Ir para o conteúdo
ou

Logo noosfero

ODF Alliance Award

Furusho

TDF Planet

redirection forbidden: http://planet.documentfoundation.org/atom.xml -> https://planet.documentfoundation.org/atom.xml

BR.Linux.org

redirection forbidden: http://br-linux.org/feed -> https://br-linux.org/feed

Seja Livre!

redirection forbidden: http://sejalivre.org/feed/ -> https://sejalivre.org/feed/

Linux Feed

getaddrinfo: Name or service not known

Computerworld

getaddrinfo: Name or service not known

PC World

getaddrinfo: Name or service not known

IDG Now!

getaddrinfo: Name or service not known

Info

Invalid feed format.

Users SL Argentina

redirection forbidden: http://drupal.usla.org.ar/rss.xml -> https://cobalto.gnucleo.net/rss.xml

Tecno Libres - Cubas

getaddrinfo: Name or service not known

Software Libre Peru

Linux Venezuela

Invalid feed format.

GNU/Linux Paranguay

getaddrinfo: Name or service not known

Soft Libre Honduras

Invalid feed format.

 Voltar a FREE SOFTWAR...
Tela cheia

Software Público ganha a adesão das universidades brasileiras

11 de Agosto de 2009, 0:00 , por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 1360 vezes

Brasília, 7/8/2009 - A Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação (SLTI) do Ministério do Planejamento e o Instituto Federal Fluminense assinaram acordo de cooperação técnica para disponibilizar à sociedade softwares e soluções livres desenvolvidas por universidades, institutos e centros de pesquisa brasileiros. A iniciativa será viabilizada por meio do Portal do Software Público Brasileiro (www.softwarepublico.gov.br) com a criação do grupo de interesse 4AcadBr.

Esse grupo pretende compartilhar no portal as boas idéias desenvolvidas nas instituições de ensino e pesquisa do Brasil. O 4AcadBr visa estimular a aproximação entre o segmento acadêmico e as comunidades de desenvolvimento do software público. A intenção é promover mecanismos que incentivem a criação e a manutenção de comunidades de desenvolvimento em torno dos saberes produzidos no ambiente acadêmico.

O acordo de cooperação foi assinado pelo titular da SLTI, Rogério Santanna, e pela reitora Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense de Campos, Cibele Daher Botelho Monteiro, no dia 6 de agosto, no Ministério da Educação.

Na ocasião, Santanna destacou que o governo federal prioriza o desenvolvimento de aplicações livres e ressaltou o papel do Portal do Software Público e a importância do envolvimento da academia brasileira nesse processo. “O conhecimento produzido nas universidades, institutos e centros de pesquisa tem muito a contribuir com o software público no país”, afirmou.

Software Público

O Portal do Software Público inaugurou um modelo de licenciamento e de gestão das soluções desenvolvidas na Administração Pública ao compartilhar softwares que podem ser úteis aos mais diferentes órgãos públicos e também à sociedade.

Estão disponíveis 29 soluções desenvolvidas por órgãos do governo federal, legislativo, universidades, empresas, além de municípios. Os seus códigos-fonte estão acessíveis a todos os interessados, mediante cadastramento. Cerca de 48 mil pessoas participam das comunidades de prática do portal que podem sugerir contribuições e melhorias às soluções disponibilizadas.

O objetivo é reduzir custos, aprimorar os aplicativos disponibilizados e, conseqüentemente, o atendimento à população. Para disponibilizar soluções do setor público no portal é preciso entrar em contato por meio do endereço eletrônico guialivre@planejamento.gov.br. O Portal do Software Público é coordenado pela SLTI.

4CMBR

O 4CMBR – Comunidade, Conhecimento, Colaboração e Compartilhamento - foi o primeiro grupo de interesse do Portal do Software Público e é voltado aos municípios brasileiros. No local estão disponíveis soluções livres voltadas à melhoria da gestão municipal e do atendimento à população.

* fonte: 4CMBr Municípios Brasileiros


Tags deste artigo: slti universidade software livre municípios software público 4cmbr

0sem comentários ainda

Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.