Aller au contenu
ou

Logo noosfero

ODF Alliance Award

Furusho

TDF Planet

redirection forbidden: http://planet.documentfoundation.org/atom.xml -> https://planet.documentfoundation.org/atom.xml

Linux Magazine

getaddrinfo: Name or service not known

BR.Linux.org

redirection forbidden: http://br-linux.org/feed -> https://br-linux.org/feed

Seja Livre!

redirection forbidden: http://sejalivre.org/feed/ -> https://sejalivre.org/feed/

Linux.com

SSL_connect returned=1 errno=0 state=error: certificate verify failed

Linux Feed

getaddrinfo: Name or service not known

Computerworld

getaddrinfo: Name or service not known

Guia do Hardware

404 Not Found

Wwwhat's New?

redirection forbidden: http://feeds.feedburner.com/brwwwhatsnew -> https://br.wwwhatsnew.com/feed

Convergência Digital

503 Backend fetch failed

PC World

getaddrinfo: Name or service not known

IDG Now!

getaddrinfo: Name or service not known

Info

Invalid feed format.

Mon réseau

Users SL Argentina

redirection forbidden: http://drupal.usla.org.ar/rss.xml -> https://cobalto.gnucleo.net/rss.xml

Tux Chile

Tecno Libres - Cubas

redirection forbidden: http://gutl.jovenclub.cu/feed -> https://gutl.jovenclub.cu/feed

Software Libre Peru

Invalid feed format.

GNU/Linux Paranguay

getaddrinfo: Name or service not known

Soft Libre Honduras

404 Not Found

Linux Rep.Dominicana

404 Not Found

 Retour à FREE SOFTWAR...
Plein écran

Portugal: Estado quer "normas abertas" nos sistemas informáticos

octobre 25, 2011 0:00 , par Software Livre Brasil - 0Pas de commentaire | No one following this article yet.
Viewed 1338 times

O Estado quer adotar normas abertas nos sistemas informáticos que permitam a utilização de diferentes 'softwares', deixando desta forma de depender de um único fornecedor e logo conseguindo uma redução de custos.

A Lei das "Normas Abertas" foi publicada em junho, tendo a Agência para a Modernização Administrativa (AMA) lançado uma consulta pública até dia 30 deste mês com o objetivo de definir o futuro regulamento nacional de interoperabilidade digital dos documentos na administração pública.

"Uma coisa são as normas, outra coisa é o 'software'. O que as normas abertas permitem é que diferentes 'softwares' possam interagir através de uma linguagem comum, ou seja, que diferentes ofertas de 'software' concorrentes sejam compatíveis e façam a troca de informação", explicou o presidente da Associação de Empresas de Software Open Source Portuguesas (ESOP), Gustavo Homem.

http://softwarelivre.org/furusho/odf/odf-adesivo-2009-ingles-inside.png

A nova lei procura garantir a interoperabilidade da informação criada, recebida e transmitida pelo Estado, através da definição dos formatos de ficheiros e protocolos de comunicação usados nas várias aplicações informáticas.

Segundo o secretário de Estado Adjunto do Ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, Feliciano Barreiras Duarte, é “crucial”, contribuindo para a redução de custos de consultadoria e 'software'.

“Importa que a utilização de normas abertas dos sistemas de informação do Estado possibilite verdadeira concorrência quanto à sua manutenção e que a comunicação entre sistemas seja passível de implementação não apenas pelos seus fabricantes mas por qualquer empresa na área das TIC (tecnologias de informação e comunicação)”, sublinhou.

Contactado pela Lusa, o presidente do Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado, Bettencourt Picanço, considera todo este processo como "o primeiro passo" para a existência de um conjunto de programas menos onerosos para o consumidor.

"Por exemplo, uma pequena e média empresa não vai pagar menos de 12 mil a 14 mil euros por ano para utilizar esses programas nos seus serviços. Se houver programas públicos que possam ser utilizados sem ter de pagar essa renda, é óbvio que todos ganhamos", sublinhou.

O sindicalista considera que as normas abertas são "fundamentais" para que possam existir programas sem custos para os cidadãos e a administração pública, lembrando que este é "o principal utilizador" desses programas.

Gustavo Homem salienta que estas alterações "vão beneficiar toda a gente exceto quem tiver o seu negócio assente num monopólio em que não haja competição" e reforça que "os processos legislativos têm de beneficiar os interesses do mercado e os cidadãos e não as empresas A, B ou C", reforçou.

A associação considera que o regulamento será "decisivo" para a implementação da Lei das Normas Abertas, mas frisa que embora pareçam estar reunidas as condições para garantir o sucesso do projeto, "houve já no passado outras circunstâncias em que pressões de bastidores se sobrepuseram à apreciação técnica em decisões de importância nacional".

Entre as normas em apreciação estão formatos como o ODF ('Open Document Format') para documentos editáveis e o PDF ('Portable Document Format') para documentos finalizados.

Segundo Barreiras Duarte, a nova lei consta na estratégia para a governança das TIC na Administração Pública que “apresenta um elevado potencial de redução da despesa”, citando um “importante” relatório da Inspeção-Geral de Finanças de 2010, segundo o qual a despesa global dos 44 organismos analisados ultrapassou os 350 milhões de euros em 2008 (último ano analisado).

A despesa com consultadoria praticamente duplicou no período de 2005 a 2008, ano em que se aproximou dos 90 milhões de euros (ME), seguida pelo hardware (cerca de 80 ME), software e comunicações (ambas próximas dos 70 ME), e manutenção (cerca de 40 ME), acrescentou.

@Lusa

*Este artigo foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico.*

* fonte: SAPO


Les tags de cet article : furusho odf alliance odf libreoffice jomar iso 26300 portugal

0Pas de commentaire

Poster un commentaire

Les champs sont obligatoires.

Si vous vous êtes déjà enregistré(e) comme utilisateur, vous pouvez vous connecter pour être reconnu(e) automatiquement.