shumway_mozilla

Nós todos sabíamos que o Flash estava a caminho da porta de saída mas, como o Windows XP, tem sido tremendamente teimoso nessa despedida. Muitos sites ainda utilizam o recurso para apresentar multimídia em versões antigas de browsers, mesmo sabendo que os plug-ins de Flash são reconhecidamente instáveis.

Mas se a Mozilla conseguir executar seus planos, ela poderá matar de vez os plug-ins Flash com uma tecnologia que é onipresente na web e impossível de matar: o JavaScript. Desde 2012, a fundação trabalha num projeto chamado Shumway que permitirá executar arquivos SWF (Shockwave Flash) numa página web usando puro JavaScript sem precisar de plug-ins.

Sua implementação original foi na forma de um add-on para o navegador Firefox (claro), mas segundo seus seguidores mais próximos, o Shumway está para ser incluído formalmente no Firefox como padrão. Na página de demonstração do site há vários exemplos, que para funcionar precisam da extensão instalada na versão atual do Firefox.

Por hora ainda não é possível livrar-se arbitrariamente do velho plug-in Flash com o Shumway. Segundo a documentação de desenvolvimento, muitos recursos do SWF não foram incluídos ainda, mas levando em conta as evoluções recentes do JavaScript, é possível esperar que todos os recursos do Flash possam ser refeitos como HTML5 puro e JavaScript.

Os demos do Shumway podem ser vistos tanto no Firefox quanto no Chrome, mas espere algumas variações de performance e pequenas falhas. Mas a evidência é clara de que quando finalmente polido, o Shumway será totalmente cross-platform e não apenas um recurso único do motor de JavaScript do Firefox.

A Mozilla já fez algo semelhante para leitura e apresentação de arquivos PDFs usando JavaScript puro, e já embutiu o recurso no browser como padrão desde a versão 19. Ela funciona também nos dois browsers, Firefox e Chrome, com uma pequena diferença visível de velocidade se comparada com os plug-ins nativos de PDF para os dois browsers – embora alguns PDFs ainda se materializem de forma incoerente, particularmente aqueles que têm fontes embutidas.

De qualquer forma, se uma das metas da Mozilla é livrar-nos de vez de todos os plug-ins de browsers, ela ganhou um amigo para a vida toda.

Com informações de IDGNow.