Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

Minha rede

 Voltar a planetas
Tela cheia Sugerir um artigo
 Feed RSS

Planeta do Gnome Brasil

10 de Fevereiro de 2010, 22:00 , por Desconhecido - | No one following this article yet.

Djavan Fagundes: Uma conversa sobre Liberdade

28 de Novembro de 2010, 22:00, por Desconhecido - 0sem comentários aindaNo dia 20 de Novembro, fui convidado pelo Guerrinha para pode realizar, junto com ele, uma jam session para participantes do Projeto ASAS.

A conversa foi sobre software livre, liberdade e copyleft, além de outros assuntos.

Achei interessante direcionarmos o foco da conversa para o copyleft além do mundo do software, o que abrange arte livre, cultura livre, etc. O que seria um pouco mais proveitoso para o projeto, que trabalha com artesanato e moda.

Aspectos interessantes da nossa jam foram as questões levantadas pelos designers sobre a amplitude do licenciamento de uma obra visual, já que o uso de uma obra, não cria, na maioria dos casos, uma obra derivada, mas sim uma outra obra. Além da questão de existência de fontes livres, que nos inspirou a criar um esforço brasileiro para ajudar na tarefa (logo terão notícias sobre).

A conversa foi bastante produtiva e logo as nossas 2 horas se esgotaram.

Conheçam o projeto ASAS!


Comentários | Link permanente
© Djavan Fagundes, 2010.



Djavan Fagundes: A viciante atividade de mapear no OSM

28 de Novembro de 2010, 22:00, por Desconhecido - 0sem comentários aindaDesde que comecei o mapeamento dos bares de Belo Horizonte no OpenStreetMap, vi o quanto é viciante ficar "brincando" de inserir dados.

Ao inserir um bar, que fica na rua X, lembro-me da farmácia Y que fica ao lado, e também do ponto de táxi que fica logo em frente, e por aí vai!

Conclusão: Celular na mão ao andar pelas ruas de BH para anotar ou fotografar o máximo de pontos que puder! O resultado é, BH muito mais completa no OSM.


Ver Mapa Ampliado

Para quer tiver interesse em promover um mapa livre para sua cidade/região. Comece, vai gostar!
http://osm.org



Comentários | Link permanente
© Djavan Fagundes, 2010.



Djavan Fagundes: Saiba mais sobre música usando o Rhythmbox

24 de Novembro de 2010, 22:00, por Desconhecido - 0sem comentários aindaAinda sobre o Rhythmbox, outro plug-in que vale a pena ativar é o "Painel de contexto", que trabalha junto com o plug-in "Lastfm".
Com este plug-in, você pode ver na barra lateral informações presentes no serviço sobre os artistas que você está escutando.

Para ativar, vá em "Editar -> Plug-ins" em marque os plug-ins "Painel de contexto" e "Lastfm". Atenção: É necessário informar dados de login para utilizar o plug-in. Se não tiver, você poderá se cadastrar, é gratuito e rápido.

Depois de ativado, assim que você começar a escutar uma música, as informações do artista vão ser carregadas na lateral direita do player. Conforme imagem abaixo.



Há como ver informações de biografia dos artistas e também da discografia.



É isto! Enjoy!

Comentários | Link permanente
© Djavan Fagundes, 2010.



Lucas Rocha: litl in the Event Boxes

17 de Novembro de 2010, 22:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

webbook by litl (CC-BY-NC-ND)

The GNOME event boxes have been flying all around Europe and North America helping our community to promote the project, demonstrate the beloved desktop, and show off all the cools things that can be done with the GNOME platform in gadgets like the OLPC XO and Nokia N810.

litl is now donating two webbooks, one for each GNOME event box. We’ve already shipped one for the North American box. I’m still waiting for the European box to be found before sending the other one. The litl OS is fully based on the GNOME platform using GObject, GLib, Clutter, GTK+, Gjs, GStreamer, and others. The webbook is a good example of the strength of GNOME’s platform. We hope this is a useful addition to the event boxes. Enjoy!



Lucas Rocha: Context Toolbars in The Board

15 de Novembro de 2010, 22:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Context Toolbar

When I blogged about the new toolbar in The Board, I mentioned that it was part of wider interaction model I would be implementing soon. So, here’s the very initial implementation of what I call context toolbars in The Board. When I started thinking about how I would offer ways to customize the things you add to The Board, I had a few simple goals in mind in terms of UI.

Obvious activation. First, it should be simple and obvious to trigger context actions. I didn’t want to use right clicking or context menus as there is no nice way to make it obvious that they are available. I wanted something that would be triggered by a simple click, nothing else, as this is pretty much the first thing anyone would try.

Clarity. The UI should make it obvious what is active on screen and what are the available actions. It should make interaction context super obvious at any time. This is why when you activate, say, a label element, all other UI elements get dimmed and the only things that are highlighted in the UI are the context toolbar and the active label.

Consistency. The way the available actions are presented should be consistent among different types of elements. I thought showing an options overlay inside the elements would be a nice idea—see the “File” button shown on photos in a previous video. However, this approach has the serious limitation of not being scalable for things with different sizes—how would you show an options overlay inside a tiny text note? Context menus again are not a good choice because I wouldn’t be able to add richer UI controls to it. So, I decided that context actions would always appear in the context toolbars, always on the top corner of the window.

Click on the image above to see a video demonstrating the general behaviour of The Board with the context toolbars. The actual actions are not fully implement at the moment. I added just a few basic actions to be able to show off the new feature. This video also shows the use of labels, the small one-liner text elements that can be used for quick reminders.

I’d appreciate some feedback from UI people, as usual. This is of course just an initial implementation of the design. I’m open for suggestions on how the design can be improved. I’ve been hanging out in #the-board channel on irc.gnome.org. Feel free to join! First 0.1.0 release coming real soon now!



Flamarion Jorge: IV ENSL e VII Latinoware

15 de Novembro de 2010, 22:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Este ano eu ainda não havia participado, nem como ouvinte, de nenhum evento. E confesso que fiquei muito triste de não poder ter ido principalmente ao FISL.
Felizmente, e também graças a 4LInux, Itaipu PTI, GNOME Foundation, John Wendell e Izabel Valverde, eu pude participar de dois eventos subsequentes e quase colados um no outro, IV ENSL e VII Latinoware.
Como se não bastasse poder fazer parte destes eventos, eu participei como palestrante, e quando eu disse que deveria agradecer as entidades e pessoas no parágrafo acima não foi atoa, eles me ajudaram muito na missão de falar sobre como ajudar de alguma forma o Projeto GNOME nestes eventos, principalmente fornecendo patrocínio e apoio.
O IV ENSL foi especial por hospedar o VII Fórum GNOME, que por sua vez me possibilitou discutir com a equipe que traduz e desenvolve o GNOME algumas ideias que eu tinha principalmente sobre o fluxo de trabalho das traduções.
Foi muito produtivo esta conversa, e já trouxe resultado para a equipe que traduz o GNOME aqui no Brasil.
Tirando isso foi ótimo poder conhecer pessoas que eu só falava através dos meios “internéticos”, e melhor ainda conhecer novas pessoas muito muito bacanas como o Antonio C. Fernandes, Rafael Gomes, Hugo Doria, Alexandro Silva, Fernandes, Marcelo Santana, Everaldo Canuto, Vinicius Depizzol, Lincoln, Krix Apolinário, Izabel Valverte, Luciana Freitas, Tiago Menezes, Frederic Peters e muitos outros outros, mas os citados estão ou já estiveram diretamente envolvidos com o GNOME, contribuindo de alguma forma.
Natal, local do ENSL, é um lugar lindo (tirando o morro que tinha que subir para chegar no hotel) e o povo nordestino me surpreendeu muito, não sabia o quanto eram bacana. Foi uma experiência fantástica.
Foz do Iguaçu, local do Latinoware, não é tão lindo quanto Natal, mas é um lugar bacana também e tem suas belezas naturais que infelizmente não pude visitar, mas fui no Paraguai (NÃO RECOMENDO) e no Duty Free na Argentina (Esse é bom), e em Foz também tive a oportunidade de me reencontrar com o Hugo Doria, Vinicius Depizzol e Everaldo Canuto, que também estavam em Natal na semana anterior ao Latinoware participando do ENSL e Fórum GNOME.
Em resumo foi bom pra caramba todos os dois eventos.
Como não tirei fotos, vou passar o link do album do Hugo Doria que estava nos dois eventos e parecia o Jorge Tadeu, tirava foto até do chão heheh!!! Sacanagem….

ENSL: http://picasaweb.google.com/hugodoria/ENSL2010#
Latinoware : http://picasaweb.google.com/hugodoria/ENSL2010#

Google Bookmarks Technorati Favorites Twitter Facebook Google Buzz LinkedIn FriendFeed Identi.ca Orkut Tumblr Delicious Reddit WordPress Share



Hugo Doria: Relato do IV ENSL

14 de Novembro de 2010, 22:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Nessas últimas semanas estive em dois ótimos eventos sobre Software Livre. O primeiro deles foi o IV Encontro Nordestino de Software Livre, nos dias 5 e 6 de novembro, em Natal. Estive lá apreciando o evento, revendo amigos, conhecendo uma galera e dando duas palestras: Gerenciando Servidores com o Spacewalk e HnTool: uma ferramenta para hardening de servidores [...]



Carlos José Pereira (Carlão): Jon "Maddog" Hall em Ilhéus

14 de Novembro de 2010, 22:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

.
No dia 1.junho.2009 tivemos a honra de receber "Maddog" aqui em Ilhéus, para uma palestra sobre a importância do Software Livre em atividades educacionais e de pesquisa.

Baixe aqui os slides da apresentação.

Baixe o áudio da palestra (com tradução "quase" simultânea...)
TEMPORARIAMENTE INDISPONÍVEL - PROCURANDO HOSPEDAGEM...

Áudio - parte 1
Áudio - parte 2


Título:
Free and open source in education: Software that teaches you twice


Preparando...



Ainda preparando...



Apresentando o palestrante e o Isamar Maia, que fez a gentileza de conduzir uma tradução "quase simultânea" :-)



Palestra



Cerveja com alunos no final!


Obrigado, Maddog!!

Abraços! Carlão



Carlos José Pereira (Carlão): Textos do Prof. Nelson de Castro Senra

12 de Novembro de 2010, 22:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

.
Reúno neste post alguns textos do Prof. Nelson de Castro Senra.

O Prof. Nelson é Doutor em Ciência da Informação pela UFRJ/Eco (Escola de Comunicação) e CNPq/Ibict (Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia), com a tese "A Coordenação da Estatística Nacional. O equilíbrio entre o desejável e o possível". É Mestre em Economia pela FGV/EPGE (Escola de Pós-Graduação em Economia, sob a direção do Profº Mário Henrique Simonsen), com a dissertação "O fenômeno sazonal na construção de índices de preços ao consumidor", e economista pela Universidade Cândido Mendes, Faculdade de Ciências Políticas e Econômicas do Rio de Janeiro.

Fui aluno do Prof. Nelson nos anos de 1999 e 2000, quando participei do mestrado em Estudos Populacionais e Pesquisas Sociais (linha de Produção e Análise da Informação Geográfica) da Escola Nacional de Ciências Estatísticas (ENCE/IBGE, Rio de Janeiro). Das disciplinas que tive a honra e o prazer de cursar com o Prof. Nelson, destaco a de "Metodologia da Pesquisa Social", onde através de um conteúdo bastante diversificado (aulas expositivas, debates, filmes, e pequenos textos para reflexão) pude ter meu primeiro contato com essa forma específica de ver e (tentar) entender o mundo, chamada "ciência".

Torno público aqui o agradecimento que consta de minha dissertação de mestrado:

Aos professores do curso de Mestrado da ENCE, pela dedicação e orientação, e em especial ao professor Nelson Senra, quem primeiro me ensinou o que é verdadeiramente “fazer ciência”, de uma forma que é impossível esquecer.

Seguem os links para os textos:

1999

Informação Estatística: política, regulação, coordenação.
Ciência da Informação, Brasília, vol. 28, n. 2, 1999.

Garantia de sigilo, a deontologia do Estaticista: sua conduta ético-moral.
Rio de Janeiro, IBGE, texto para discussão, maio 1999. 8 p.

Política de Informação (Quantitativa): concepção, formulação, aplicação.
Rio de Janeiro, IBGE, monografia para discussão, abril 1999. 54 p.

1998

A coordenação, a argumentação e a comunicação das estatísticas, vértices de um mesmo triângulo.
São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v. 12, n. 4, p. 92-98, out./dez. 98.

Os sistemas de informações estatísticas no limiar do terceiro milênio: o imperativo da coordenação. (O caso brasileiro).
2ª versão. CNPD - Comissão Nacional de População e Desenvolvimento, jan./fev. 98. 48 p.

As Sociedades Científicas e a Informação Estatística. O SBPC/GT-Informação, (des)encontro marcado entre usuários e produtores?
Rev. ANPEC, Brasília, n. 4, p. 199-211, fev. 98.

1997

Um olhar sobre os anuários estatísticos.
Ciência da Informação, Brasília, v. 26, n. 1, p. 7-11, jan./abr. 97.

1996

Governamentalidade, a invenção política das estatísticas.
Informare, Rio de Janeiro, v. 2, n. 1, p. 88-95, jan./jun. 96.
[Apresentado no I Encontro de Pesquisa da Pós-Graduação em Ciência da Informação, CNPq/Ibict e UFRJ/Eco, Rio de Janeiro, 9 ago. 95].

Cálculo econômico e a arte de governar ou A relação entre a contabilidade e a estatística.
Informare, Rio de Janeiro, v. 2, n. 2, p. 85-91, jan./jun. 96.
[Apresentado no Colóquio Organização do conhecimento e representação da informação: enfoques e perspectivas, CNPq/Ibict e UFRJ/ Eco, Rio de Janeiro, 27 set. 96]

1994

Por uma disseminação democrática de informações.
São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v. 8, n. 4, p. 40-45, out./dez. 94.

1993

A Informação e a Formação do Mercosul.
Network. Cândido Mendes, v. 3, n. 2, abr./jun. 93.

.



Lucas Rocha: Unbox, Connect, Enjoy

10 de Novembro de 2010, 22:00, por Desconhecido - 0sem comentários ainda

Unboxing a Partner by Stéfan Le Dû (CC-BY-NC-SA)

Being the (mild) technophile that I am, getting a new gadget is a special moment. I usually do quite a lot of research, compare loads of competing products, and read a bunch of reviews from different sources before reaching the point of actually purchasing a new gadget. At the moment I receive the shiny new package, I expect an ideal first boot experience comprising no more than 3 steps:

  1. Unbox
  2. Connect
  3. Enjoy

The “Connect” step might be either cable connection and/or network connection. Unfortunately, the first boot experience of many gadgets don’t follow this simple 3-step process. Some add more steps, others simply offer a lame first time experience. Here are some of the common mistakes.

Battery. Your new gadget has just arrived. You want to start playing with it as soon as possible, of course. You try to switch it on but nothing happens. You realize that you first need to charge your gadget. Epic. Fail. If your product runs on battery, it should be at least partially charged to be ready to use just after unboxing. Apparently, this a common mistake on mobile phones.

Connection. You unbox your new gadget, plugs it to power source, but then you realize you don’t have the cable to connect the gadget to your TV, or your laptop, or whatever. Uh-oh. Products should come with all necessary equipment for optimal experience. My current printer didn’t come with the necessary USB cable and my PlayStation 3 came with no HDMI cable. Very frustrating. Oh, and I’ve heard that the iPhone 4 doesn’t come with the bumper for optimal signal performance… Ok, never mind.

Defaults. The default layout, settings, and content on the gadget should give a strong clue on how cool the features are. Default settings should feel right. For example, if there’s a weather feature, it should show the weather for the user’s current location by default. You should be able to play with all features with default content or through a minimum setup. RSS reader should have a few in interesting feeds by default. A microblogging widget should have an über simple way to get started.

The underlying message from the defaults should be something like “Here’s how cool this device is, now it’s your turn, make it yours”. Galaxy S gets defaults totally wrong. It comes with 7 home screens (!?), either empty or with widgets using lame default content.

I’m pretty sure this list is much longer than that. Those mistakes might seem obvious but they still happen very often. The goal of any first boot experience should be to reduce the process between unboxing and enjoying the product to a minimum and engaging users from very first second they start using the device—with sane and compelling defaults.

The more the product requires just to get started, the more reasons you’re giving users to get frustrated. First impressions matter. A lot.



Tags deste artigo: gnome planet planeta