Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

Perguntas recentes:

getaddrinfo: Name or service not known

Tela cheia Sugerir um artigo
 Feed RSS

Ambiente de Relacionamento da Comunidade Inkscape Brasil

27 de Maio de 2009, 0:00 , por Software Livre Brasil - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.

Preview inkscapeO Inkscape é um programa livre (de código aberto) para desenho vetorial (similar ao Corel DRAW), que implementa o padrão abeto SVG, que também pode ser usado diretamente na web.

 

Participe da Lista de Discussão!


Concurso da Marca do CNPq fere a livre concorrência, privilegiando um software específico

5 de Setembro de 2010, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

O CNPq, agência do Ministério da Ciência e Tecnologia destinada a financiar nossa pesquisa e promover nossa independência tecnológica, lançou o Concurso da Marca dos 60 anos do CNPq, com regulamento no endereço http://www.cnpq.br/normas/rn_10_018.htm onde explicitamente exige o produto final no formato CDR.

Exitem duas fortes incoerências nesta exigência:

(1) - Violação da Livre Concorrência

Existem várias ferramentas de ilustração digital, muitas são vetoriais, mas apenas o CorelDRAW da empresa estrangeira COREL gera CDR. Talvez o Corel seja a ferramenta mais usada para comunicação visual do CNPq, mas não é a única usada no Brasil e felizmente o CorelDRAW pode abrir outros formatos possibilitando o uso de ilustrações criadas em outras ferramentas.

A livre concorrência é garantida com a exigência de uso de formatos abertos, como os definidos por órgãos como a ISO e W3C. O que se deve exigir são as características do produto e não a marca. Assim como não se licita "Tubo 3 polegadas da Tigre" e sim "Tubo PVC de 3 polegadas", deve-se exigir "marca em formato vetorial aberto".

É válido listar os formatos abertos válidos para a realidade do CNPq. Algumas dicas são:

  • PDF - o reuso não é simples, mas é uma opção popular.
  • EPS - não é um formato tão avançado, mas a maioria das ilustrações vetoriais não precisam de mais que isso. É um formato bastante popular.
  • SVG - é um formato avançado e aberto, definido pela W3C

Dica: o Corel pode tanto salvar quanto abrir SVG.

Lista de softwares para edição vetorial:
http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_vector_graphics_editors
(Vejam quantos foram impedidos de participar)

(2) - Desalinhamento com a Política de Software Livre do Governo Federal

Privilegiar um formato fechado e um software proprietário é desalinhar-se totalmente da política de TI promovida pelo iti.gov.br desde 2004. Com essa prática o CNPq afasta os jovens capacitados pelas Casas Brasil, Pontos de Cultura e qualquer outro projeto de inclusão digital promovido ou apoiado pelo governo federal. Pode um brasileiro ser orientado pelo governo a seguir certa linha e o mesmo governo o exclui em outro momento por ter seguido a linha? Onde está a coerência nessa história?

Não se trata de uma briga de gosto pessoal. Existe um lado exclusivo e outro inclusivo. No lado do Software Proprietário tudo é segredo e a interação entre ferramentas é dificultada para restringir a migração. No lado do Software Livre e Formatos Abertos não há segredos e todos são convidados a interagir. Para um novo software suportar CDR é preciso desvendar um formato criptográfico, mas, por outro lado, Todos podem implementar suporte a SVG. Veja a lista (incompleta) de softwares que suportam SVG:
Inkscape, SVG-edit, Illustrator, CorelDRAW, Amaya, Firefox, Opera, Safari, Chrome, Batik Squiggle, iPhone (SO), Vidualize, BitFlash, ...

Além dos projetos sociais, organizações ligadas ao governo estão levando a sério o alinhamento com a política de software livre, veja por exemplo o Banco do Brasil, mas muito antes dele, mesmo antes de 2004 a Petrobras já usava Software Livre.

Software Livre não é apenas a opção mais barata, é independência tecnológica e acesso irrestrito ao conhecimento. Dado este fato o CNPq não deveria ser lembrado da necessidade de aproximar-se desta linha, deveria ser um dos principais fomentadores do SL no país.



Debian, Feliz Aniversário! 17 anos de projeto e comunidade!

16 de Agosto de 2010, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda


Cartão feito por mim utilizando Inkscape e alguns cliparts livre do OpenClipart.org.

Participe também do viral "Balões do Debian em seu site", acesse aqui e cole o código em seu blog ou site.



Video-aulas do inkscape

24 de Junho de 2010, 0:00, por Software Livre Brasil - 55 comentários

Publiquei no 4shared minhas vide-aulas do inkscape

http://www.4shared.com/dir/UFe9Ziwm/inkscape.html

Espero que todos gostem



1ª Semana de Educação e Arte Digital do Tocantins

21 de Março de 2010, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda
5 de Abril de 2010, 0:00 http://www.gedja.com.br Av. Teotônio Segurado, 402 Sul, Área Verde, Palmas-TO

Vem aí a 1º Semana de Educação e Artes Digitais, uma realização da Casa da Arvore – Projetos Sociais que reunirá do dia 5 a 9 de abril deste ano em Palmas, pesquisadores, educadores, alunos e artistas representantes de projetos inovadores desenvolvidos em várias partes do Brasil. São iniciativas que têm provocado profundas reflexões sobre o universo de possibilidade de produção de conhecimento na era digital, através da arte e da educação.
A programação conta com três oficinas voltadas para artistas, estudantes, profissionais liberais e demais interessados em experimentar novas possibilidades de criação a partir de novas tecnologias de informação, comunicação e mobilidade. Para fazer sua inscrição envie um email com o nome, idade, telefone, área de atuação para os e- mails abaixo e aguardar instruções:

Jornalismo na web 2.0 – Nacho Duram (SP) jornalismoweb2.0@gmail.com

Animação Básica em Blender 3D – Erick Henrique (TO) anima.blender.3d@gmail.com

Processamento de som e imagem em tempo real – Jarbas Jácome (PE) processamento.tempo.real@gmail.com

Os painéis serão gratuitos e aberto a toda sociedade.

As oficinas serão cobradas R$ 10,00 e o limite de vagas é 15 pessoas por oficina.

1ª Semana de Educação e Artes Digitais – Palmas – TO
de 05 a 09 de Abril na Av. Teotônio Segurado, 402 Sul, Área Verde, Palmas-TO



Slices no Inkscape, seja um open-web-designer feliz!

26 de Fevereiro de 2010, 0:00, por Software Livre Brasil - 77 comentários

Há muito tempo, web designers procuram alternativas nos softwares livres para suas necessidades cotidianas de criação e desenvolvimento. e na maioria das vezes, acabam batendo cabeça no Gimp, e após alguns rodeios acabam voltando para uma plataforma proprietária, por conta da falta de recursos adequados para sua produtividade diária, e ter Slices é sem dúvida uma destas ferramentas que fazem falta!

Conceito de Slices (Fatiar)

É uma camada contendo objetos destinados ao mapeamento do local de corte de imagens em um layout.
Sua finalidade é automatizar o processo de geração das múltiplas imagens que compõem um site.

Este recurso está presente nos melhores softwares proprietários, como Photoshop, Fireworks, PaintShop, Illustrator e outros, porém poucas referências são encontradas quando se trata de software livre, somente algumas menções ou plugins desencontrados para o Gimp, que na maioria das vezes está muito distante do usuário final, pelos complexos processos de instalação e utilização rudimentar.

Mas seus problemas acabaram, o ♥ Inkscape ♥ nesta técnica que apresento, RESOLVEcompletamente o processo de criação de Slices, com tudo que os melhores softwares proprietários oferecem, e mais um pouco se tiver criatividade!

Vamos aos passos:

1) Abra um novo documento no Inkscape, de qualquer dimensão.

 

2) Faça um desenho de site simples, apenas para ilustrar o processo, que posteriormente pode ser reproduzido em qualquer layout.
Sugiro um modelo básico:

3) Pressione o ícone que permite visualizar as camadas (layers) no Inkscape, abrindo o painel lateral.

4) Renomeie a camada que está trabalhando como “layout“.

5) Na sequencia, adicione uma nova camada acima da layout, e a chame de SLICES (ôpa, tá ficando bom!)

6) Bloqueie a camada layout e selecione a camada slices.

7) Deixe a opacidade da camada slices em 50-75%, ou seja, com transparência!

8) Inicie o desenho de seus slices NA CAMADA SLICE, com a ferramenta de Quadrado, como se estivesse em qualquer software do gênero.

9) Depois de desenhados os campos que deseja, selecione um dos quadros com o botão direito do mouse e solicite “Propriedades do Objeto” (Ctrl+Shift+O).

10) No campo ID, dê o nome para este slice (Ex: topo_menu, base_menu, fundo_conteudo …) e pressione <Aplicar>.

11) Sem precisar fechar esta janela de diálogo, clique na página e pressione <TAB> para ir para o próximo objeto, e vá nomeando-os da mesma forma, até completar o trabalho.


PREPARANDO-SE PARA EXPORTAR, O PULO DO GATO!
SIGA EXATAMENTE OS PASSOS DESCRITOS ABAIXO PARA TER SUCESSO TOTAL!

12) Deixe a camada Slices em opacidade 0%, isto é indispensável para a geração correta das futuras imagens!

13) Pressiona Ctrl+A para selecionar todos os objetos ocultos da camada Slice.

14) Pressione Ctrl+Shift+E para exportar.

15) Aponte a pasta que deseja armazenar suas imagens, dê um nome qualquer ao arquivo (o Inkscape vai utilizar o nome do Slice na exportação), e pressione <OK>.

16) Marque no Diálogo de Exportação, o campo: EXPORTAR EM LOTE (X) OBJETOS SELECIONADOS, e pressione <EXPORTAR>

17) Basta conferir na pasta seus PNGs gerados impecavelmente corretos, prontinhos para serem incluídos no seu htm/css.

Notas interessantes do processo que você precisa saber:

O Inkscape é tão competente no processo de geração de slices neste método, que respeita todas as opacidades de cada ponto do desenho, permitindo excelente sombras projetadas e emendas de taxas de repetições, recursos estes que softwares proprietários feitos para esta finalidade tem dificuldades de resolver.

  • Sua página branca é compreendida como transparente pelo processo de exportação.
  • Um quadro branco desenhado sob os desenhos, é compreendido como fundo branco no processo de exportação.
  • Slices sobrepostos são compreendidos perfeitamente, permitindo algo novo, como a sobreposição para geração de margem de erro e encaixe em cada objeto, algo inconcebível em qualquer outro software.
  • Como qualquer ferramenta de Slice, a camada Slice pode ser ocultada, reeditada, e exportada novamente, quantas vezes desejar.
  • Seu layout pode mudar sempre que necessário, bastando exportar novamente os slices.

Ajustes no Inkscape para melhorar seu resultado final

O Inkscape é um software de absurda precisão, ainda mais se tratando de medidas, pois tem a capacidade de subdividir unidades de pixels.

Porém, esta característica pode ser prejudicial à qualidade das imagens após a exportação, criando o efeito embaçado em alguns pontos, principalmente em objetos simples com cantos secos, linhas pontilhadas e fontes.

Para contornar esta característica, tome os seguintes cuidados:

  • Verificar sempre se as posições X e Y do objeto que está desenhando (slice ou interface) estão com referencias exatas, sem decimais.
  • Desabilitar o redimensionamento automático de contornos ao dimensionar objetos, isto pode ser feito clicando no botão correspondente  na barra de ferramentas.
  • Procurar sempre dar medidas e coordenadas exatas para objetos e contornos, com valor de pixel cheio.
  • Alterar nas preferências do Inkscape, a medida de salto (setas) e super salto (Shift+setas) para 1px e 10px respectivamente.

Estes cuidados tomados, o resultado final de suas criações poderão ser realmente surpreendentes, aliados à fantástica produtividade do Inkscape, trazendo você realmente para o mundo da criação profissional de websites utilizando software livre.

Preparando o Ubuntu para melhorar ainda mais seu desempenho.

Talvez uma lacuna que exista no Inkscape e o produto final, seja sua limitação na exportação de imagens JPG, pois ele somente exporta no formato PNG, que garante transparências e cores 24bits, suportadas hoje por todos os navegadores.

Porém, alguns profissionais alegam que o PNG mesmo que perfeito no quesito qualidade, é pesado para compor uma interface web (algo que discordo totalmente, a banda larga está aí), e preferem JPG (24bits sem suporte à transparências), ou ainda GIF (o velho formato com canal indexado de cor transparente, aquele cheio de quadradinhos brancos em volta.), por serem mais leves.

A solução para ter JPG’s ou GIF’s no lugar de PNG’s, é o processo de conversão automatizada (ou em lote) depois da exportação.

Para isto temos:

  • Nautilus Scripts para conversão de várias imagens, instalável via Ubuntu-Tweak (nada de códigos ok).
  • Visualizador de imagens Gthumb para Gnome, ideal para converter imagens com muitas configurações.
  • Visualizador de imagens Gwenview, mesmos recursos para KDE.

Instale qualquer um destes recursos, e pronto, imagens no formato que desejar.

Curiosidade

Como pode-se perceber neste tutorial, nenhum plugin ou artifício de programação foi utilizado, apenas um recurso que esteve sempre alí, desde algum momento em que o Inkscape adotou o processo de exportação em lotes.

Por algum motivo, até então, não encontrei referências de quem tenha se dado conta do potencial desta funcionalidade, como uma ferramenta poderosa de produção profissional, suprindo as necessidade primordiais em um software para web designer no mundo do software livre.

Portanto, seguindo o espírito livre, compartilho este conhecimento, façam bom proveito!

Sucesso à todos e excelentes sites!