Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

 Voltar a Blog
Tela cheia

Distraction-free writing with vim and awesome

4 de Junho de 2010, 0:00 , por Software Livre Brasil - 1Um comentário | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 3182 vezes

I've recently learn about distraction-free text editing from Lucas, and really liked the idea. Turns outs it is pretty easy to implement it with my beloved vim text editor.

Removing all distraction while using the console vim is trivial. I just need to switch my awesome workspace to full-screen layout, and that's it. The terminal window running vim will take the entire screen space, and then it's me and vim. No menus, no buttons, nothing.

Achieving the same effect with gvim is a bit more tricky: besides putting the awesome workspace to use full-screen layout, you have to turn off both the menus and the toolbar. To do that, I mapped the F11 and F12 keys to turn the menus off and on, respectively, by adding the following lines to my ~/.gvimrc:

map <F11> :set guioptions-=m<CR>:set guioptions-=T<CR>
map <F12> :set guioptions+=m<CR>:set guioptions+=T<CR>

Distraction-free-gvim

You can check out the result in the above screeshot. Yes, that is my entire screen.

The tip for toggling menu and toolbars came from the vim wiki.

You ask me: what's the point of running gvim if you are disabling the menus and the toolbar? Several reasons: the fonts look nicer in gvim, the colors are better than the console ones, and I can turn the menu back on if I need (for example to do something I do not remember the command for).


Tags deste artigo: english vim awesome

1Um comentário

  • Mesquare500 954481 minortonybaldwin
    12 de Junho de 2011, 17:38

    ou pode usar otro tty

    Eu gosto de wmii, dwm, etc. (não tenho usado o awesome, mais são todos parecidos), mas, normalmente uso openbox (pois muitos keybindings no rc.xml para ter o control por teclado que tem nestes otros WMs) e com as janelas abertas fullscreen. Mas, as vezes, o que eu faço para trabalhar no terminal (ate com vim), e simplesmente abrir outro TTY, por teclar CTRL-ALT-F$(no. of tty) (como ctrl-alt-f5 para tty5).

    Eu quase sempre uso o vim no terminal, mas uso roxterm o gnome-terminator com transparência, e isso é algo que o gvim não tem. As vezes, porêm, o gvim é bom, também.

    E, olho, Tony, vou traduzir o tutorial de Vim, e o VimBook ao português (ja tenho arrumado o projeto no OmegaT e comecei a traduzir so hoje), mas, sou americano, pois, precisarei alguem para editor/revisar/proofread ao terminar a tradução. Você sabe alquém que o faria?
    Ou, é que ja tem documentação em PT_BR do vim? Eu não achei nada, mas se tiver, não faz sentido eu traduzir-a de novo.


Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.