Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

 Voltar a Rádio Softwa...
Tela cheia Sugerir um artigo

A contestação libertária do AnarcoRap

15 de Novembro de 2014, 13:53 , por Gabriel Galli - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 243 vezes

O [AÇÃO DIRETA] desta sexta-feira conversou com a Amanda, a Carole  a Georgia, que participam do coletivo. Confira a entrevista!

O coletivo Putinhas Aborteiras se mobiliza em defesa da autonomia das mulheres e contra à opressão e hipocrisia da sociedade conservadora. Além de participar de diversas atividades como marchas, feiras e debates, as gurias mandam ver na batida do Anarcofunk e AnarcoRap, com um som autoral e letras de contestação. Recentemente, as Putinhas se viram envolvidas numa polêmica que ganhou proporções inesperadas por elas.

A bancada do Partido Progressista (PP) na Câmara de Vereadores de Porto Alegre enviou uma notificação à banda. Eles haviam protocolado um requerimento de moção de repúdio à Televisão Educativa do Estado (TVE) por ter apresentado o grupo e divulgado uma música com "palavrões" no programa Radar. O vídeo com a apresentação das Putinhas foi parar em vários blogs e sites de notícias e movimentou as redes sociais.


Quando a liberdade choca
O próprio nome do grupo é uma provocação aos bons costumes. "A gente queria chocar. Nós queríamos desconstruir o termo também. Porque puta é uma coisa ruim? E o aborto? As mulheres fazem abortos há milhões de anos e em pleno século XXI a gente nem toca no assunto. Colocar isso em debate é fundamental, pois mulheres morrem todos os dias por causa disso", ressaltou Carol.

 

CONFIRA a entrevista COMPLETA:



0sem comentários ainda

Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.