Ir para o conteúdo
ou

Logo noosfero

ODF Alliance Award

Furusho

TDF Planet

redirection forbidden: http://planet.documentfoundation.org/atom.xml -> https://planet.documentfoundation.org/atom.xml

BR.Linux.org

redirection forbidden: http://br-linux.org/feed -> https://br-linux.org/feed

Seja Livre!

redirection forbidden: http://sejalivre.org/feed/ -> https://sejalivre.org/feed/

Linux Feed

getaddrinfo: Name or service not known

Computerworld

getaddrinfo: Name or service not known

PC World

getaddrinfo: Name or service not known

IDG Now!

getaddrinfo: Name or service not known

Info

Invalid feed format.

Users SL Argentina

redirection forbidden: http://drupal.usla.org.ar/rss.xml -> https://cobalto.gnucleo.net/rss.xml

Tecno Libres - Cubas

redirection forbidden: http://gutl.jovenclub.cu/feed -> https://gutl.jovenclub.cu/feed

Software Libre Peru

Linux Venezuela

Invalid feed format.

GNU/Linux Paranguay

getaddrinfo: Name or service not known

Soft Libre Honduras

Invalid feed format.

 Voltar a FREE SOFTWAR...
Tela cheia

Paraná: Internet residencial da Copel, só em 2012

15 de Fevereiro de 2011, 0:00 , por Software Livre Brasil - 1Um comentário | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 2416 vezes

Banda larga com 100 Mbps por fibra óptica foi lançada ontem e, por enquanto, só estará acessível para empresas no Centro de Curitiba

O governo do estado pretende que, em quatro anos, os 399 municípios do Paraná recebam o novo serviço de internet da Companhia Paranaense de Energia (Copel), lançado ontem. Mas, por enquanto, o novo serviço pode ser contratado somente por empresas com escritório no Centro Comercial Itália, no Centro de Curitiba. Batizada de BEL-100, a conexão terá velocidade de 100 Mbps (megabits por segundo), foi lançada ontem e chegará às residências até 2012.

http://www.gazetadopovo.com.br/midia/tn_620_600_zimmer_1402!.jpg
Lindolfo Zimmer - Presidente da Copel

O Itália foi o primeiro edifício a receber os cabos GPON, usados pelo BEL-100. Em breve, a Copel expandirá a rede para toda a região central e, até o fim do ano, 37 dos 70 bairros de Curitiba terão a conexão, segundo a empresa, que pretende comercializar o serviço em domicílios em até um ano. “Depois de começarmos a oferecer o serviço na capital, o produto será levado às 20 cidades de maior PIB [Produto Interno Bruto] do estado. Depois disso, a meta é alcançar todo o Paraná em quatro anos”, afirma o superintendente de Telecomunicações da Copel, Marcos Pessoa. O objetivo é ter pelo menos 400 clientes no período.

Cobrança

O custo da conexão será proporcional ao uso do cliente. Além da assinatura básica, de R$ 99,90 por mês, há uma taxa por quantidade de dados transmitidos. São R$ 2,79 a cada Gb de down­load e R$ 0,93 por Gb de upload. Não há taxa de instalação. Em comparação, a GVT oferece internet com a mesma velocidade por R$ 499,90 mensais. Por esse preço, um futuro consumidor residencial do BEL-100 da Copel poderia baixar cerca de 70 filmes de longa-metragem por mês e ainda trocar e-mails. Em uma grande empresa, no entanto, os dados transmitidos podem ser em maior número, o que encareceria a mensalidade. Nesse caso, a opção da GVT seria mais barata, já que a operadora não cobra por transferência de dados – ilimitada em todos os planos.

Para o lançamento, o governador Beto Richa e o presidente da Copel, Lindolfo Zimmer, conversaram por uma chamada de vídeo com o BEL-100. “Fico muito feliz com esse novo momento da empresa”, disse Richa, no Pa­­lácio das Araucárias, a Zimmer, na diretoria da estatal, no bairro Batel.

Segundo o governador, a ligação de todos os municípios à fibra óptica da Copel fará do Paraná o primeiro estado “100% digital”. Richa ainda parabenizou o presidente da empresa e disse que a estatal está voltando a ser um exemplo nacional. A proposta é que ainda neste ano o sistema cubra todos os órgãos da administração pública estadual.

Terminologia

Saiba o que difere cada tipo de conexão de internet:

Discada

Também chamada de dial-up. Com o advento da banda larga, caiu em desuso. É necessário ter um modem específico instalado no computador – ausente nas máquinas mais modernas –, além de um provedor (há os gratuitos, como o POP e o IG). A velocidade, de até 56 kbps, é suficiente apenas para realizar tarefas básicas, como checar e enviar e-mails.

Banda larga

Não existe consenso sobre o termo no Brasil. Antes, era usado para qualquer conexão com velocidade acima da discada. Atualmente, é mais usada para conexões de alta velocidade. Há países que determinam um mínimo de 200 kbps. O governo federal define banda larga como uma conexão capaz de oferecer serviços e aplicações de voz, dados e vídeo com qualidade. O conceito foi adotado para o Plano Nacional de Banda Larga, série de investimentos para popularizar a internet no Brasil. Operadoras comerciais costumam oferecer banda larga entre 1 e 10 Mbps.

Banda extralarga

Terminologia pouco usada. Foi incluída no nome do serviço da Copel para ressaltar a alta velocidade da conexão, de 100 Mbps.

por Fábio Pupo

* fonte: Gazeta do Povo


Tags deste artigo: bel-100 copel banda larga curitiba furusho paraná celepar fibra ótica

0sem comentários ainda

Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.