Ir para o conteúdo
ou

Logo noosfero

ODF Alliance Award

Furusho

TDF Planet

redirection forbidden: http://planet.documentfoundation.org/atom.xml -> https://planet.documentfoundation.org/atom.xml

BR.Linux.org

redirection forbidden: http://br-linux.org/feed -> https://br-linux.org/feed

Seja Livre!

redirection forbidden: http://sejalivre.org/feed/ -> https://sejalivre.org/feed/

Linux Feed

getaddrinfo: Name or service not known

Computerworld

getaddrinfo: Name or service not known

PC World

getaddrinfo: Name or service not known

IDG Now!

getaddrinfo: Name or service not known

Info

Invalid feed format.

Users SL Argentina

redirection forbidden: http://drupal.usla.org.ar/rss.xml -> https://cobalto.gnucleo.net/rss.xml

Tecno Libres - Cubas

redirection forbidden: http://gutl.jovenclub.cu/feed -> https://gutl.jovenclub.cu/feed

Linux Venezuela

Invalid feed format.

GNU/Linux Paranguay

Invalid feed format.

Soft Libre Honduras

Invalid feed format.

 Voltar a FREE SOFTWAR...
Tela cheia

TCU: Controle sobre TI desapareceu da administração pública

11 de Agosto de 2009, 0:00 , por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 2089 vezes

 

Depois de ter realizado o levantamento que culminou com a Instrução Normativa 4 - que disciplina a contratação de serviços de TI na admistração pública - o Tribunal de Contas da União (TCU) mantém um trabalho de conquista de servidores federais sobre a importância da norma, em vigor desde janeiro. Conquista relevante uma vez que, nas contas do ministro-auditor do TCU, Augusto Sherman Cavalcanti, o controle das atividades de TI desapareceu da administração pública em 15 anos.

"A atividade de controle desapareceu ao longo dessas décadas e ninguém percebeu. Tudo foi terceirizado", afirma Sherman, que nesta segunda-feira abriu mais uma série de palestras do Tribunal de Contas sobre o tema da TI no governo. Ele insistiu muito nos números encontrados pelo TCU entre 2007 e 2008, para defender a necessidade de adaptação dos órgãos públicos ao novo processo de contratação dos serviços.

"Em 2006, a União gastou R$ 6 bilhões em TI. Até o próximo ano teremos um novo levantamento. É muito dinheiro para não ser bem-aplicado", sustenta Sherman ao desfiar a análise de 255 órgãos da administração direta e indireta (eram 333, mas boa parte não respondeu ao questionário, ou o fez de forma incompleta).

Dos efetivamente pesquisados, 88% não possuíam plano de continuidade de negócios, 80% não realizavam classificação da informação, 75% não faziam análise de riscos em TI, 60% não realizaram auditoria de TI nos cinco anos anteriores, e 51% dos órgãos não alocavam gastos de TI com planejamento.

"As informações mais importantes do Estado brasileiro estão digitalizadas e guardadas em bandos de dados. Ainda assim, não havia, e praticamente ainda não há, preocupação com um plano de segurança dos dados", diz o ministro-auditor do TCU.

Ele acredita, porém, que os órgãos públicos vêm procurando se adequar à nova metodologia de contratos de TI, que pressupõe manter a gestão da atividade com servidores, portanto não terceirizável. "Do que o TCU tem acompanhado, todos estão se mexendo", completou.

* fonte: Convergência Digital

por :: Luís Osvaldo Grossmann


Tags deste artigo: terceirização orçamento federal ti cavalcanti governo tcu

0sem comentários ainda

Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.