Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

Minha rede

 Voltar a planetas
Tela cheia Sugerir um artigo
 Feed RSS

Planeta do Gnome Brasil

11 de Fevereiro de 2010, 0:00 , por Software Livre Brasil - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.

Licio Fonseca: segundo festival de software livre em Belo Horizonte

17 de Novembro de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Você que é de BH e região tem um compromisso marcado com a gente(sempre quis dizer essa frase). No dia 28 de novembro, sábado, teremos o segundo festival de software aqui em Belo Horizonte.
Teremos palestras com diferentes temáticas desde filósoficas até mais tecnicas e install fest promovendo a exorcização do seu computador =)
Infelizmente surgiram alguns imprevistos e minha palestra sobre gnome vai ficar para a proxima oportunidade, mas a programação está bem diversificada e com palestrantes de qualidade.
O evento ocorrerá na UNA a partir das 8h da manhã e oficialmente deve ir até as 18h, mas como vocês devem imaginar, extraoficialmente deve ser extendido até o dia seguinte com o tradicional e milenar GULA.

Inscrições até o dia 27 no site www.fslbh.org .



Jonh Wendell: Rounded boxes in gtk

9 de Novembro de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Dear lazyweb,

Is there a GTK+ widget that draws a box with a rounded corner, just like those found in Gwibber? And that I could put my own stuff inside it?

t

Or it’s possible to do this easily?

I’m afraid not, so I will have to do it in HTML/WebKitGTK.



Vinicius Depizzol: Fórum GNOME at Foz do Iguaçu

9 de Novembro de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Sponsored by GNOME FoundationThanks to the GNOME Foundation, for the second consecutive year I went to Fórum GNOME, in rainy Foz do Iguaçu. (also, for the second year I had problems landing there due to the rain!).

The event was together with Latinoware, the (biggest?) Latin American free software conference. Latinoware itself went a bit strange this year. Maybe there was something wrong with organisation, or it was just the rain. The rain was so strong in the last day that almost only half of the participants went to the conference. :(

For the Fórum GNOME, we got a booth during all the three days and a room for talks during the entire Friday. There were always questions about GNOME 3 by users in the booth, and we spent a great time talking about that and other things with people from all Latin America.

Most of the talks had a focus in the end-user — these were most of the participants in Latinoware. Licio started with his talk explaining how to join GNOME and the GNOME Love Project. Then we got Rodrigo Flores, talking about how to contribute with translation. Alessandro Binhara did a talk about something between Mono, Mono Brasil and Star Wars :) , which was followed by the GNOME Women talk by Izabel and Luciana. Lastly, I did a talk about user experience in GNOME and Tiago filled the room with his talk about theming and customization.

It was awesome to see many enthusiastic friends from GNOME, Ubuntu-BR, Fedora and KDE. Also, during the conference Everaldo and I discussed a lot about how to clean the user interface of some GNOME applications. We didn’t publish it anywhere yet. But we stopped to think how to do it properly. Like what happened with Hylke’s idea for the font dialog (a designer suggested something and was implemented very quickly by a developer), we agreed it would be nice to have a ArtRequests-like page in the wiki, but for designers asking changes to be made by the developers. We still need to organize a lot of our thoughts however :) .

I need to say a big thank you to the GNOME Foundation and to all the people who helped the forum happen. Thank you!



Lucas Rocha: litl webbook: some technical comments

4 de Novembro de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

litl

So, you’ve probably seen the news: litl webbook released! It’s the result of heavy work of an awesome team! Our website has a lot of information about the product from a user perspective, so I thought it would be nice to bring an overview of the more technical aspects of the litl OS that I find specially interesting. Scott has written some technical notes about our OS too.

Javascript

Almost all UI code is written in javascript using our GObject introspection-based binding called gjs (using SpiderMonkey engine). It was a quite interesting learning experience to write a large amount of UI code in javascript. By the time we started, I think no one in the team had any real experience with javascript. So, it took some time until we all agreed on the javascript programming idioms (the flexibility of the language may “cause” a lot of inconsistencies…) and on how to better/correctly take advantage of its features. Most of what we agreed in terms of coding style is in the gjs style guide. Doing stuff in javascript (i.e. not doing the whole UI in C or any other insanity like this) allowed us to prototype, refactor, rewrite things much faster. And that was crucial for us because the ideas around the UI design changed a lot during the first months of development and we ended up rewriting large chunks of code several times on the way. Doing relatively large scale stuff in javascript definitely requires very clear and strong guidelines in order to keep the code base sane – maybe a bit more than usual.

GNOME & FLOSS stuff

The OS is heavily based on well-known open source projects. Some facts: it’s based on Ubuntu (with great support by Canonical) and the UI is all written with GNOME platform and co. As I said, almost all code is written in javascript using gjs. Most of the UI is Clutter-based. We have our own specialized window and compositing manager that was implemented with our use cases in mind. We’re definitely one of the projects with the largest Clutter-dependent code base. We use GTK+ in just a few places where we needed more complex widgets (i.e. text entry). The web browser is Gecko-based and it’s pretty much implemented as a XUL app running in a separate process than the OS chrome. We use Evince and Totem (as browser plugins), GStreamer, Network Manager, and others. One interesting fact about our development process is that, in the ~2 years of heavy hacking, we had to adapt to major changes in the upstream projects we base our OS on. So, since we started, we had to port our UI to Clutter 0.6, then 0.8, and finally 1.0; had to port gjs to use the then-new GObject introspection scanner; migrated from Network Manager 0.6 to 0.7; and maybe some other major changes that I can’t remember now. We contributed to those projects as much as possible during the process.

No storage, just caching

You probably noticed that the device has “only” 2GB of storage. That won’t sound strange if you see this from a “webbook perspective”. One of the ideas behind the product concept is that the device serves as a much improved window to the web. In other words, the device provides a simple and beautiful way to access web content – among other things. So, we are pretty much only using storage for local caching. We don’t really store any real permanent data on the device. And that brings some interesting challenges on how we implemented the OS. So we had to implement some smart ways to cache as much content as possible and expire the right bits at the right time so that the general experience is nice and smooth. Simple example: the OS provides a way to access all your Flickr photos and videos (which can be a lot of photos and videos btw) but we never permanently store anything on disk. We cache things like rss feeds, profile pictures of your litl contacts, a lot of your Flickr photos and videos, website favicons, installed channels, etc. Each type of content may use a different way of expiring items and all that needs to fit in the relatively small storage space we have. You can guess how fun it was to hack on this. Hacking on syncing was even more fun though :-)

Syncing

Another interesting aspect of the device is that each device is connected to a litl account on our servers and all your stuff (browser cards, channels, settings, contacts, etc) is always synced in our servers. That means if you lose your device and get new one, you would just need to connect your device to same account and all your stuff would be nicely restored. Additionally, multiple devices can be associated to same account. In that case, they will automatically share channels and other things. If you add channel card in one, it will automatically appear on the other. We spent quite some time working on our syncing infrastructure (client and server), dealing some relatively complex problems – especially when dealing with making UI immediately react to sync-related changes in the local and remote datastores. The server side syncing stuff (and other server-side features) is implemented with Google App Engine, some bits in Amazon S3 and Django.

Seamless system updates

The OS comes with a smart update system. No package management involved. No user action needed to get system updates. In practice, we download and install a new OS image and fetch your data again from litl servers while the system is idle. The update system falls back to current image in case something goes wrong with new OS images. The update system allows us to keep updating, adding features, fixing bugs, and then push those updates to our users in a burden-free way.

We had a lot of fun hacking on the litl webbook. It’s always great to work in a team full of very smart people. Definitely learnt a lot in the process. We still have a lot of work to do of course but I already feel very proud of what we’ve accomplished so far. Exciting times!

Update: Saying that the UI is 99,99% Clutter-based is not very accurate. It’s a bit less than that :-)



Flamarion Jorge: Fazendo o Gnome-Shell seu ambiente padrão no Debian

1 de Novembro de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Depois de um comentário do Kov neste blog me mostrando que o Gnome-Shell está no Debian a pouco tempo, através deste POST em seu blog, me lembrei que a grande maioria dos softwares, só não me arrisco dizer todos, que estão nos repositórios do Debian, possuem um manual ou um README.Debian.

E o que isso tem haver com tornar o Gnome-Shell o ambiente desktop padrão do GNOME?

Bom foi lendo o README.Debian que eu aprendi como se faz da maneira certa.

No post anterior a este, eu dei uma dica de como instalar e fazer com que o Gnome-Shell fosse executado no ato do login do GNOME, mas venhamos e convenhamos, era uma baita gambiarra.

Era uma gambiarra por que ele fazia o gnome-shell executar quando o lgoin fosse feito e não que este fosse configurado corretamente para ser o ambiente desktop padrão, assim como o metacity/gnome-pannel são configurados normalmente.

Mas voltando ao ssunto, eu aprendi lendo o README onde está muito claro como isso dever ser feito.

Segue o trecho e o caminho para encontra-lo no seu sistema assim que seu gnome-shell estiver instalado:

A propósito, é bem encorajador :)

flamarion@arvore:~$ less /usr/share/doc/gnome-shell/README.Debian

…..

3. If you have enough corage…

GNOME Shell installs a .desktop file which makes it possible to make
it the default for your session, replacing metacity/gnome-panel. To
make it the default all you need to do is set the following gconf key
to ‘gnome-shell’:

/desktop/gnome/session/required_components/windowmanager

Here’s the gconftool command, if you’re feeling lazy:

$ gconftool-2 -t string -s /desktop/gnome/session/required_components/windowmanager gnome-shell

Não precisa ter medo, isso funciona.

Então esqueçam a dica do .gnomerc que dei anteriormente e usem a forma correta.

Caso não tenha facilidade de fazer isso pela linha de comando você pode fazer a mesma mudança a partir do “Editor de Configurações” que fica no menu Aplicações->Sistema->Editor de Configurações, no seu Debian.

E ele tem esta cara:

gconf

Modifique a chave selecionada para gnome-shell e terá o mesmo efeito que a linha de comando sugerida pelo README.

Espero que tenha ajudado, e obrigado Kov pelo comentário que fez no post anterior e me fez ler um pouco mais a respeito e fazer a coisa da maneira correta.



Rodrigo Flores: Latinoware

30 de Outubro de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Semana passada fui no Latinoware e foi bastante interessante. Lá palestrei sobre nossa equipe de tradução do GNOME e tive algumas experiências interessantes:

  • Foi bacana rever alguns e conhecer boa parte do pessoal do GNOME Brasil. Espero vê-los mais vezes;
  • Também revi o Farid, que trabalha comigo no Archlinux Brasil, ficamos de conversar mais como acabei não podendo ir no último dia devido ao atraso do motorista que ia buscar a gente no Paraguay, não conversamos :-( ;
  • As palestras também foram legais: o Lício falou sobre o GNOME Love, eu falei sobre a equipe de tradução do GNOME para nosso idioma, o Binhara falou sobre o Mono, a Izabel e a Luciana falaram sobre o GNOME Women (eu infelizmente perdi essa palestra :-( ), o Vinicius Depizzol falou sobre a experiência do usuário no GNOME e para finalizar o Tiago falou sobre personalização do GNOME. Um ótimo conjunto de palestras :-) ;
  • Foi legal discutir coisas, tanto técnicas como não técnicas, com as outras pessoas do GNOME e de outros projetos como o Fedora. Aliás esses eventos acabam proporcionando trocas de experiências que contribuem em muito com os projetos de SL. Aliás isso é uma das coisas mais importantes de eventos como esses e tenho que ser bastante grato à Fundação GNOME por me patrocinar e ter a oportunidade de fazer coisas como essa, além de poder participar do evento e conhecer mais pessoas;
  • Depois de assistir uma palestra interessante sobre o Mono com o Binhara e depois de ouvir o Everaldo falar horas e horas disso, fiquei com vontade de aprender a programar nesse ambiente;
  • Conversei com o João Sebastião sobre como podemos fazer a adequação do GNOME para a nova ortografia. Para corrigir algumas coisas nas versões antigas ele fez um script que pode ser bastante útil para agilizar nosso trabalho. Próximos capítulos desta trama serão divulgados aqui neste blog em breve ;-) ;
  • Conheci o Paraguay, e embora este país tenha muitos produtos interessantes a venda ele tem a pior poluição visual que já vi;
  • Não consegui ver as cataratas, aliás faltou tempo para isso :-( ;
  • Minha palestra não teve um grande público, mas acho que deu para passar a mensagem da equipe. O pdf aparecerá em breve por aqui;
  • Foz do Iguaçu é uma cidade bastante esquisita: lá é úmido pra caramba, escurece bem tarde e isso me faz perder a noção do tempo;
  • Não gostei muito de comida Baiana. Tem muita cebola. E eu odeio cebola. Aliás, a coisa que menos comi lá foi comida paranaense;
  • A organização do Latinoware também deixou muito a desejar, já fui em eventos mais bem organizados e acho que o Latinoware também podia ser;
  • Agradeço a fundação GNOME por me patrocinar, ao Leonardo por me indicar para palestrar e a Izabel, que correu atrás de tudo por lá (aliás, depois que organizei junto com amigos a ida do pessoal da minha faculdade pro FISL, aprendi a agradecer as pessoas que fazem acontecer);

É isso aí :-) Que o próximo evento venha logo e que eu tenha a oportunidade de vê-los em breve.

 

Bruno Boaventura: Ela chegou! E eu sou papai!

27 de Outubro de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda



Mariana nasceu dia 20 de Outubro, às 17:26h. Desde então o pai dela não dorme bem à noite.



Jorge Pereira: Linus Torvalds apoia o Lançamento do Windows 7

23 de Outubro de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Linus Torvalds apoia o Lançamento do Windows 7

Em um conferência de Linux no Japão, a Microsoft coloca (de propósito ou não) um ponto de venda do Windows7 em frente ao local. Nosso amigo Linus Torvalds tira uma onda e vai lá “prestigiar” o lançamento.

Fonte da foto.




Vinicius Depizzol: Recent files Vs. Relevant files

19 de Outubro de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

This post could be called “Ideas for GNOME Activity Journal during Zeitgeist Hackfest” too. ;)

Every time I see a list of recent documents in some application, I never see what I am looking for. Checking the recent files on the Places menu of gnome-panel gives me nothing more than some links to pictures or text files I opened some time ago which are far from relevant for me right now. The same happens for similar lists in Gedit menu or other applications.

This very approach is initially being used as default for the new GNOME Activity Journal, which is the application who shows data from the Zeitgeist library. In general terms, the Activity Journal is a huge list of everything you did in your computer, ordered by time.

While having all this information is very useful, displaying it is nothing but tricky. Just listing tons of files sequentially won’t help anyone for finding the file you opened yesterday because the relevance “dimension” is missing.

If I just open some files and close them very quickly, than they shouldn’t be more relevant than the document I worked on for three hours. The photos I saw from my last travel shouldn’t occupy all the list of recent files, as I just spent some seconds in each of them.

Group similar activities can be interesting too. Facebook does that for news feeds and it works quite well. Seeing all the photos from my last travel is only one activity for me. Also, people open and close documents all the time. Make important documents easily accessible is more important than list the last closed one.



Og Maciel: Reunião da equipe de traduções do GNOME Brasil

18 de Outubro de 2009, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Na noite de outubro 16 de 2009 aconteceu a primeira reunião da equipe de traduções do GNOME Brasil já sobre a nova coordenação do Rodrigo Flores. Infelizmente perdi o início da reunião mas o Rodrigo fez um excelente trabalho em resumir os pontos discutidos e enviou para todos da lista de discussão. O que segue abaixo é o conteúdo deste e-mail, formatado por mim para (espero) melhor destacar os assuntos discutidos:

  1. Manter padrões:
    • Uma das coisas que as vezes falhamos é em manter os padrões. As vezes um tradutor menos experiente acaba colocando maiúsculas onde não deve e isso sai do padrão. O que podemos fazer é criar uma página no wiki com os padrões e ir discutindo eles aqui na lista. Nomes de aplicativos que podem confundir a gente coloca também coloca em tabela.

      Ex: | Eye of GNOME | Visualisador de Imagens do GNOME |

  2. Adequação a nova ortografia:
    • Inicialmente houve 3 alternativas (uma delas meio “inviável):
      • Revisar tudo manualmente (essa é a inviável)
      • Script que corrige palavras, pegando as que mais aparecem (isso deixaria só metade corrigido).
      • Rodar um corretor ortográfico (pareceu ser a mais viável).
    • Há corretores ortográficos já atualizados como o Aspell [1] e dicionários online com a nova ortografia [2]. O Vladimir também sugeriu um dicionário de papel da ABL com a nova ortografia [3].
    • Para quando faremos essa mudança ? Uma sugestão do John Wendell é termos tudo traduzido para o GNOME 3.0 (que pode ser lançado em 5 meses ou 11 meses) e anunciar isso como uma feature.
  3. Regra de crédito de autoria:
    • Decidimos que alguém só pode por seu nome no crédito de autoria se ele traduziu/arrumou o fuzzy de pelo menos 10 mensagens. Mas mesmo que se traduza menos que isso, o nome de quem traduziu vai pro Last Translator e pra mensagem de commit. Esse número pode ser discutido, mas o povo da reunião concordou com 10.
  4. String Freeze Break:
    • O John Wendell esclareceu para os presentes (inclusive para mim) o que era o String Freeze Break (e por que alguns módulos no String Freeze apareciam novas mensagens):
      • [22:36:19      ] rodrigoflores_, deixa eu explicar
      • [16 22:36:31] isso só acontece quando o programador *erra*
      • [16 22:36:56] mas por default as strings novas só aparecem *se* forem aprovadas
      • [16 22:37:17] a pessoa pede, se for aprovado, o cara faz o commit
    • Uma sugestão que ele deu, e que eu concordo é que todos assinem a i18n [4]. Lá vocês ficam sabendo o que foi aprovado e o que não foi e etc.
    • Precisamos também escrever algo no Wiki sobre isso. O Flamarion ficou encarregado disso :-) .
  5. Mudança nas “regras” de promoção:
    • Sugeri adicionarmos o item “Ter traduzido algo não trivial” na regra de promoção tradutor -> revisor. Um dos objetivos pretendidos disso é tentar fazer com que tradutores já em fase de serem promovidos traduzam mais coisas não triviais. A alteração não foi aceita, e os motivos disso foram que traduzir quantidade é diferente de traduzir com qualidade e que, revisores só devem aceitar se acharem que o cara é realmente para termos a confiança de que se o cara mandou pode subir pro repositório sem dor de cabeça. Como quase todo mundo na reunião topou, fica a mudança rejeitada.
  6. Tradução via Web:
    • Uma coisa que eu pedi que todos pensássemos sempre é em como melhorar nosso processo de tradução e nossas ferramentas e uma das coisas que vem aparecendo é a tradução online. O que eu quis salientar é que, IMHO, se isso existir, sou a favor que funcione como é no DL, onde o cara reserva, só ele mexe e depois disso ele marca como pronto. Uma coisa que me contaram (John) e que eu não sabia é que já existem planos para isso ser integrado no DL. Então me dei por satisfeito.
    • Uma coisa levantada nesse tópico (e em alguns pontos do resto da reunião) é que não temos muita documentação para iniciantes. Seria legal se tivéssemos Screencasts, e mais coisa no Wiki que ajude aos novos tradutores. Talvez uma seção “Comece Aqui” já fosse bom. O Flamarion sugeriu uma reunião na qual discutiríamos somente sobre o Wiki. Sou a favor disso e por mim já podemos marcar a data :-) .

Pontos extras (que eu esqueci de comentar)

  • Tradução incremental de documentações grandes:
    • Algumas documentações como o Anjuta são grandes e difíceis de serem traduzidas. Não seria bom se traduzissemos 50 ou 100 strings de cada vez e isso fosse revisado, submetido e a tradução continuasse, ao invés de se traduzir tudo e revisar tudo de uma vez? Isso deixaria o tradutor/revisor mais atencioso e podendo trabalhar aos poucos (isso obviamente pode ser feito por ele mesmo sozinho, mas acho que uma revisão externa sempre ajuda, além do que evitaria ter que corrigir erros recorrentes que estão na tradução inteira).
  • Revisão obrigatória para módulos grandes:
    • Alguns módulos grandes (anjuta e evolution) tem muitas mensagens e um erro ou outro pequeno sempre tem mais chance de aparecer independente do tradutor e da revisão que ele mesmo acaba fazendo (independente se ele é tradutor, revisor ou coordenador). O que eu proponho é que essa revisão seja obrigatória. Isso certamente vai atrasar um pouco o trabalho mas acho que vai melhorar bastante nosso processo.
  1. http://leonardof.org/2009/07/05/dicionario-para-aspell-agora-com-o-acordo-ortografico/pt/
  2. http://www.priberam.pt/DLPO/
  3. http://www.jacotei.com.br/dicionario-escolar-da-lingua-portuguesa-academia-brasileira-de-letras-letras-academia-brasileira-9788504011883.html?ordenarpor=3
  4. http://mail.gnome.org/mailman/listinfo/gnome-i18n
  5. http://mail.gnome.org/mailman/listinfo/gnome-pt_br-list

Se você tiver alguma dúvida, sugestão, bronca ou está interessado em ajudar com as traduções do GNOME (e não estou falando de traduzir para o Ubuntu ou qualquer outra distribuição), não use a seção de comentários deste blog, mas sim se cadastre na lista de discussão[5].



Tags deste artigo: gnome planet planeta