os inimigos. Na sessão seguinte, com o jogador de volta, ele reaparece como se nada tivesse acontecido.

Mas há sempre outras opções. Uma que tenho adotado é o uso de um RPG de Backup.

Funciona assim: cada jogador tem sua ficha no RPG/Cenário principal, mas um segundo sistema/cenário é adotado e os jogadores têm ficha nessa outra mesa também. Caso falte apenas um jogador, ele pode virar NPC, zumbi ou fantasma, dependendo do caso. Se falta mais de um, a gente joga esse outro RPG e preserva a campanha principal, adiando para outro momento.

Parece confuso e mais trabalhoso, né? Mas isso depende do que você vai utilizar como RPG de Backup. O ideal é que tenha as seguintes características:

  1. Ser simples e leve. Um clima diferente do clima da campanha principal, menos compromissado.
  2. A importância dos personagens individualmente na história tem que ser menor ou eles são importantes como um grupo e não individualmente.
  3. Aventuras devem poder ser improvisadas ou aleatórias.
  4. Aventuras funcionarem de forma episódico e serem curtas.

Tenho adotado duas soluções para RPG de Backup, as duas sendo criações minhas:

  • Mundo Real - RPG satírico de heróis travados, em missões de enfrentamento de monstros em cidades medievais.
  • XR-III Modo Quintetos - usando um cenário estilo Super Sentai, os requisitos são atendidos. Sem contar que o conceito de sósias no jogo já foi planejado para substituir personagens faltantes.

Pelo menos por enquanto, está funcionando bem.

Se você gostou da ideia, pode adotar um dos dois. Ou pode ir atrás de outros: Terra de Og, Defensores de Tóquio (1ª ou 2ª edição), por exemplo, podem ser boas opções. Até sistemas mais tradicionais podem servir, com os devidos ajustes. Uma guilda de mercenários em D&D para assassinatos e missões pontuais; uma Liga da Justiça com ameaças aleatórias; um RPG de horror com personagens feitos com facilidade (e quase sempre perdidos no final da sessão). Ou pode usar outra ideia clássica, que é ir pra um jogo de cartas quando falta muita gente.

Avalie: 
Select rating Give Quando Faltam Jogadores 1/5 Give Quando Faltam Jogadores 2/5 Give Quando Faltam Jogadores 3/5 Give Quando Faltam Jogadores 4/5 Give Quando Faltam Jogadores 5/5
No votes yet


Meus e-books na Google Play Livros

12 de Janeiro de 2021, 21:13, por O Bardo - 0sem comentários ainda

Desde o ano passado tenho publicado meus ebooks em basicamente 3 cantos:

  • Amazon - os ebooks pagos. A maioria deles tem preço de apenas R$ 2,00. Para quem está no Amazon Unlimited, tenho alguns ebooks disponíveis nessa categoria. Este ano serão mais raros, já que pra entrar nela tem que ter exclusividade. http://bit.do/cordeis
  • Dungeonist - ebooks que tenham alguma ligação com RPG. Cordéis de aventura, cordéis interativos ou material de RPG propriamente. O XR Zine publicado aqui tem dois PDFs: um para ler em dispositivos móveis e outro pronto para imprimir, cortar e grampear, fazendo um folheto. Tem material pago e gratuito. http://bit.do/cordeis-d
  • Livros do Bardo - repositório próprio de material gratuito. http://livros.cordeis.com

Pois agora finalmente estou também com material na Google Play Livros! Gratuitos e pagos (geralmente R$ 2,00). Confiram lá em http://bit.do/cordeis-play.

Nota: todos esses encurtadores são apenas para você chegar já na lista dos meus ebooks. Se você preferir, simplesmente pesquise por "Cárlisson Galdino" por lá que vai ter o mesmo efeito. ;-)

Avalie: 
Select rating Give Meus e-books na Google Play Livros 1/5 Give Meus e-books na Google Play Livros 2/5 Give Meus e-books na Google Play Livros 3/5 Give Meus e-books na Google Play Livros 4/5 Give Meus e-books na Google Play Livros 5/5
No votes yet


Lançamentos de Janeiro de 21

10 de Janeiro de 2021, 19:15, por O Bardo - 0sem comentários ainda

Este mês, eu lanço os seguintes títulos:
  • Talita Campeã da Terra - um romance de cordel de super-herói com protagonista feminina. Escrito em mais de 250 setilhas piratas, está à venda como ebook por R$ 2,00 na Amazon, no Dungeonist e agora também no Google Play Livros. Xilogravura de Crecilda Barbara de Souza.
  • A Lenda de Frushige - cordel narrativo de fantasia medieval e humor, narrando o confronto do bárbaro Frushige com um monstro-cobra. Gratuito em livros.cordeis.com, no Google Play Livros e no canal Telegram t.me/ecordel.
  • Kastin - conto escrito há quase vinte anos, revisado e publicado como ebook. Gratuito, em livros.cordeis.com, no Dungeonist e no Google Play Livros.
Vejam o início da Talita pra terem uma ideia da história:
Talita ainda era muito jovem
Com seus poucos vinte e dois anos
Na moto cortava a cidade
Levando consigo mil planos
Mas tava amarrado
Algo inesperado
Ia jogá-la num mundo insano
 
Passando num campo deserto
Viu um troço estranho no céu
E teve que parar a moto
Pensou: “Tou ficando pinel”
Vendo essa loucura
Foi dando tontura
“O que é isso, meu São Miguel?”
 
Deserto de casa e de gente
Talita ali estava sozinha
Travada e de olho vidrado
Um frio correu sua espinha
Quando ela notou
Que o disco voador
Pousou e de lá um ser vinha
 
Na altura de algum ser humano
Se aproximava devagar
Com medo e curiosidade
Só coube para ela esperar
Então se lembrou
Que faz Taekwondo
“Eu mato se vier me pegar!”
 
Mas ouviu dentro da cabeça
Uma voz estranha demais
Dizendo pra ela não ter medo
- Eu venho em visita de paz
“Preciso te ver
Falar com você
De tudo que o Futuro traz”
 
- Você vem de um outro planeta?
“Como é que fala Português?
Você me conhece daonde?
Endoidou foi tudo de vez!
Pergunto: será
Que algum jeito há
Que dá pra entender os ETs?”
 
Aquele ser que vem chegando
Ouviu mentalmente essa prosa
Perdendo um pouco a compostura
Dá uma gargalhada gostosa
E nota-se até
Tem voz de mulher
Mas provavelmente uma idosa
 
- Que estranho que esse ET parece
“Uma velha em manto e capuz
Será que seria jedi
Pra me dar um sabre de luz?”
A velha chegou
O capuz baixou
A pele verde, olhos azuis
 
- Talita, vim de muito longe
“Você é a única saída
Um mal se dirige pra Terra
E você foi a escolhida
A nossa guerreira
Da Terra inteira
Sagaz, tão forte e destemida!”
 
- Como é, criatura esquisita?
“Endoidou na viagem astral?
Eu não sou guerreira de nada
Sou uma pessoa normal
Como me chamou?
Sabe quem eu sou?
Isso tá ficando bem mau…”
A história continua...
 
-- Cárlisson Galdino
Avalie: 
Select rating Give Lançamentos de Janeiro de 21 1/5 Give Lançamentos de Janeiro de 21 2/5 Give Lançamentos de Janeiro de 21 3/5 Give Lançamentos de Janeiro de 21 4/5 Give Lançamentos de Janeiro de 21 5/5
No votes yet



Diferentes Panteões

6 de Janeiro de 2021, 2:09, por O Bardo - 0sem comentários ainda

Quando se fala de deuses de um mundo de fantasia medieval, é interessante como a interpretação que se dá é basicamente monolítica, apenas um padrão de regras funciona e fechou. É como as religiões monoteístas comparadas com as monolatrias.

Digo isso porque na nossa Terra, os ṕanteões têm regras diferentes. Tem os que já nasceram deuses e podem assumir forma humana quando quiserem; os que raramente se misturam com humanos... Enfim, diversas origens, modos de operar e padrão de poderes também.

Estava pensando no quanto poderia ser interessante, em um mundo de Fantasia Medieval, não termos um "deus dos elfos" ou "deus dos anões", mas panteões diferentes para determinados povos ou conjuntos de povos. Sacerdotes de panteões diferentes poderiam ter significados totalmente distintos.

O caminho reverso pode ser interessante também. Uma certa igreja dedicada exclusivamente a um deus (monolatria) desenvolver a ambição de virar monoteísta e começar uma guerra santa contra os seguidores de todos os outros deuses, chamando-os de deuses falsos.

Outra ideia bacana é um jogo competitivo onde cada participante jogue com uma divindade, adotando estratégias para superar os concorrentes num estilo War. Provavelmente já existe algo assim por aí, duvido nada.

Religião fantástica é um assunto muito interessante. Ainda este ano devo lançar um XR Zine com as regras de deuses de Ases para XR-III, mas adaptável a qualquer cenário. O mundo onde Escarlate se passa também terá seu próprio panteão, em breve.

Se você não conhece Escarlate, dá uma olhada em Livros ou procura lá na Amazon os ebooks. É uma trilogia de novelas de aventura em fantasia medieval. A diferença da versão da Amazon (além de custarem R$ 4,00 cada, baratinho) é que cada volume traz também um cordel temático nesse universo.

P. S.: Foto utilizada é de autor desconhecido (Wikimedia Commons)

Avalie: 
Select rating Give Diferentes Panteões 1/5 Give Diferentes Panteões 2/5 Give Diferentes Panteões 3/5 Give Diferentes Panteões 4/5 Give Diferentes Panteões 5/5
No votes yet


Dia do Domínio Público 2021

2 de Janeiro de 2021, 21:30, por O Bardo - 0sem comentários ainda

Desde 2004 se comemora em 1º de janeiro o Dia do Domínio Público. Isso porque o período de validade do Direito Autoral não se encerra no aniversário da publicação da obra no aniversário da morte do autor (no Brasil, no caso, de 70 anos de morte do autor), mas sim no início do ano seguinte a esse aniversário.

Em 2021, em particular, dois autores interessantes tiveram suas obras libertadas:

George Orwell: A Revolução dos Bichos e a clássica distopia 1984. Para quem não sabe, 1984 foi a base, inclusive, para o mundo de V de Vingança.

Edgar Rice Burroughs: nunca li nada dele, mas além de autor do Tarzan, ele possui várias obras de ficção científica, no subgênero chamado de Espada e Planeta. Aventuras em Marte, em Vênus e na Lua.

Pois é, além de obras muito interessantes, agora dá pra fazer cenários de RPG disso tudo, meter o Tarzan nas histórias e outras traquinagens!

P. S.: Foto original de Loren Javier.

Avalie: 
Select rating Give Dia do Domínio Público 2021 1/5 Give Dia do Domínio Público 2021 2/5 Give Dia do Domínio Público 2021 3/5 Give Dia do Domínio Público 2021 4/5 Give Dia do Domínio Público 2021 5/5
No votes yet