Ir para o conteúdo
ou

Software livre Brasil

PSL Brasil

 Voltar a Notícias
Tela cheia Sugerir um artigo

Governo anuncia conexão banda larga em 36 mil escolas

29 de Outubro de 2009, 0:00 , por Software Livre Brasil - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 1707 vezes

A meta do governo federal de conectar todas as escolas públicas urbanas do país até o fim de 2010 está cada vez mais próxima, segundo dados oficiais do governo.

Até 30 de setembro, informa o Ministério das Comunicações, 36.146 escolas públde todas as regiões já haviam recebido internet gratuita de alta velocidade. A iniciativa é resultado do programa Banda Larga nas Escolas.

De acordo com os dados da Agência Nacional de Telecomunicações, o número de instituições de ensino básico beneficiadas até agora representa 55,71% das 64.879 escolas públicas urbanas abrangidas pelo projeto. A meta do governo é conectar 80% delas até o final deste ano.

Os balanços divulgados pela Anatel são fechados a cada trimestre. Apenas entre julho e setembro deste ano, mais de 7 mil novas escolas foram conectadas. Os estados com mais escolas contempladas são Minas Gerais (4.301), São Paulo (3.704), Rio de Janeiro (3.619), Bahia (3.361) e Paraná (2.982).

De acordo com o ministro das Comunicações, Hélio Costa, até o fim de 2010, todas as escolas públicas urbanas do Brasil estarão cobertas, beneficiando cerca de 37 milhões de estudantes. A vigência do programa Banda Larga nas Escolas vai até 2025, com compromisso de ampliação periódica da velocidade de conexão.

Fonte: Convergência Digital


1Um comentário

  • 9e1dac2d1aa6bda0e2d234924d5dd7df?only path=false&size=50&d=404Fernando A N Souza(usuário não autenticado)
    16 de Novembro de 2009, 15:51

    Os professores irão ter acesso também, quando?

    Apesar de entender que a ação de conectar as escolas é necessária, me parece que a sequência está equivocada. Para beneficiar os alunos é urgente que os PROFESSORES tenham acesso à internet porque os alunos já frequentam lan-houses, Centros Vocaionais Tecnológicos (MG), Telecentros(Brasil), ONGS, casa dos amigos ricos, etc. A medição da exclusão digital desconsidera este aspecto dos alunos se virarem. Já os professores, com os estados descumprindo o piso salarial, não têm como bancar banda larga em casa e muito menos ficar na escola fora de seu horário de serviço (mesmo porque para melhorar o salário o trabalho em dois ou três turnos é realidade nacional).
    Então pergunto: quando é que os professores terão acesso à internet para estudarem em EAD, pós-graduação, mestrado e bater papo com seus alunos sobre os trabalhos e exercícios do bimestre?


Eventos de Software Livre no Brasil