Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

Twitter do CulturaGovBr

getaddrinfo: Name or service not known

Tela cheia Sugerir um artigo
 Feed RSS

Comunidade do Fórum da Cultura Digital Brasileira

19 de Julho de 2009, 0:00 , por Software Livre Brasil - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.

O Fórum  da Cultura Digital Brasileira é um espaço público e aberto voltado para a formulação e a construção democrática de uma política pública de cultura digital, integrando cidadãos e insituições governamentais, estatais, da sociedade civil e do mercado.


Unicamp realiza seminário sobre arte e tecnologia

28 de Agosto de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

A curadoria de Arte e Tecnologia promove no dia 03 de setembro, quinta-feira, na Unicamp, o Seminário Sobre Arte e Tecnologia no Fórum da Cultura Digital Brasileira.

O objetivo do seminário será discutir soluções participativas e colaborativas para as questões de 1) delimitação do campo, 2)  diagnóstico e 3) propostas para a arte digital.

Serviço:

Data: 03/09/2009

Local: Unicamp – Pavilhão do Básico – Sala PB 01
Rua Sérgio Buarque de Holanda, 251 – Cidade Universitária Zeferino Vaz
Campinas – SP

Horário:  14h às 18h

Programa:
14h00
Abertura com José Murilo Jr. (Gerente de Cultura Digital do Ministério da Cultura)

14h30
Mesa-redonda aberta sobre Arte & Tecnologia Digital no Fórum da Cultura Digital Brasileira e na Universidade com:
Cicero Inacio da Silva (Curador de Arte e Tecnologia no Fórum/Mackenzie),
Edson Pfutzenreuter (Coordenador do curso de Artes Visuais da UNICAMP),
Rodrigo Savazoni (Coordenador do Fórum de Cultura Digital Brasileira/Rede Nacional de Ensino e Pesquisa).

17h00
Lançamento do livro Culturadigital.br (Org. de Rodrigo Savazoni e Sérgio Cohn, Azougue Editorial, 2009), com palestra do organizador Rodrigo Savazoni



Nem .com, nem .gov, nem .org: uma rede .br

27 de Agosto de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

A Rede da Cultura Digital encontra-se no domínio www.culturadigital.br. Não é .com, não é .org, não é .gov. Esse domínio, especial, foi requisitado pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) e pelo Ministério da Cultura ao Comitê Gestor da Internet Brasileira (CGI-Br), justamente por se tratar de uma experiência pioneira de uso da rede mundial de computadores no processo de deliberação política.

“Os problemas da democracia contemporânea, caracterizada pelos baixos índices de engajamento cívico e pelo distanciamento político entre representantes e representados, têm levado diversos teóricos a pensar na renovação do modelo de democracia vigente: algo capaz de fortalecer os vínculos entre os cidadãos e destes com o Estado, afim de garantir a saúde das democracias de massa”, afirma Sivaldo Pereira da Silva, no artigo Promessas e desafios da deliberação online: traçando o panorama de um debate.

Testar, na prática, hipóteses que vêm sendo formuladas no ambiente acadêmico nacional e internacional, é um dos objetivos da Rede da Cultura Digital. Um bem-sucedido movimento de constituição desse espaço de interlocução pode inaugurar um modelo de gestão em que a tecnologia digital é utilizada pelo gestor público para criar e fortalecer políticas.

Nesse cenário, indivíduos e entidades mobilizam-se em uma assembléia permanente. Poderíamos chamar isso de democracia direta? Ou seria democracia livre?

Sem dúvida, trata-se de um método para aprofundar a transparência, a prestação de contas, o diálogo e a interação entre os cidadãos.

Para ser efetivo, esse novo modelo de construção de políticas públicas não pode ser inicialmente apropriado, nem sequer simbolicamente, por nenhuma das partes envolvidas em sua construção, a saber o estado, o mercado e a sociedade civil. Uma rede .br é justamente o ponto de encontro das forças sociais que se articulam no espaço público.



Rede baseia-se em informação livre

26 de Agosto de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

gruposCulturaDigitalO Culturadigital.Br nasce com a proposta de instituir um espaço público interativo na internet brasileira. Para isso, precisamos criar  mecanismos e processos que resultem em consensos, mesmo que sejam disjuntivos (por que não?). Este é o grande desafio deste espaço virtual, desta rede, do Fórum da Cultura Digital Brasileira.

Para que a deliberação pública venha a ocorrer pelos meios de comunicação, determinadas condições precisam ser dadas pelo poder público, pela mídia e pela sociedade em si.

A primeira delas é a ampla disponibilidade de informação.

Todos os dados, matérias e informações gerados no CulturaDigital.br são livres, portanto contemplam esta primeira pré-condição de um processo deliberativo.

Ao produzir informações, lembre-se que as pessoas devem estar aptas a compreender diferentes aspectos de uma determinada questão, bem como terem condições de elaborar argumentos para tomar uma decisão ou efetuar uma ação tendo em vista o interesse público.

A internet potencializa a capacidade de fornecer processos e fluxos informacionais ao cidadão. E o Fórum busca potencializar as discussões e questões da Cultura Digital em sua plataforma, ajudando a organizar essa conversa.

Cada usuário é um agente social, um cidadão com voz ativa e opinião decisiva. E para isso, basta escolher seus grupos de interesse, criar seu blog, participar dos fóruns e apresentar suas ideias.

<!--Session data-->

<!--Session data-->



Personalize seu avatar

25 de Agosto de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Você entrou no Fórum da Cultura Digital Brasileira, fez seu cadastro, preencheu o perfil, porém deixou o sistema escolher seu avatar? Não acha que vale personalizar sua atuação no Fórum com aquela foto ou imagem com a qual se identifica?

Para trocar seu avatar, posicione o mouse no menu superior (cinza), no topo da página, em “Minha Conta”. Abrirá um menu de rolagem, ao passar o mouse em “Perfil”, clique na terceira opção “Mudar avatar”.

TrocaAvatar

Na página “Mudar avatar”, selecione o arquivo direto de seu computador e, para finalizar, clique em “Enviar foto”.

TrocaAvatar1



Lançamento do Pontão de Cultura Digital da ECO UFRJ- de 17 a 23 de agosto- Praia Vermelha UFRJ

17 de Agosto de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

logo

Cultura Digital no Pontão da ECO

O Pontão da ECO-UFRJ, no Rio de Janeiro,  será inaugurado com uma semana inteira de programação dedicada a Cultura Digital. De 17 a 23 de agosto, debates, oficinas e festa em torno da cultura digital e temas afins tomarão conta da Praia Vermelha, no Rio de Janeiro

O Semanão funcionará como o  lançamento do Pontão, uma parceria entre a Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e o Ministério da Cultura para o desenvolvimento de ações com tecnologias livres sobre mídias colaborativas e arte digital, além do fortalecimento da rede dos Pontos de Cultura do estado e sua interação com o ambiente universitário.

Trata-se de um projeto piloto com sede na Central de Produções Multimídias do campus da Praia Vermelha da UFRJ, localizada na Avenida Pasteur 250. Desde o final do ano passado, o Pontão de Cultura Digital vem realizando diversas ações,  como o Fórum Livre de Direito Autoral, o lançamento do livro ‘Futuros Imaginários’ de Richard Barbrooks e oficinas intinerantes em Pontos de Cultura sobre criação audiovisual, software livre e transmissão online de vídeos.

O Semanão marca a inauguração do Laboratório de Software Livre e o início dos seis cursos de cultura digital que serão oferecidos durante todo o semestre: http://www.pontaodaeco.org/cursosdeextensao

A programação começa com a aula inaugural do curso de gráfico com Cadunico, organizador da GNUGRAF, evento pioneiro sobre computação gráfica com softwares livres. Ao final da tarde e à noite, debates sobre rádios comunitárias com a Agência Pulsar e sobre agroecologia com a Escola da Mata Atlântica.

Na terça, oficinas sobre software livre vídeos digitais serão oferecidas a partir das 14 horas ao público. Às 19 horas, um debate sobre o futuro da internet e web semântica com membros do projeto de inteligência artifical Cortex Intelligence.

Na quarta a partir das 10h, mais oficinas sobre software livre, vídeo, web ativismo e administração de servidores. De noite, um bate-papo sobre movimentos sociais e possibilidades de integração regional com a exibição do primeiro episódio da série “América Latina Coop”.

Na quinta, as atividades começam às 09 horas com o curso de áudio, seguida de aulas sobre vídeo e publicação de conteúdos dinâmicos na internet com a ferramenta Drupal. Às 13 horas, também haverá uma exibição do Cinerama do filme Pachamama de Eryk Rocha e um debate com a equipe.

Na sexta de tarde, o encerramento da oficina de software livre e, a partir das 19 horas, festa de lançamento do Pontão e da revista Batedeira http://www.abatedeira.com com feira de trocas, DJs e VJs residentes. 

A semana encerra com a parceira do Pontão com o GNUGRAF, que ocupa o campus da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO - Av. Pasteur 296) no sábado e domingo com oficinas e palestras sobre animação em 3d, Pure Data, perfomances de vídeo ao vivo e outros assuntos. Confira a programação completa em gnugraf.org

progpontaosemanaoflyer1

……………………………………………………………………………………………………………
pro.grama.çao

Segunda (17)

(( 13h às 16h30 ))
Introdução às ferramentas livres de computação gráfica
Com Cadunico, designer há 18 anos e idealizador do GNUGRAF, primeiro evento de computação gráfica com software livre do estado do Rio de Janeiro. Um panorama geral sobre programas como o GIMP, alternativa livre ao Photoshop, e o Inkscape, para ilustrações vetoriais.

(( 16h30 às 19h00 ))
Desconferência sobre rádios comunitárias
Com Vítor Munhoz, jornalista e pesquisador da legislação sobre rádios comunitárias, e Lívia Duarte, representante da Agência Pulsar, que visa colaborar com as grades de programação das rádios divulgando informações especialmente sobre movimentos sociais. Seu principal trabalho é a radiorevista Comunidade em Rede, programas de rádios mensais distribidos por copyleft pela internet.

As rádios comunitárias exercem a democratização da comunicação na prática. Sua legislação está disposta na lei 9.612/98. Desde este decreto, a realidade dos comunicadores populares é de dificuldades diante dos órgãos fiscalizadores (como a Anatel) e a repressão da Polícia Federal. Desde o confisco de equipamentos à prisão de voluntários das rádios, passando pela campanha de desinformação promovida pelas empresas de comunicação que tentam impor o conceito de “piratas” à todas as rádios não-comerciais, as rádios verdadeiramente comunitárias enfrentam uma batalha ideológica pelas ondas do ar.

(( 19h às 21h00 ))
CiberSalão “Os bens comuns - como o software livre se relaciona com a agroecologia” e exibição do filme ‘O Mundo Segundo a Monsanto’
Com Tadzia Maya, da Escola da Mata Atlântica. Jornalista formada pela UERJ, Tadzia atua como professora de Comunicação da rede estadual de ensino, capoeirista e aprendiz de agroecologia. Trabalha com os temas de educação diferenciada para comunidades tradicionais, educação rural e educação multimídia com softwares livres. É co-autora do projeto Casa de Sementes Livres que conjuga o uso de softwares livres com a pesquisa, armazenagem e intercâmbio de sementes crioulas.

A salvaguarda dos bens comuns - como a água, o ar, as bibliotecas e os parques - merece destaque quando sistemas políticos  forçam a sua privatização. Este processo vem sendo chamado de “enclosure dos bens comuns”, onde esses bens são considerados ativos de mercado subaproveitados.  Por isso, movimentos sociais e coletivos de resistência cultural no mundo todo vêm se unindo para denunciar a privatização de sementes, óvulos e softwares, com o confinamento do conhecimento e dos seres vivos.

Terça (18)

(( 14h às 19h ))
Oficina aberta de software livre
Introdução ao uso de software livre com a equipe do Pontão de Cultura Digital da ECO. Recomenda-se aos participantes que tragam seus computadores e notebooks para a instalação de sistemas livres. Além disto, também será oferecido suporte aos usuários com dúvidas específicas sobre software livre.

(( 15h às 19h ))
Oficina do festival Vide Video
Debates sobre o processo de produção e difusão de um vídeo em meio às mídias digitais. Novas formas de produção, de distribuição e de relação com o conteúdo audiovisual. Vídeos na internet, novos formatos e novas possibilidades de mercado. Além das discussões, haverá exibição de vídeos e prática de produção.

(( 19h às 21h ))
Cibersalão: O futuro da internet e a inteligência artifical
Com Daniel Chada, engenheiro de computação e mestrando pela Fundação Getúlio Vargas. Chada trabalha com o desenvolvimento do software da Cortex Intelligence, uma ferramenta de web semântica, e também atua como pesquisador de temas como modelagem cognitiva, estruturação do conhecimento, análises de sentimento e etc.

Quarta (19)

(( 11h10 às 12h50 ))

Aula inaugural do curso Cultura Digital e Capitalismo Cognitivo
Com Ivana Bentes professora e pesquisadora da ECO/UFRJ e coordenadora do Pontão de Cultura Digital. Irá abordar as revoluções da comunicação, capitalismo estético e sistemas de autonomia e controle nesta aula de abertura do curso, que continuará durante o segundo semestre.

(( 14h às 16h ))

Continuação da oficina aberta de software livre

(( 15h às 19h ))

Continuação da oficina do festival Vide Video


(( 15h às 19h ))
Oficina de webativismo
Com Natália Cortez, bolsista do Pontão e Gustavo Barreto, mestrando da ECO e coord. do Pontão de Cultura Digital. A oficina busca identificar as características das novas formas de ativismo na mídia virtual em rede. Objetiva-se identificar o papel central da comunicação na nova configuração da sociedade civil organizada e como essa pode exercer sua demanda por direitos e consolidar sua cidadania. A saber, as redes de solidariedade, o altermundialismo ou globalização alternativa, a militância ambiental, as redes de exilados, a defesa dos direitos humanos. Como prática, pretende-se explorar e exercitar os diversos usos de linguagem das novas mídias.

(( 19h às 21h ))
Cibersalão América Latina Cooperativa e exibição do primeiro vídeo da série
O projeto América Latina Cooperativa tem por objetivo analisar e promover uma articulação entre cooperativas populares autônomas na América Latina, buscando construir uma proposta de integração para a região. A oficina tem o caráter de mobilização e reflexão sobre o papel das organizações populares, especialmente as cooperativas, para a criação de um novo modelo de integração regional, baseado nos movimentos sociais.

Quinta (20)

(( 09h às 12h30 ))
Aula inaugural do curso de áudio
Com Surian dos Santos, músico e comunicador que desde 2005 pesquisa e trabalha com ferramentas áudio usando o sistema GNU/Linux. Será oferecido um panorama das possibilidades de trabalhar com produção e edição sonora a partir de tecnologias livres.

(( 13h às 16h30 ))
Aula inaugural do curso de vídeo
Com Guzz, VJ, videasta, cinéfilo e entusiasta do software livre. Possui uma produtora que só usa ferramentas de código aberto. Apresentação básica de programas para edição e manipulação de imagens, como o KDENLive.

(( 13h às 15h ))
Cinerama exibe Pachamama, de Eryk Rocha
Filme e debate com a equipe

(( 18h às 21h30 ))
Aula inaugural do curso de Drupal
Com Giuliano Djahjah, usuário do Drupal há 3 anos e coordenador do Pontão de Cultura Digital da ECO. A oficina irá apresentar os conceitos e funcionalidades básicas deste Sistema Gerenciador de Conteúdo.

Sexta (21)

(( 14h às 19h ))
Oficina aberta de software livre
Introdução ao uso de software livre com a equipe do Pontão de Cultura Digital da ECO. Recomenda-se aos participantes que tragam seus computadores e notebooks para a instalação de Linux. Além disto, também será oferecido suporte aos usuários com dúvidas específicas sobre software livre.

(( 19h às 22h ))

Festa de confraternização
Música, performances audiovisuais e lançamento da revista A Batedeira. Também haverá uma feira de trocas no dia. Traga suas coisas!

Sábado e Domingo (22 e 23)

GNUGRAF: Confira a programação no site oficial

Mais infos: http://pontaodaeco.org/semanao

Como chegar: http://pontaodaeco.org/node/88

marca-brasil-e-minc1



Tags deste artigo: cultura digital