Ir para o conteúdo
ou

Thin logo

Topo Coisas da Ka

Tela cheia
 Feed RSS

Blog da Ka Menezes

27 de Maio de 2009, 0:00 , por Software Livre Brasil - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Licenciado sob CC (by)
Vamos lá minha gente. Se é pra viver, tem que ser de verdade, e não no arremedo. Então, vou começar o exercício de viver o Noosfero, migrando meu blog para a Comunidade Software livre.

Ser alguém na vida

11 de Outubro de 2013, 9:50, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Essa tirinha foi compartilhada pelo FACEBOOK… eu quase a deixei passar em branco, mas felizmente não o fiz.

Vejo que o discurso que ela carrega se relaciona com a forma como enxergamos a educação e a presença das pessoas no mundo. A ideia de que devemos ser alguém na vida não se coloca como preconceito apenas à pessoas que escolhem cursar artes, mas está sempre relacionada ao papel da escola.

Afinal, o que é ser alguém na vida? Que tipo de “alguéns” estamos formando em nossa sociedade e em nosso sistema educacional?

tirinha-rafa

http://portugues.colband.net.br/files/2013/10/tirinha-rafa.jpg




A beleza editada

23 de Setembro de 2013, 12:07, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Coisa mais linda é poder alterar o nosso modo de ver o mundo e ainda mais: poder alterar o modo como as pessoas vem o mundo.

Trabalhar com imagens tem essa magia que é impressionante e ao mesmo tempo, perigosa.

Foi a partir dai que comecei a questionar o significado da palavra “verdade”. Pela fotografia, é possível projetar qualquer realidade, seja ela verdadeira ou não.  Em relação à imagens, eu sou um pouco arquivo X : a verdade está lá fora. Porque  se confiarmos cegamente na teleobjetiva dos outros, perdemos a chance de ver que a verdade que querem nos mostrar nem sempre é tão verdadeira.

DSCN9031_comnomeDSCN9031




Sou

14 de Setembro de 2013, 16:51, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Não leio o tanto que deveria, não me divirto o quanto eu gostaria. Por mim apenas, não faço quase nada. Faço o meu melhor pelos compromissos assumidos com os outros. A vivência com o outro é que me move. Pelos compromissos que assumo com os outros é que leio mais, me divirto mais e trabalho bastante. Na convivência é que me atualizo. Não desejo ser nada por mim mesma, quero ser o melhor de mim mesma, com todos aqueles que me cercam.  Com os outros e pelos outros é que eu sou o melhor de mim.

Acho que nasci Ubuntu.




As histórias de transgressão de um apaixonado por Rádio

22 de Agosto de 2013, 16:46, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Conheci um professor difícil de tipificar. Já ouvi dizer que há professores sizudos, professores tradicionais, professores progressistas,  professores malucos, professores aloprados, professores bonzinhos…

Não sei se o professor Mauro Rego Sá Costa, quando em sala de aula, se encaixaria em alguma tipificação dessas. O que sei é que, ao vê-lo narrar suas experiências com rádio e sonoridade, ele emana uma paixão contagiante pelo tema. Entre as histórias de sua memória, os fatos acontecidos e os fatos que espera que aconteçam, existe um brilho nos olhos, comum em quem se delicia com aquilo que vive e faz.

Os cabelos brancos, as marcas do tempo na sua pele, não condizem com sua expressão corporal ativa, quase dançante, quando ele se levanta para falar com mais ênfase sobre os temas que o movem.

E quando fala com ênfase… haja ênfase… os “píncaros” da academia devem ficar de cabelo em pé, quando, no meio de falas com referências à Godard, à Deleuze e Gattari, surge um p*, m* e outras palavras mal vistas por setores conservadores.

Mas, uma coisa é fato: não cabe setor conservador em um papo com Mauro Costa. Cabe loucuras, devaneios e muita transgressão.

 

Convite_radio_finalizado




De quem são as imagens?

7 de Julho de 2013, 19:23, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

As imagens cercam nossa existência de um modo tão forte que tendemos a naturalizá-las. Pouco nos perguntamos de onde vem, quem as produziu e para que servem as muitas figuras, os desenhos, as fotografias, os diagramas e todas as formas de expressão não verbais que nos cercam, mas que sempre nos comunicam e nos afetam.

Em tempos de internet, encontramos imagens diversas com bastante facilidade e abundância, colocamos essas imagens para ilustrar algo que produzimos, socializamos, distribuímos, criticamos, mas, raramente nos perguntamos: essa imagem tem dono?

Computer Budgie IIPois é… vivemos em tempo de conteúdos distribuídos pela web, sem origem clara, sem um dono específico, mas também são tempos de discussão profunda sobre direitos autorais. Por isso, é necessário estar atento sobre o material que produzimos e que distribuímos como sendo nosso, especialmente se fazemos “nosso” algo que na sua origem não o é.

O uso de imagens passa por essas reflexões, afinal, há por traz de cada imagem uma pessoa que dedicou alguns segundos para um clic ou algumas horas para edição. Há por traz de cada imagem uma história e uma intenção. Por isso, nada de sermos ingênuos: é preciso estar atento a tudo isso para não cometer equívocos morais – disseminando imagens carregadas de preconceito, por exemplo ou atos ilegais, usando e abusando de produções com copyright.

Lidar com ambas situações exige postura e discernimento, afinal, a imagem, como nos diz Felipe Serpa é hoje um paradigma sobre as formas como produzimos conhecimento. E sua criação e uso não está isento das pressões e ideologias sociais contemporâneas.

Como tenho buscado disseminar as práticas de copyleft na educação, uso do Flickr na busca de imagens licenciadas em Creative Commons, mas é preciso entrar em busca avançada para limitar a pesquisa a esse tipo de imagem. A imagem que uso atualmente neste blog vem de lá e consta como autoria de MichaelFitz. Eu já estou compondo meu acervo para contribuir com o site, veja na barra lateral do meu blog.




Testando a integração de recursos on e off line

17 de Junho de 2013, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Estou futucando ali, futucando aqui pra encontrar formas de integrar meus ambientes virtuais, jurando que assim vou otimizar meu tempo…

Então, estou testando os recurso do Ubuntu. Essa é uma postagem teste, será que vai funcionar?




Um Canguru duradouro

16 de Junho de 2013, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Cada vez mais vejo o quanto é importante disseminarmos nossas produções, nossas ideias, nossos pensamentos.

O Prof. NelsonPretto, da UFBA, tem um projeto de pesquisa intitulado “Você é o o que compartilha”. Você já parou pra pensar nisso?

Que tipo de contribuição estamos deixando para esse mundo louco?

Bem, aos poucos, nos meus momentos de descanso [que tem sido reduzidos nos últimos meses (rs)], quero colocar na rede algumas das coisas que fiz, que vivi, e que acredito, podem contribuir com outras pessoas.

A cada relato que faço, a cada imagem que produzo e compartilho, me bate uma pequena angustia, um medo de que “roubem” essas ideias e as desvirtuem. Que as vendam, e façam com elas o que eu não quis fazer: explorá-las financeiramente. Não me importo que nada aqui contido seja usado, remixado, disseminado, mas peço que seja respeitado o crédito da autoria. Afinal, nada do que está aqui eu fiz sozinha. Como poderão ver pelos relatos, tive a sorte de estar cercada de pessoas boas, comprometidas e desinteressadas, foi assim que nasceu a Biblioteca Canguru.

Eu fui embora, a Biblioteca Canguru permaneceu. E permanece até hoje pelas mãos da Jane e de mais um monte de gente que sequer posso imaginar.

Vou confessar: eu fico com uma pontinha de orgulho por ter feito parte disso…

CONHEÇA UM POUQUINHO MAIS SOBRE A BIBLIOTECA CANGURU.

canguru_alegria




Escola: um bem ou um mal necessário?

15 de Junho de 2013, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Durante meus estudos para elaborar o projeto de doutorado, encontrei esse painel sobre as ideia de Ivan Illich, autor do livro Sociedade sem Escolas.
Os convidados tentam relacionar as ideias do pensador com a atualidade. Vale a pena assistir.




Acho que depois foi melhorando…

13 de Maio de 2013, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

primeiro_desenho

Mexendo em meus antigos alfarrábios (se é que essa palavra existe mesmo) encontrei o meu primeiro desenho feito com o mouse, em paint brush, usando windows 3.11, num 386, com tela 13″ amarela e preta. Uma obra de arte como está só poderia ser impressa em uma impressão matricial, versão anterior à tão procurada LX 300.

E o mais engraçado (ou medonho) disso tudo não é a imagem em si, nem o que ela mostra ou representa. O mais engraçado é a descrição que eu fiz desse momento na minha dissertação de mestrado:

Tenho viva em minha memória a lembrança do primeiro computador que entrou em minha casa, no escritório da minha mãe. Tinha uma tela de 13” na qual as imagens se formavam em preto e amarelo. Ao colocar minha mão no mouse, fui clicando aqui e ali, até encontrar um programa de desenho chamado Paint Brush. Pronto! Meu primeiro desenho feito no computador representou um mundo de coisas que eu poderia fazer com aquele equipamento (e na época nem tínhamos internet). Sempre que minha mãe encerrava suas atividades profissionais, eu começava as minhas curtindo cada clique do mouse. O que para ela significava trabalho, eu vivia como diversão. E com o passar do tempo essa diversão foi tomando novas feições relacionadas também aos estudos e ao trabalho. Fui seduzida pelo potencial criativo que aquele artefato tecnológico representava para mim.” (p.12)

MENEZES, Karina Moreira. Sentidos produzidos sobre as TIC em discursos do Proinfantil. (Bahia, Brasil) 125p. Dissertação (Mestrado) Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2012.

A descrição me parece bem poética, mas tenho dúvidas sobre o desenhos. Bem, olhando para essa “obra de arte” vejo que ainda sou fã de filmes de vampiros, mas melhorei bastante na estética e nos motivos visuais… ufa.