Instalando o WineHQ 1.7.26 no Ubuntu

17 de Setembro de 2014, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Foi lançado o Wine 1.7.26. Para instalar ou atualizar, veja aqui como fazer isso no Ubuntu.
windows no linux
Wine é um software livre em constante desenvolvimento que permite que os usuários do Linux, Mac, FreeBSD e Solaris possam instalar e executar aplicativos do Windows, sem uma cópia do Microsoft Windows.
Essa atualização, traz as seguintes mudanças:

  • Ainda mais funções DirectWrite.
  • Melhorias para o arquivo comum de diálogo.
  • Uma série de melhorias C em tempo de execução.
  • Implementação da biblioteca de captura de pacotes.
  • Mais algumas funções DirectWrite.
  • Melhorias no suporte a tabelas HTML.
  • Mais funções matemáticas VBScript.
  • A partir de algumas classes de implementação DirectWrite.
  • Dll invólucro inicial para a biblioteca de captura de pacotes.
  • Algumas melhorias de criptografia.
  • Melhor suporte para arquivos de drag & drop.
  • Melhorias na gestão de cookies HTTP.
  • O suporte inicial para 64 bits Android constrói.
  • Correções para crypto gestão certificados.
  • Suporte para Unicode pares de escalonamento.
  • Melhorado o suporte para cookies Internet.
  • OS X CoreAudio motorista utiliza AUHAL vez de AudioQueue.
  • O suporte inicial para a informação geográfica.
  • Suporte para seções críticas em tempo de execução do C.
  • Dados Unicode atualizado para Unicode 7.0.
  • Suporte para codificação PNG entrelaçado.
  • Esboço inicial para a biblioteca Packager.
  • Várias correções de bugs.

Conheça melhor o Wine e execute aplicativos para Windows no Linux

Se você é um ex-usuário do sistema operacional Windows que ainda quer usar os aplicativos desse sistema no Linux, você pode fazer isso com o Wine.
O programa permite que você execute o software do sistema operacional Windows em outros sistemas operacionais, como Linux, Mac OS e Unix, sem a necessidade de instalar o sistema operacional físico. Ele também fornece implementações alternativas das bibliotecas DLL, que são chamados pelos programas do sistema operacional da Microsoft. Dessa forma, você pode rodar aplicativos para Windows no Linux.
Para saber mais sobre o programa, clique nesse link ou veja essa série de artigos:
Instalando e manipulando aplicativos para Windows no Linux e outros assuntos relacionados

Como instalar o Wine no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o Wine no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:ubuntu-wine/ppa

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install wine1.7 winetricks

Uma vez instalado, você já pode testar o programa. Para instalar e rodar aplicativos para Windows no Linux, vá para uma pasta onde está um programa Windows e digite : wine programa
Só não esqueça de substituir “programa” pelo nome do executável Windows.

Via NoobsLab

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.
Scottish readers: Undecided about the referendum? Please read How the media shafted the people of Scotland and Scottish Independence, Power And Propaganda.



ExLight Linux: uma variante do Ubuntu que já vem com o ambiente gráfico Enlightenment E19

17 de Setembro de 2014, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Se você gostou de testar o ambiente gráfico Enlightenment no Ubuntu, baixe e experimente a distribuição ExLight Linux, que já vem com esse ambiente instalado.
Enlightenment ExLight Linux
Há poucos dias atrás, o projeto Bodhi Linux, uma distribuição baseada no Ubuntu com o ambiente gráfico Enlightenment, foi abandonado. Mas não se preocupe, existe uma alternativa viável a essa distribuição, que é a distro ExLight Linux e ela está disponível em várias versões, incluindo uma que já traz o ambiente desktop Enlightenment E19 e é baseada no Ubuntu 14.04.

Entre as principais características do ExLight Linux E19 está o Kernel Linux atualizado para a versão 3.16.x e vários aplicativos pré-instalados, como o navegador Firefox, editor de documentos AbiWord, o gerenciador de arquivos Nautilus e SpaceFM, Gimp, GParted e etc. Observe também que o gerenciador de inicialização do liveDVD foi revisto e agora permite fazer upload da distribuição inteira na memória RAM, de forma a acelerá-la consideravelmente.

Lembre-se que quando você iniciar o ExLight Linux E19 pela primeira vez, terá acesso ao ambiente gráfico Enlightenment autenticando com username exlight e sem qualquer senha ou como um administrador de sistema com root como nome de usuário e senha. Por razões de segurança, se você instalar o ExLight no disco rígido, mude essa configuração o mais rápido possível.

Conheça melhor a distribuição ExLight Linux

Para saber mais sobre essa distribuição, clique nesse link.
Para baixar a imagem ISO da distribuição, acesse esse link.

Via lffl linux freedom

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.
Scottish readers: Undecided about the referendum? Please read How the media shafted the people of Scotland and Scottish Independence, Power And Propaganda.



Como instalar o eliminador de arquivos e informações BleachBit no Linux

17 de Setembro de 2014, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Se você está a procura de um software de limpeza para eliminar informações e até ganhar um pouco mais de espaço no disco, experimente instalar o eliminador de arquivos e informações BleachBit no Linux.
bleachbit-ubuntu
BleachBit é um aplicativo open source escrito em Python e que usa PyGTK. Ele serve para liberar rapidamente o espaço em disco e proteger a sua privacidade. Ele libera cache, exclui cookies, limpa o histórico de Internet, apaga arquivos temporários, apaga registros e descarta lixo que você nem sabia que estava lá.

Projetado para sistemas Linux e Windows, o programa limpa mil aplicações, incluindo Firefox, Internet Explorer, Adobe Flash, Google Chrome, Opera, Safari e muito mais. Além de simplesmente apagar arquivos, BleachBit inclui características avançadas, tais como destruir arquivos para impedir a recuperação do mesmo, limpeza de espaço livre em disco para esconder vestígios de arquivos apagados por outros aplicativos, e vacuuming no Firefox para torná-lo mais rápido.

Conheça melhor o BleachBit

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Instalando o BleachBit no Linux

Para instalar o BleachBit no Linux, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Para baixar o instalador do programa para Ubuntu e seus derivados, use o comando abaixo:

wget -O bleachbit.deb http://katana.oooninja.com/bleachbit/sf/bleachbit_1.4_all_ubuntu1404.deb

Passo 3. Para baixar o instalador do programa para Debian e seus derivados, use o comando abaixo:

wget -O bleachbit.deb http://katana.oooninja.com/bleachbit/sf/bleachbit_1.4_all_debian7.deb

Passo 4. Para baixar o instalador do programa para Fedora, use o comando abaixo:

wget -O bleachbit.rpm http://katana.oooninja.com/bleachbit/sf/bleachbit-1.4-1.1.fc20.noarch.rpm

Passo 5. Para baixar o instalador do programa para RedHat, use o comando abaixo:

wget -O bleachbit.rpm http://katana.oooninja.com/bleachbit/sf/bleachbit-1.4-1.1.el7.noarch.rpm

Passo 6. Para baixar o instalador do programa para CentOS, use o comando abaixo:

wget -O bleachbit.rpm http://katana.oooninja.com/bleachbit/sf/bleachbit-1.4-1.1.el7.noarch.rpm

Passo 7. Para baixar o instalador do programa para openSUSE, use o comando abaixo:

wget -O bleachbit.rpm http://katana.oooninja.com/bleachbit/sf/bleachbit-1.4-1.1.opensuse131.noarch.rpm

Passo 8. Para instalar em um Debian, Ubuntu e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo dpkg -i bleachbit.rpm && sudo apt-get install -f

Passo 9. Para instalar em um Fedora, RedHat e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo yum localinstall bleachbit.rpm

Passo 10. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

sudo zypper install bleachbit.rpm

Passo 11. Para instalar em um OpenMandriva, Mageia e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo urpmi bleachbit.rpm

Para baixar outros pacotes de instalação de versões anteriores dessas distros, acesse esse link.

Depois de instalado, execute o programa digitando bleachbit

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.
Scottish readers: Undecided about the referendum? Please read How the media shafted the people of Scotland and Scottish Independence, Power And Propaganda.



Lançado o ambiente gráfico Enlightenment E19: Instale no Ubuntu

16 de Setembro de 2014, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

E foi lançado oficialmente a nova versão do ambiente gráfico Enlightenment E19 com suporte para Wayland, display HiDPI e muito mais. Se você já é usuário desse ambiente ou quer experimentá-lo, veja aqui como instalar ele no Ubuntu e seus derivados.
ambiente grafico enlightenment e19
O Enlightenment é um ambiente de desktop de código aberto capaz de fornecer numerosas personalizações, efeitos, transparências etc, tudo isso usando poucos recursos, o que é bom para os novos computadores pessoais e para os antigos também.

Depois de meses de trabalho duro, finalmente a versão estável do Enlightenment E19 está disponível. De acordo com o anúncio de lançamento do E19, essa nova versão do aguardado ambiente de trabalho “leve” para Linux, inclui vários novos recursos e melhorias, como suporte para o compositor Wayland e para exibição HiDPI  de tal forma que ele pode ser usado, no futuro, em novos lançamentos de monitores com alta densidade de pixels.

Conheça melhor o ambiente Enlightenment E18

Para saber mais sobre as características desse ambiente e o que pode ser feito nele, clique nesse link.

Como instalar o ambiente gráfico Enlightenment E19 no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o ambiente gráfico Enlightenment E19 no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo apt-add-repository ppa:niko2040/e19

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install enlightenment terminology 

Acessando o ambiente Enlightenment E18

Uma vez que a instalação estiver concluída, saia da sua sessão atual do Ubuntu. Clique no ícone que fica no canto superior direito da tela de login Ubuntu (No 13.10 é o circulo branco, depois do nome de usuário) e será mostrado um menu com todas as opções de ambientes de desktop atualmente instalados. A mais recente adição a esta lista será o “Enlightenment”. Clique nesta opção e em seguida, coloque suas credenciais de login e confirme para iniciar o novo ambiente.

Ao entrar no ambiente pela primeira vez, será necessário responder as perguntas de um assistente de configuração. Primeiro, selecione o seu país e depois vá respondendo conforme seu gosto como nas imagens a seguir. No Final, você poderá começar a usar e experimentar o ambiente gráfico.

ambiente grafico enlightenment e19

ambiente grafico enlightenment e19

ambiente grafico enlightenment e19

ambiente grafico enlightenment e19

Via lffl linux freedom

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.
Scottish readers: Undecided about the referendum? Please read Scottish Independence, Power And Propaganda.



Como corrigir erros ao executar o World Of Warcraft no Linux

16 de Setembro de 2014, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Se você instalou o World Of Warcraft no Linux seguindo esse tutorial e teve algum problema, veja aqui como corrigir alguns dos erros mais comuns ligados a execução desse jogo no Linux.
world-of-warcraft-linux
Executar jogos para Windows no Linux ainda não é uma coisa tão corriqueira e livre de problemas, felizmente, alguns problemas tem solução. Veja a seguir alguns dos erros mais comuns ao executar o World Of Warcraft no Linux.

Como corrigir erros ao executar o World Of Warcraft no Linux

Erro 1
Se ao executar o Battle.net, aparecer um erro como esse da imagem abaixo:
wow-battlenet-error
Faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Execute o configurador do Wine com este comando:

winecfg

Passo 3. Na tela do programa, vá para a aba “Bibliotecas”;
erro-world-of-warcraft-1
Passo 4. Em “Bibliotecas”, clique dentro do campo “Nova substituição para a biblioteca” e digite “DbgHelp” (sem as aspas). Depois, clique em “Adicionar”.
erro-world-of-warcraft-2
Passo 5. Se for questionado, simplesmente confirme clicando em “Sim”;
erro-world-of-warcraft-3
Passo 6. Em seguida, clique no item “DbgHelp” que está dentro de “Substituições existentes” e clique em “Editar”. Na tela que aparece, marque a opção “Desativar” e depois clique no botão “OK”. De volta a guia “Bibliotecas”, clique em “OK” para confirmar e fechar o programa.
erro-world-of-warcraft-4

Erro 2
Se você estiver usando um sistema de 64 bits e o cliente dO jogo World of Warcraft de 64 bits falha com um erro semelhante a este:

ERROR #132 (0x85100084) Fatal exception!
Program: C:\Program Files\World of Warcraft\Wow-64.exe
ProcessID: 57
Exception: 0xC0000005 (ACCESS_VIOLATION) at 0033:0000000005A11A71
The instruction at "0x0000000005A11A71" referenced memory at "0x00007F38ACD6C028".
The memory could not be "read".

Você precisará forçar o World of Warcraft a usar o cliente de 32 bits. Se você usar Battle.net para iniciar o jogo (que só é possível se você não usar o OpenGL, veja abaixo), você pode alterar o World of Warcraft para usar o cliente de 32 bits a partir das configurações disponíveis via Battle.net, clicando com o botão esquerdo do mouse sobre o ícone azul na parte superior esquerda canto do programa Battle.net – o menu não é sensível e, infelizmente, você tem que clicar algumas vezes para fazê-lo funcionar.

Ou, você pode executar o World of Warcraft usando um script – acrescentando “-noautolaunch64bit” para forçar a execução usando o cliente de 32 bits, em vez do de 64 bits. Se você já está usando um script, basta adicionar “-noautolaunch64bit” no final do seu comando de execução. Ou, se você não estiver usando um script, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Crie um script, executando um editor de texto com o comando:

gedit ˜/wow

Passo 3. Se você estiver usando um sistema de 32 bits, cole o conteúdo abaixo dentro do arquivo aberto (Substitua “YOURUSERNAME” pelo seu nome de usuário, você também precisará ajustar o seu caminho WoW.exe, caso seja necessário) ;

#!/bin/sh
WINEDEBUG=-all wine "/home/YOURUSERNAME/.wine/drive_c/Program Files/World of Warcraft/WoW.exe" -noautolaunch64bit

Passo 4. Se você estiver usando um sistema de 64 bits, cole o conteúdo abaixo dentro do arquivo aberto (Substitua “YOURUSERNAME” pelo seu nome de usuário, você também precisará ajustar o seu caminho WoW.exe, caso seja necessário) ;

#!/bin/sh
WINEDEBUG=-all wine "/home/YOURUSERNAME/.wine/drive_c/Program Files (x86)/World of Warcraft/WoW.exe" -noautolaunch64bit

Passo 5. Em seguida, salve e feche o arquivo;
Passo 6. Torne o script executável com o seguinte comando:

chmod +x ~/wow

Passo 7. Depois execute o script.

cd && ./wow

Esses foram os principais erros, tem mais outros que adicionarei no decorrer desse dia. Fiquem de olho.

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.
Scottish readers: Undecided about the referendum? Please read Scottish Independence, Power And Propaganda.



Ferramenta para backups simples e fácil: instale Duplicati no Linux

16 de Setembro de 2014, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Muitas gente deixa de fazer backups regulares, porque muitas ferramentas para essa tarefa são complicadas ou as pessoas simplesmente não têm tempo suficiente. Se esse é o seu caso, o que você precisa é de uma ferramenta para backups simples e fácil como o aplicativo Duplicati.
ferramenta para backup
Duplicati é uma ferramenta muito simples e ao mesmo tempo avançada, que pode resolver seus problemas de backup. Ele é um software de código aberto (LGPL), escrito em C# e está disponível para Windows, Linux e Mac OS X, com traduções para o inglês, espanhol, francês, alemão, dinamarquês, português, italiano e chinês. Inicialmente, o projeto Duplicati foi inspirado no “duplicity for Windows”, mas depois de um tempo, ganhou seu próprio rumo.

O programa é um cliente de backup gratuito que armazena de forma segura usando criptografia, backups incrementais, compactados em serviços de armazenamento em nuvem e servidores de arquivos remotos. Ele funciona com o Amazon S3, Windows Live SkyDrive (OneDrive), Google Drive (Google Docs), Rackspace Cloud File ou WebDAV, SSH, FTP (e muitos mais). Duplicati tem um sistema de agendamento interno, de modo que é fácil ter um backup regular up-to-date. Além disso, ele usa compressão de arquivos e é capaz de armazenar backups incrementais para economizar espaço de armazenamento e largura de banda. Duplicati foi construído com criptografia AES-256 e backups podem ser assinados usando o GNU Privacy Guard. Por último, mas não menos importante, Duplicati oferece várias opções e ajustes, como filtros, regras de exclusão, transferência e opções de largura de banda para executar backups para fins específicos.

Conheça melhor o Duplicati

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Instalando a ferramenta para backups Duplicati no Linux

Para instalar a ferramenta para backups Duplicati no Linux, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Para baixar o instalador do programa para Debian, Ubuntu e seus derivados, use o comando abaixo:

wget -O duplicati.deb http://duplicati.googlecode.com/files/Duplicati%201.3.4.deb

Passo 3. Para baixar o instalador do programa para Fedora, RedHat, CentOS ou qualquer outra distro derivada desses, use o comando abaixo:

wget -O duplicati.rpm http://duplicati.googlecode.com/files/Duplicati%201.3.4.noarch.rpm

Passo 4. Para instalar em um Debian, Ubuntu e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo dpkg -i duplicati.deb && sudo apt-get install -f

Passo 5. Para instalar em um Fedora, RedHat e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo yum localinstall duplicati.rpm

Passo 6. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

sudo zypper install duplicati.rpm

Passo 7. Para instalar em um OpenMandriva, Mageia e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo urpmi duplicati.rpm

Depois de instalado, execute o programa digitando duplicati

Via NoobsLab

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.
Scottish readers: Undecided about the referendum? Please read Scottish Independence, Power And Propaganda.



Como acelerar o Firefox movendo o cache para a memória RAM

15 de Setembro de 2014, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Nem sempre o Firefox é rápido como deveria ser, não é mesmo? Por isso, se você quer dar uma melhorada na velocidade dele, veja como acelerar o Firefox movendo o cache para a memória RAM.
firefox-veloz
Por padrão o Firefox coloca seu cache em sua partição Home. Você pode acelerar o Firefox e reduzir gravações em disco, movendo este cache para a memória RAM, claro, se você tem 1GB de RAM ou mais. Para fazer isso você só precisa editar seus arquivos fstab sysctl.conf, e também precisa criar uma nova string nas configurações do Firefox. veja a seguir como fazer isso.

Conheça melhor o Firefox

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como acelerar o Firefox movendo o cache para a memória RAM

Para acelerar o Firefox movendo o cache para a memória RAM, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Faça uma cópia de segurança do arquivo /etc/fstab,executando o comando abaixo:

sudo cp /etc/fstab /etc/fstab_original

Passo 3. Agora, abra seu arquivo fstab com este comando:

sudo gedit /etc/fstab

Passo 4. Com o arquivo fstab aberto, cole o conteúdo abaixo dentro dele. Depois, salve e feche o arquivo;

tmpfs /tmp tmpfs noexec,defaults,noatime 0 0
tmpfs /var/tmp tmpfs noexec,defaults,noatime 0 0

fstab
Passo 5. Faça uma cópia de segurança do arquivo /etc/sysctl.conf,executando o comando abaixo:

sudo cp /etc/sysctl.conf /etc/sysctl_original

Passo 6. Em seguida, abra seu arquivo sysctl.conf com este comando:

sudo gedit /etc/sysctl.conf

Passo 7. Com o arquivo sysctl.conf aberto, cole o conteúdo abaixo dentro dele. Depois, salve e feche o arquivo;

vm.swappiness=10

sysctl
Passo 8. Se não estiver sendo executado, abra o Mozilla Firefox;
Passo 9. Digite o comando a seguir na barra de endereços do Firefox;

about:config

Passo 10. Será exibida uma mensagem de alerta. Clique no botão “Serei cuidadoso, prometo!”, para poder acessar as configurações do Firefox;
reprodução de vídeos do YouTube
Passo 11. Clique com o botão direito do mouse em uma área em branco e no menu que aparece, clique na opção “Nova preferência” e depois em “String…”;
nova-preferencia
Passo 12. Na janela que será exibida, coloque o valor abaixo e depois clique no botão “OK;

browser.cache.disk.parent_directory

nova-preferencia-1
Passo 13. Na outra janela que aparece coloque o valor abaixo e depois clique no botão “OK. Se ela não for exibida, volte para a tela de configurações do Firefox e clique duas vezes na preferência recém criada, para que ela apareça;

/tmp

nova-preferencia-2
Passo 14. Quando terminar feche o Firefox, reinicie o sistema. Depois faça login, abra o navegador e finalmente, experimente para ver como ficou.

Via n00bs on Ubuntu

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.



Como instalar o editor de vídeo Cinelerra 4.6 no Ubuntu 14.04

15 de Setembro de 2014, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

O software de composição e editor de vídeo Cinelerra agora está na versão 4.6. Veja aqui como instalar o programa a partir do binário de 64 bits para Ubuntu 14.04, disponibilizado pela sua produtora.
editor de vídeo Cinelerra
Cinelerra é um software livre de edição não-linear e composição de vídeo profissional para Linux. Ele é distribuído sobre a GNU General Public License, foi lançado em 1 de Agosto de 2002, é produzido pela Heroine Virtual e foi baseado numa parte de um produto anterior conhecido como Broadcast 2000, pertencente à mesma empresa.

Cinelerra inclui suporte a vídeo e áudio de alta fidelidade: ele processa áudio usando de precisão, e pode trabalhar com espaços de cor tanto em RGBA como YUVA, usando ponto flutuante e representações de unidades em 16-bit, respectivamente. Ele é independente de resolução e frame rate, ou seja, suporta vídeo em qualquer velocidade e tamanho. O editor também inclui um mecanismo de composição de vídeo, permitindo ao usuário executar operações de composição avançadas como keying e mattes.

A versão 4.6 traz a divisão de painel de edição, suporte a OpenGL em Intel HD, melhorias no titulador e claro, várias correções de bugs.

Conheça melhor o editor de vídeo Cinelerra

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Instalando o editor de vídeo Cinelerra 4.6 no Ubuntu e derivados

Para instalar o editor de vídeo Cinelerra 4.6 no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo:

wget http://ufpr.dl.sourceforge.net/project/heroines/cinelerra-4.6.x86_64.tar.xz

Passo 5. Depois de baixar, execute o comando abaixo para descomprimir o pacote baixado, para a pasta /opt/;

unxz -c cinelerra-4.6.x86_64.tar.xz | sudo tar xv -C /opt/

Passo 6. Agora crie um lançador para o editor de vídeo Cinelerra, executando um editor de texto com o comando:

gksudo gedit /usr/share/applications/cinelerra-hv.desktop

Passo 7. Copie o conteúdo abaixo, cole no arquivo e salve-o;

[Desktop Entry]
Name=Cinelerra-HV
Comment=Video Editor
Categories=Application;AudioVideo;Multimedia;VideoEditing;
Encoding=UTF-8
Exec=/opt/cinelerra/cinelerra
Icon=
Terminal=false
Type=Application

Pronto! Quando quiser, inicie o programa digitando no Dash:cinelerra

Instalando o Cinelerra em outras distribuições

Quem estiver usando outra distribuição, pode dar uma olhada no site do desenvolvedor do aplicativo acessando esse link. Lá tem as instruções, e se for o caso, o pacote para instalar ele em outras distribuições Linux. Apesar de estar em inglês, as instruções são bem simples. Se quiser, você pode tentar uma versão traduzida pelo Google Translator clicando aqui. Caso existam comandos a serem executados nas instruções, lembre-se que eles não devem ser traduzidos.

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.



Como instalar o World Of Warcraft no Linux

15 de Setembro de 2014, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Se você é um usuários Linux e também é fã de jogos online, aprenda a instalar o World Of Warcraft no Linux.
 world of warcraft linux
World of Warcraft é um MMORPG (Massive Multiplayer Online Role-Playing Game ou jogo de interpretação de personagens online e em massa para múltiplos jogadores) da produtora Blizzard. Ele é um jogo on-line no mundo fantástico de Azeroth, introduzido no primeiro jogo da série, Warcraft: Orcs & Humans em 1994. Atualmente, ele é um dos mais populares MMORPGs de todo o mundo e já conta com mais de 100 milhões de jogadores. Neste tutorial, será mostrado como instalar esse incrível jogo no Linux, usando o Wine.

Conheça melhor o World Of Warcraft

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Instalando o World Of Warcraft no Linux

Para instalar o World Of Warcraft no Linux, faça o seguinte:
Passo 1. Se o Wine ainda não estiver instalado em seus sistema, siga os passos desse outro tutorial para instalar ele;
Passo 2. Abra um terminal;
Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo:

wget http://dist.blizzard.com/downloads/wow-installers/full/World-of-Warcraft-Setup-ptBR.exe

Passo 4. Agora execute onstalador através doWine com o comando:

wine World-of-Warcraft-Setup-ptBR.exe

Passo 5. Na primeira tela, aguarde o programa carregar;
wow-1
Passo 6. Na tela de configuração de instalação, modifique ou deixe como está. Em seguida, clique no botão “Continuar”;
wow-2
Passo 7. Aguarde o processo de instalação finalizar;
wow-3
Passo 8. No final do processo, será mostrada a tela de login. Entre com os dados de sua conta (ou crie uma, clicando no botão “Criar conta gratuita”) e depois clique em “Conectar.
wow-4
Pronto! Depois disso, sempre que precisar, você pode iniciar o jogo através do ícones criado na sua área de trabalho. 

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.



Resumo semanal – 08/09/2014 a 14/09/2014

14 de Setembro de 2014, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Essa foi mais semana que passou bem rápido, mal deu para publicar tudo que queria. De qualquer forma, aproveite tudo o que foi postado, dando uma olhada no nosso resumo semanal para se atualizar.
Resumo semanal - 01/09/2014 a 07/09/2014

Resumo semanal do Blog do Edivaldo de 08/09/2014 a 14/09/2014

08/09/2014

09/09/2014

10/09/2014

11/09/2014

12/09/2014

13/09/2014

Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 14.04

Para quem acabou de mudar para o Ubuntu 14.04, uma boa ideia é dar uma olhadas na últimas dicas de coisas para fazer depois de instalar o sistema:
Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 14.04


Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.