Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

0 integrantes

Nenhum(a)

Tela cheia

Comunicação Pelos Direitos na Região Sisaleira

11 de Novembro de 2009, 0:00 , por Software Livre Brasil - 1Um comentário | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 992 vezes

Tem início o projeto Comunicação Pelos Direitos na Região Sisaleira
Com o projeto, alunos serão estimulados a produzirem peças de comunicação sobre os direitos de crianças e adolescentes

Conhecida pela forte presença das rádios comunitárias, responsáveis por fazer o elo entre indivíduos e entidades, a Região Sisaleira tem se destacado nas discussões sobre políticas públicas de comunicação. Agora, esta região tem a oportunidade de envolver mais atores no debate sobre esta temática, refletindo como os veículos de comunicação, sobretudo os de comunicação comunitária, podem contribuir com o desenvolvimento das comunidades.

Com o patrocínio do programa Desenvolvimento & Cidadania da Petrobras, o Movimento de Organização Comunitária (MOC) está iniciando as atividades do projeto Comunicação Pelos Direitos na Região Sisaleira, que vai trabalhar diretamente com 340 pessoas, entre crianças, adolescentes, jovens, educadores e comunicadores. O objetivo é contribuir para o fortalecimento dos direitos das crianças e adolescentes da Região Sisaleira da Bahia através da qualificação profissional de jovens comunicadores comunitários e da democratização da comunicação.

O projeto tem atuação em dez municípios. São eles: Araci, Conceição do Coité, Ichu, Nordestina, Queimadas, Quijingue, Retirolândia, São Domingos, Serrinha e Valente. Coordenador do Programa de Comunicação, Klaus Minihuber conta que em cada um destes municípios foi escolhida uma comunidade da zona rural para ser contemplada com a montagem de um sistema de alto-falante nos postes de energia, que irão veicular a produção de crianças e adolescentes realizada nas salas de aula. O coordenador explica ainda que, no total, 20 jovens serão selecionados para receber formações técnicas e de conteúdo na área de comunicação, direitos da criança e do adolescente, desenvolvimento territorial, entre outros. “Os jovens vão receber uma bolsa auxílio por mês e serão responsáveis por acompanhar o trabalho das rádios comunitárias e dos educadores em sala de aula, estimulando o debate e a produção de peças de comunicação sobre os direitos das crianças e dos adolescentes”, disse Minihuber.

Envolvimento das comunidades - Com a chegada do Comunicação Pelos Direitos na Região Sisaleira, os movimentos sociais dos municípios envolvidos participaram ativamente das discussões nos eventos de apresentação do projeto. Em Nordestina e Retirolândia estiveram presentes cerca de 30 associações comunitárias, além da participação da juventude e dos Sindicatos de Trabalhadores Rurais (STR), um dos principais parceiros nas ações municipais. “Acreditamos que o projeto chegou em boa hora, pois, a juventude dessa região tem muito potencial, mas ainda é pouco valorizada, sem contar da importância de discutir comunicação aliado com os direitos das crianças e adolescentes do nosso município”, relata Marinalva Alves, diretora do STR de Nordestina e integrante do Conselho Municipal de Direitos das Crianças e Adolescentes (CMDCA).

Para Marta Rios, conselheira tutelar de Retirolândia, as ações irão contribuir na disseminação da temática. “Na comunidade escolhida em Retirolândia, Lagoa Grande, o índice de violação dos direitos é muito presente, sobretudo porque na maioria das vezes as políticas não chegam até aquela localidade o que faz crescer as denúncias. Queremos trabalhar em parceria com os jovens, educadores e movimentos envolvidos no processo, para garantir a construção de políticas que fortaleçam o meio rural”, afirma a conselheira.

Disseminando a Educomunicação - Uma ação forte dentro do projeto está voltada para o fortalecimento da educação municipal, através da educomunicação. Na Região Sisaleira, a metodologia tem sido trabalhada em escolas do campo de Conceição do Coité, Retirolândia e Valente. Esta será a oportunidade de expandir o trabalho para mais sete municípios.

Através da educomunicação alunos e educadores refletem os meios de comunicação, conhecem as etapas de produção do jornal e do rádio e, a partir da discussão, constroem juntos em sala de aula peças de comunicação como fanzines, jornal-mural, jornal impresso e programas de rádio que valorizam e fortalecem a cultura e identidade local.

No município de Queimadas, o projeto será desenvolvido na comunidade Lagoinha, distante 25 km da sede. De acordo com o secretário municipal de educação, Leonir Floriani, o projeto irá contribuir com o desenvolvimento da comunidade. “Por ser um pouco distante da sede, Lagoinha tem pouco acesso aos meios de comunicação, como a rádio comunitária. O projeto possibilitará às famílias a interação entre a comunicação, os direitos e o conhecimento da sua própria comunidade, por isso, estamos apostando no trabalho e somos parceiros em todas as ações que forem necessárias e que estiverem dentro de nossas possibilidades”, ressaltou o secretário.

Coordenadora da área de educação do campo no município de Valente, Joelma Santos fala da interação do projeto com as políticas públicas. “Mesmo fazendo divisão geográfica com mais quatro municípios, a comunidade de Itareru é muito carente de ações que contribuam com o seu fortalecimento e desenvolvimento local, por isso acreditamos que a comunicação terá um papel estratégico na proposição e construção de políticas públicas que garantam o desenvolvimento”.

Fonte: site do MOC


Tags deste artigo: direitos comunicação território adolescente

1Um comentário

  • 449aad14b25589c78001a71a847fd845?only path=false&size=50&d=404bruno de jesus santiagovamos conseguir(usuário não autenticado)
    11 de Novembro de 2009, 21:28

    vamos conseguir

    eu estou super animado com esse projeto. e é um prazer esta trabalhando com pessoas maravilhosas. e por isso estou colocando muita fé nesse projeto e vamos consegui jegar ao nosso objetivo. força galera que vamos mudar concerteza. Abraço pra todos.


Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.