Aller au contenu
ou

Logo noosfero

ODF Alliance Award

Furusho

TDF Planet

getaddrinfo: Name or service not known

Linux Magazine

getaddrinfo: Name or service not known

BR.Linux.org

getaddrinfo: Name or service not known

Seja Livre!

getaddrinfo: Name or service not known

Linux.com

getaddrinfo: Name or service not known

Linux Feed

getaddrinfo: Name or service not known

Computerworld

getaddrinfo: Name or service not known

Guia do Hardware

getaddrinfo: Name or service not known

Wwwhat's New?

getaddrinfo: Name or service not known

Convergência Digital

getaddrinfo: Name or service not known

PC World

getaddrinfo: Name or service not known

IDG Now!

getaddrinfo: Name or service not known

Info

getaddrinfo: Name or service not known

Mon réseau

Users SL Argentina

getaddrinfo: Name or service not known

Tecno Libres - Cubas

getaddrinfo: Name or service not known

Software Libre Peru

getaddrinfo: Name or service not known

GNU/Linux Paranguay

getaddrinfo: Name or service not known

Soft Libre Honduras

getaddrinfo: Name or service not known

Linux Rep.Dominicana

getaddrinfo: Name or service not known

 Retour à FREE SOFTWAR...
Plein écran

Campus Party 2011: Entenda a criação da The Document Foundation e seu impacto no BrOffice

janvier 19, 2011 0:00 , par Software Livre Brasil - 0Pas de commentaire | No one following this article yet.
Viewed 1724 times

Terminou há pouco a palestra ”The Document Foundation e BrOffice.org”, no palco Software Livre, sobre as situações que levaram a criação da The Document Foundation (TDF) e seu impacto no software BrOffice e na comunidade. A palestra foi feita por Eliane Domingos, que é sócia da EDX Informática e presta serviços de consultoria e treinamento em BrOffice. Resumidamente, ela contou a história da criação do Open Office, os problemas com a primeira empresa gestora, a Sun Microsystem e impasses após a compra da companhia pela Oracle. A instituição jurídica BrOffice.org agora é parte integrante da TDF e o software BrOffice passou a ser a versão brasileira do LibreOffice, o produto da nova entidade internacional.


Eliane explicou que essas mudanças tiveram sua raiz lá no início da história do software, logo após o lançamento do OpenOffice no Brasil, em 2003. Isso porque a comunidade não era livre para mexer no código e qualquer colaboração teria que passar por muita burocracia para ser autorizada pela Sun. Falando com as palavras da Eliane, a comunidade “tinha que engolir tudo que a Sun fazia”. Quando a Sun Microsystem foi comprada pela Oracle, a comunidade BrOffice passou por momentos difíceis com o fim do projeto OpenSolaris e com o processo contra o Google por conta do uso da linguagem Java.

“A comunidade ficou com medo e os sinais em torno do que aconteceria com a OpenOffice.org eram confusos. Quando a Orcale lançou o ‘Oracle Open Office’, as pessoas ficaram com medo do programa passar a ser vendido, mudando as regras do jogo”, contou Eliane. A situação só se resolveu quando figuras da OpenOffice.org se reuniram, optaram pela diplomacia e convidaram a Oracle para entrar em uma nova fundação, a TDF, que foi criada em 30 dias. O software foi batizado de LibreOffice e no Brasil ele continuou como BrOffice, já que o nome é forte no país, com 15 milhões de usuários. De acordo com Eliane, as mudanças já foram sentidas.

“Tivemos liberdade de codificar, testar e atuar no LibreOffice, que será a nova base do BROffice no Brasil. A Criação da TDF foi ovacionada e a comunidade ficou muito feliz. Os desenvolvedores gritaram alforria. Varios países se juntaram ao LibreOffice e a TDF já tem estatuto e política de mérito e associação. O LibreOffice3.3 vai sair logo e temos um website e uma Wiki”, detalhou Eliane.

Um dos objetivos próximos da BrOffice.org é remover todas as extensões proprietárias dentro das aplicações instaladas, já que a base do software BrOffice não será mais o OpenOffice (que divulga e oferta instalações de extensões proprietárias no repositório) e sim o LibreOffice. “Hoje temos essa dependência e queremos terminar com isso. Queremos também uma nova versão do LibreOffice sem Java”, falou Eliane. Quem quiser acompanhar os novos passos dessa história deve ficar ligado no sítio http://www.broffice.org/.

* fonte: blog do Serpro


Les tags de cet article : openoffice furusho campus party iso 26300 broffice eliane 2011 libreoffice odf

0Pas de commentaire

Poster un commentaire

Les champs sont obligatoires.

Si vous vous êtes déjà enregistré(e) comme utilisateur, vous pouvez vous connecter pour être reconnu(e) automatiquement.