Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

Últimos Posts

 Voltar a Blog Marcelo...
Tela cheia

Campeão da Libertadores da América

17 de Agosto de 2006, 0:00 , por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 1315 vezes

É colorado, Internacional

/pub/Blogs/BlogPostMarceloBranco20060817105400/macacolorado.jpg /pub/Blogs/BlogPostMarceloBranco20060817105400/coloradodaqui.jpg /pub/Blogs/BlogPostMarceloBranco20060817105400/Sacy.jpg

Depois de muitos anos da minha vida, o meu colorado de Porto Alegre conquistou este título tão almejado.

Descobri, a partir da comunidade do Orkut: Gaúch@s em Barcelona, que vários colorad@s estavam planejando assitir a decisão juntos. O Marcelo Quaresma, que é irmão da Miriam Porciúncula - uma ex-colega da PROCERGS, fez contato e marcamos um encotro na Festa Maior de Gràcia (falo sobre isso em outro post). Depois do tradicional estresse a procura de taxi na noite de Barcelona chegamos num Pub Irlandês no Porto Olímpico...no caminho me emocionei ao ver várias camisetas rubras desfilando pela cidade. Estávamos em maioria...os paulistas do São Paulo FC na sua maioria estavam uniformizados com a camiseta tricolor...mas o vermelho predominou. Provocaçoes entre as torcidas antes do jogo, nervosismo e muita cerveja. Nos teloes o Gigante da Beira Rio...Porto Alegre que saudades. Ver minha cidade querida e meu colorado daqui do outro lado do atlântico é emocionante!

...Puxa vida, me lembro como se fosse hoje a inauguraçao do nosso estádio em 1969. Depois de vários anos de supremacia gremista finalmente chegava a nossa vez. Ao amanhecer na cidade foguetes ensurdecedores acordaram a cidade, e eu olhando tudo meio assustado junto com meu pai da janela do seu quarto na rua Artigas. A "maior torcida do Rio Grande" o "clube do povo" acordaram para vários anos de glória...eramos imbatíveis contra qualquer clube brasileiro nos anos 70. Arrancamos quase todos os títulos do campeonato Gaúcho....me lembro da decisão contra o Cruzeiro de Belo Horizonte em 74, contra o Coríntias em 75 (nesta época a Renata nem tinha nascido) e o tri-campeonato invicto contra o Vasco em 79. Foram minhas últimas apaixonadas torcidas de acompanhar nosso time nos estádios. Depois peguei leve e a burocracia dos dirigentes e a picaretagem que rondaram o futebol brasileiro e outros interesses me fizeram acompanhar o futebol e o Inter mais de longe. Mas sempre gostei da "flauta" da interminável provocação com os gremistas e das comemoraçoes, que diga-se de passagem foram bem poucas nas próximas décadas. O Inter, segundo estórias populares, nasceu em 1909 de um fork (racha-divisão) do Grêmio que é de 1903. Era, conta a estória, uma forma de acabar com a elitização do futebol até então. Rompemos uma discriminação e tínhamos jogadores negros pela primeira vez no futebol gaúcho...clube do povo. O Saci Pererê é o nosso mascote e somos "macacos", apelido pejorativo colocado pelo rival como uma referência a nossa inlcusão de afro-descendentes no plantel rubro... fala a lenda também que o nome Internacional estava relacionada com o movimento operário...sei lá....

Mas voltando ao presente e a Barcelona: um jogo nervoso e sofrido, como sempre para o colorado. Gol lá gol aqui...tensao e finalmente o apito final. Somos campeoes da libertadores!!!!

Ligo pra Renata...sintonizo nela todas energias de nossa vitória. Muitas saudades...afinal foi ela; coloradíssima praticante, que me reintroduziu na vida colorado. O que não faz o amor. Penso também no meu irmão Duda que é o mais colorado da família: o pai e a mãe e os três filhos sairam colorados e as quatro gurias, como boas contestadoras da ordem, são gremistas. No Rio Grande do Sul não existe neutralidade, ou tu és colorado ou gremista.

Volto pra casa quase as seis da manhã e o metrô ja estava funcionando. Comemoro novamente através do Skype com a Renata e vou dormir mais colorado e mais apaixonado do que o dia anterior.

Ronaldinho e Barcelona F C nos encontramos em Tóquio!!!! Barcelona 17 de Agôsto de 2006.

/pub/Blogs/BlogPostMarceloBranco20060817105400/colorados1.jpg /pub/Blogs/BlogPostMarceloBranco20060817105400/colorado_gol.jpg /pub/Blogs/BlogPostMarceloBranco20060817105400/SaoPauloFC.jpg

Entre e escute aqui o Hino do do Sport Club Internacional Baixe aqui o Hino Oficial em mp3 Baixe aqui o Hino Popular- Papai é o Maior - em mp3 Letra do Hino e outras versoes do hino para baixar

Nossos Títulos

1 Libertadores (2006) 3 Brasileiros (1975, 1976 e 1979) 1 Copa do Brasil (1992) 37 Gaúchos (1927, 1934, 1940, 1941, 1942, 1943, 1944, 1945, 1947, 1948, 1950, 1951, 1952, 1953, 1955, 1961, 1969, 1970, 1971, 1972, 1973, 1974, 1975, 1976, 1978, 1981, 1982, 1983, 1984, 1991, 1992, 1994, 1997, 2002, 2003, 2004 e 2005)

Adicione seu comentário:

BOM DIA E SAUDAÇÕES COLORADAS!!!!

Ontem tirei o dia de folga para me recuperar da comemoração da véspera e curtir a grande conquista do nosso Inter. Logo após o jogo terminar eu e o Caetano pegamos o carro e fomos circular pela cidade e curtir a festa do povo. Ele com os olhos brilhando, bandeira na janela, camiseta, boné e etc. Rompemos a Av. Protásio Alves de ponta a ponta e em cada esquina colorados acenando bandeiras, camisetas e tudo mais que fosse vermelho, ignorando a chuva e o frio. Passagem particularmente emocionante: foi à altura da Vila Bom Jesus onde um contingente muito grande de pessoas, do povo, vileiros mesmo, bloqueava o trânsito e dançava no meio da rua como se fora carnaval. Rodamos até a lancheria para encontrar meus amigos colorados do MA.CA.CO. (Massa Cachaceira Colorada) mas ela estava fechada. Acabamos na Av. Goethe(reduto dos mais abonados) que estava cheia (aprox. 15.000 pessoas segundo a Brigada) e ficamos até a madrugada com o Caetano tremulando loucamente a bandeira colorada e me enchendo de perguntas sobre o Inter e o futebol como se eu fosse um enciclopédia infinita. Voltamos para casa com a cidade ainda cheia de colorados e aquela eletrecidade mágica nos ar.

Como não lembrar aquele ano se 1976 (eu tinha praticamente a idade do Caetano) em que fomos bi nacional e o Glauco me botou no seu fusca verde todo pintado com frases coloradas, segurando uma bandeira( que me roubaram em alguma esquina), circulando pela cidade tal qual aconteceu ontem comigo e com o Caetano. São coisas que marcam para sempre e fazem nossa vida valer a pena.

-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-

A origem do Inter não é exatamente um "racha" do Grêmio e sim que os fundadores do colorado foram barrados no racista e elitista co-irmão. Então resolveram eles próprios fundar um clube de futebol. O nome Internacional (para decepção do meu irmão Marcelo) vem de um homônimo, já extinto, do estado de São Paulo, visto que dois dos fundadores, os irmãos Popp, eram de lá. As cores vieram da agremiação carnavalesca a qual pertenciam alguns dos percusores: o bloco carnavalesco dos Venezianos de Porto Alegre. A origem popular está aí: carnaval e populares barrados pela elite. Diga-se: a elite tricolor que passados dez anos do fim da 2ª Guerra Mundial ainda barrava os negros em suas fileiras("o time dos Alemão"). Racismo que subreptíciamente ainda habita o ideário de dirigentes e boa fatia da torcida gremista e que está na raiz das agressões constantes aos torcedores e patrimônio colorado. Afinal de contas quendo querem debochar do rival o chamam de macaco e imitam o primata.

Enquanto o "mídia" foi feita boca-a-boca, de coração em coração, o nosso colorado era o time do povo e da maioria; depois, com o advento da mídia de massa, as coisas mudaram um pouco através das suas edições da vardade... Mas isso é assunto para um livro.

AGORA É HORA DE ALEGRIA, MAS AQUELA ALEGRIA COM ORGULHO: ORGULHO DE SERMOS BRASILEIROS E NÃO QUERERMOS SER CASTELHANOS; ORGULHO DAS VITÓRIA MERECIDAS E COM PLANEJAMENTO E NÃO NA MARRA E COM SORTE.

VIVA O CLUBE DO POVO DO RIO GRANDE DO SUL... AGORA INTERNACIONAL

Carlos Eduardo Branco (irmao do Marcelo)

AULA DE HISTÓRIA COLORADA! (tua e do Marcelo)

Como vale a pena a gente "cair na gandaia" ou ser "anarquista" de vez em quanto! ... a vida também deve ser vivida assim...

Sou gremista, mas torci pelo Inter naquele dia, pois minha essência é gaúcha! Embora não entendendo quase nada de futebol, mas muito de EMOÇÃO, vibrei com o jogo, aliás, um "jogão", entre duas grandes equipes.

Parabéns a ti, ao meu afilhadinho e a todos os outros colorados.

E, para minha alegria, o vermelho ainda vai brilhar em muitas outras estrelas...

Iara (irma do Marcelo)
Leandro

Posso dar meu parecer a respeito desta passagem, que de certa forma tem sido perpetuada em nossa família, ainda me lembro do início de minha vida de torcedor, dos tempos da PX Inter, dos jogos do inesquecível campeonato de 1979, quando iamos ao Beira-Rio, mesmo que a minha maior diversão, ( em conjunto com o Mel), naquela época fosse atirar milho da pipoca no pessoal da arquibanca inferior, ainda sim me lembro da alegria da comemoração de cada gol e do orgulho de ser colorado. Confesso que neste momento inesquecível, não tive a mesma coragem, pois nas esquinas além de felizes colorados ainda existiam alguns pobres gremistas descontentes com a estúpida idéia de alvejar com pedras aqueles que insistissem em transparecer sua alegria.

Leandro (sobrinho do Marcelo)

Francisco (Chico)- de Portugal

Oi a todos!

Foi com enorme alegria que acompanhei aqui pela Internet a final de 4ª e a grande vitória do Internacional! Um momento ímpar nos 97 anos de história do clube, um sonho que finalmente se tornou realidade, inclusive após a final perdida de 1980. Vibrei imenso e o tempo todo lembrei-me de todos vocês aí, desejando poder juntar-me à vossa festa. De qualquer forma, mesmo daqui, comemorei e me enchi de orgulho! Li também as vossas mensagens, com grande emoção e interesse.

É engraçado como o Colorado ocupa um lugar de destaque tão grande no meu coração, partilhando a minha paixão futebolística com o Benfica do lado de cá do Atlântico, isto apesar da distância. Penso que tudo começou graças ao vô e ao tio Chico, que desde que eu era pequenino me puxaram para o lado "vermelho". Depois, daquele modo como as coisas por vezes se encaixam como peças de puzzle por motivos que geralmente são emotivos e não racionais, num aparente contrasenso, também tinha o Benfica e estabeleci um paralelo. Primeiramente, as cores. Depois, já mais velho e com maior consciência, fazendo associações políticas e sociais, o facto de os dois serem clubes populares com rivais de origens mais elitistas (o Grêmio e o Sporting, respectivamente).

Como história interessante, que provavelmente não conhecem, durante os anos da ditadura, empunhavam-se bandeiras do Benfica nas ruas como símbolos camuflados antifascistas e de esquerda. Muitos dos principais oposicionistas ao regime e gente socialista, eram benfiquistas. O Sporting, pelo contrário, teve até um dos seus presidentes que era também o cabecilha da fascista Legião Portuguesa. Mas, ao contrário do que sucede aí, foi o Benfica que foi formado primeiro, em 1904, sendo que o Sporting surgiu em 1906, numa história também curiosa: "Existia um clube chamado Campo Grande Football Club, que tinha sido fundado por um grupo de rapazes da alta sociedade. Estes rapazes um dia zangaram-se uns com os outros e formaram-se duas facções dentro do clube: uma que defendia que o clube deveria dedicar-se sobretudo à organização de eventos desportivos, e a outra que defendia que o clube deveria dar mais importância à componete lúdica, com a organização de festas e bailes. A zanga culminou na organização de um piquenique por uma das facções, para o qual a outra facção não foi convidada. No meio destas discussões o senhor José de Alvalade (o fundador do Sporting), numa atitude bastante típica de menino mimado, bateu com a porta, e ao sair proferiu a célebre frase: "Vou ter com o meu avozinho, e ele dar-me-á dinheiro para fundar um novo clube!". Esta frase lapidar ficará, para mim, para sempre associada à génese do clube do Lumiar." Essa é a razão pela qual certos adeptos benfiquistas se referem ao Sporting como o "clube do avôzinho".

Mas falando do Internacional e das lembranças que me traz, não posso nunca deixar de mencionar o tio Duda, que partilha comigo do gosto pelo futebol e amor pelo Internacional, que sempre que vou aí a Porto Alegre me leva ao Beira-Rio e que me instrui na história e simbologia colorada, me ajudando a fortalecer o meu sentimento pelo clube! Me lembro de em 1995 ter ido ver alguns jogos com ele e com o Leandro, assim como em 2001 e fazer parte da comunhão daquela mística que o estádio e a torcida emanam, mesmo sendo essas alturas em que o clube passava por uma forte crise. Me lembro também de como, mesmo depois de a hora de fecho do museu do Inter, ele convenceu o segurança a nos deixar entrar, para que o "visitante de Portugal" pudesse presenciar ao vivo os pedaços de história que constituem as glórias do Colorado. Dá saudade lembrar! Foi também nesse dia que fiquei a saber de mais uma ligação Inter-Benfica, pois foi precisamente o meu clube de Portugal que esteve presente na inauguração do Beira-Rio!

Tendo em conta tudo isto, é natural que entendam quando digo que este dia 16 de Agosto (17 aqui em Portugal) foi um dos mais alegres da minha vida no que toca a futebol, com o único outro momento equiparável sendo o dia 22 de Maio do ano passado, em que o Benfica, 11 anos depois, foi novamente campeão nacional e logo na cidade do Porto. Eu, vindo de uma viagem a Mérida, em Espanha, estava em pleno ônibus a entrar em Lisboa quando os jogos terminaram e a festa começou, só tendo tido tempo de deixar as malas em casa e sair logo de seguida, indo para o estádio com os meus amigos juntar-me a mais de 60 mil pessoas (e milhões pelo mundo fora) para receber a equipa. Nunca me esquecerei daquele mar vermelho a entoar a plenos pulmões o hino do Benfica e o "We Are The Champions". Cheguei a casa às 6h30 da manhã, descansei um pouco e às 11h30 já estava na faculdade para assistir às aulas.

Pois bem, na 5ª, dia 17 de Agosto, fui com a minha mãe ao consulado do Brasil e, claro, fui exibindo a minha camiseta do Internacional pelas ruas de Lisboa, cheio de orgulho! Alguns brasileiros me abordaram, perguntando pelo resultado e se o Inter tinha ganho, mas não ficaram muito contentes, presumo que deviam ser São Paulinos. Outros, me deram as felicitações, assim como os meus amigos portugueses que sabem da minha dupla paixão vermelha!

Pois é, sem dúvida um momento histórico e de grande alegria pela nação colorada. Com este mail enorme, quis basicamente vos dar conta de que aqui, mesmo à distância, segui tudo a par e passo, vivi uma imensa alegria e tinha o pensamento em vocês. É com orgulho que me inscrevo na linhagem masculina colorada da família! O mais bonito disto tudo é precisamente que isto serve ainda mais para me ligar à linda cidade de Porto Alegre, ao maravilhoso estado gaúcho, ao Brasil e, claro, mais importante que tudo o resto, à família toda aí, esteja onde estiver! Adoro-vos e tenho muitas saudades!

VIVA O SPORT CLUB INTERNACIONAL, CAMPEÃO DA AMÉRICA 2006 - O CLUBE DO POVO DO RIO GRANDE DO SUL!

Abraços e beijos Chico (sobrinho do Marcelo)
Fonte: /bin/view/Blogs/BlogPostMarceloBranco20060817105400

0sem comentários ainda

Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.