Como instalar a ferramenta de análise de vídeo LongoMatch no Linux

26 de Fevereiro de 2015, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Procurando uma ferramenta para ajudá-lo a melhorar o seu esporte favorito ou ajudar alguém a fazer isso? Então experimente instalar a ferramenta de análise de vídeo LongoMatch no Linux.
ferramenta de análise de vídeo LongoMatch
LongoMatch é uma ferramenta de análise de vídeo voltada para treinadores e entusiastas de esportes, para ajudá-los a criar a suas análises. Com ele o usuário tem acesso a algumas ferramentas intuitivas para marcação, revisão e edição de peças, que tornam as tarefas muito fáceis de serem feitas. Além disso, as peças podem ser agrupadas em categorias, o tempo de espera e lag de cada quadro a quadro do jogo é ajustável, e o software suporta listas de reprodução.

A possibilidade de criar modelos ilimitados ou usar modelos pré carregados, permite que você adapte e personalize o LongoMatch para atender às suas necessidades. Modelos podem ser usados para qualquer esporte, satisfazendo necessidades específicas em situações de análise diferentes.

LongoMatch já é usado no futebol, rugby, voleibol, floorball, netball, basquetebol, hóquei de campo, hóquei no gelo, wrestling, rugby de cadeira de rodas, pólo aquático, korfball, cricket, e muito mais (quem sabe serve para o seu esporte ou do seu filho).

Conheça melhor a ferramenta de análise de vídeo LongoMatch

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Instalando a ferramenta de análise de vídeo LongoMatch no Linux

Para instalar a a ferramenta de análise de vídeo LongoMatch no Linux, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Para baixar a versão de 32 bits do instalador do programa para Debian, Ubuntu e seus derivados, use o comando abaixo:

wget -O longomatch.deb http://ftp.gnome.org/mirror/gnome.org/binaries/linux/longomatch/longomatch_1.0.2-1_i386.deb

Passo 3. Para baixar a versão de 64 bits do instalador do programa para Debian, Ubuntu e seus derivados, use o comando abaixo:

wget -O longomatch.deb http://ftp.gnome.org/mirror/gnome.org/binaries/linux/longomatch/longomatch_1.0.2-1_amd64.deb

Passo 4. Para baixar a versão de 32 bits do instalador do programa para Fedora, OpenSUSE, Mageia e outros sistemas que utilizam pacotes RPM, use o comando abaixo:

wget -O longomatch.rpm http://ftp.gnome.org/mirror/gnome.org/binaries/linux/longomatch/longomatch-1.0.2-1.i686.rpm

Passo 5. Para baixar a versão de 64 bits do instalador do programa para Fedora, OpenSUSE, Mageia e outros sistemas que utilizam pacotes RPM, use o comando abaixo:

wget -O longomatch.rpm http://ftp.gnome.org/mirror/gnome.org/binaries/linux/longomatch/longomatch-1.0.2-1.x86_64.rpm

Passo 6. Para instalar em um Debian, Ubuntu e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo dpkg -i longomatch.deb && sudo apt-get install -f

Passo 7. Para instalar em um Fedora, OpenSUSE, Mageia e outros sistemas que utilizam pacotes RPM, use o comando abaixo:

sudo rpm -i longomatch.rpm

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite longomatch em um terminal, seguido da tecla TAB.

Via LinuxGeek

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.



Como instalar o Oracle Java 9 no Ubuntu, Debian e derivados

26 de Fevereiro de 2015, por Desconhecido - 0sem comentários ainda
Compartilhe isso ...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on TumblrPin on PinterestEmail this to someoneDigg this

Quer experimentar a próxima versão do Java da Oracle? Então veja como instalar o Oracle Java 9 no Ubuntu, Debian e outros sistemas derivados deles.
Oracle Java 9
A instalação do Oracle Java 9 só é possível porque o site WebUpd8, que possui repositórios com diversos programas para Linux, disponibilizou os pacotes necessários para realizar esse processo, através do WebUpd8 Oracle Java PPA.

É importante esclarecer que o WebUpd8 Oracle Java PPA não inclui quaisquer binários do Oracle Java, porque isso não é permitido pela licença do programa, é por isso que o PPA fornece um instalador que baixa automaticamente a mais recente versão do Oracle Java 9 (com o JDK9 e o plugin Java 9 para navegador) e configura tudo para você. Além disso, o Oracle Java 9 Installer é considerada de qualidade alfa e é oferecido sem qualquer garantia, para usá-lo por sua conta e risco!

Também é importante mencionar que os servidores de download do Oracle Java 9 são muito lentos, por isso mesmo com uma conexão rápida com a Internet, o download pode demorar um pouco ou pode falhar (assim você terá que tentar novamente) e quanto a isso, não há nada que possa ser feito.

Você só deve usar o Oracle Java 9 se explicitamente precisar, pois ele pode conter erros e pode não incluir os patches de segurança mais recentes. Além disso, algumas opções do Java foram removidas na JDK9, assim você pode encontrar problemas com vários aplicativos Java. Para não ter problemas, por enquanto você deve continuar a usar o Java 8, já que o Oracle Java 9 está disponível apenas como uma versão de acesso antecipado (que deve ser lançado em 2016)!

Se o que você quer é instalar o Oracle Java 8 (que é considerado estável) do 9, consulte este tutorial:
Oracle Java no Ubuntu: Como instalar as versões 6, 7 ou 8 no Ubuntu e derivados

Mas se você quiser realmente se aventura no Oracle Java 9, instale-o por sua própria conta e risco, seguindo os passos do procedimento mais abaixo.

Conheça melhor o Oracle Java 9

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Oracle Java 9 no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o Oracle Java 9 no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:webupd8team/java

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install oracle-java9-installer

Passo 5. Depois de instalar o pacote, você pode verificar a versão do Java executando o comando abaixo;

java -version

Como instalar o Oracle Java 9 no Debian e seus derivados

Para instalar o Oracle Java 9 no Debian e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Torne-se administrador com o comando abaixo;

su -

Passo 3. Adicione o repositório do programa com estes comandos:

echo "deb http://ppa.launchpad.net/webupd8team/java/ubuntu trusty main" | tee /etc/apt/sources.list.d/webupd8team-java.list
echo "deb-src http://ppa.launchpad.net/webupd8team/java/ubuntu trusty main" | tee -a /etc/apt/sources.list.d/webupd8team-java.list

Passo 4. Baixe e adicione a chave do repositório do programa com este comando:

apt-key adv --keyserver hkp://keyserver.ubuntu.com:80 --recv-keys EEA14886

Passo 5. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

apt-get update

Passo 6. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

apt-get install oracle-java9-installer

Passo 7. Depois de instalar o pacote, você pode verificar a versão do Java executando o comando abaixo;

java -version

Instalação automatizada (auto aceitar licença)

O Oracle Java 9 Installer pede ao usuário para aceitar a licença do Oracle antes de prosseguir com a instalação e só é necessário uma vez, para que você não tem que aceitar a licença a cada atualização. Mas se você deseja automatizar o processo de instalação, você pode usar o comando abaixo para aceitar automaticamente a licença do Oracle Java 9:

echo oracle-java9-installer shared/accepted-oracle-license-v1-1 select true | sudo /usr/bin/debconf-set-selections

Definindo as variáveis ​​de ambiente Java

Para ajustar automaticamente as variáveis ​​de ambiente do Java 9, você pode instalar o seguinte pacote:

sudo apt-get install oracle-java9-set-default

Atenção! Se você já instalou o oracle-Java7-set-default ou oracle-set-default-java8, eles serão automaticamente removidos ao instalar oracle-java9 set-default (e as variáveis ​​de ambiente serão definidas para o Oracle Java 9) .

Pronto! Agora você já tem Java 9 instalado e pode começar a testar essa nova versão. Depois se quiser voltar à versão 8, acesse esse tutorial (ajustando-o para a versão que você deseja usar).

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.



Como instalar o Oracle Java 9 no Ubuntu, Debian e derivados

26 de Fevereiro de 2015, por Desconhecido - 0sem comentários ainda
Compartilhe isso ...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on TumblrPin on PinterestEmail this to someoneDigg this

Quer experimentar a próxima versão do Java da Oracle? Então veja como instalar o Oracle Java 9 no Ubuntu, Debian e outros sistemas derivados deles.
Oracle Java 9
A instalação do Oracle Java 9 só é possível porque o site WebUpd8, que possui repositórios com diversos programas para Linux, disponibilizou os pacotes necessários para realizar esse processo, através do WebUpd8 Oracle Java PPA.

É importante esclarecer que o WebUpd8 Oracle Java PPA não inclui quaisquer binários do Oracle Java, porque isso não é permitido pela licença do programa, é por isso que o PPA fornece um instalador que baixa automaticamente a mais recente versão do Oracle Java 9 (com o JDK9 e o plugin Java 9 para navegador) e configura tudo para você. Além disso, o Oracle Java 9 Installer é considerada de qualidade alfa e é oferecido sem qualquer garantia, para usá-lo por sua conta e risco!

Também é importante mencionar que os servidores de download do Oracle Java 9 são muito lentos, por isso mesmo com uma conexão rápida com a Internet, o download pode demorar um pouco ou pode falhar (assim você terá que tentar novamente) e quanto a isso, não há nada que possa ser feito.

Você só deve usar o Oracle Java 9 se explicitamente precisar, pois ele pode conter erros e pode não incluir os patches de segurança mais recentes. Além disso, algumas opções do Java foram removidas na JDK9, assim você pode encontrar problemas com vários aplicativos Java. Para não ter problemas, por enquanto você deve continuar a usar o Java 8, já que o Oracle Java 9 está disponível apenas como uma versão de acesso antecipado (que deve ser lançado em 2016)!

Se o que você quer é instalar o Oracle Java 8 (que é considerado estável) do 9, consulte este tutorial:
Oracle Java no Ubuntu: Como instalar as versões 6, 7 ou 8 no Ubuntu e derivados

Mas se você quiser realmente se aventura no Oracle Java 9, instale-o por sua própria conta e risco, seguindo os passos do procedimento mais abaixo.

Conheça melhor o Oracle Java 9

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Oracle Java 9 no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o Oracle Java 9 no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:webupd8team/java

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install oracle-java9-installer

Passo 5. Depois de instalar o pacote, você pode verificar a versão do Java executando o comando abaixo;

java -version

Como instalar o Oracle Java 9 no Debian e seus derivados

Para instalar o Oracle Java 9 no Debian e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Torne-se administrador com o comando abaixo;

su -

Passo 3. Adicione o repositório do programa com estes comandos:

echo "deb http://ppa.launchpad.net/webupd8team/java/ubuntu trusty main" | tee /etc/apt/sources.list.d/webupd8team-java.list
echo "deb-src http://ppa.launchpad.net/webupd8team/java/ubuntu trusty main" | tee -a /etc/apt/sources.list.d/webupd8team-java.list

Passo 4. Baixe e adicione a chave do repositório do programa com este comando:

apt-key adv --keyserver hkp://keyserver.ubuntu.com:80 --recv-keys EEA14886

Passo 5. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

apt-get update

Passo 6. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

apt-get install oracle-java9-installer

Passo 7. Depois de instalar o pacote, você pode verificar a versão do Java executando o comando abaixo;

java -version

Instalação automatizada (auto aceitar licença)

O Oracle Java 9 Installer pede ao usuário para aceitar a licença do Oracle antes de prosseguir com a instalação e só é necessário uma vez, para que você não tem que aceitar a licença a cada atualização. Mas se você deseja automatizar o processo de instalação, você pode usar o comando abaixo para aceitar automaticamente a licença do Oracle Java 9:

echo oracle-java9-installer shared/accepted-oracle-license-v1-1 select true | sudo /usr/bin/debconf-set-selections

Definindo as variáveis ​​de ambiente Java

Para ajustar automaticamente as variáveis ​​de ambiente do Java 9, você pode instalar o seguinte pacote:

sudo apt-get install oracle-java9-set-default

Atenção! Se você já instalou o oracle-Java7-set-default ou oracle-set-default-java8, eles serão automaticamente removidos ao instalar oracle-java9 set-default (e as variáveis ​​de ambiente serão definidas para o Oracle Java 9) .

Pronto! Agora você já tem Java 9 instalado e pode começar a testar essa nova versão. Depois se quiser voltar à versão 8, acesse esse tutorial (ajustando-o para a versão que você deseja usar).

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.



Lançado digiKam 4.8.0: Instale no Ubuntu e derivados

25 de Fevereiro de 2015, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

A Equipe do digiKam anunciou recentemente o lançamento do digiKam 4.8.0. Se você usa ou quer experimentar essa versão, veja como instalar ela no Ubuntu e sistemas derivados.
digikam 4.5.0
digiKam é um software de código aberto para gerenciamento avançado de fotos digitais para Linux, Windows e Mac OS X. Ele possui diversas funcionalidades que permitem importar, exportar, visualizar, gerenciar, editar, melhorar, organizar, rotular, e compartilhar fotos em sistemas Linux.

Apesar dos desenvolvedores estarem nesse momento voltados para o DigiKam 5.0 (que será integrado ao KDE Plasma 5), eles lançaram recentemente o DigiKam 4.8.0, uma atualização que traz mais de 18 correções de bugs,

Conheça melhor o DigiKam

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.
Para saber mais detalhes sobre essa versão, consulte a nota de lançamento.

Como instalar o DigiKam 4.8.0 no Ubuntu com KDE 4.13 ou outros ambientes

Para instalar o DigiKam 4.8.0 no Ubuntu com KDE 4.13 ou com outros ambientes gráficos, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:philip5/extra

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install digikam

Como instalar o DigiKam 4.8.0 no Ubuntu com KDE 4.14

Para instalar o DigiKam 4.8.0 no Ubuntu com KDE 4.14, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:philip5/kubuntu-backports

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install digikam

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite digikam no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB)

Como remover o DigiKam 4.8.0 no Ubuntu e seus derivados

Para remover o DigiKam 4.8.0 no Ubuntu, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 4. Para desinstalar o programa, use o comando abaixo;

sudo apt-get remove digikam

Via LinuxGeek

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.



Como instalar e ativar o OpenBox no XFCE

25 de Fevereiro de 2015, por Desconhecido - 0sem comentários ainda
Compartilhe isso ...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on TumblrPin on PinterestEmail this to someoneDigg this

Se você usa o XFCE e quer usar um gerenciador de janelas minimalista e leve, veja como instalar e ativar o OpenBox no XFCE.
OpenBox no XFCE
O gerenciador de janelas OpenBox é muito apreciado e utilizado por usuários de Linux, principalmente por causa de sua leveza. Ele possui suporte para os mais recentes padrões freedesktop.org, bem como a aderência cuidadosa aos padrões anteriores.

Além disso, levando em conta que a maioria dos aplicativos modernos foram escritos com o GNOME e o KDE em mente, o OpenBox permite utilizar essas aplicações fora de seu ambiente desktop original, o que diminui bastante o peso do ambiente no uso da memória.

OpenBox é o ambiente padrão no LXDE, mas também é possível usá-lo sozinho, por exemplo, com um painel como o Tint2, ou como o gerenciador de janelas padrão em outros ambientes como KDE ou XFCE. Ao usar o OpenBox como gerenciador de janelas no XFCE, ao invés do xfwm4, isto tornará o ambiente desktop ainda mais rápido e ágil, bem como proporcionará várias personalizações, graças à ferramenta OpenBox Configuration Manager (obconf).

Conheça melhor o OpenBox

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar e ativar o OpenBox no XFCE

Para instalar e ativar o OpenBox no XFCE, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Para instalar o OpenBox no Debian, Ubuntu e sistemas derivados, use este comando;

sudo apt-get install openbox obconf

Passo 3. Para instalar o OpenBox no Arch Linux, Manjaro e sistemas derivados, use este comando;

sudo pacman -S openbox obconf

Passo 4. Para instalar o OpenBox no Red Hat, Fedora, CentOS e sistemas derivados, use este comando;

sudo yum install openbox obconf

Passo 5. Para instalar o OpenBox no OpenSUSE Linux e sistemas derivados, use este comando;

sudo zypper install openbox obconf

Passo 6. Depois de instalar, dentro do XFCE, clique no menu de aplicativo. Cliqeu no item “Configurações” e a seguir, em “Sessão e Inicialização”;
openbox-1
Passo 7. Em “Sessão e Inicialização”, acesse a aba “Início automático de aplicativo”. Nessa aba, clique no botão “Adicionar”. Na pequena janela que aparece, preencha os campos conforme a figura abaixo e depois confirme, clicando no botão “OK. Finalmente clique no botão “Fechar” e estará pronto.
openbox-2

Pronto! Saia da sessão ou reinicie o sistema e depois faça login para ver como ficou.

Via lffl linux freedom

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.



Como instalar o gerenciador de área de transferência Diodon no Ubuntu

24 de Fevereiro de 2015, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Quer se tornar mais produtivo aproveitamento o recurso de copiar e colar? Então experimente instalar o gerenciador de área de transferência Diodon no Ubuntu e sistemas derivados.
gerenciador de área de transferência Diodon
Diodon é um software gerenciador de área de transferência leve, bem integrado com o Ubuntu Unity e Gnome Desktop. O programa possui um indicador de painel, uma lente Unity que permite pesquisar a histórico, clipboard sync e uma integração zeitgeist para um histórico infinito área de transferência.

Diodon também suporta imagens e plugins e ele faz exatamente o que um gerenciador de área de transferência deve fazer. Se você gostaria de mais recursos (por exemplo, histórico de edição), tente o CopyQ.

Conheça melhor o gerenciador de área de transferência Diodon

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o gerenciador de área de transferência Diodon no Ubuntu e seus derivados

Diodon está disponível na Central de programas do Ubuntu desde a versão 13.10, mas a Canonical não fornecerá atualizações futuras para este app. Por isso, para instalar o gerenciador de área de transferência Diodon no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:diodon-team/stable

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install diodon unity-scope-diodon

Pronto! O gerenciador de área de transferência Diodon começará a trabalhar no próximo log-in, mas se você quiser executá-lo, digite diodon no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o gerenciador de área de transferência Diodon no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o gerenciador de área de transferência Diodon no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Se depois você precisar desinstalar o programa, use o comando abaixo;

sudo apt-get remove diodon unity-scope-diodon

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.



Como instalar o MintUpdate no Ubuntu

24 de Fevereiro de 2015, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Quer experimentar um novo e moderno gerenciador de atualizações? Então veja como instalar o MintUpdate no Ubuntu e derivados.
MintUpdate no Ubuntu
Desenvolvedores do Linux Mint introduziram inovações importantes nas versões mais recentes, que afetam não só o ambiente, mas também os desktops Cinnamon e Mate e várias aplicações dedicadas. Entre estas aplicações está o novo gerenciador de atualização chamado MintUpdate (ou Update Manager), um aplicativo que fornece uma interface gráfica moderna e uma lista de todos os vários pacotes para fazer o download/instalação.

Observe que o programa também traz o agrupamento de vários pacotes com diferentes dependências dedicadas, com muita informação sobre a nova atualização (indicando o changelog relacionado), descrição e etc. Nas preferências dele é possível gerenciar vários repositórios, ignorar atualizar de alguns pacotes e muitas outras opções que podem ser bastante úteis.

A boa notícia é que é possível instalar e usar o MintUpdate no Ubuntu e derivados, graças aos novos pacotes criados pelo pessoal do site lffl linux freedom.

Conheça melhor o MintUpdate

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o MintUpdate no Ubuntu e derivados

Para instalar o MintUpdate no Ubuntu e derivados, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:ferramroberto/lffl -y

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install mintupdate synaptic -y

Se você não quiser instalar o repositório basta instalar o Synaptic e baixar o pacote .DEB do MintUpdate nesse link, e instalar manualmente.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite mintupdate no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o MintUpdate no Ubuntu e derivados

Se depois você precisar, para desinstalar o MintUpdate no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove mintupdate synaptic

Via lffl linux freedom

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.



Linus Torvalds confirma o kernel 4.0 e lança RC1

24 de Fevereiro de 2015, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Em vez de 3.20, Linus Torvalds confirmou que a próxima versão estável do núcleo do Linux será o kernel 4.0 e já lançou o RC1 dele. Entenda melhor essa história e conheça algumas novidades do próximo kernel.
kernel 4.0
Em recente mensagem para o Linux Kernel Mailing List (LKML), Linus informou que estava pulando a numeração do kernel de 3.19 para 4.0 e já lançou o primeiro release candidate dessa versão. Esta versão RC1 é a primeira versão de desenvolvimento do que será do kernel Linux 4.0 em cerca de 3-4 meses. A versão final do kernel do Linux 4.0 provavelmente irá chegar até o verão americano (entre junho e setembro), quando todos os mantenedores do kernel irão sair de férias.

A confirmação veio pouco tempo depois da conclusão da enquete feita por Linus Torvalds no Google Plus. Com isso, a próxima versão do kernel Linux será 4.0 em vez de 3.20, opção que ganhou com 56% dos votos dos usuários.

Mesmo com essa grande mudança, o salto é apenas na numeração. Pois Linus Torvalds assegurou que essa mudança número de versão não trará qualquer característica maior ou quebrará a compatibilidade com versões anteriores.

De importante mesmo, o kernel Linux 4.0 irá incluir o tão esperado live patching. Esse recurso permitirá que os usuários apliquem patches de segurança, incluam novos módulos e outros recursos no kernel, sem ter de reiniciar o sistema operacional.

Entre outras melhorias planejadas para o novo Linux Kernel 4.0 estão o suporte para zIntel Quark SoC, TPM 2.0 e IBM z13, além de melhorias em matéria de suporte de hardware para laptops Toshiba, Logitech HID++ e placas gráficas AMD e Nvidia.

Conheça melhor o kernel 4.0

Para saber mais sobre o kernel 4.0, acesse a nota de lançamento.

Via lffl linux freedom e Linux Veda

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.



Canonical lança guia para criar ROM do Ubuntu Phone para dispositivos Android

23 de Fevereiro de 2015, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Inesperadamente a Canonical lançou um guia oficial para desenvolvedores que quiserem criar ROM do Ubuntu Phone para dispositivos com Android.
ROM do Ubuntu Phone
A chegada do BQ Aquaris E4.5 Ubuntu Edition, o primeiro smartphone do mundo a vir com o novo sistema operacional mobile da Canonical por padrão, levantou a dúvida sobre como seria o suporte do sistema a dispositivos que já vem com o Android pré instalado.ubub30

A questão foi surgiu porque para o desenvolvimento do Ubuntu Phone, a Canonical decidiu trabalhar apenas com dois dispositivos: o smartphone Google Nexus 4 e o tablet Nexus 7 em 2013 (além do novo BQ Aquaris e do futuro dispositivo Meizu e etc.). Contudo, é possível instalar o sistema operacional móvel também em alguns dispositivos com Android através de imagens ROM de terceiros.

Agora, respondendo a essa questão, a Canonical lançou um guia oficial para facilitar a portabilidade de Ubuntu Phone. Esse guia permitirá que os desenvolvedores possam trabalhar no desenvolvimento de novas ROM do sistema e consigam levar o sistema para smartphones e tablets que vem com o Android pré-instalado.

Como se trata de desenvolvimento de imagens ROM, percebe-se que o Ubuntu Phone para dispositivos com Android não será tão simples, no entanto, com esse guia a Canonical quer incentivar os desenvolvedores a trabalhar no novo sistema operacional móvel. Mas o suporte não se resume apenas ao guia, as futuras imagens ROM do Ubuntu Phone também receberão atualizações OTA (Over-The-Air), de modo que os usuários poderão ter seus dispositivos sempre atualizados pela própria Canonical.

Para ver esse o guia oficial da Canonical, clique nesse link.

Via lffl linux freedom

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.



Como instalar o Calibre no Linux de um jeito simples

23 de Fevereiro de 2015, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Se você procura uma forma de gerenciar seus livros eletrônicos, experimente instalar o Calibre no Linux. O programa pode tornar o controle de seus e-books muito mais simples.
calibre no Linux
Calibre é um software de gerenciamento de livros eletrônicos de código aberto, com muitos recursos interessantes, incluindo a conversão de e-book, visualizador de e-book, biblioteca para sincronização com leitor de ebook e suporte para os formatos de e-book mais populares como epub, cbz, mobi, fb2 e etc. Por ser multiplataforma, o aplicativo funciona em Linux, Windows e Mac OS X.

O programa possui um editor de ebooks (que permite modificar ebooks já convertidos) com suporte aos populares formatos EPUB e AZW3 (Kindle) e também um suporte para dispositivos MTP (Android phones/tablets) no Mac OS X e o suporte para os sites General Knowledge Today, BBC Arabic, TIME Magazine, The Atlantic, Down to Earth, Heraldo de Aragón, Radikal (portal turco), Wired Daily Edition e Orange County Register.

A última versão disponível do Calibre é a 2.20.0, que traz algumas melhorias e diversas correções de bugs. Para ver com detalhes todas as novidades dessa versão, acesse esse link.

Conheça melhor o Calibre

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Calibre no Linux

Para a grande maioria das distribuições Linux ainda não existe um repositório disponível para o Calibre 2.20.0, mas os desenvolvedores do programa fornecem um instalador em Python para instalar a versão mais recente do programa. Por isso, para instalar o Calibre no Linux, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale o Calibre no Linux, executando o seguinte comando (lembre-se de usar aspas simples e duplas, caso o site exiba o site esteja exibindo aspas inglesas):

sudo -v && wget -nv -O- https://raw.githubusercontent.com/kovidgoyal/calibre/master/setup/linux-installer.py | sudo python -c "import sys; main=lambda:sys.stderr.write('Download failed\n'); exec(sys.stdin.read()); main()"

Passo 3. Após a instalação, se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando um editor de texto com o comando (se for preciso, use outro editor de textos e substitua “gedit” por ele):

sudo gedit /usr/share/applications/calibre.desktop

Passo 4. Copie o conteúdo abaixo e cole ele no arquivo aberto. Em seguida, salve e feche o arquivo;

[Desktop Entry]
Version=1.0
Type=Application
Terminal=false
Name=calibre
Exec=/opt/calibre/calibre
Icon=/
Categories=Application;

Como instalar o Calibre no Arch Linux e derivados

Para Arch Linux, Manjaro, Antergos e outros sistemas baseados no Arch Linux, Calibre está disponível através do repositório AUR. Nesse caso, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Se ainda não tiver, instale o yaourt com o comando;

sudo pacman -Sy yaourt

Passo 3. Agora use o comando abaixo para instalar o Calibre;

sudo yaourt calibre

Executando e configurando o Calibre

Passo 1. Depois de instalado, execute o atalho do programa ou digite calibre em um terminal;
Passo 2. Na primeira inicialização, será exibida uma sequencia de telas do assistente de inicialização do Calibre. Na primeira delas, selecione o fabricante do seu dispositivo de livros digitais, depois o dispositivo e em seguida, clique no botão “Seguinte”.
calibre no Linux
Passo 3. Na próxima tela, se necessário, marque a marque a opção “Ligar servidor de conteúdo” para poder acessar sua coleção de livros do Calibre diretamente no dispositivo, via rede sem fio. Para continuar, clique no botão “Seguinte”;
calibre no Linux
Passo 4. Na última tela, apenas clique no botão “Concluir”.
calibre no Linux

Pronto! A partir de agora você já pode começar a fazer o gerenciamento de livros digitais com o Calibre e organizar a sua biblioteca.

Desinstalando o Calibre no Linux

Se você instalou o Calibre no Linux usando o primeiro método e depois precisar desinstalar o programa, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Apague a pasta, o link e o atalho criados pelo instalador, usando esse comando;

sudo rm -Rf /opt/calibre*
sudo rm -Rf /usr/bin/calibre*
sudo rm -Rf /usr/share/applications/calibre.desktop

Desinstalando o Calibre no Arch Linux e derivados

Se depois você precisar desinstalar o programa no Arch Linux e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 4. Use o comando abaixo, para desinstalar o programa;

sudo yaourt -Rsn calibre

Via LinuxGeek

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.