Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

Twitter do CulturaGovBr

getaddrinfo: Name or service not known

Tela cheia Sugerir um artigo
 Feed RSS

Comunidade do Fórum da Cultura Digital Brasileira

19 de Julho de 2009, 0:00 , por Software Livre Brasil - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.

O Fórum  da Cultura Digital Brasileira é um espaço público e aberto voltado para a formulação e a construção democrática de uma política pública de cultura digital, integrando cidadãos e insituições governamentais, estatais, da sociedade civil e do mercado.


Ministro da Cultura usa Web para coletiva sobre a Nova Lei Rouanet

18 de Dezembro de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

JUCA_Webconf-1 Juca Ferreira defendeu o Projeto de Lei apresentado à Câmara usando os   serviços de webconferência da RNP

O ministro da Cultura, Juca Ferreira, participou de uma coletiva por   webconferência sobre a Nova Lei Rouanet na quarta-feira, no escritório da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), em Brasília. Ele explicou aos internautas e aos jornalistas presentes que o Projeto de Lei apresentado pela manhã à Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados, que visa substituir a Lei Rouanet (Lei nº 8.313/1991), tem como principal objetivo propiciar uma melhor aplicação dos recursos destinados à cultura.

A Nova Lei Rouanet tem como objetivo ampliar os recursos e financiar as inúmeras dimensões da cultura presentes no território nacional. A mudança proposta pelo Ministério da Cultura (MinC) se baseia nas discussões promovidas nos 45 dias de consulta pública e nos debates realizados em 19 capitais este ano para a reforma da lei. Além disso, a pasta tem realizado estudos sobre o tema desde 2003.

Na coletiva, o Ministro ratificou a necessidade de reformular a Lei Rouanet dadas as desigualdades culturais do país. “Só 8% dos brasileiros já entrou alguma vez em um cinema. Mais de 90% dos municípios não tem uma sala de projeção sequer. Como o Brasil pode ser bem-sucedido no mundo sem investir em educação e cultura?”, pontuou.

Respondendo às inúmeras perguntas dos internautas, Juca Ferreira disse que as dificuldades de se obter incentivos através da lei atual são tantas que “hoje apenas 3% dos proponentes ficam com 53% dos recursos provenientes da Lei Rouanet, o que é um absurdo, pois praticamente 100% disso é dinheiro público”.

O intuito da Nova Lei é criar formas mais modernas de financiar projetos culturais, estabelecendo uma gestão em parceria com a sociedade e com o setor cultural. Para isto, a lei propõe a renovação do Fundo Nacional da Cultura (FNC), que passaria a contar com recursos próprios. Como o principal mecanismo de financiamento à cultura, este possibilitaria um maior controle social, um aporte direto, e eliminaria a necessidade de se buscar patrocinadores.

No projeto de lei apresentado na Câmara dos Deputados, pessoas físicas e jurídicas, com ou sem fins lucrativos, teriam o direito de apresentar projetos. Deste modo, a natureza cultural seria interpretada através das iniciativas. Além disso, a Nova Lei estabelece a concessão de bolsas e prêmios e uma prestação de contas mais simples, focada nos resultados dos projetos.

Por fim, o ministro agradeceu a colaboração da RNP, que, além de fornecer toda a infraestrutura para a realização da coletiva, também moderou o debate realizado por webconferência. A parceria entre o MinC e a organização tem como objetivo incentivar o uso inovador de redes avançadas na produção e distribuição de conteúdos culturais através da infraestrutura da rede acadêmica brasileira, a rede Ipê, operada pela RNP.

A RNP já conectou à rede Ipê a Cinemateca Brasileira e, em breve, interligará outras nove instituições culturais do Rio de Janeiro e mais uma em São Paulo.

Para mais informações sobre a Nova Lei Rouanet, acesse http://blogs.cultura.gov.br/blogdarouanet.

JUCA_Webconf_3



Projeto desenvolvido com walkingtools causa polêmica nos EUA

17 de Dezembro de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Original: http://www.cicerosilva.com/?p=205

http://www.bbc.co.uk/mundo/ciencia_tecnologia/2009/12/091130_celulares_frontera_mf.shtml

Celular para cruzar ilegalmente
Marcia Facundo
BBC Mundo, Los Ángeles

La creación de la herramienta ha causado polémica.

Investigadores de la Universidad de California en San Diego elaboraron una aplicación para teléfonos celulares que puede ayudar a los inmigrantes en su travesía por la frontera entre México y Estados Unidos.

Con un teléfono móvil en la mano (el Motorola 455) los inmigrantes al cruzar el desierto estadounidense pueden encontrar agua, o ropa y frazadas que son dejadas en puntos estratégicos por organizaciones de defensa de los derechos de los inmigrantes.

La “herramienta inmigrante translínea” como es llamada por sus creadores, es similar al popular GPS (siglas en inglés del Sistema de Posicionamiento Global).

“Muchos sistemas de posición son para ser utilizados en zonas urbanas”, explicó a BBC Mundo Ricardo Domínguez, director del equipo de investigadores de la Universidad de California en San Diego (UCSD, por sus siglas en ingles) que desarrolla el innovador proyecto.



Fórum Amazônico: cultura digital para o resgate da cultura tradicional

16 de Dezembro de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Paulo Lima é um dos coordenadores do Pontão de Cultura Digital do Tapajós e também de uma rede de telecentros ribeirinhos nos rios Tapajós e Arapiuns, no oeste do Pará. Historiador por formação e professor na área de jornalismo online em Santarém, ele é um dos articuladores do Fórum Amazônico de Cultura Digital, que está representada aqui na rede culturadigital.br por um grupo de discussão que reúne 33 pessoas.

A proposta do Fórum, criado no I Encontro de Conhecimentos Livres do Pontão de Cultura Digital do Tapajós, é contribuir com a discussão e o avanço de ações de cultura digital nas características específicas da região. “São longas distâncias, muita dificuldade de infra-estrutura, isolamento e dificuldades com acesso à internet, que justificaram a criação desse espaço, para que o Brasil tenha como conhecer melhor nossa realidade”, explica Paulo. Em entrevista por email reproduzida abaixo, ele conta um pouco do trabalho feito por lá.

1) O que é o Fórum Amazônico de Cultura Digital?

O Fórum Amazônico de Cultura Digital foi criado no I Encontro de Conhecimentos Livres do Pontão de Cultura Digital do Tapajós. Foi criado por representantes de Pontos e Pontões de Cultura, Telecentros, Infocentros e ativistas da cultura digital e do software livre. A idéia é contribuir com a discussão e o avanço de ações de cultura digital nas características específicas da Amazônia. O Fórum foi criado por entidades do Pará, Roraima e Amazonas. Mas não é um Fórum fechado, a proposta é somar, atrair mais parceiros e fazer com que nossas questões sejam melhor debatidas e consideradas na formulação das políticas públicas.

2) Nos eventos presenciais, que tipo de experiências foram trocadas?

Nós temos trocado experiências de oficinas diversas entre os Pontos e Pontões de cultura. São oficinas de tratamento de áudio e vídeo para registro da memória cultural das comunidades tradicionais, manejo de câmera e noções de fotografia e produção audiovisual.

3) Como usar a cultura digital, as novas tecnologias para promover a identidade cultural regional?

A cultura digital traz para a recuperação e promoção da cultura tradicional o jovem que até então não se interessava por ela. A banalização da produção cultural das televisões influencia negativamente a formação do jovem que vê a cultura do seu entorno como retrógrada ou atrasada. Quando ele se torna capaz de estimular essa cultura tradicional, como quem filma, edita e distribui na internet, ele passa a olhar de forma diferente essa cultura tradicional.

4) E como é trabalhar com cultura digital driblando os problemas de infraestrutura como alto preço da banda larga, problema de conectividade, falta de acesso

Essa é a parte mais difícil. Sem energia disponível, com dificuldades na formação educacional dos jovens, longas distâncias e pouco recurso disponível, só contando com muita disposição e criatividade. O fundamental aqui é promover parcerias, vincular projetos e fortalecer ações, por isso o Fórum Amazônico de Cultura Digital é tão importante.

5) A quem é destinado o grupo de discussão Fórum Amazônico de Cultura Digital criado no culturadigital.br? Como as pessoas que estão longe geograficamente podem participar? Que tipo de contribuições são esperadas?

O Fórum é destinado a todos e todas que participam em ações de cultura na Amazônia. Por aqui existe uma demanda muito forte por comunicação e participação. Isso no sentido de quebrar a barreira da invisibilidade de nossa cultura e tradição ribeirinha, caboclo, quilombola e indígena. Todos podem participar. O Fórum irá reunir informações sobre as atividades de cultura digital em nossa região, oportunidades de capacitação, de projetos, de iniciativa e, claro, é um espaço de pressão para o reconhecimento da força de nossa cultura.



Juca Ferreira fala sobre projeto que substitui Lei Rouanet

16 de Dezembro de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

O ministro da Cultura, Juca Ferreira, está agora em entrevista coletiva sobre o projeto de lei que visa a substituir a Lei Rouanet, de incentivo à cultura, por uma legislação mais abrangente e dinâmica. A coletiva acontece no escritório da Rede Nacional de Pesquisa, no Setor de Autarquias Sul, em Brasília, e está sendo transmitida em: http://webconf.rnp.br/minc-coletiva?launcher=false

Com a lei, o objetivo é ampliar os recursos para o setor e fazer com que tenham melhor aplicação, financiando todas as dimensões da cultura no país. A mudança se baseia em debates e estudos que o ministério vem promovendo desde 2003, e, particularmente, nos 45 dias de consulta pública e nas discussões realizadas neste ano em 19 capitais.

A lei renova o Fundo Nacional de Cultura, criando formas mais modernas de financiamento a projetos culturais e estabelecendo uma gestão feita em parceria com a sociedade e o setor cultural, garantindo que os recursos cheguem diretamente aos projetos, sem intermediários e sem burocracia desnecessária.

Na página da transmissão ao vivo da coletiva, o Ministério divulga o índice de participação de cada Estado brasileiro nos investimentos federais da Cultura. Veja a tabela:

SP – 34,79%
RJ – 34, 62%
MG – 9,40%
RS – 5,63%
DF – 3,28%
PE – 2,90%
PR – 2,24%
SC – 1,81%
BA – 1,79%
CE – 1,25%
GO – 0,41%
PA – 0,31%
ES – 0,30%
PI – 0,30%
MA – 0,19%
PB – 0,17%
SE – 0,15%
RN – 0,14%
MT – 0,10%
AM – 0,08%
MS – O,05%
RO – 0,05%
AL – 0,02%
AP – 0,01%
AC – 0,00%
RR – 0,00%
TO – 0,00%

Leia a íntegra do projeto apresentado hoje pela manhã ao Congresso Nacional, que institui o Profic e revoga a Lei Rouanet, fruto de intensa discussão e consulta pública promovida pelo Ministério da Cultura.

(Com informações da Agência Brasil: http://www.agenciabrasil.gov.br/noticias/2009/12/16/materia.2009-12-16.9118818487/view)



Transmissão ao vivo da confecom

16 de Dezembro de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda
1a Conferência Nacional de Comunicação

16.12.09 - Transmissão


Assista agora a 1ª CONFECOM

O evento acontece em Brasília até 17 de dezembro de 2009.

Ícones

A programação completa da 1ª Confecom:

Dia 16 de dezembro de 2009

14h30 – Plenária final (turno I)

19h - Jantar

 

Dia 17 de dezembro de 2009

9h – Plenária final (turno II)

12h – Intervalo para almoço

13h30 – Plenária final (turno III)

16h - Encerramento

 



Tags deste artigo: cultura digital