Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

PSL Brasil

 Voltar a Notícias
Tela cheia Sugerir um artigo

Santanna reiterou o direito do governo de recobrar as fibras apagadas da Eletronet na Justiça.

9 de Março de 2010, 0:00 , por Software Livre Brasil - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 1386 vezes

O secretário de Logística e Tecnologia da informação do Ministério do Planejamento, Rogério Santanna, repetiu que o governo depende de infraestrutura para cumprir metas sociais estabelecidas no Governo Lula. Sustentou ainda que o governo não quer competir com o mercado privado, mas que não pode deixar de atuar em áreas onde não há o interesse comercial de atender à população.

Em função desse hiato entre os interesses privados e os governamentais, Santanna reiterou o direito do governo de recobrar as fibras apagadas da Eletronet na Justiça. Isso porque, completa o Secretário, será através dessas fibras que os serviços de telecomunicações serão levados para a população não-atendida pela rede comercial das teles.

Para justificar sua tese, o secretário da SLTI lembrou que a Previdência Social planeja instalar 720 novos postos ao longo de 2010. O cumprimento dessa meta exige infraestrutura de rede que o governo não dispõe. E no mercado privado, observou, esse produto é caro e inexistente nas áreas consideradas não-rentáveis economicamente.

Santanna criticou ainda o fato de as empresas de telefonia colocarem a carga tributária como um impeditivo para a ampliação da rede de Banda Larga no Brasil. "Tire o imposto e os senhores verão que esse serviço permanecerá caro", afirmou.

Afirmou ainda que as empresas de telefonia não querem o avanço da rede pública de banda larga por temerem a canibalização dos serviços de telefonia, sobretudo o fixo. E a razão desse temor, explicou o secretário, é o VoIP.

Segundo dados revelados por Santanna, o VoIP cresce a uma razão de 20%/ano e deverá explodir no mercado tão logo a população de baixa renda tenha acesso ao serviço, a partir de uma rede de alta velocidade.

Santanna disparou ainda mais contra as teles, ao observar que metade do lucro da Telefónica foi proveniente do Brasil. "Nòs servimos para financiar a crise na Europa e é por isso que esses senhores não querem a ação do governo numa rede pública de banda larga".

O Secretário de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento abriu nesta terça-feira, 09/03, o 1º Fórum de Governo Digital, evento realizado pela Converge Comunicações.

Luiz Queiroz
Fonte Convergência Digital


Tags deste artigo: slti banda larga eletronet fibras óticas

Eventos de Software Livre no Brasil