MEGAsync para Linux: Veja como instalar o cliente

27 de Janeiro de 2015, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Se você aguardava a chegada de um cliente MEGAsync para Linux, a espera já acabou há um bom tempo. Conheça um pouco mais sobre ele, baixe e instale em seu sistema.
megasync para linux
Para quem não conhece, MEGA é um serviço de armazenamento em nuvem e hospedagem de arquivos, fundado por Kim Dotcom (que também estava por trás do Megaupload). O serviço oferece 50 GB de armazenamento gratuito, juntamente com vários planos pagos. Infelizmente o serviço até pouco tempo não oferecia um cliente de sincronização para desktops Linux. Mas isso mudou e já é possível ter o cliente MEGAsync no Linux.

Ao contrário do Google Drive, MEGA não só oferece um generoso espaço de 50 GB de armazenamento gratuito, como também um cliente de desktop nativo para Linux. O cliente MEGAsync para Linux foi escrito em Qt e está disponível para o Ubuntu e derivados, Debian, o Fedora e openSUSE. Ele é constituído por um appindicator e uma extensão para Nautilus, que é opcional.

O cliente MEGAsync para Linux vem com a maioria dos recursos disponíveis para outras ferramentas semelhantes (como o Dropbox): o ícone de bandeja exibe o status de sincronização (e se você usar a extensão Nautilus, os arquivos têm emblemas que mostram o seu estado de sincronização), suporta sincronização seletiva, você pode usar proxies, você pode copiar um link público para um arquivo através do menu de contexto do Nautilus e assim por diante.

Há também alguns recursos extras: você pode enviar um link para o MEGA diretamente a partir da bandeja/app appindicator e importação links para sua conta do MEGA:
mega-sync-import-link
Entretanto, existem duas características muito importantes que não são suportadas pelo MEGA/MEGAsync: ele não faz controle de conflitos de arquivo e controle de versão do arquivo, no entanto, você pode acessar arquivos sobrescritos/alterados na pasta SyncDebris (na Lixeira ou Rubbish Bin).

Aqui estão mais algumas screenshots do cliente MEGAsync para Linux rodando em um Ubuntu 14.04:
cliente megasync para linux

cliente megasync para linux

cliente megasync para linux

Conheça melhor o cliente MEGAsync

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Instalando o cliente MEGAsync para Linux nas principais distribuições Linux

Passo 1. Acesse esse link com seu navegador;
Passo 2. Desça até a metade da página;
Passo 3. Clique no campo “Selecione um distribuição Linux”, para escolher a distribuição que você está usando. Depois de escolher, clique na arquitetura correspondente ao seu sistema (32 ou 64 bits) e em seguida, no botão “Dowload gratuito”. Se quiser baixar também a extensão para Nautilus, clique no link dela, que fica logo abaixo da arquitetura;
megasync para linux
Passo 4. Após o download, basta abrir os arquivos com o gerenciador de pacotes do seu sistema e instalar através dele, fornecendo a senha de administrador.

Para usuários do Ubuntu e sistemas derivados que preferem fazer isso via terminal, basta seguir o procedimento abaixo.

Instalando o cliente MEGAsync para Linux no Ubuntu 12.04/12.10/13.10/14.04/14.10 e derivados

Se você já instalou a extensão MEGA nos navegadores Chrome/Firefox, desative-a antes de tentar acessar os links de download do MEGAsync para Linux, ou então você não será capaz de acessar eles. Depois disso, para instalar o cliente MEGAsync para Linux no Ubuntu 12.04/12.10/13.10/14.04 e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é um Ubuntu 12.04 de 32 bits, use os comandos abaixo para baixar os pacotes:

wget -O megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_12.04/i386/megasync-xUbuntu_12.04_i386.deb
wget -O nautilus-megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_12.04/i386/nautilus-megasync-xUbuntu_12.04_i386.deb

Passo 4. Se seu sistema é um Ubuntu 12.04 de 64 bits, use os comandos abaixo para baixar os pacotes:

wget -O megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_12.04/amd64/megasync-xUbuntu_12.04_amd64.deb
wget -O nautilus-megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_12.04/amd64/nautilus-megasync-xUbuntu_12.04_amd64.deb

Passo 5. Se seu sistema é um Ubuntu 12.10 de 32 bits, use os comandos abaixo para baixar os pacotes:

wget -O megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_12.10/i386/megasync-xUbuntu_12.10_i386.deb
wget -O nautilus-megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_12.10/i386/nautilus-megasync-xUbuntu_12.10_i386.deb

Passo 6. Se seu sistema é um Ubuntu 12.10 de 64 bits, use os comandos abaixo para baixar os pacotes:

wget -O megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_12.10/amd64/megasync-xUbuntu_12.10_amd64.deb
wget -O nautilus-megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_12.10/amd64/nautilus-megasync-xUbuntu_12.10_amd64.deb

Passo 7. Se seu sistema é um Ubuntu 13.10 de 32 bits, use os comandos abaixo para baixar os pacotes:

wget -O megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_13.10/i386/megasync-xUbuntu_13.10_i386.deb
wget -O nautilus-megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_13.10/i386/nautilus-megasync-xUbuntu_13.10_i386.deb

Passo 8. Se seu sistema é um Ubuntu 13.10 de 64 bits, use os comandos abaixo para baixar os pacotes:

wget -O megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_13.10/amd64/megasync-xUbuntu_13.10_amd64.deb
wget -O nautilus-megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_13.10/amd64/nautilus-megasync-xUbuntu_13.10_amd64.deb

Passo 9. Se seu sistema é um Ubuntu 14.04 de 32 bits, use os comandos abaixo para baixar os pacotes:

wget -O megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_14.04/i386/megasync-xUbuntu_14.04_i386.deb
wget -O nautilus-megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_14.04/i386/nautilus-megasync-xUbuntu_14.04_i386.deb

Passo 10. Se seu sistema é um Ubuntu 14.04 de 64 bits, use o comando abaixo:

wget -O megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_14.04/amd64/megasync-xUbuntu_14.04_amd64.deb
wget -O nautilus-megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_14.04/amd64/nautilus-megasync-xUbuntu_14.04_amd64.deb

Passo 9. Se seu sistema é um Ubuntu 14.10 de 32 bits, use os comandos abaixo para baixar os pacotes:

wget -O megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_14.10/i386/megasync-xUbuntu_14.10_i386.deb
wget -O nautilus-megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_14.10/i386/nautilus-megasync-xUbuntu_14.10_i386.deb

Passo 10. Se seu sistema é um Ubuntu 14.10 de 64 bits, use o comando abaixo:

wget -O megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_14.10/amd64/megasync-xUbuntu_14.10_amd64.deb
wget -O nautilus-megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_14.10/amd64/nautilus-megasync-xUbuntu_14.10_amd64.deb

Passo 11. Independente da versão ou arquitetura do seu sistema, instale o programa com os comandos:

sudo dpkg -i megasync.deb
sudo dpkg -i nautilus-megasync.de

Passo 12. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Vale observar que, pelo menos no Ubuntu, depois de instalar o MEGAsync, o repositório MEGA é adicionado automaticamente (por isso você deve receber atualizações automáticas do MEGAsync).

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite megasync em um terminal, seguido da tecla TAB.

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Recommended article: Chomsky: We Are All – Fill in the Blank.
This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.



MEGAsync para Linux: Como instalar o cliente no Linux

27 de Janeiro de 2015, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Se você aguardava a chegada de um cliente MEGAsync para Linux, a espera já acabou há um bom tempo. Conheça um pouco mais sobre ele, baixe e instale em seu sistema.
megasync para linux
Para quem não conhece, MEGA é um serviço de armazenamento em nuvem e hospedagem de arquivos, fundado por Kim Dotcom (que também estava por trás do Megaupload). O serviço oferece 50 GB de armazenamento gratuito, juntamente com vários planos pagos. Infelizmente o serviço até pouco tempo não oferecia um cliente de sincronização para desktops Linux. Mas isso mudou e já é possível ter o cliente MEGAsync no Linux.

Ao contrário do Google Drive, MEGA não só oferece um generoso espaço de 50 GB de armazenamento gratuito, como também um cliente de desktop nativo para Linux. O cliente MEGAsync para Linux foi escrito em Qt e está disponível para o Ubuntu e derivados, Debian, o Fedora e openSUSE. Ele é constituído por um appindicator e uma extensão para Nautilus, que é opcional.

O cliente MEGAsync para Linux vem com a maioria dos recursos disponíveis para outras ferramentas semelhantes (como o Dropbox): o ícone de bandeja exibe o status de sincronização (e se você usar a extensão Nautilus, os arquivos têm emblemas que mostram o seu estado de sincronização), suporta sincronização seletiva, você pode usar proxies, você pode copiar um link público para um arquivo através do menu de contexto do Nautilus e assim por diante.

Há também alguns recursos extras: você pode enviar um link para o MEGA diretamente a partir da bandeja/app appindicator e importação links para sua conta do MEGA:
mega-sync-import-link
Entretanto, existem duas características muito importantes que não são suportadas pelo MEGA/MEGAsync: ele não faz controle de conflitos de arquivo e controle de versão do arquivo, no entanto, você pode acessar arquivos sobrescritos/alterados na pasta SyncDebris (na Lixeira ou Rubbish Bin).

Aqui estão mais algumas screenshots do cliente MEGAsync para Linux rodando em um Ubuntu 14.04:
cliente megasync para linux

cliente megasync para linux

cliente megasync para linux

Conheça melhor o cliente MEGAsync

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Instalando o cliente MEGAsync para Linux nas principais distribuições Linux

Passo 1. Acesse esse link com seu navegador;
Passo 2. Desça até a metade da página;
Passo 3. Clique no campo “Selecione um distribuição Linux”, para escolher a distribuição que você está usando. Depois de escolher, clique na arquitetura correspondente ao seu sistema (32 ou 64 bits) e em seguida, no botão “Dowload gratuito”. Se quiser baixar também a extensão para Nautilus, clique no link dela, que fica logo abaixo da arquitetura;
megasync para linux
Passo 4. Após o download, basta abrir os arquivos com o gerenciador de pacotes do seu sistema e instalar através dele, fornecendo a senha de administrador.

Para usuários do Ubuntu e sistemas derivados que preferem fazer isso via terminal, basta seguir o procedimento abaixo.

Instalando o cliente MEGAsync para Linux no Ubuntu 12.04/12.10/13.10/14.04/14.10 e derivados

Se você já instalou a extensão MEGA nos navegadores Chrome/Firefox, desative-a antes de tentar acessar os links de download do MEGAsync para Linux, ou então você não será capaz de acessar eles. Depois disso, para instalar o cliente MEGAsync para Linux no Ubuntu 12.04/12.10/13.10/14.04 e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é um Ubuntu 12.04 de 32 bits, use os comandos abaixo para baixar os pacotes:

wget -O megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_12.04/i386/megasync-xUbuntu_12.04_i386.deb
wget -O nautilus-megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_12.04/i386/nautilus-megasync-xUbuntu_12.04_i386.deb

Passo 4. Se seu sistema é um Ubuntu 12.04 de 64 bits, use os comandos abaixo para baixar os pacotes:

wget -O megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_12.04/amd64/megasync-xUbuntu_12.04_amd64.deb
wget -O nautilus-megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_12.04/amd64/nautilus-megasync-xUbuntu_12.04_amd64.deb

Passo 5. Se seu sistema é um Ubuntu 12.10 de 32 bits, use os comandos abaixo para baixar os pacotes:

wget -O megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_12.10/i386/megasync-xUbuntu_12.10_i386.deb
wget -O nautilus-megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_12.10/i386/nautilus-megasync-xUbuntu_12.10_i386.deb

Passo 6. Se seu sistema é um Ubuntu 12.10 de 64 bits, use os comandos abaixo para baixar os pacotes:

wget -O megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_12.10/amd64/megasync-xUbuntu_12.10_amd64.deb
wget -O nautilus-megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_12.10/amd64/nautilus-megasync-xUbuntu_12.10_amd64.deb

Passo 7. Se seu sistema é um Ubuntu 13.10 de 32 bits, use os comandos abaixo para baixar os pacotes:

wget -O megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_13.10/i386/megasync-xUbuntu_13.10_i386.deb
wget -O nautilus-megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_13.10/i386/nautilus-megasync-xUbuntu_13.10_i386.deb

Passo 8. Se seu sistema é um Ubuntu 13.10 de 64 bits, use os comandos abaixo para baixar os pacotes:

wget -O megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_13.10/amd64/megasync-xUbuntu_13.10_amd64.deb
wget -O nautilus-megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_13.10/amd64/nautilus-megasync-xUbuntu_13.10_amd64.deb

Passo 9. Se seu sistema é um Ubuntu 14.04 de 32 bits, use os comandos abaixo para baixar os pacotes:

wget -O megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_14.04/i386/megasync-xUbuntu_14.04_i386.deb
wget -O nautilus-megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_14.04/i386/nautilus-megasync-xUbuntu_14.04_i386.deb

Passo 10. Se seu sistema é um Ubuntu 14.04 de 64 bits, use o comando abaixo:

wget -O megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_14.04/amd64/megasync-xUbuntu_14.04_amd64.deb
wget -O nautilus-megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_14.04/amd64/nautilus-megasync-xUbuntu_14.04_amd64.deb

Passo 9. Se seu sistema é um Ubuntu 14.10 de 32 bits, use os comandos abaixo para baixar os pacotes:

wget -O megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_14.10/i386/megasync-xUbuntu_14.10_i386.deb
wget -O nautilus-megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_14.10/i386/nautilus-megasync-xUbuntu_14.10_i386.deb

Passo 10. Se seu sistema é um Ubuntu 14.10 de 64 bits, use o comando abaixo:

wget -O megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_14.10/amd64/megasync-xUbuntu_14.10_amd64.deb
wget -O nautilus-megasync.deb https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_14.10/amd64/nautilus-megasync-xUbuntu_14.10_amd64.deb

Passo 11. Independente da versão ou arquitetura do seu sistema, instale o programa com os comandos:

sudo dpkg -i megasync.deb
sudo dpkg -i nautilus-megasync.de

Passo 12. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Vale observar que, pelo menos no Ubuntu, depois de instalar o MEGAsync, o repositório MEGA é adicionado automaticamente (por isso você deve receber atualizações automáticas do MEGAsync).

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite megasync em um terminal, seguido da tecla TAB.

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Recommended article: Chomsky: We Are All – Fill in the Blank.
This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.



Simulador de circuitos: veja como instalar o QUCS

26 de Janeiro de 2015, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Procurando um aplicativo simulador de circuitos? Então instale e experimente QUCS, para começar desenhar sistemas digitais/analógicos.
simulador de circuitos
Quite Universal Circuit Simulator (QUCS) é um simulador de circuitos gratuito que permite que estudantes, engenheiros e quaisquer outros usuários possam facilmente desenhar sistemas digitais/analógicos antes de construir um protótipo. O programa é multiplataforma e está disponível para Windows, Linux e OS X.

QUCS ainda está em versão alpha, mas já possui recursos suficientes para você começar a usá-lo. Com QUCS você pode configurar um circuito através de uma interface fácil de usar para simular grandes/pequenos sinais (DC, AC, S-parameter) e comportamentos de ruído do circuito.

A interface do programa também permite a criação de esquemas de simulação com o suporte de vários tipos de diagramas. Com o QUCS você tem um editor de esquema e vários modelos e componentes (HICUM, BSIM2, BSIM3, OpAmps, diodos, MOSFETs, PMOSFETs) e etc. Além disso, nele você pode fazer simulação DC/AC/S-parameter, análise de equilíbrio harmônico, análise de ruído, análise transiente e importar modelos SPICE, entre outras funcionalidades.

Conheça melhor o simulador de circuitos QUCS

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o simulador de circuitos QUCS no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o simulador de circuitos QUCS no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository -y ppa:qucs/qucs

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install qucs -y

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite programa no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Via UpUbuntu

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Recommended article: Chomsky: We Are All – Fill in the Blank.
This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.



Compiz no MATE: veja como instalar e ativar

26 de Janeiro de 2015, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Se você quiser experimentar o Compiz no MATE, veja como instalar e ativar esse recurso usando a ferramenta MATE Tweak.
compiz no mate
Desenvolvedores do Ubuntu MATE estão fazendo dessa distro um dos derivados mais completos e funcionais, graças inúmeras otimizações. Entre as muitas inovações desenvolvidas, destaque para as várias melhorias feitas no gerenciador de janelas Compiz, agora mantido pela Canonical.

Compiz permite que o usuário tenha uma série de personalizações, animações e efeitos no MATE. É possível instalar facilmente a versão do Compiz otimizada para Ubuntu MATE graças ao um repositório. A seguir, você verá como fazer isso, acompanhe. E melhor ainda, para facilitar ainda mais a ativação do Compiz nesse ambiente, os desenvolvedores disponibilizaram a ferramenta MATE Tweak.

Conheça melhor o ambiente MATE

Para saber mais sobre o ambiente MATE, clique nesse link.
Para mais informações, por favor consulte a página oficial da comunidade do Ubuntu MATE.

Caso você ainda não esteja usando o ambiente MATE no Ubuntu e queira instar a versão desenvolvida para o Ubuntu MATE, siga o procedimento abaixo antes de instalar o Compiz. Se você já etiver co o ambinete, pode pular para o segundo procedimento.

Como instalar a versão mais recente do ambiente MATE no Ubuntu

Para instalar a versão mais recente do ambiente MATE no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione os repositórios do MATE com este comando:

sudo apt-add-repository ppa:ubuntu-mate-dev/ppa
sudo apt-add-repository ppa:ubuntu-mate-dev/trusty-mate

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o MATE;

sudo apt-get install --no-install-recommends ubuntu-mate-core ubuntu-mate-desktop

Uma vez que a instalação estiver concluída, saia da sua sessão atual do Ubuntu. A partir daqui, clique no ícone que no canto superior direito da tela de login Ubuntu. Você será apresentado a uma tela com todas as opções de ambientes de desktop atualmente instalados. A mais recente adição a esta lista será o MATE. Clique nesta opção, e selecione “OK” para que seja solicitado suas credenciais de login.

Com o MATE instalado, faça o procedimento abaixo para instalar e ativar o Compiz:

Como instalar e ativar o compiz no MATE

Para instalar e ativar o compiz no MATE e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo apt-add-repository ppa:ubuntu-mate-dev/crazy-mate

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install mate-tweak compiz compiz-core compiz-mate compiz-plugins compiz-plugins-default compizconfig-settings-manager

Passo 5. Após a instalação, clique em “Sistema” e depois em “Centro de Controle”;
compiz no mate
Passo 6. Em “Centro de Controle”, clique na opção “MATE Tweak”;
compiz no mate
Passo 7. Dentro de “MATE Tweak”, clique na opção “Windows”. Nessa tela, clique na seta ao lado de “Windows Manager” opção “Compiz”, para ativá-lo como o gerenciador de janelas padrão do ambiente;
compiz no mate
Passo 8. Depois disso, encerre a sessão e faça login novamente ou reinicie o sistema.

Pronto! Com o Compiz instalado, agora você pode personalizar os efeitos, animações e etc, através da opção “CompizConfig Settings Manager” (ou CCSM) que fica no menu “Sistema” do ambiente, dentro do item “Preferências”.
compiz no mate

Via lffl linux freedom

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Recommended article: Chomsky: We Are All – Fill in the Blank.
This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.



Resumo semanal de 19/01/2015 a 25/01/2015

25 de Janeiro de 2015, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Você já sabia que o segundo alpha do Ubuntu 15.04 está disponível para download ou que você pode instalar o ambiente Enlightenment E20 no Ubuntu? Pois é, se você ainda não sabia disso é porque perdeu essa postagem, mas não se preocupe, leia o resumo semanal do blog e se atualize.
19/01/2015 a 25/01/2015 resumo semanal
Mas você já deve saber quea ferramenta de backup e restauração TimeShift agora suporta partições encriptadas com LUKS? Ou já sabe que o Ubuntu MATE 15.04 Alpha 2 e o Tiny Core Linux 6.0 também já estão disponíveis para download? Se ainda não sabe nada disso, confira a seguir tudo que foi postado no Blog durante essa semana e se informe sobre isso e muito mais.

Resumo semanal do Blog do Edivaldo de 19/01/2015 a 25/01/2015

19/01/2015

20/01/2015

21/01/2015

22/01/2015

23/01/2015

24/01/2015

Ubuntu 14.10

O Ubuntu 14.10 já está disponível para download e se você quiser baixar a nova versão do Ubuntu, acesse os links nessa postagem.

Como gravar a imagem ISO do Ubuntu 14.10

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:
Como gravar uma imagem ISO

Como atualizar do 14.04 para o 14.10

Quem precisar atualizar do 14.04 para o 14.10, basta seguir esses tutoriais:
Desktop
Como atualizar o Ubuntu Desktop da versão 14.04 para a 14.10
Como atualizar o Ubuntu Server para uma nova versão

Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 14.10

Para quem acabou de mudar para o Ubuntu 14.04, uma boa ideia é dar uma olhadas na últimas dicas de coisas para fazer depois de instalar o sistema:
Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 14.10

Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 14.04

Para quem ainda está no Ubuntu 14.04, uma boa ideia é dar uma olhadas nas últimas dicas de coisas para fazer depois de instalar o sistema:
Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 14.04


Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


Recommended article: Chomsky: We Are All – Fill in the Blank.
This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.



Como instalar o editor de vídeo Cinelerra 4.6 no Linux

24 de Janeiro de 2015, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

O software de composição e editor de vídeo Cinelerra agora está na versão 4.6. Veja aqui como instalar o programa a partir do binário de 64 bits para Ubuntu 14.04, disponibilizado pela sua produtora.
editor de vídeo Cinelerra
Cinelerra é um software livre de edição não-linear e composição de vídeo profissional para Linux. Ele é distribuído sobre a GNU General Public License, foi lançado em 1 de Agosto de 2002, é produzido pela Heroine Virtual e foi baseado numa parte de um produto anterior conhecido como Broadcast 2000, pertencente à mesma empresa.

Cinelerra inclui suporte a vídeo e áudio de alta fidelidade: ele processa áudio usando de precisão, e pode trabalhar com espaços de cor tanto em RGBA como YUVA, usando ponto flutuante e representações de unidades em 16-bit, respectivamente. Ele é independente de resolução e frame rate, ou seja, suporta vídeo em qualquer velocidade e tamanho. O editor também inclui um mecanismo de composição de vídeo, permitindo ao usuário executar operações de composição avançadas como keying e mattes.

A versão 4.6 traz a divisão de painel de edição, suporte a OpenGL em Intel HD, melhorias no titulador e claro, várias correções de bugs.

Conheça melhor o editor de vídeo Cinelerra

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Instalando o editor de vídeo Cinelerra 4.6 no Ubuntu e derivados

Para instalar o editor de vídeo Cinelerra 4.6 no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

sudo rm -Rf /opt/cinelerra*
sudo rm -Rf /usr/bin/ʋ
sudo rm -Rf /usr/share/applications/cinelerra.desktop

Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits (só existe pacote do programa para 64 bist), para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página e baixe a última versão e salve-o com o nome cinelerra.tar.xz::

wget -O cinelerra.tar.xz http://ufpr.dl.sourceforge.net/project/heroines/cinelerra-4.6.x86_64.tar.xz

Passo 5. Depois de baixar, execute o comando abaixo para descomprimir o pacote baixado, para a pasta /opt/;

unxz -c cinelerra.tar.xz | sudo tar xv -C /opt/

Passo 6. Se necessário, renomeie a pasta criada;

sudo mv /opt/cinelerra*/ /opt/cinelerra

Passo 7. Finalmente, crie um atalho para facilitar a execução do programa;

sudo ln -sf /opt/cinelerra/cinelerra /usr/bin/cinelerra

Passo 8. Agora crie um lançador para o editor de vídeo Cinelerra, executando um editor de texto com o comando:

sudo gedit /usr/share/applications/cinelerra.desktop

Passo 9. Copie o conteúdo abaixo, cole no arquivo e salve-o;

[Desktop Entry]
Name=Cinelerra-HV
Comment=Video Editor
Categories=Application;AudioVideo;Multimedia;VideoEditing;
Encoding=UTF-8
Exec=/opt/cinelerra/cinelerra
Icon=
Terminal=false
Type=Application

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite cinelerra no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Instalando o Cinelerra em outras distribuições

Quem estiver usando outra distribuição, pode dar uma olhada no site do desenvolvedor do aplicativo acessando esse link. Lá tem as instruções, e se for o caso, o pacote para instalar ele em outras distribuições Linux. Apesar de estar em inglês, as instruções são bem simples. Se quiser, você pode tentar uma versão traduzida pelo Google Translator clicando aqui. Caso existam comandos a serem executados nas instruções, lembre-se que eles não devem ser traduzidos.

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Recommended article: Chomsky: We Are All – Fill in the Blank.
This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.



Ubuntu MATE 15.04 Alpha 2 também já está disponível para download

23 de Janeiro de 2015, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Complementando o lançamento dos sabores oficiais do Ubuntu, também foi lançado nessa quinta-feira (22) o Ubuntu 15.04 MATE Vivid Vervet alpha 2. Conheça mais um pouco sobre essa variante e descubra onde baixar a distro.
Ubuntu MATE 15.04 Alpha 2
Ubuntu MATE é uma variante não oficial (que provavelmente irá mudar no futuro) com base em MATE sabor Ubuntu. Para aqueles não familiarizados com MATE , este é um fork do GNOME 2 introduziu após GNOME 3 e GNOME Shell substituiu a metáfora do desktop clássico. Atualmente, companheiro só suporta GTK2, mas o plano é adicionar suporte GTK3 com MATE 1,12.

Em comparação com Ubuntu Companheiro 14,10 , o lançamento do Ubuntu MATE 15.04 Alpha 2 introduz alguns novos pacotes instalados por padrão:

  • Totem foi substituído pelo VLC;
  • MATE Tweak (um fork do MintDesktop): permite que você configure os ícones para mostrar na área de trabalho, habilitar/desabilitar a composição, alterar o layout botões da janela, exibir/ocultar ícones em menus e botões e muito mais;
  • Menu de MATE (um fork do MintMenu): um menu pesquisável para o painel do MATE. Este não é o menu padrão, mas você pode adicioná-lo ao painel com o botão direito do painel, selecionando “”Adicionar ao painel e em seguida, adicionando “Menu MATE”;

ubuntu-mate-vivid-menu
Se você estiver usando o Ubuntu MATE 14.04 LTS, as mudanças mencionadas acima não serão nenhuma novidade para você. Isso porque o Ubuntu 14.04 MATE foi liberado depois da versão 14.10 (Porque quando o Ubuntu 14.04 foi lançado, Ubuntu MATE não existia) e já incorpora essas mudanças. Contudo, há um novo recurso no MATE Tweak, que não estava presente no Ubuntu MATE 14.04: agora você pode usá-lo para alternar entre Compiz e Marco, assim como no Linux Mint 17.1 MATE.
ubuntu-mate-tweak-compiz
Além disso, o Ubuntu 15.04 MATE Alpha 2 vem com um novo tema padrão: Yuyo-Dark e há também uma alternativa clara do “Yuyo”, que está instalado por padrão. Os novos temas Yuyo ainda precisam de algum trabalho – por enquanto, alguns elementos da interface do usuário, tais como caixas de seleção e botões de rádio não são processados ​​corretamente.

ubuntu-mate-vivid-yuyo-dark
ubuntu-mate-vivid--yuyo

Conheça melhor a distribuição Ubuntu MATE

Para saber mais sobre a distribuição Ubuntu MATE, clique nesse link.

Baixe e experimente o Ubuntu MATE 15.04 Alpha 2

Para saber mais sobre o Ubuntu MATE 15.04 Alpha 2 e baixar a imagem ISO acesse o link abaixo:
Ubuntu MATE 15.04 Alpha 2
Ou se preferir, acesse os links abaixo diretamente:

Como gravar a imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial:
Como gravar uma imagem ISO no Linux

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Recommended article: Chomsky: We Are All – Fill in the Blank.
This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.



Backup e restauração: TimeShift agora suporta partições encriptadas com LUKS

23 de Janeiro de 2015, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Foi lançado recentemente a versão 1.7 do TimeShift, o sistema open source de backup e restauração de sistema. A principal novidade: a ferramenta agora suporta partições encriptadas com LUKS.
Backup e restauração timeshift-v1.7
TimeShift é um aplicativo Linux que fornece uma funcionalidade de backup e restauração do sistema, algo semelhante ao recurso “Restauração do sistema” no Windows e a ferramenta “Time Machine” no Mac OS.

Esse utilitário faz instantâneos (snapshots) incrementais do sistema de arquivos em intervalos regulares e esses instantâneos podem ser restaurados mais tarde para trazer o sistema para o estado exato em que se encontrava no momento em que o snapshot foi tirado. Arquivos do usuário, tais como documentos, fotos e músicas são excluídos do processo, ou seja, seus arquivos permanecerão inalterados quando você restaurar o sistema para uma data anterior.

A nova versão trouxe o suporte a backup e restaração de partições criptografados com LUKS.

LUKS ou Linux Unified Key Setup é uma especificação de disco de criptografia criado por Clemens Fruhwirth em 2004 e originalmente planejado para o Linux. O principal diferencial desse padrão é que enquanto a maioria dos softwares de criptografia de disco implementa formatos diferentes, incompatíveis e sem documentação, LUKS especifica um padrão de formato independente de plataforma on-disco para uso em várias ferramentas. Isso não só facilita a compatibilidade e interoperabilidade entre os diferentes programas, mas também garante que todos eles implementarão o gerenciamento de senhas de forma segura e documentada.

Assim, se o seu sistema está instalado em uma partição criptografada com LUKS, então agora você pode restaurar snapshots tanto on-line (a partir de sistema de execução), como off-line (a partir de outro sistema/LiveCD).

Além desse importante recurso, a versão 1.7 traz novas opções de linha de comando para restaurar, lista e apagar snapshots (instantâneos). Como nos exemplos a seguir:

timeshift --restore #interativo
timeshift --restore --snapshot "2015-01-21_19-28-43" --backup-device /dev/sda2 --target-device /dev/sda1 --skip-grub
timeshift --delete #interativo
timeshift --delete --snapshot "2015-01-21_19-28-43"
timeshift --delete-all #completely remove all snapshots

Conheça melhor o utilitário de Backup e restauração Timeshift

Para saber mais sobre o Timeshift, clique nesse link.
Para saber mais sobre o Timeshift 1.7, clique nesse link.

Como instalar o utilitário de Backup e restauração Timeshift no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o Timeshift no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository -y ppa:teejee2008/ppa

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install timeshift

Passo 5. Para instalar o programa em sistemas de aquivos Btrfs, use o comando abaixo;

sudo apt-get install timeshift

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite timeshift no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje



Timeshift --delete-all #remover completamente todos os snapshots

Recommended article: Chomsky: We Are All – Fill in the Blank.
This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.



Notificações recentes : veja como instalar o Recent Notifications

23 de Janeiro de 2015, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Perdeu alguma notificação? Agora não tem mais jeito. Mas para isso não acontecer de novo, veja aqui como instalar o Recent Notifications e ver as notificações recentes no Ubuntu.
notificações recentes
A maioria dos ambientes de desktop como Unity e Gnome tem suporte a notificação e isso é muito útil. Mas, por padrão, a notificação será exibida na parte superior da área de trabalho apenas por alguns segundos e, em seguida, ele desaparece. Nessa situação, se você ouvir o som de notificação, mas não olhar logo, como saberá qual foi a notificação?

Você pode facilmente manter o controle de todas as notificações recentes no Ubuntu Unity ou GNOME e ter um histórico de todas as notificações recentes, usando o indicador Recent Notifications.

Esse applet fica no painel superior e mantém o histórico de todas as notificações recentes. Quando houver novas notificações capturados por ele, o indicador ficará verde para alertá-lo de que existem notificações não lidas. Quando você clicar nele, verá todas as notificações recentes e poderá optar por limpar todas as notificações ou remover apenas algumas delas.

Infelizmente, não existem opções de configuração no applet. Portanto, você não pode bloquear notificações de aplicações específicas. Todo os tipos de notificações serão guardados aqui.

Conheça melhor o Recent Notifications

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Recent Notifications no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o Recent Notifications no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:jconti/recent-notifications

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install indicator-notifications

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite indicator no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Via It’s F.O.S.S.

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Recommended article: Chomsky: We Are All – Fill in the Blank.
This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.



Segundo alpha do Ubuntu 15.04 já está disponível para download

23 de Janeiro de 2015, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

O segundo alpha do Ubuntu 15.04 Vervet Vivid, a próxima versão LTS do sistema da Canonical, foi divulgado nessa quinta-feira (22). Conheça mais um pouco sobre ele e escubra onde baixar.
segundo alpha do Ubuntu 15.04
Como de costume, o Ubuntu (com Unity) não é disponibilizado nesse segundo alpha do Ubuntu 15.04. Além disso, alguns sabores do Ubuntu (como o Xubuntu) também não participaram desse alpha 2. Nesse lançamento, foram disponibilizadas imagens apenas para o Kubuntu, Ubuntu GNOME, Lubuntu, Ubuntu Kylin e Ubuntu Cloud. A seguir você verá um breve resumo de cada uma das variantes do Ubuntu disponibilizadas.

Observações sobre o segundo alpha do Ubuntu 15.04

Kubuntu

kubuntu-vivid
Kubuntu 15.04 usará Plasma 5 por padrão e, ao contrário Kubuntu 14.10, não haverá uma imagem ISO alternativa com Plasma. O Alpha 2 vem com o KDE Applications 14.12 e Plasma 5.2 beta.

Para mais informações sobre o Kubuntu 15.04 alpha 2, clique nesse link.

Ubuntu GNOME

ubuntu-gnome-vivid-maps-weather
No alpha do Ubuntu GNOME 15.04, a maioria dos componentes do GNOME foram atualizados para a versão mais recente 3.14 – o que inclui GNOME Shell, GNOME Control Center/Settings Daemon, Nautilus, Maps, Weather, Evince, Terminal e assim por diante. Infelizmente, ainda há um par de aplicativos que são bastante antigas: Gedit e Videos (Totem), que ainda estão na versão 3.10.

Outra pequena alteração, mas interessante, é que o tema Numix GTK agora é instalado por padrão. Adwaita continua a ser usado por padrão, mas o tema Numix GTK agora está a apenas alguns cliques de distância.

Para mais informações sobre o Ubuntu GNOME 15.04 alpha 2, clique nesse link.

Lubuntu

lubuntu-vivid
Não há um changelog disponível para o Lubuntu 15.04 alpha 2. A página wiki apenas menciona que a “LXQt ainda está em desenvolvimento, de modo que essa é uma outra versão de correção.”. Portanto, parece que LXQt não estará no Lubuntu 15.04.
Para mais informações sobre o Lubuntu 15.04 alpha 2, clique nesse link.

Ubuntu Kylin

ubuntu-kylin-vivid-lim

Ubuntu Kylin (uma variante do Ubuntu para os usuários chineses) alpha 2 vem com LIM (Locally Integrated Menus: menus integrados localmente) habilitado por padrão, com os novos “always-show-menus” ligado, portanto ele não usa autohide (AutoOcultar).

Além disso, o mais recente lançamento do Ubuntu Kylin 15.04 alpha 2 vem com “clique para minimizar” habilitado por padrão para o lançador do Unity, um recurso que é claro, também está disponível para usuários do Ubuntu (com Unity), mas não está habilitado por padrão. De acordo com as notas de lançamento, essas mudanças foram feita a “ajudar os usuários do Windows a adaptarem-se mais facilmente à interface de usuário do Unity”.

Outras mudanças no Ubuntu Kylin 15.04 alpha 2 incluem correções para as aplicações Kylin específicas: Uftware Center, Youker Assistant, Chinese Calendar e Unity China Music Scope.

Para mais informações sobre o Lubuntu 15.04 alpha 2, clique nesse link.

Ubuntu Cloud

Não há qualquer informação sobre o Ubuntu Cloud. Para ver algo, consulte a página na listagem a seguir.

Antes de qualquer coisa, é importante esclarecer que versões alpha não são adequadas para quem necessita de um sistema estável ou não se sente confortável com os ocasionais e até mesmo frequentes bugs e quebras de sistema. No entanto, elas são recomendadas para desenvolvedores de variantes do Ubuntu e para aqueles que querem ajudar nos testes, elaboração de relatórios e correção de bugs, que serão usados para preparar a versão final para as próximas etapas do desenvolvimento do Ubuntu 15.04

Se quiser experimentar o segundo alpha do Ubuntu 15.04, faça o Download acessando os links abaixo

Kubuntu
Ubuntu Gnome
Lubuntu
UbuntuKylin
Ubuntu Cloud

Como gravar a imagem ISO do segundo alpha do Ubuntu 15.04 no Linux

Para gravar a imagem ISO do segundo alpha do Ubuntu 15.04 após o download, você pode usar esse tutorial:
Como gravar uma imagem ISO no Ubuntu

Cronograma de lançamento do Ubuntu 15.04

O Ubuntu 15.04 será lançado em Abril. Para mais detalhes, consulte o cronograma de lançamento abaixo:

18 de dezembro de 2014 – Alpha 1
22 de janeiro de 2015 – Alpha 2
26 de fevereiro de 2015 – Beta 1
26 de março de 2015 – Beta Final
09 de abril de 2015 – Kernel Freeze
16 de abril de 2015 – Release Candidate
23 de abril de 2015 – Versão Final

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Recommended article: Chomsky: We Are All – Fill in the Blank.
This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.